Fechamento do aeroporto Santos Dumont afeta vôos da ponte aérea em Congonhas

Na segunda-feira (22), o saguão do aeroporto de Congonhas ficou o dia inteiro lotado de passageiros e os atrasos atingiram quase a metade dos vôos.

Agência Brasil,
São Paulo - As condições de má visibilidade do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, alteraram a movimentação de aeronaves que servem à ponte aérea em Congonhas, na zona sul de São Paulo.

Segundo a companhia aérea TAM, nesta terça-feira (23) de manhã, oito vôos da ponte aérea Rio-São Paulo com destino ao aeroporto Santos Dumont foram cancelados e três, alternados para o aeroporto Tom Jobim (Galeão).

Nos vôos oferecidos pela TAM na malha doméstica, de acordo com a companhia, os atrasos foram de cerca de 40 minutos e 14% deles tiveram atraso superiores a meia hora.

O balanço divulgado ao meio-dia pela Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) indica que as condições de embarque e desembarque em Congonhas são melhores do que as de segunda-feira (22), quando o saguão ficou o dia inteiro lotado de passageiros e os atrasos atingiram quase a metade dos vôos.

Das 6h às 12h desta terça-feira, 23 partidas, de um total de 104, tiveram atrasos superiores a uma hora, o que corresponde a 22% dos vôos. O número de decolagens canceladas chegou a 16 (15,4%).

De acordo com a Infraero, o movimento é considerado normal para uma terça-feira. Os problemas constatados ontem (22) foram atribuídos a dois fatores: o temporal do último domingo (21), que levou ao fechamento de Congonhas entre as 20h41 e 21h05, e o excesso de passageiros, a maioria turistas que vieram a São Paulo acompanhar a final do Grande Prêmio de Fórmula 1.

Além disso, por determinação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), as operações não podem ultrapassar as 23h.
A+ A-