Uso de ultrassom específico pode prevenir lesões em atletas

Gerlane Lima,

Exercício e dor são palavras que não combinam. Uma leva ao bem-estar, enquanto a outra à tristeza. Os atletas de ponta sabem muito bem como é ser cortado de uma competição por estar lesionado. Então, para acompanhar e prevenir dores nos “atletas normais” - pessoas que praticam exercícios regularmente -, o ortopedista Fábio Farias Romualdo de Oliveira se especializou em medicina do exercício e do esporte e trata dezenas de pacientes de forma preventiva aliando prática da atividade esportiva, alimentação saudável e acompanhamento da composição corporal.

O médico dispõe de uma técnica específica para verificar quando o exercício pode estar sendo benéfico para a pessoa. O aparelho de ultrassom é um dos equipamentos utilizados pelo especialista em medicina esportiva para fazer a análise da composição corporal. Apesar de o nome ser conhecido, esse ultrassom é bem diferente dos utilizados nas clínicas convencionais para fazer exames de ultrassonografia. O instrumento tem dois diferenciais: mede a espessura do músculo e a quantidade de gordura.

Com essas informações, o médico consegue acompanhar se o paciente/atleta está ganhando ou perdendo massa muscular. “Caso seja comprovada a perda de massa precisamos alterar o acompanhamento dessa pessoa, como treino e alimentação, pois quando essa perda muscular ocorre o paciente/atleta pode estar próximo de sofrer uma lesão. E quando conseguimos ver todas essas variáveis podemos intervir antes do problema”, ressaltou o médico.

O especialista em medicina do esporte garante que é procurado no Trauma Center – centro de ortopedia, traumatologia e reabilitação - por vários motivos, mas a maioria é com a intenção de minimizar dores na coluna e joelho, além de lesões musculares e tendinites. Segundo o médico, cerca de 70% das dores dos atletas normais são ocasionadas por falhas nos treinos.

O médico explicou que faz o atendimento das pessoas que buscam, por meio da atividade física, o padrão de saúde. “Diversos critérios são analisados: composição corporal, massa muscular, mudança de exercícios e nutrição. Tudo vem do planejamento feito dentro do consultório médico, nada é ao acaso”, afirmou.

Com as mudanças sugeridas pelo médico feitas com base nos critérios analisados nas áreas corporal e nutricional, o atleta/paciente melhora as condições do treino significativamente, contudo para cada paciente existe um tempo de tratamento. “A avaliação corporal é a melhor forma de saber a condução do acompanhamento”, alerta Dr. Fábio que tem mais de 20 anos de experiência na área de medicina do esporte.

Saiba Mais sobre o Trauma Center

Inaugurado em 1998, o Trauma Center é referência quando o assunto é ortopedia, traumatologia e reabilitação. O centro clínico conta atualmente com 100 profissionais, desse total 26 são médicos que atendem na clínica e no novo Pronto Atendimento. Lá são realizados uma média de 6 mil atendimentos por mês, cerca de 3 mil exames e 70 cirurgias.

Com o propósito de sempre buscar novas técnicas, aprimorar o conhecimento, tendo em vista a missão “cuidar bem de você”, a equipe do Trauma Center realiza constantemente atualizações e reuniões científicas. O atendimento aos pacientes é realizado de forma integrada, avaliando o paciente de forma completa.

Além dos profissionais ligados à área de ortopedia, o Trauma Center conta também com especialidades como neuropsicologia, neurocirurgia e dermatologia. O setor de reabilitação física, referência na clínica possui 50 profissionais, entre fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais. A clínica atua também na reabilitação cognitiva de pacientes.

Tags: Fábio Farias Romualdo de Oliveira médico ortopedista Trauma Center
A+ A-