Carnaval com crianças: como manter rotinas e respeitar a sensibilidade auditiva

Gerlane Lima,

gePara crianças com muita sensibilidade auditiva e apego a rotinas, como as autistas, o carnaval pode ser um período difícil e até se tornar um pesadelo. Excesso de barulho, feriado longo, viagens: tudo isso precisa ser levado em conta pelas famílias na hora de planejar os dias de folia.

Seja descansando, viajando ou indo pro bloco, é preciso alguns cuidados para que a rotina das crianças não seja quebrada de forma tão inesperada e brusca. O psicólogo Gleison Souza e a terapeuta ocupacional Vanessa Maia, do Núcleo Desenvolve, dão algumas dicas e orientações para o período.

No caso das famílias que vão viajar, um exercício que funciona bem é mostrar às crianças, antes, o passo a passo, com figuras e vídeos. "Isso vai criando uma rotina visual, dando uma ideia do que vão encontrar no deslocamento e no destino", explica Gleison. Para ele, não se deve fazer surpresas no estilo: acordamos, vamos viajar! "O ideal é trabalhar com elas pequenas quebras de rotina antes de uma grande quebra como o carnaval".

Sensibilidade auditiva

Para determinadas crianças, como as autistas, alguns barulhos que para outras pessoas são "normais" se tornam insuportáveis e dolorosos. O ideal é tentar prepará-las e explicar o contexto da situação, tentando precaver possíveis surpresas sonoras e mostrando que o barulho uma hora acabará.

"Se estamos falando de uma situação que não faz parte da rotina da criança, prepare-a para o que vai acontecer, de forma gradativa: a fantasia que irá usar, a música que irá ouvir, a multidão que irá enfrentar, os confetes, serpentinas e até a pintura no rosto", orienta Vanessa.

Uma dica, segundo a terapeuta, é ir apresentando músicas em baixo volume, antes do carnaval, e aos poucos aumentando, de forma explicada. "Desta maneira, a criança vai se familiarizando com a música e com o som", diz. "Jamais devemos levá-la a uma festa sem prepará-la para o que irá ver, ouvir e sentir".

Vanessa também ressalta a importância de respeitar os limites de cada criança. "Haverá as que vão suportar ir e permanecer um pouco no bailinho de carnaval, mas também as que não", explica. Outra dica é levar objetos de conforto, como brinquedos que ela goste e a faça se sentir mais segura. "Também vale usar fones de ouvidos, quando aceitos".

Brincadeiras

Dependendo do ambiente, há uma diversidade de brincadeiras que podem ser feitas durante os dias de descanso ou folia. "As atividades devem ser compreensíveis, sem complexidade, de fácil manejo", orienta Gleison. "A bola é uma boa, por exemplo, assim como a bolha de sabão, os jogos de causa e efeito".

Vanessa também lembra que as atividades ligadas às artes são outras opções indicadas. "Além de trabalhar os aspectos cognitivos, são prazerosas, tranquilas e podem ser inseridas no contexto do carnaval", destaca. "Registrar tudo através de fotos e vídeos e depois vê-los com a criança será um momento único".


Carnaval: médicos alertam para cuidados com a prevenção de doenças

Gerlane Lima,

Com cores, música e irreverência, a folia do carnaval é motivo de desejo por muitos brasileiros após a virada do ano. Data mais celebrada no Brasil, reúne milhares de pessoas nas ruas e, consequentemente, gera um contato físico maior durante os dias de feriado. E é aí que vem um alerta para o cuidado com a saúde e a prevenção de doenças que são ainda mais proliferadas no período, mas podem ser evitadas.

Para o Dr. Thiago Sampaio Camargo, médico infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein e especialista parceiro da Care Plus, há cuidados que podem ser tomados ao longo do ano, a fim de evitar doenças contagiosas, além de visitas frequentes ao médico.

Confira abaixo a lista de doenças mais comuns e saiba como evitá-las, de acordo com informações do Ministério da Saúde.

Sífilis

Segundo o Ministério da Saúde, houve um forte aumento nos registros de casos de sífilis no Brasil. Entre 2010 e 2018, a taxa de infecção da doença aumentou de 2,1 para 75,8 casos a cada 100 mil pessoas. A sífilis é uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) curável e exclusiva do ser humano. Pode apresentar várias manifestações clínicas e diferentes estágios (sífilis primária, secundária, latente e terciária). Nos estágios primário e secundário da infecção, a possibilidade de transmissão é maior. A sífilis pode ser transmitida por relação sexual sem camisinha com uma pessoa infectada ou para a criança durante a gestação ou parto.

Como se prevenir?

O uso correto e regular da camisinha feminina e/ou masculina é a medida mais importante de prevenção da sífilis, por se tratar de uma Infecção Sexualmente Transmissível. O acompanhamento das gestantes e parcerias sexuais durante o pré-natal de qualidade também contribui para o controle da sífilis congênita.

f

Herpes e mononucleose (Doença do Beijo)

Muito comum no carnaval, a mononucleose infecciosa, conhecida como doença do beijo, é uma síndrome com maior índice de incidência em pessoas de 15 a 25 anos de idade. Da família dos herpes, também pode ser contraída através de tosse, espirro e objetos levados à boca, como copos e talheres. Os sintomas frequentes e progressivos são dor de garganta, febre, calafrio, inchaço dos gânglios (ínguas), fadiga, mal-estar e sudorese.

Como se prevenir?

Como a doença é transmitida pelo beijo, a principal dica para prevenção é evitar o contato com pessoas infectadas e sempre higienizar as mãos.

Conjuntivite

Conjuntivite é a inflamação da conjuntiva, membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular (o branco dos olhos) e o interior das pálpebras. Em geral, ataca os dois olhos, pode durar de uma semana a 15 dias e não costuma deixar sequelas. Ela pode ser aguda ou crônica, afetar um dos olhos ou os dois. A conjuntivite pode ser causada por reações alérgicas a poluentes ou substâncias irritantes (poluição, fumaça, cloro de piscinas, produtos de limpeza ou de maquiagem, etc.).

Como se prevenir?

Evitar aglomerações ou frequentar piscinas de academias ou clubes; lavar com frequência o rosto e as mãos, uma vez que estes são veículos importantes para a transmissão de micro-organismos patogênicos. Não coçar os olhos e usar toalhas de papel para enxugar o rosto e as mãos, ou lavar todos os dias as toalhas de tecido.

Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs)

Transmitidas, principalmente, por contato sexual sem o uso de camisinha com uma pessoa que esteja infectada, geralmente se manifestam por meio de feridas, corrimentos, bolhas ou verrugas. No período carnavalesco, comumente esses cuidados são esquecidos, o que facilita a transmissão dessas doenças.

Dados do último boletim epidemiológico do HIV/Aids mostram que 73% dos novos casos de HIV em 2017 ocorreram no sexo masculino. Um em cada cinco novos casos de HIV estão entre homens de 15 a 24 anos (2017). Entre homens na faixa etária de 20 a 24 anos a taxa de detecção de aids cresceu 133% entre 2007 a 2017, passando de 15,6 para 36,2.

Como se prevenir?

Uma das maneiras mais eficazes de se prevenir contra as ISTs é fazer exames regulares. Inúmeros exames são sugeridos para as mais diversas formas de ISTs e com regularidades diferentes. Usar preservativos em todas as relações sexuais é o método mais eficaz para a redução do risco de transmissão.

Gastroenterite (infecção intestinal)

Gastroenterite é uma inflamação do trato gastrointestinal que afeta o estômago e o intestino delgado. Os sintomas mais comuns são diarreia, vômitos e dor abdominal. Outros possíveis sintomas incluem febre, falta de energia e desidratação.

Como se prevenir?

No carnaval, a preocupação com a alimentação deve ser levada em conta. A infecção intestinal é muito comum quando são ingeridos produtos de procedência não identificada. Por isso, é importante dar preferência a restaurantes conhecidos e lavar as mãos após ir ao banheiro. É essencial evitar consumir carnes e ovos malpassados e beber muita água, de origem confiável.

Sobre a Care Plus

A Care Plus faz parte da Bupa, que tem presença em mais de 190 países. Há mais de 27 anos, fornece soluções de saúde premium, por meio de uma ampla gama de produtos (medicina, odontologia, saúde ocupacional e prevenção de doenças para medicina preventiva). É a principal operadora de saúde no Brasil no seu nicho de mercado, atendendo a mais de 1.000 empresas e cerca de 112 mil beneficiários.


Especialista orienta sobre o que fazer em caso de água no ouvido e como evitar infecções

Gerlane Lima,

Ao sair da piscina, do banho ou do mar, pode ser comum a água no ouvido ser o incômodo de muita gente. O que pode se tornar um agravante é a maneira de solucionar esse quadro. O otorrinolaringologista Pedro Cavalcanti, do Hapvida Saúde, recomenda soluções comuns já realizadas pela população.

''As manobras que são feitas, de virar a cabeça de lado e puxar a orelha pra trás e para cima, são soluções imediatas. Além de pulinhos ou tapinhas do lado oposto da cabeça também serem bastante frequentes''. 

Se o abafamento e o problema persistirem, a água no ouvido é um alerta para os cuidados como explica o especialista. ''Se os métodos que foram feitos não solucionar o incômodo pode pingar duas gotinhas de álcool, aguardar cerca de 5 segundos e depois virar a cabeça para a água no ouvido sair''. 

Os cuidados precisam ser redobrados, caso repita os procedimentos algumas vezes e não conseguir solucionar. Em determinados casos, as soluções caseiras podem ser arriscadas e causar infecções. Então, o ideal é procurar um médico otorrinolaringologista. 

''A dor irá surgir quando ocorrer inflamações causadas pela proliferação de bactérias no ouvido. É preciso atenção porque qualquer manuseio errado pode causar infecção. Por isso, a prevenção é sempre o melhor remédio'', finaliza o médico.


Hanseníase: O que é Mito? O que é Verdade?

Gerlane Lima,

Janeiro é o mês dedicado a conscientização, combate e prevenção da Hanseníase. Popularmente, referida como uma enfermidade bíblica, a mais antiga da humanidade, a Hanseníase tem cura, mas ainda hoje representa um problema de saúde pública no Brasil.

Doença tropical negligenciada, infectocontagiosa de evolução crônica, se manifesta principalmente por meio de lesões na pele e sintomas neurológicos como dormências e diminuição de força nas mãos e nos pés. É transmitida por um bacilo por meio do contato respiratório próximo e prolongado entre as pessoas. Seu diagnóstico, tratamento e cura dependem de exames clínicos minuciosos e, principalmente, da capacitação do médico. No entanto, fica o alerta: quando descoberta e tratada tardiamente, a Hanseníase pode trazer deformidades e incapacidades físicas.

No Brasil, o tratamento é gratuito e oferecido pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os pacientes podem se tratar em casa, com supervisão periódica nas unidades básicas de saúde. 

Para esclarecer as dúvidas sobre o assunto, a dermatologista Sandra Durães, Coordenadora da Campanha Nacional de Hanseníase da Sociedade Brasileira de Dermatologia, destaca o que “MITO” e o que “VERDADE” sobre a doença:

- Hanseníase: doença tão antiga que já foi eliminada! É MITO

A Hanseníase ainda possui grande ocorrência grande no mundo e, principalmente, no Brasil.

- Pessoa de qualquer sexo, idade e classe social pode “pegar” a Hanseníase! É VERDADE

Apesar de qualquer um estar sujeito a adquirir a bactéria, 90% da população tem resistência para adoecer.

- Apenas a população de baixa renda tem Hanseníase. É MITO

Qualquer um pode ter a doença. Locais de moradia aglomerada facilitam a sua transmissão.

- A Hanseníase pode causar deformidades e incapacidades físicas! É VERDADE

Com diagnóstico e tratamentos tardios, há o risco de graves sequelas. Isso pode ser evitado com o tratamento rápido, que cura e é gratuito em unidades de saúde do Sistema Único de Saúde (SUS).

- É possível “pegar” Hanseníase de um animal! É MITO

A Hanseníase só é transmitida de uma pessoa que tenha a doença na forma infectante, e não tratada, para outra pessoa

A aglomeração de pessoas facilita a transmissão da Hanseníase! É VERDADE

Ambientes muito fechados e com pouca circulação de ar são locais propícios para a transmissão da doença.

Ao suspeitar dos sintomas, procure uma unidade de saúde da família mais próxima ou um dermatologista nas unidades de saúde do SUS e, também, no site da Sociedade Brasileira de Dermatologia.


Especialista alerta para prevenção de dengue e síndromes gripais

Gerlane Lima,

O período de chuvas começa a se intensificar em boa parte do Brasil, principalmente nas regiões Norte e Nordeste devido aos fatores climáticos das regiões, e algumas doenças como as Síndromes gripais (Influenza A (H1N1) e Influenza B), doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, (dengue, zika e chikungunya), são motivos de preocupação para a maioria da população, principalmente a que mora em áreas afetadas pelo grande volume de águas. 

De acordo com o Superintendente Nacional de Rede Própria do Hapvida, Anderson Nascimento, essas são doenças graves que todos os anos acometem a população e precisam de cuidados, isso porque elas podem ser confundidas com os sintomas da gripe, gerando complicações no quadro, caso não sejam tratadas. “É de fundamental importância a população reconhecer os sintomas dessas doenças e buscar atendimento médico. Os principais sintomas se manifestam, principalmente, através de dores no corpo, febre, tosse, desânimo, dor atrás dos olhos, dor de cabeça e dor de garganta. Nas crianças, pode ocorrer coriza (secreção no nariz), olhos lacrimejando e tosse. Procurar uma unidade de saúde o mais breve possível pode salvar vidas”, explica o médico.

O especialista afirma que é necessário redobrar a atenção durante o regime de chuvas e tomar as devidas precauções. “Caso o paciente tenha apresentado algum desses sintomas e tenha sido medicado no centro médico, mas não apresentou melhoras, a recomendação é voltar rapidamente para o hospital, fazer os exames necessários para que seja possível diagnosticar a enfermidade de forma acertada e ficar em observação”, esclarece Anderson.

Além disso, Anderson alerta para o público jovem estar mais atento aos sintomas e buscar atendimento médico, haja vista que essa população não se encontra no grupo prioritário de vacinação, mas quando são acometidos pelas doenças podem sofrer danos irreversíveis.

 Prevenção

O médico garante que alguns cuidados básicos podem contribuir para se prevenir dessas doenças, principalmente da dengue. “Medidas simples como usar telas nas portas e janelas, evitar o acúmulo de água em recipientes e pneus, limpar calhas, piscinas e aquários e colocar areia nos vasos de plantas, são ações importantes para proteger todos da casa contra o mosquito causador da dengue. É fundamental também as famílias criarem uma rotina semanal de checar os reservatórios para evitar criadouros dentro do mosquito nas casas”, destaca Anderson.

Com relação às síndromes gripais, o especialista explica que transmissão pode ocorrer através das secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, espirrar e tossir ou por meio das mãos (tocando boca, nariz e olhos) após contato com locais contaminados.

Por isso, as recomendações para se prevenir são: não compartilhar alimentos, copos toalhas e objetos de uso pessoal; lavar as mãos frequentemente com água e sabão, especialmente depois de tossir ou espirrar; e procurar um médico ou unidade de saúde mais próxima em caso de gripe para diagnóstico.

A influenza é uma doença transmitida através do vírus influenza e provoca febre, dores de garganta e outros sintomas. A influenza é uma doença sazonal, mais comum no inverno, que causa epidemias anuais, podendo haver anos com maior ou menor intensidade de circulação de vírus influenza. Os sintomas da influenza A aparecem entre 3 e 7 dias após contato com o vírus. Existem outros tipos de influenza que podem trazer danos à saúde.

Já a dengue é uma doença infecciosa causada por um arbovírus (existem quatro tipos diferentes de vírus da dengue transmitidas pelo Aedes aegypti: sorotipos 1, 2, 3 e 4), que ocorre principalmente em áreas tropicais e subtropicais do mundo, inclusive no Brasil. As epidemias geralmente ocorrem no verão, durante ou imediatamente após períodos chuvosos.


Exercícios físicos no veraneio: saiba como não perder o foco nos treinos durante as férias

Gerlane Lima,

Litoral, sol, piscinas e mar. Esses são os destinos mais comuns na época mais aguardada do ano, as férias de verão. Entre os passeios, viagens e lazer em casas de praia, aqueles que passam o ano inteiro nas academias fazendo exercícios e cuidando do corpo muitas vezes relaxam e deixam os treinos um pouco de lado.

Porém, estar na praia não é motivo para abandonar os exercícios. A rotina e a rota podem até mudar um pouco, mas o hábito pode e deve permanecer sendo executado. A empresária Lorena Dapieve conta que, apesar de estar passando o mês em uma casa de praia no litoral, não abandona as atividades físicas. “Os treinos fazem parte da minha rotina e eu faço por prazer, lamento quando não consigo realizar essa parte do meu dia a dia e, por isso, mesmo não indo diretamente ao ambiente da academia, me exercito na praia mesmo, com as devidas orientações do personal”, relata.

Devido à consciência dos benefícios dos exercícios físicos estar cada vez mais presente nas pessoas hoje em dia, os treinos são mantidos por alunos como Lorena, tanto ao ar livre quanto em hotéis e pousadas que dispõem de equipamentos de treino. A opção de treino na praia é a mais utilizada, graças à alta dos exercícios funcionais, em que os alunos fazem um circuito de exercícios até mesmo na areia, comandados por um profissional de educação física e visando manter o corpo ativo.

“Geralmente os treinos mais comuns no verão são as caminhadas ou corridinhas na praia. Por serem ao ar livre, essas atividades se tornam mais agradáveis. Mesmo assim, é extremamente necessária a orientação de um profissional para essa mudança na rotina de treinos. É necessário estar atento à transição, mesmo que rápida, também nos aspectos de hidratação e proteção solar”, explica o profissional de Educação Física da Bodytech Tirol, Emmanuel Lacerda.

Os treinos externos e em contato com a natureza despertam o corpo e também a mente, além dos benefícios da vitamina D, que é responsável pelo equilíbrio mineral do corpo e previne doenças autoimunes. “Pratico essas atividades ao ar livre e é sempre muito prazeroso, muda a rotina e dá um ar de leveza maior aos treinos”, conta Lorena.

Para os alunos da Bodytech, o app BTFIT é um auxílio nos treinos fora da academia. Com ele é possível montar uma rotina de treinos em qualquer lugar e a ferramenta é uma boa pedida para quem está longe da cidade, como nos casos de viagem, por exemplo. “O app dispõe de treinos personalizados, programas de treinamento, aulas coletivas e treinos de 15 a 25 minutos, e tudo isso pode ser usado pelo aluno no momento em que ele escolher ser ideal para os exercícios”, conclui Emmanuel.


Pedagoga dá dicas para escolher a escola ideal para as crianças

Gerlane Lima,
Divulgação
Ao entrar na escola, as famílias precisam ter acesso, em primeiro lugar, à Coordenação ou Direção Pedagógica.

Com a proximidade do fim do ano, muitas famílias precisam decidir onde vão matricular os filhos, seja para iniciar a vida escolar ou mesmo trocar de colégio. As dúvidas são muitas e passam por questões como espaço físico, localização, metodologia e custo-benefício. A pedagoga Luciana Queiroz dá algumas dicas importantes para ajudar na decisão. "A escola precisa ter uma estrutura que dê condições à criança para que tenha autonomia", afirma.

Uma das maiores dúvidas dos pais é sobre quando matricular o filho na escola. Para Luciana, coordenadora pedagógica na Escola Lápis de Cor, em Natal, quanto mais cedo, melhor. "Na primeira infância, de 0 a 3 anos, a integração em um ambiente coletivo é essencial para a organização da rotina estabelecida por horários e sequências de situações de aprendizagem que levam o bebê a pensar sobre as coisas e executá-las", explica.

Um ambiente arejado, projetado e adaptado para a autonomia das crianças também é um fator a ser levado em conta. "Até os seis anos, na primeira e segunda infância, elas precisam mais do que nunca estar em locais abertos, claros e estruturados, tendo condições de agir sobre o ambiente", aconselha. "A metodologia precisa ser ativa, trabalhar o desenvolvimento cognitivo, social e motor, fundamentais para o desenvolvimento humano", completa.

Conhecendo a escola

Luciana diz, ainda, que, ao entrar na escola, as famílias precisam ter acesso, em primeiro lugar, à Coordenação ou Direção Pedagógica. "Estes profissionais darão aos pais os recursos que permitam entender quais pensadores e teorias a escola aplica para a formação integral", afirma. "E aí eles avaliam se estão de acordo".

Para a pedagoga, a escola deve proporcionar uma formação cidadã pautada em valores que levem ao pensamento coletivo. "A criança vai agir não só por ela, mas pelo outro, desenvolvendo características como empatia e resiliência", ressalta. "Ela não deve estar apenas imersa em conteúdos, mas vivenciar conceitos estabelecidos para viver coletivamente".

Aula-visita

Algumas escolas de Natal oferecem às famílias a oportunidade de conhecer previamente e mais profundamente seus espaços e metodologias em um dia de atividades. A Escola Lápis de Cor, por exemplo, faz um convite aos pais para que vejam como acontece a imersão das crianças na língua materna e inglesa, já que é bilíngue.

Enquanto os gestores fazem a apresentação da proposta pedagógica aos pais, as crianças ficam com os professores simulando um dia letivo na escola, com atividades lúdicas e outras programações.

A escola mostra como trabalha seus projetos, oportunizando a pesquisa e a busca de respostas não só junto ao professor, mas nos dados coletados. "Os estudantes aprendem que a criticidade sobre o que se apresenta é importante, que são seres pensantes e reflexivos desde pequenos", afirma Luciana.


Colônia de férias é o ideal para pais que continuam trabalhando

Gerlane Lima,

O verão já chegou e as férias escolares também. Este é o momento perfeito para que a rotina das atividades infantis seja desacelerada e para que os pais busquem opções saudáveis, lúdicas e divertidas de lazer e entretenimento para seus filhos.

Depois de um ano inteiro de estudos, esportes, idiomas e outros estímulos físicos e intelectuais, os pequenos estão com todo o tempo livre e cheios de energia, mas, enquanto isso, muitos pais continuam trabalhando e não conseguem dar toda atenção que as crianças merecem.

Com o intuito de agradar os pequenos e auxiliar os pais, a Roboeduc, escola especializada em Tecnologia e Robótica para alunos de todas as idades, lançou mais uma edição da colônia de férias. Este ano, a escola traz uma edição especial, que vai focar na cultura Maker, do “faça você mesmo”, para estimular as crianças e proporcionar passatempos que unam diversão com aprendizado, sem deixar de lado, é claro, as aulas de programação, as atividades envolvendo a robótica e modelagens 3D, que já são desenvolvidas durante todo o ano na Roboeduc.

Estimular a criatividade, sem esquecer da diversão, é o principal objetivo da Roboeduc na colônia de férias. Para os pais, que continuam trabalhando e cumprindo seus horários tranquilamente, a ação torna-se um suporte a mais no dia a dia. Além disso, tem o prazer de saber que o filho estará gastando energia brincando, mas também aprendendo. “Final de ano é o período mais longo de férias escolares e os pais têm essa opção, que estimula o desenvolvimento da criança. Além disso, todas as práticas realizadas incentivam a reciprocidade, respeito mútuo e trabalho em equipe, gerando um impacto muito positivo na formação infantil”, conta a coordenadora pedagógica da escola, Jadiliana Tavares.

Durante a programação, além das oficinas de robótica, também são trabalhadas as brincadeiras mais atuais, como oficinas de Slime e YouTube. As brincadeiras tradicionais, como amarelinha, pique-esconde e pular corda também fazem parte da programação. “A gente corre, brinca, mas o que eu mais gosto é de montar robô, já montei carro e avião”, comenta Igor Dantas, de 9 anos, participante ativo da Colônia de Férias.

A pedagoga Jadiliana Tavares revela que é possível se divertir e aprender nas férias.  “Desde que o estilo mais tradicional de ensino seja deixado de lado e que o tempo livre das crianças seja explorado com brincadeiras e atividades que possibilitem maiores estímulos, dá para inserir conhecimentos das disciplinas da grade comum curricular nas brincadeiras. Para as crianças e adolescentes, é preciso fazer com que eles enxerguem algum significado no que estão fazendo”, diz.

O diretor executivo da Roboeduc, Cássio Leandro, explica que as crianças ficam mais felizes e associam saberes mais facilmente durante uma atividade mais lúdica. “É por meio dessas atividades que as crianças e os adolescentes criam, consertam e modificam objetos do seu jeito, com suas próprias mãos, o que torna essa experiência bastante significativa, já que desenvolve a criatividade e o talento para a área tecnológica. É fundamental proporcionar experiências educativas no campo da diversão”, conta.

Toda a programação já está sendo realizada no Complexo Tecnológico da Roboeduc, em Morro Branco. Todo o plano de atividades é indicado para crianças a partir dos três até 14 anos de idade. A colônia de férias tem duração de três horas, nos horários da manhã e tarde. As atividades seguem até o dia 20 de dezembro, com uma pausa durante as festividades de Natal e Réveillon, e retornam no dia 7 de janeiro de 2020, seguindo até o dia 17 do mesmo mês. 


Harmonização corporal: procedimentos estéticos oferecem resultados mais satisfatórios

Gerlane Lima,

Unir num mesmo tratamento vários protocolos de procedimentos estéticos.  A alternativa está sendo apontada como uma das mais eficazes para o alcance do corpo ideal. Em Natal e João Pessoa, a Clínica Emagrecer vem trabalhando a harmonização corporal como uma ferramenta a mais para apresentar resultados satisfatórios aos clientes - respeitando, claro, as diferenças e particularidades de cada pessoa.  Assim, após uma minuciosa avaliação, o paciente segue o protocolo indicado para amenizar as suas queixas, sejam elas gordura localizada, flacidez ou celulite, por exemplo.

O fisioterapeuta e empresário, Hallamo Saraiva, que está à frente da Clínica Emagrecer nas duas cidades, explica que, como o próprio nome sugere, a harmonização corporal visa promover a harmonia entre a saúde da pele e os contornos do corpo, por meio de procedimentos estéticos combinados. “O objetivo é gerar um resultado bastante natural. Na prática, é possível, por exemplo, eliminar a gordurinha localizada para melhorar o contorno corporal, além de tratar sinais de celulite, estrias e flacidez. É a maneira mais segura e eficaz de garantir que as partes do seu corpo combinem com o todo”, detalha Hallamo.

A esteticista Ianne Câmara, que compõe a equipe de profissionais envolvidos na avaliação e diagnóstico da harmonização corporal, explica o processo de identificação do melhor tratamento para cada queixa. “Existe uma personalização dos protocolos. Então, cada paciente tem um protocolo pessoal e, de acordo com suas necessidades apresentadas no momento da avaliação, é montado o cronograma de atendimento, que unirá diferentes tratamentos num mesmo protocolo”, conta.

Todo o processo busca a percepção natural dos resultados. “O tratamento para gordura é diferente do tratamento para celulite. Então, na harmonização, nós buscamos tratar diversas queixas num mesmo protocolo. Queremos que, quando o paciente se olhe, perceba que está havendo uma melhora no quadro geral e não por partes”, exemplifica Ianne.

Procedimentos estéticos requerem tecnologia de ponta e profissionalismo. A recomendação geral é que as pessoas interessadas em intervenções combinadas, como a harmonização corporal, busquem clínicas sérias. Isso porque, no processo, participam especialistas que planejarão quais procedimentos são necessários, quando e como serão realizados.

"Quando falamos da nossa saúde, estamos tratando de um bem precioso. Por isso, para realizar uma harmonização de fato é preciso recorrer a lugares possuam todas as tecnologias disponíveis no mercado, além de profissionais capacitados e treinados. Só assim, é possível fazer o perfeito cruzamento entre suas insatisfações com a própria aparência e as reais necessidades do seu corpo", enfatiza Hallamo.


Novembro Azul: câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens

Gerlane Lima,
Em todo o Brasil, o mês de novembro é dedicado ao combate e prevenção do câncer de próstata, localizada na glândula que só o homem possui e que se encontra na parte baixa do abdômen. O Instituto Nacional de Câncer (INCA) estima que para cada ano do biênio 2018/2019, sejam diagnosticados 68.220 novos casos de câncer de próstata no país.

Ainda de acordo com a pesquisa, o câncer de próstata é a segunda principal causa de morte por câncer em homens, sendo a cada 41 homens, pelo menos 1 morrerá de câncer de próstata, doença que normalmente acomete homens idosos. O exame deve ser realizado a partir dos 40 anos em pacientes considerados de alto risco, ou seja, que já tenham histórico na família. 

O Urologista do Hapvida Saúde, Felipe Melo, alerta para os sintomas que normalmente são silenciosos e ressalta a importância do tratamento individualizado. “Geralmente o homem vai ao médico com desconforto urinário, com a necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite. Na fase avançada, pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal’’.

O diagnóstico precoce ainda é a melhor possibilidade de alcançar a cura. Alguns fatores podem ser considerados "protetores", como atividade física, baixo peso, baixo consumo de gordura. Mas, não são determinantes no aparecimento da doença. ‘‘Em torno de 90% dos casos são curados, quando realizado o diagnostico precoce’’.

O especialista reforça que existem algumas barreiras que vêm sendo ultrapassadas nos últimos anos, como por exemplo, a resistência masculina em procurar ajuda médica.  “O apoio e incentivo familiar pela  busca da prevenção tem um papel importante na superação do preconceito. Também é recomendado manter um estilo de vida saudável", finaliza.


Tecnologia proporciona cirurgia de implante dentário sem dor

Gerlane Lima,

Associar procedimentos dentários à dor é uma ideia que tem ficado para trás. A tecnologia é quem tem mudado esse cenário e, por meio das cirurgias guiadas por computadores, tem transformado o universo da odontologia mundial. A possibilidade de implantar dentes sem as temidas dores ou o sangramento excessivo, chamou recentemente a atenção do professor Edson da Silva Lima. “Eu já vinha em visitas ao dentista desde fevereiro, e descobri sobre a cirurgia guiada por computador. Só tinha dentes na parte inferior e isso me incomodava. Poder implantar dentes e no outro dia e ir trabalhar normalmente é muito bom. Além disso, só saber que não teria dor, facilitou muito”, relata.

Os implantes do professor Edson foram realizados pelo cirurgião bucomaxilofacial Rodrigo Rodrigues. O especialista conta que os avanços tecnológicos facilitam a vida de quem procura corrigir o sorriso. “A cirurgia é indicada para qualquer paciente que necessite de implantes, por perda total ou parcial dos dentes. A tecnologia implementada no procedimento vem revolucionando a vida de muitas pessoas, em especial, aqueles que tinham medo de tratamentos odontológicos, que podem ser atendidos com a certeza que terão o mínimo de dor” explica.

Ainda segundo o dentista, no método convencional de cirurgia para implantes, o paciente é exposto aos cortes para que sejam inseridos os implantes, o que torna a recuperação mais longa e cuidadosa. “Na cirurgia guiada, não são necessários cortes, pois o cirurgião opera através de uma guia 100% virtual e feita previamente, que auxilia na remoção do tecido gengival unicamente no ponto do implante, o que torna o procedimento mais rápido, além de mais seguro e assertivo que o tradicional, devido ao planejamento prévio, que evita possíveis imprevistos”, assegura.

Levando em consideração que o tempo cirúrgico é reduzido, nessa técnica guiada o pós-operatório é mais agradável e diminui a morbidade e o uso de medicamentos para dor, como ressalta Dr. Rodrigo. “Os benefícios são vários, como o conforto associado ao mínimo de trauma, rapidez na execução e qualidade final no resultado do tratamento. Esses fatores permitem que o pós seja otimizado. Na maioria dos casos, o paciente consegue voltar à sua rotina de trabalho no dia seguinte ao procedimento”, detalha.

Implantes dentários no Brasil

Um estudo realizado pela Associação Brasileira da Indústria Médica, Odontológica e Hospitalar (Abimo) mostrou que cerca de 800 mil implantes são realizados anualmente no Brasil. Sobre próteses dentarias, a pesquisa revela que 2,4 milhões são produzidas no país. Além disso, o levantamento revelou que 16 milhões de pessoas não possuem dentes e outros 14 milhões perderam algum dente, o que justifica a grande procura por implantes dentários.


HIV em crianças: saiba como é o tratamento

Gerlane Lima,

A infecção pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) é causada pelos vírus HIV-1 e HIV-2 e, em crianças pequenas, é normalmente adquirida da mãe no momento do nascimento. Mas, a pediatra do Hapvida Saúde, Kallydya Fonseca, alerta sobre esse risco da exposição infantil.

‘‘Não necessariamente filhos de mulheres soropositivas vão ser contaminados. As crianças expostas ao vírus, mas não contaminadas recebem também, além de todas as outras, um protocolo de atendimento estabelecido pelo Ministério da Saúde’’, menciona a especialista.

Logo após o nascimento essas crianças recebem todo um cuidado para que tenha o mínimo de contato possível com os meios de transmissão. O passo a passo para a prevenção da transmissão do HIV da mãe para a criança – chamada transmissão vertical, é esclarecido pela médica pediatra.

‘‘Infelizmente essa criança não vai ser amamentada porque se sabe que o vírus pode ser transmitido pelo leite materno. Mas, será realizado um acompanhamento de prevenção da contaminação e não de reversão do diagnóstico da criança. Então dependendo da carga viral detectada na mãe tanto ela quanto o filho recebem medicações antirretrovirais que têm o objetivo de suprimir a carga viral’’, explica Kallydya Fonseca. 

A criança recebe as fórmulas artificiais do leite que são oferecidas gratuitamente pelo SUS para alimentação assim que realizado o parto. Segundo ainda a profissional é necessário todo um acompanhamento para preparar os familiares da necessidade da adesão ao tratamento.

‘‘A gente garante um acompanhamento multidisciplinar por uma toda equipe que colabora no sucesso do tratamento. Por isso, garantir uma vida absolutamente normal, é necessário até para os casos em que se confirmem efetivamente a contaminação pelo HIV’’, finaliza.


"Doença do Beijo" afeta crianças, afirma especialista

Gerlane Lima,
Hapvida
Contaminação pode acontecer pela exposição à tosse ou espirro e até mesmo o compartilhamento de objetos pessoais.

Conhecida como a "Doença do Beijo", a Mononucleose Infecciosa deixa o alerta sobre o hábito de beijar os filhos pequenos. A saliva é a principal condutora do vírus Epstein-Barr (EBV) que ascende o alerta para outros meios de contágios também, como explica a pediatra do Hapvida Saúde, Dra Márcia Cavalcanti.

‘‘A contaminação pode acontecer pela exposição à tosse ou espirro e até mesmo o compartilhamento de objetos pessoais. Mas, essas formas são bem menos constantes”, esclarece. Para a médica, o ideal é evitar que tenham esse tipo de contato com crianças pequenas e sempre higienizar as mãos antes de pegá-las no colo. Dessa maneira, os riscos de transmissão serão reduzidos. 

De acordo com a especialista, após o contato, o vírus fica incubado por cerca de quatro a oito semanas antes de se manifestar. ‘‘Muitas vezes, a doença é confundida com uma gripe, pois a pessoa apresenta sintomas semelhantes, como febre, fadiga, dor e inflamação na garganta, dor de cabeça e sensação de mal-estar’’, pontua. 

Mas, na maioria dos casos, os indícios são leves, porém em crianças o quadro clínico pode se agravar e evoluir para uma infecção secundária, levando à necessidade de internação e acompanhamento médico.

“Ao apresentar o quadro de mononucleose, o indivíduo excreta o vírus até 18 meses após a infecção. Nesse período, ele pode infectar outras pessoas durante contato próximo ou prolongado”, afirma a médica.  O tratamento inclui repouso e uso de medicação para redução dos sintomas. “A avaliação da contaminação pode ser indicada em um hemograma, solicitado pelo médico que através da resposta sorológica vai indicar o melhor tratamento’’, finaliza. 


Terceira idade ativa: prática de atividade física traz diversos benefícios

Gerlane Lima,

Aluna-Terceira-IdadeO brasileiro está vivendo mais. Atualmente, a expectativa de vida no país chegou aos 76 anos, de acordo com a projeção, de 2018, do Instituto de Geografia e Estatísticas (IBGE). Uma série de hábitos positivos pode colaborar para uma terceira idade mais saudável. Afinal, para viver muito, é preciso viver bem.

A aposentada Maria Pessoa, é um exemplo dessa realidade cada vez mais comum no país. Após indicação do médico, ela passou a praticar atividade física para melhorar a qualidade de vida. De lá para cá, já se vão quatro anos dessa nova rotina. ‘‘Eu vou à academia três vezes por semana. Depois que eu comecei a fazer atividade física, notei melhoras em meu dia a dia, tive muito mais disposição para realizar as atividades diárias’’, ressaltou.

Os resultados que Maria apresentou não são aleatórios. "A atividade física traz benefícios físicos e psicológicos. Ela trabalha a mente dessas pessoas e as tornam ainda mais saudáveis, com uma qualidade de vida melhor, as tirando do sedentarismo. Conseguimos ótimos resultados como a diminuição no uso de medicamentos em hipertensos, diabéticos e idosos com depressão, por exemplo". A afirmação é Mylena Melo, profissional de educação física e instrutora na academia Bodytech Tirol, em Natal. 

A profissional lembra ainda que o envelhecimento é algo natural e trará a perda de massa magra e consequentemente potência. “Por isso, a musculação para idosos é uma excelente ferramenta para o ganho de massa magra. E, ao contrário do que muitos pensam, eles ganham massa, potência muscular e força, evitando possíveis quedas - que sabemos que é um perigo para o público da terceira idade. Nosso objetivo é fazer com que eles fiquem mais independentes para realização de tarefas do cotidiano e criem, assim, autoconfiança”, frisa.

Com uma demanda cada vez mais crescente do público da terceira idade, a Bodytech Tirol criou um plano especial, que atende pessoas acima de 70 anos, com preços e horários diferenciados, além de professores capacitados para lidar com a realidade das pessoas nessa faixa etária. “Os treinos são voltados para mobilidade, resistência e equilíbrio. Na academia, os clientes contam com toda a atenção necessária para o desempenho do treino. Lembrando que cada prescrição é individual e respeita as limitações pessoais de cada idoso”, reforça Mylena.


Como superar a morte de um pet?

Gerlane Lima,

gerlane-mQuando ocorre o falecimento de um animal de estimação, o luto pode ser tão intenso como nos momentos de perda de um familiar. Afinal, sabemos que animais de estimação criam um vínculo muito intenso com seus tutores, tornando-se parte da família com a mesma afetividade dispensada aos parentes mais próximos. Quando ocorre a morte de um pet, é cada vez mais frequente que seus tutores busquem o serviço de cremação para garantir uma despedida digna aos bichinhos.

A psicóloga do Grupo Vila, Mariana Simonetti, explica que o luto é um processo de rompimento de vínculo e a perda de um animal de estimação, principalmente quando já faz parte da vida de alguém há muito tempo, “pode ser manifestada com tristeza, com saudade, com dor. Existe certo estranhamento de algumas pessoas que não têm relação com animal de estimação sobre esse comportamento de sofrimento quando se perde um animalzinho. É um luto que deve ser legitimado, com certeza”, ressalta Mariana.

A advogada Amanda Martins recorreu ao serviço de cremação do Vila Pet, crematório desenvolvido pelo Grupo Vila, no momento do falecimento da gata Mel. A indicação veio da médica veterinária que a atendia. “Mel tinha uma grande importância na minha vida, era como se fosse uma filha”, revela Amanda. Quando decidiu pela cremação, sentiu-se acolhida e compreendida pelos sentimentos que estava vivenciando. “É bem importante nesse momento você ter um apoio. Na maioria das vezes, as pessoas não entendem”, conclui a advogada.

Após sofrer um espasmo seguido de uma parada cardíaca em um passeio com sua tutora Meire, o cachorro Pitchuko veio a falecer, e foi aí que o engenheiro Carlos Alberto Baccini Barbosa contratou o serviço de cremação do Vila Pet. De acordo com ele, era algo já planejado para quando esse momento chegasse. Carlos optou pela cremação individualizada. “A equipe do Vila Pet nos tratou de uma maneira especial, permitindo que ficássemos ao lado do Pitchuko com toda a assistência até o momento da cremação”, relembra.

A cerimonialista do Vila Pet, Jacyane Câmara, descreve que percebe o grande carinho de tutores com seus animais de estimação. Por isso, tratam o luto animal com a atenção que as famílias necessitam nesse momento da perda. “Ao falecer um pet, os donos nos contatam para o serviço de cremação. Fazemos o traslado da casa do cliente, proporcionamos a despedida junto à família, desde a cremação até a entrega de cinzas. Algumas vezes realizamos essa entrega na casa da família. Também buscamos priorizar o acolhimento aos donos dos pets nesse momento tão difícil para eles”, explica a cerimonialista.

A psicóloga Mariana defende que a superação do luto deve ser compreendida e tratada com o tempo. Ela aconselha que é preciso vivenciar e compreender para poder continuar seguindo a vida. “O luto é singular, então não tem uma receita. O importante é aceitar o momento, que é um processo de dor e de saudade e que com o tempo, a partir do momento em que reconhecemos esses sentimentos e convivemos com eles, conseguimos atribuir às pessoas ou aos animais que já faleceram em um lugar significativo em nossas vidas”, finaliza.

Crematório para animais

O Vila Pet, primeiro crematório de animais do Rio Grande do Norte, completou três anos de atuação no Estado. Desenvolvido pelo Grupo Vila, referência no segmento de serviços funerários no Nordeste, a iniciativa vem se destacando ao reconhecer de forma pioneira a importância de proporcionar uma despedida digna aos animais de estimação. No período total de atuação, já foram realizadas 1.660 cremações.

O espaço oferece as modalidades individual ou coletiva, devidamente certificadas. Nos três anos de atuação, os números de cremações particulares atingiram a marca de 308 no total, sendo que 81,5% optaram por cremação individual. O crematório recebe também animais do Centro de Zoonoses de Natal, em um convênio firmado com a Prefeitura em 2018. Desde então, já foram cremados 1.352 animais nessa modalidade.

A iniciativa reforça que, nos sentidos ecológico e social, a cremação também é uma atitude responsável quando a morte do animal é causada por alguma doença com altos índices de contaminação como toxoplasmose, esporotricose, raiva e leptospirose, entre outras. Por isso, o Vila Pet vem se consolidando como uma referência na destinação ecologicamente correta neste segmento, contribuindo com o meio ambiente e com o conforto das famílias dos animais.

O crematório Vila Pet fica localizado no cemitério Morada da Paz Zona Norte. O espaço dispõe de sala especialmente preparada para velórios, para que a família possa se despedir de seu animalzinho antes da cremação. O forno possui tecnologia de ponta totalmente brasileira, inclui sistema inteligente de baixo consumo de gás, monitoramento contínuo dos gases e software exclusivo de gerenciamento da cremação. Após a cremação, a família recebe um certificado ou uma urna com as cinzas do animal de estimação em até 10 dias. Quando preferem, podem aspergir as cinzas no jardim do cemitério Morada da Paz, em um local específico para esse fim.


O equilíbrio alimentar como primeiro passo para uma vida saudável

Gerlane Lima,
Reprodução
Nas clínicas especializadas, a busca pelo acompanhamento com o nutricionista está mais frequente.

Viver mais, mas, acima de tudo, viver bem. Esse é objetivo da maioria das pessoas nos dias atuais. Adultos, jovens e idosos caminham na contramão do tempo em busca de uma vida cada vez mais saudável. A famosa frase: “somos o que comemos” ganha, então, mais sentido. Por causa disso, nas clínicas especializadas, a busca pelo acompanhamento com o nutricionista está mais frequente e na capital potiguar não é diferente.

De olho nesse crescente público, a Clínica Emagrecer decidiu apostar no conceito multidisciplinar e, além dos tratamentos estéticos mais modernos, o local passou a contar com outros serviços médicos e de saúde, proporcionando um resultado cada vez mais satisfatório ao cliente. O acompanhamento nutricional entra como peça chave desse novo conceito.

“Existe uma relação direta entre a nutrição, a saúde e o bem estar físico. A Emagrecer tem um enfoque em saúde e no emagrecimento. Entendemos que uma boa alimentação tem papel fundamental na nossa vida e, por isso, decidimos oferecer um serviço completo aos nossos clientes”, falou Hallamo Saraiva, empresário.

jeans-h

A nutricionista funcional e esportiva que faz parte da Clínica Emagrecer, Lílian Lins, ressalta as diversas opções que hoje as pessoas têm acesso para comer bem e de forma mais saborosa. “A nutrição, hoje em dia, está mais prazerosa que antigamente. A gastronomia atual ajuda com novas abordagens dos alimentos. Legumes e verduras ganharam outras formas de cozimento e apresentação, saindo da “simples salada”. Isso acaba atraindo o paciente a iniciar uma vida mais saudável, tendo mais opções além do trivial”, garante Lílian.

Como já dizia Hipócrates, há milhares de anos, “que teu alimento seja teu remédio, e que teu remédio seja teu alimento”. Assim, sempre a comida caminhou lado a lado com a saúde. Por isso, a atuação da nutrição funcional é necessária para todos. Na Clínica Emagrecer, ela é uma das vertentes nutricionais trabalhadas pela nutricionista Lia Lorena.

ultima-h

“Essa vertente nutricional visa tratar desequilíbrios estruturais e hormonais, como também reduzir o estresse oxidativo, tratar o trato-gastrointestinal, a destoxificação e o eixo corpo-mente. Ela rastreia os sintomas, sinais e características de cada paciente e os relaciona com carência e excesso de nutrientes. Esse tipo de acompanhamento associado a procedimentos estéticos, atividade física e cuidados médicos fará com que o paciente obtenha resultados mais eficientes e eficazes, além de ser algo duradouro”, explica Lia.

Diante da busca pela "vida longa" e o aumento na abordagem do tema vida saudável na sociedade e na mídia, a procura pelo acompanhamento nutricional tem aumentado, abrangendo agora parcelas da população que antes não eram frequentes nos consultórios desses profissionais, como os homens, adolescentes e crianças. “Seja o objetivo a estética ou a saúde, atualmente existe grande procura por parte de todos os públicos, porque a nutrição é a base de tudo”, garante a nutricionista Lílian Lins.


Readaptação escolar: Algumas dicas aos pais e alunos para a volta às aulas

Gerlane Lima,

As férias estão quase acabando e algumas dicas são muito bem-vindas no que se refere à readaptação nos primeiros dias de volta às aulas. Como toda a dinâmica da família muda durante o recesso escolar, horários, hábitos alimentares e também o sono sofrem alterações e voltar à rotina pode ser mais difícil.

Neste período, o desafio é mudar os horários mais flexíveis que as férias proporcionam. Crianças que estudam pela manhã poderão ter mais dificuldades para acordar de manhã cedo, e para isso, o ideal é que a retomada se dê de forma gradual, fazendo-os acordar um pouco antes do horários a que estavam habituados, por alguns dias, antes do reinício das aulas. Já os pequenos que estudam à tarde terão que adaptar o horário de almoço, visto que nas férias os horários das refeições também mudam bastante.

 “É necessário uma forma gradativa de reintrodução, principalmente na primeira semana. Existe a apresentação dessa rotina, mas também a apresentação dos objetivos a serem alcançados. É importante que a família contribua neste momento, para que a transição seja tranquila, e também rápida, uma semana, duas no máximo”, avalia Kiev Martins, coordenador pedagógico da Escola Lápis de Cor.

Nos primeiros dias de reinício das aulas (e isso vale também para o início do ano letivo), é importante que os pais fiquem atentos para evitar atrasos, visto que nos primeiros dias é importante para o aluno conversar com os professores antes da entrada em sala de aula e também com os colegas.

A readaptação no meio do ano costuma ser mais tranquila, mesmo assim, na semana que a antecede é interessante preparar as crianças para retornar à escola.

Ainda de acordo com Kiev, “a readaptação escolar é importante para que as crianças possam voltar à rotina de estudos ainda que ela apresente novidades comparada a do semestre anterior. Não é fácil sair de um recesso no meio do ano direto para a vida escolar, mas é nosso trabalho fazer com que isso ocorra de maneira tranquila”, sinaliza.

Durante o recesso os horários são mais flexíveis e o primeiro passo é voltar gradativamente. Abaixo, algumas dicas para que este processo seja passado sem grandes traumas:

*Comece a restabelecer a rotina habitual com horários de refeição e sono para que a criança não sinta tanto os horários da rotina escolar. Inicie dias antes do início das aulas.

*Converse com a criança sobre o retorno de maneira tranquila, evidenciando os aspectos positivos como o encontro com a Professora e os colegas.

*Os pais devem mostrar segurança na hora de deixar os filhos na escola e procurar despedir-se especialmente com carinho neste dia.

A parceria escola/família é fundamental para consolidar o processo de readaptação. As aulas na Escola Lápis de Cor reiniciam no próximo dia 22 de julho.


Aumenta busca por academia aberta no fim de semana

Gerlane Lima,

Seguir a rotina de treinos apenas de segunda a sexta-feira tem ficado de lado para muitas pessoas. Com a agenda cheia durante a semana e sem conseguir realizar a prática de atividades como gostariam, alguns aproveitam os fins de semana para correrem atrás do prejuízo. Em Natal, além dos parques ao ar livre e das praias, muitos têm apostado nas academias, que, buscando atender essa demanda crescente, aderiram ao horário estendido, funcionando todos os dias da semana, inclusive aos domingos.

A academia Bodytech Tirol, em Natal, identificou, desde o ano passado, essa necessidade entre os clientes. Assim, além de abrir aos sábados, agora a academia aposta nos domingos como alternativa para uma vida ainda mais saudável. O sábado, que antes era de baixa no local, tem registrado um público fiel e o movimento na academia chega a ser semelhante a um dia de semana. Já o domingo tem sido a opção daqueles que gostam da prática diária de atividade e dos que querem ganhar um dia extra para a semana que passou ou que vai começar.

De acordo com Paula Carvalho, gerente operacional da academia, o número de clientes interessados em treinar no final de semana cresceu e cobrou uma atenção maior. “Nesses dias sempre tínhamos menos gente na academia. Claro, hoje, ainda não é igual ao número que temos na semana. Entretanto, a procura tem crescido de uma forma tão intensa, que impulsionou a criação de aulões e treinos coletivos para atender essa demanda e manter a unidade movimentada”, revela.

A servidora pública Luísa Amaral é uma das frequentadoras do fim de semana da academia. Para ela, treinar nesses dias não é um fardo, mas sim uma atividade de lazer. “Eu adoro, pois vou sem aquela pressa do dia a dia e acabo interagindo mais, sem contar que posso escolher com calma que aula ou que treino vou fazer”, conta.

Sobre os treinos coletivos no fim de semana, Luísa diz que é mais uma motivação para ir à academia. “No sábado já temos a grade de aulas normal que é muito boa, mas a partir do momento que atenderam aos pedidos de nós, alunos, e passaram a abrir no domingo, só motivou e agradou ainda mais todos que, como eu, não veem diferença entre segunda, terça e domingo”, comemora.

O clima “desacelerado” do sábado e domingo tem ajudado também ao professor Severino David de Sousa Neto a permanecer no foco. “Gosto dos treinos, pois acredito que me ajudam, inclusive, a ficar afastado de hábitos nocivos”, diz. A possibilidade de manter um padrão de treinos contínuo, ou seja, sem pausas, é positivo para ele. “Em qualquer atividade física manter a continuidade é fundamental para a obtenção de resultados em um prazo menor, como também permanecer nesses mesmos resultados”, relata.


De olho na férias, pais buscam opções diversificadas para a diversão da garotada

Gerlane Lima,

Crianças entrando em período de férias escolares e os pais já ficam preocupados com o que fazer para preencher o tempo livre da garotada. A rotina do trabalho e ocupações do dia a dia tornam difícil acompanhar os filhos durante o recesso escolar e, por isso, as colônias de férias ganham cada vez mais espaço na cidade. Com opções de lazer e entretenimento, elas são a garantia que os filhos poderão aproveitar com segurança e muita diversão. Mas que tal adicionar também ao momento de brincadeiras a possibilidade de o participante também adquirir conhecimento?

Essa é a proposta do Complexo Educacional Tecnológico Roboeduc. Na colônia de férias da instituição, as crianças, além de se divertirem, terão a oportunidade de fazer novas amizades e ainda aprender com atividades diversas, como oficinas de musicalização, modelagem, programação, robótica, YouTuber, maker, cubo mágico, empreendedorismo, ilustração, games, além brincadeiras tradicionais e muito mais. As crianças também embarcarão em missões em busca das joias do infinito, alusivas ao tema desse ano: “Vingadores”.

Segundo a coordenadora pedagógica da Roboeduc, Jadiliana Tavares, “é fundamental proporcionar experiências educativas no campo da diversão. As crianças ficam mais felizes e associam saberes mais facilmente. Além disso, todas as práticas realizadas incentivam a reciprocidade, respeito mútuo e trabalho em equipe, gerando um impacto muito positivo na formação infantil”, explica. 

A Colônia de Férias Roboeduc acontecerá na sede da escola, no período de 24 de junho a 19 de julho, em dois horários: pela manhã, das 8h30 às 11h30, e à tarde, das 14h30 às 17h30. Todas as atividades serão adequadas para cada faixa etária, obedecendo o desenvolvimento de cada criança. “Todos os dias teremos dinâmicas diferenciadas, para que cada dia seja único e especial”, ressalta Jadiliana Tavares.

Para atender não apenas ao gosto das crianças, mas também ao bolso dos papais, descontos especiais serão concedidos para a matrícula. Caso a criança seja aluno Roboeduc ganhará a primeira semana de férias da Colônia. Irmãos e grupos de amigos (a partir de três crianças) ganham 10% de desconto. Participantes da OAB e Professores ganham 20% e alunos das escolas parceiras ganham 30% de desconto.


Nutrição e estética: o combo necessário para quem busca um corpo saudável

Gerlane Lima,

As pessoas estão cada vez mais atentas aos cuidados com corpo. Muito pela saúde, mas boa parte também pela estética. Ficar em dia com o espelho e se sentir bem é uma realidade, principalmente, quando as pessoas chegam à fase adulta e algumas características do corpo vão mudando, como textura da pele, aparecimento de celulites e estrias. Mas o que fazer? Aliar a alimentação à tratamentos estéticos podem auxiliar quem busca melhores resultados.

Para falar da textura da pele, é preciso apostar no colágeno, uma proteína que o nosso próprio organismo produz, e são melhor absorvidas na presença de algumas substâncias, como a vitamina C e o silício. “O colágeno é uma proteína estrutural, encontrada especialmente na pele, cartilagens, tecido conjuntivo, osso, ligamentos e tendões. Ele proporciona firmeza, resistência, estrutura e elasticidade. O nosso corpo produz sim o colágeno, porém, deficiências nutricionais, exposição a radicais livres, alterações hormonais, estresse e tabagismo, podem reduzir a produção do colágeno de forma natural”, explica a nutricionista Lia Lorena, que atua na Clínica Emagrecer.

Mas como obter o colágeno? Lia Lorena aposta em algumas estratégias: “ter um bom aporte proteico (individual), consumir vitaminas, minerais e compostos bioativos também. O colágeno pode ser encontrado nas Proteínas magras (carne, frango, peixe) e ovos. Além disso ele está presente nas frutas vermelhas e abacate, além de chás, como o verde e de moringa. Leguminosas e aveia são importantes fonte de silício e, por isso, se tornam estimulador de colágeno”, explicou.

Reclamação constante também entre os adultos, a celulite pode ser amenizada por meio da alimentação. A dica seria ingerir menos alimentos inflamatórios, como os ricos em açúcar, adoçantes artificiais e óleos, além da gordura trans, que é encontrada em alguns bolos, tortas, pães, sorvetes e bolachas. Devemos evitar ainda corantes, conservantes, intensificações de sabor, produtos lácteos e laticínios, glúten e álcool.

“Para tratar a celulite é preciso, antes de tudo, identificar a causa, ou seja, quais alimentos estão provocando esse processo inflamatório. Além disso, intensificar a ingestão de alimentos que irão fazer o processo inverso, como a cúrcuma, gengibre, Cq10, alecrim, ômega 3, azeite de oliva, abacate, alho, cacau, chá verde, hibisco, chá branco e moringa. A água também é imprescindível para quem quer reduzir o processo inflamatório”, garante a nutricionista.

1-20 de 131