Aprovado convênio para difusão da cultura da palma forrageira no RN

Objetivo é modernizar 16 hectares de viveiros de produção de mudas de palma tolerantes à cochonilha-do-carmim, existentes em estações da Emparn.

Da redação, Governo do Estado,

O fortalecimento da cultura da palma forrageira no semiárido potiguar ganha reforço financeiro. O Governo do RN, por meio da Secretária da Agricultura, da Pecuária e da Pesca – Sape, consegue aprovação de importante convênio junto a Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste – Sudene. 

O projeto intitulado “Estruturação, manutenção e ampliação de unidades multiplicadoras de raquetes-semente de palma forrageira com variedades tolerantes a cochonilha-do-carmim no RN” visa revitalizar e modernizar 16 hectares de viveiros de produção de mudas de palma tolerantes à cochonilha-do-carmim, existentes em três estações experimentais da Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn_, além de ampliar em 12,5% a área instalada sob sistema de irrigação. 

A notícia foi recebida com entusiasmo pelo secretário da Sape, Guilherme Saldanha. “É uma vitória muito significativa para difusão da cultura da palma no RN. A planta se tornou uma excelente alternativa de cultivo agrícola para a convivência das famílias no semiárido potiguar, tendo grande potencial produtivo e de múltiplas utilidades, especialmente para alimentação animal”, ressaltou Saldanha. 

Entre as metas estão previstas a capacitação de produtores e extensionistas, a produção e distribuição de cartilhas informativas sobre o cultivo e manejo da palma forrageira, além da distribuição de 500 mil raquetes-semente por ano de variedades tolerantes à cochonilha-do-carmim, com atendimento de 555 agricultores anualmente. 

Os recursos empenhados pelo Governo Federal somam quase R$ 200 mil, e serão utilizados para aquisição de corretivos de solo e fertilizantes, equipamentos de irrigação, máquinas e equipamentos para manejo dos palmais, e ainda recursos para realização de cursos, treinamentos e dias de campo. 

As pesquisas serão gerenciadas pela Emparn, sob a coordenação técnica do pesquisador Guilherme Lima. Entidades como o Instituto de Assistência Técnica e Extensão Rural – Emater/RN, Serviço Nacional de Aprendizagem Rural – Senar/RN e o Serviço de Apoio aos Projetos Alternativos Comunitários – Seapac, serão parceiros nessa iniciativa.

Tags: Emparn
A+ A-