Membros da CPI da Crise Aérea da Câmara visitam hoje ruínas do prédio da TAM

No acidente, considerado o maior na história da aviação civil brasileira, morreram 199 pessoas.

Agência Brasil,
São Paulo - Seis dos 24 parlamentares da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Câmara dos Deputados que apura causas e responsabilidades pelos problemas no setor aéreo no Brasil deverão ser recebidos nesta segunda-feira (27), às 15 horas, por representantes da TAM, no local onde ocorreu, no dia 17 de julho, um acidente com um avião da companhia.

No acidente, considerado o maior na história da aviação civil brasileira, morreram 199 pessoas. Quatro das vítimas ainda não foram identificadas.

Nesse dia, um Airbus A320, com 187 pessoas a bordo, colidiu com o prédio onde funcionava o terminal de cargas da TAM, localizado na Avenida Washington Luiz, bem no rumo de uma das cabeceiras do aeroporto de Congonhas.

Parte do que restou do edifício, que foi implodido no dia 5 de agosto, será vistoriada pelos deputados, que, posteriormente, deverão se dirigir ao depósito alugado pela TAM, no município do Embu, ao sul da Grande São Paulo. É para esse depósito, que começou a ser levado o entulho após a implosão.

De acordo com a assessoria de imprensa da TAM, funcionários especializados da empresa norte-americana Global BMS, com sede no Texas, trabalham na busca dos pertences das vítimas em meio ao amontoado de concreto e ferros retorcidos.

Depois de separados e, devidamente higienizados, os objetos deverão ser entregues aos parentes dos mortos no acidente.

A empresa fez trabalho semelhante no caso das torres gêmeas do Word Trader Center (WTC), em Nova York, nos Estados Unidos. As torres foram destruídas em setembro de 2001, em um atentado, quando dois aviões comerciais foram lançados contra os edifícios.

No final da manhã desta segunda-feira  (27), os integrantes da CPI visitaram o Aeroporto de Viracopos, distante cerca de 100 quilômetros da cidade de São Paulo, nos acessos das rodovias Santos Dumont e Anhangüera-Bandeirantes.

Esse terminal é importante centro de escoamento de mercadorias e, sempre que há problemas meteorológicos prejudicando a visibilidade em Congonhas ou no terminal de Cumbica, em Guarulhos, é a rota alternativa escolhida pelos pilotos para pousos e decolagens.

Com a readequação da malha aérea, em processo de definição, passou a ser visto também como uma das opções de absorção de vôos no transporte doméstico e internacional de passageiros.

De acordo com a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero), Viracopos tem hoje capacidade para receber, anualmente, 2 milhões de passageiros e, daqui a 25 ou 30 anos, esse número aumentará para 60 milhões.

O volume de cargas deverá atingir 720 mil toneladas. De 2003 a 2007, o volume de investimentos na infra-estrutura deste terminal soma algo em torno de R$ 201 milhões.

Segundo a assessoria de imprensa da Câmara dos Deputado, a CPI da crise aérea teve o prazo de conclusão do relatório prorrogado do dia 31 de agosto para 30 de setembro. Ao fim dos trabalhos, os parlamentares decidem se encaminham os nomes de indiciados para a Justiça.
A+ A-