Sessões de fisioterapia curam Síndrome do Cão Nadador em filhotes de pitbull

Heldon Simões,

Centro Médico Veterinário (CMV) da UnP diagnosticou e tratou os cãezinhos

Com apenas duas semanas de vida, três cãezinhos da raça pitbull – Greth, Don Jr. e Choquito – começaram a demonstrar dificuldade de locomoção. A tutora, Amanda Aragão, de 32 anos, estudante de Medicina Veterinária da Universidade Potiguar (UnP), notou que eles arrastavam as patas traseiras, com movimentos semelhantes aos de nadadores, sugerindo, portanto, que os filhotes eram portadores da Hipoplasia Miofibrilar, também conhecida como Síndrome do Cão Nadador (SCN).

“Estou pagando a matéria de Fisioterapia neste semestre e percebi que meus filhotes apresentavam a sintomatologia da SCN, visto que não ficavam em posição quadrupedal, quando o animal está apoiado em todos os membros. Diante disso, enviei um vídeo dos pets para uma professora do curso analisar. Prontamente, ela solicitou uma avaliação do caso no Centro Médico Veterinário (CMV) da UnP”, conta Amanda.

Após exame clínico minucioso, constatou-se a síndrome na fêmea e nos dois machos, que logo iniciaram tratamento, finalizado em duas semanas. “Eu estava muito preocupada com o desenvolvimento dos pequenos, mas fiquei impressionada com o progresso durante o atendimento. Com três dias de sessões, já apresentavam uma evolução importante”, continua a estudante.

Fisioterapia

O tratamento foi iniciado no Setor de Fisioterapia e Reabilitação do CMV, com fisioterapia, para estimular o desenvolvimento da força e sustentação, além de bandagens funcionais para correção postural. A participação da tutora, com exercícios em casa, orientados pelos veterinários, também foi fundamental para a recuperação dos filhotes.

De acordo com Johnatan dos Santos, médico veterinário e tutor de práticas no CMV, a doença consiste numa alteração no desenvolvimento do sistema nervoso de cachorros filhotes. Portanto, há dificuldade de locomoção e, em casos mais graves, perda de movimentos dos membros.

“Devido a falha no desenvolvimento do animal, não há força para se sustentar. Caso não seja adequadamente tratada, a patologia pode levar a problemas respiratórios, cardíacos e até óbito. Os membros posteriores e/ou anteriores, podem ser afetados”, explica Johnatan, enfatizando que a patologia costuma se manifestar durante o primeiro mês de vida e pode afetar qualquer raça, sobretudo as de patas curtas.

Serviço

O CMV recebe e trata com indicação de fisioterapia as mais distintas desordens ortopédicas e neurológicas. Basta entrar em contato pelo telefone 4009-1466 e agendar uma consulta fisiátrica, cuja marcação acontece às terças-feiras. Após a triagem, as sessões de tratamento são marcadas e ocorrem às terças e quintas-feiras, pela tarde, mediante disponibilidade de horário.


A+ A-