Não vou dizer quem traiu, diz Lula sobre mensalão

Presidente cobrou direito de defesa para ele, seus amigos e seus adversários e pediu desculpas para acusados que depois sejam considerados inocentes pela Justiça.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, que não vai dizer quem o traiu no caso do mensalão "porque não é necessário". Na opinião dele, "o PT não merecia passar pelo que passou".

Questionado sobre possíveis erros do ex-ministro José Dirceu, Lula afirmou que não é juiz para saber. "Eu acho que quem errou pagará pelo erro que cometeu", opinou. Para o presidente, não haverá impacto nenhum no governo se o Supremo Tribunal Federal (STF) aceitar a denúncia do procurador-geral de República, Antonio Fernando Souza, contra Dirceu.

Ao ser perguntado se teve indícios da existência do mensalão, Lula negou e afirmou querer "ver o resultado do julgamento". Segundo ele, algumas coisas são "abomináveis". "Eu fico imaginando alguém imaginar que o Professor Luizinho, que era líder do governo, precisava receber dinheiro para votar com o governo. Mas, como ele pegou R$ 20 mil, ele entrou no mesmo bolo, como entraram os outros. Eu acho isso abominável.", afirmou o presidente.

O presidente cobrou direito de defesa para ele, seus amigos e seus adversários e pediu desculpas para acusados que depois sejam considerados inocentes pela Justiça. "A palavra desculpa está fora de moda no Brasil", disse.

Fonte: Terra
A+ A-