Mercadante disse que se absteve por não estar convencido de culpa de Renan

Para senador, não há provas de conclusivas de que o presidente do senado seja culpado.

Agência Brasil,
Brasília - O senador Aloízio Mercadante (PT-SP) explicou nesta quinta-feira (13) o motivo de se abster na votação para a cassação do mandato do presidente do senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Mercadante alegou que ainda não estava convencido de que Calheiros fosse culpado na denúncia de que teve contas pagas por um lobista da construtora Mendes Junior.

Para Mercadante, não há provas de conclusivas de que o presidente do senado seja culpado. "Não há prova documental bancária inquestionável. Agora há questionamento sobre a conta bancária, sobre o empréstimo feito, e só se configura crime fiscal se houver processo na Receita Federal, o que não houve", explicou.

Ele disse ainda que se absteve "dizendo que ainda precisamos investigar" as denúncias contra Calheiros. Mercadante também disse que conversou com o presidente do senado e pediu que ele se licenciasse temporariamente do cargo. Questionado sobre a resposta de Calheiros, Mercadante disse que essa era uma decisão pessoal.

Sobre as obstruções que a oposição pretende fazer, Mercadante disse que uma obstrução prolongada "não é benéfica para o país". Matérias importantes para o governo, como a CPMF e a reforma tributária, têm de ser discutidas e votadas.

O senador petista disse ainda que irá insistir na mudança do regimento da casa para que as votações e as sessões sobre cassação de mandato sejam abertas. "O pior que tem é esse voto envergonhado, no qual as pessoas não assumem em quem votaram", disse.
A+ A-