Bolsonaro diz que aumento a agentes federais e penitenciários 'está suspenso'

Presidente declarou que todos os servidores serão contemplados em 2023, "com um merecido reajuste".

Da redação,
Polícia Federal
A sinalização de aumentar o salário somente dos servidores da área de segurança gerou reação de outras categorias, que prometem ir ao Supremo.

O presidente Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (19) que o reajuste prometido para policiais federais, policiais rodoviários federais e funcionários do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) "está suspenso". 

Em entrevista à Jovem Pan News TV, Bolsonaro disse ainda que todos os servidores serão contemplados no Orçamento do ano que vem, em 2023, "com um merecido reajuste".

A sinalização de aumentar o salário somente dos servidores da área de segurança gerou reação de outras categorias. Na entrevista, Bolsonaro afirmou que ainda vai decidir se concede ou se vetará a proposta. Ele próprio pediu que fosse incluída no Orçamento uma reserva para o aumento. A equipe econômica é contra e defende o veto.

A proposta gerou uma onda de protesto de servidores de outras categorias, que ontem organizaram uma paralisação e não descartam entrar em greve nas próximas semanas. Eles prometem ir ao Supremo Tribunal Federal (STF) para pedir que seus vencimentos também sejam aumentados com base no princípio da isonomia.

"Está reservada parcela em torno de R$ 1,8 bilhão para reajuste de servidores. Há uma grita de maneira geral porque, não vou mentir para você, a intenção inicial foi reservar algum reajuste para PF, PRF e Depen", disse o presidente. "Isso está suspenso, estamos aguardando desenlace das ações."

Tags: PF Salário
A+ A-