Renan diz que ainda não pensou se volta a presidir Senado

O fim da licença solicitada pelo parlamentar para tratamento de saúde termina no dia 26 deste mês.

Agência Brasil,
O presidente licenciado do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), voltou a afirmar que é inocente e disse que ainda não pensou se volta ao cargo no dia 26 – o dia seguinte ao fim da licença que pediu para tratamento de saúde.

“Cada dia com a sua agonia”, disse Renan, ao deixar o gabinete do presidente interino da Casa, senador Tião Viana (PT-AC). Segundo ele, a visita a Tião Viana foi apenas cordial. "Vim apenas retribuir uma visita que Tião Viana me fez".

Renan disse também que não acompanhou a votação da Proposta de Emenda Constitucional que prorroga a Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) porque estava trabalhando em sua defesa nos processos no Conselho de Ética. Ao chegar para o encontro, ele não quis dar declarações.

Nesta quarta-feira (14),  à tarde, o Conselho de Ética do Senado analisa dois relatórios de processos contra Renan Calheiros.

O primeiro, do senador Jefferson Péres (PDT-AM), diz respeito ao processo que investiga se ele usou “laranjas” para comprar veículos de comunicação em Alagoas. O segundo, do senador João Pedro (PT-AC) investiga o suposto tráfico de influência de Renan em favor da cervejaria Schincariol.

A previsão de Tião Viana é de que, caso um dos dois relatórios recomende a perda de mandato, seja votado em plenário na próxima 5ª feira (22), quatro dias antes do fim da licença de Renan.
A+ A-