Secretário diz que ataque a trem de ministros foi "ato contra a sociedade"

O veículo foi atingido nesta segunda-feira (10) por tiros e pedras na favela do Jacarezinho, zona norte do Rio.

Agência Brasil,
Rio de Janeiro - O secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, considerou um “absurdo” o ataque ao trem onde estavam os ministros das Cidades, Márcio Fortes, e da Secretaria Especial dos Portos, Pedro Brito. O veículo foi atingido nesta segunda-feira (10) por tiros e pedras na favela do Jacarezinho, zona norte do Rio.

Para o secretário, o ato “não foi contra o ministro ou o secretário, mas sim contra a sociedade e o Estado”.

“É um absurdo, o Estado foi àquele local levar um serviço para a sociedade e acabou sendo recebido daquela forma. É inadmissível que o Estado não possa se movimentar em qualquer lugar, a qualquer hora”, afirmou o secretário. Ele disse que está estudando as providências que serão tomadas nesse caso.

Segundo Beltrame, por questões de segurança, a visita às obras de recuperação do acesso ferroviário ao Porto do Rio não teria sido recomendada, pelo menos em determinados trechos, pelo Batalhão de Polícia Ferroviária.

“O que se sabe é que foi dada a recomendação ao secretário de Transportes [do estado do Rio, Júlio Lopes, que também acompanhou a visita] para que não fizesse o passeio, mas, é claro, isso não pode impedir que o Estado transite livremente”.

A+ A-