Enem: a menos de um mês das notas, psicólogas frisam que dúvida sobre escolha do curso pode persistir

Heldon Simões,

Resultados da prova estão previstos para serem divulgados em 11 de fevereiro
Admitir que precisamos de ajuda pode não ser fácil. Durante a adolescência, quando se busca mais independência, as pessoas em geral tendem a tentar resolver os próprios problemas sozinhas. Para escolher qual carreira seguir, por exemplo, muitas dúvidas podem surgir. Este é um momento em que o receio de buscar auxílio precisa dar lugar ao olhar atento de um psicólogo. Para uma escolha da profissão assertiva e congruente com o perfil pessoal, a orientação vocacional se mostra essencial.  

O Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) ocorreu no fim de novembro de 2021 e os resultados da prova estão previstos para serem divulgados em 11 de fevereiro deste ano. Com a nota obtida no exame, é possível conquistar uma vaga no ensino superior, em universidades públicas ou privadas, por meio de programas como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e o Programa Universidade para Todos (Prouni).

A menos de um mês para a divulgação desse resultado, a psicóloga especialista em Avaliação Psicológica, Educação Inclusiva e Especial e Neuropsicologia, Renata Brito, diz que ainda é possível haver candidatos hesitantes em relação à escolha dos cursos.

Segundo ela, "a sociedade exige dos nossos meninos e meninas a escolha da carreira no fim do Ensino Médio. Trata-se de uma situação muito problemática e que pode gerar sofrimento. Os adolescentes já passam por diversos conflitos, os quais se somam às angústias e podem adoecê-los, muitas vezes. Por toda essa cobrança, eles podem se sentir retraídos para falar sobre suas dúvidas".

Diante disso, um espaço de escuta para ajudá-los é a orientação vocacional, que reside em um conjunto de técnicas cujo objetivo é identificar características individuais, como habilidades, potencialidades, formas de agir/reagir, desejos e possibilidades os quais devem estar alinhados com o perfil profissional. Em Natal, a Orientar - Avaliação Psicológica Vocacional oferece aos jovens e suas famílias a oportunidade de melhor identificar as potencialidades.

Na Orientar, Renata Brito investiga as características de personalidade, além dos interesses e habilidades profissionais por meio da testagem psicológica. Ela ressalta que é preciso lembrar que os pontos de foco são os adolescentes, com intensa manifestação hormonal, passando por conflitos próprios dessa etapa da vida, descobrindo-se sexualmente, tendo crises de identidade e sendo bombardeados por informações no contexto pedagógico. "Por isso, é natural e esperado que estejam angustiados, duvidosos", explica.  

Janeiro Branco  Katiuce Gurgel, psicóloga clínica também integrante da Orientar, encarrega-se da parte clínica e das necessidades e características de personalidade de cada jovem atendido pelo serviço. Ela frisa a importância de cuidarmos da saúde mental, fazendo jus à campanha do Janeiro Branco. "A campanha foi idealizada para o primeiro mês do ano a fim de aproveitar esse momento de reflexão e de planejamento atrelado à simbologia de recomeço. Assim, o principal objetivo da campanha é discutir a relevância da saúde mental e do cuidado com as emoções", diz.  

Durante a juventude, a psicóloga enfatiza a importância do acolhimento e do apoio para escolha da carreira. "Se a família não se mostrar acolhedora, fornecendo suporte e orientação, existe a possibilidade de desenvolvimento de problemas de saúde mental. Caso exista predisposição para doenças ou transtornos, a situação se agrava", conclui.

A+ A-