Projeto oferece apoio terapêutico a pessoas com transtorno mental grave e seus familiares

Gerlane Lima,
Pessoas que vivem com transtornos mentais graves carecem de tratamento adequado. Visando a melhora da qualidade de vida, um projeto oferece apoio terapêutico gratuito a elas e seus familiares, aqui em Natal. Intitulada “Grupo Viva”, a iniciativa consiste em um projeto de extensão do curso de Psicologia da UnP e promove momentos semanais, desde 2013, com os pacientes. Os encontros ocorrem no Serviço Integrado de Psicologia (SIP), da Unidade Roberto Freire.

Nos encontros, os universitários, coordenados pela professora doutora Aparecida França, desenvolvem atividades como psicoterapia, grupo terapêutico, acompanhamento terapêutico, além de oficinas variadas, promovendo um espaço de cuidado, acolhimento e interação social, cujo foco principal é estimular a autonomia da pessoa e sua reabilitação psicossocial.

Para 2022, o Grupo Viva já prepara a abertura de inscrições de novos participantes. Para se inscrever no projeto, basta comparecer ao SIP, a partir do dia 23 de março, sempre às quartas-feiras, das 13h30 às 16h. Não há exigência de encaminhamento médico e a necessidade de acompanhamento pode surgir de demanda espontânea. Para esses casos, a equipe da UnP submete os interessados a avaliação psicológica. Para mais informações, ligue: (84) 3216-8607.

Transtornos mentais

De acordo com a definição da Organização Mundial de Saúde (OMS), transtornos mentais graves são definidos como “um grupo de condições que incluem depressão moderada a grave, transtorno bipolar, esquizofrenia e outros distúrbios psicóticos”. Para a docente Aparecida França, o trabalho de acompanhamento a pessoas com transtorno mental grave implica no desenvolvimento de uma prática que só pode acontecer em hospitais psiquiátricos e rede substitutiva como o Centro de Atenção Psicossocial (Caps). Entretanto, nem sempre há vagas para todos.

“Por isso, nosso trabalho é de suma importância para a comunidade, uma vez que representa uma alternativa de acompanhamento para quem não consegue atendimento pelo serviço de saúde pública. Trata-se de um acompanhamento que ultrapassa o atendimento individual psicoterápico, proporcionando intervenções em grupos terapêuticos de fala, oficinas terapêuticas, passeios coletivos, acompanhamento terapêutico (AT), visitas domiciliares e, sobretudo, o acompanhamento conjunto com a família”, orgulha-se a professora.

O Grupo Viva já promoveu eventos como a Balada Inclusiva, com muita música e diversão, e a oficina gastronômica Viva Chef, em que os participantes aprenderam de forma prática a fazer pizza.

Tags: Grupo Viva transtornos mentais UNP
A+ A-