Cassação de Renan pode ser votada dia 22, anuncia presidente interino do Senado

A votação depende do parecer do senador Jefferson Péres (PDT-AM) e da análise e votação desse parecer pelo Conselho de Ética.

Agência Brasil,
Roosevelt Pinheiro/ABr
Renan Calheiros também é investigado por outras duas denúncias.
Brasília - O presidente interino do Senado, Tião Viana (PT-AC), disse nesta segunda-feira (12) que não vê impedimento em votar no próximo dia 22, no plenário da Casa, o projeto de resolução com pedido de cassação do presidente licenciado da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL).

"Se for o entendimento do Conselho de Ética que todos os processos em relação ao senador Renan Calheiros sejam votados no mesmo dia, da minha parte não haverá qualquer objeção", afirmou Tião Viana.

A votação depende do parecer do senador Jefferson Péres (PDT-AM), se Renan quebrou o decoro parlamentar no caso das acusações de que teria utilizado "laranjas" na compra de veículos de comunicação em Alagoas, e da análise e votação desse parecer pelo Conselho de Ética.

Caso o relator apresente um parecer pelo arquivamento, ou essa decisão seja tomada pelo plenário do conselho, a matéria não irá ao plenário.

Ele não descarta a possibilidade de votar no mesmo dia todos os processos que estão sob avaliação do colegiado. "Eu já estou fazendo um apelo aos senadores que no dia 22, numa quinta-feira, estejam no Senado para que tenhamos a votação", adiantou Viana.

Renan Calheiros também é investigado por duas outras denúncias: que teria se utilizado do cargo de presidente do Senado para beneficiar a cervejaria Schincariol, com gestões junto ao INSS e a Receita Federal, e por participar de um suposto esquema de arrecadação de recursos em ministérios comandados pelo PMDB.
A+ A-