Operadora traz para o Brasil nova metodologia Eco Rating que avalia sustentabilidade dos smartphones

Blog SerMídia,

Atenta aos critérios ESG e às mudanças na tecnologia e performance dos smartphones, a Vivo, marca da Telefônica no Brasil, passa a adotar uma nova metodologia para o Eco Rating, selo que permite ao consumidor saber o quão sustentável é o dispositivo no seu processo de produção, uso e descarte. A novidade foi adotada por cinco grandes operadoras e 16 fabricantes de smartphones, com o objetivo de tornar o Eco Rating um padrão global para a indústria.

lojaonline.vivo.com.br/vivostorefront/Vivo/Aparelhos/Smartphone/c/Ecorating

A Vivo foi pioneira ao trazer a primeira versão do selo para o Brasil, ainda em 2016e oferecer aos clientes a opção pelo consumo mais sustentável. O novo Eco Rating é uma evolução nessa avaliação, e busca fornecer informações ainda mais precisas que permitem comparar os dispositivos. Quanto maior a nota no rating, mais sustentável é o smartphone.

“Como empresa comprometida com os critérios ESG procuramos evoluir de forma constante para dar ao consumidor o poder de decisão para uma compra mais sustentável. A revisão no Eco Rating engloba critérios ambientais mais restritivos para a classificação dos aparelhos e contribui para promover um movimento da indústria em busca de processos e materiais mais sustentáveis”, revela a executiva de Sustentabilidade da Vivo, Joanes Ribas.

Parâmetros de avaliação

O Eco Rating considera parâmetros de impacto ambiental, economia circular e eficiência de materiais, desde a extração das matérias-primas, produção, transporte, uso e fim da vida útil dos aparelhos. São cinco categorias principais: durabilidade (o quanto é robusto o aparelho, incluindo a duração da bateria e de seus componentes, e o período de garantia do celular)reparo ( facilidade com que o smartphone pode ser reparado, além do design e suporte oferecido para aumentar a vida útil do dispositivo), reciclagem (quais componentes do celular podem ser desmontados e recuperados, incluindo a possibilidade de reciclagem ao final da vida útil); eficiência climática (quantidade de emissões de gases de efeito estufa durante todo o ciclo de vida do smartphone) e eficiência de recursos (quantidade de matéria-prima escassa exigida para fabricar o aparelho e o impacto no esgotamento de recursos naturais). Mais informações: www.vivosustentavel.com.br/ecorating/


A+ A-