Entre lanternas e livros

Poema noturno

Michelle Paulista,



Hoje eu dormi triste

Retina fatigada, tal qual meu poeta

Fatigado corpo

Fatigada alma

Amanhã, quiçá me desperte

Algum pássaro em voo

O verde da plantinha brotando na parede

Ousada, resistente, a balançar

Galhos são como ideias

Versejam, compõem, balançam:

Dão-se ao vento

Amanhã, espero bons olhares

Gestos afagantes, toques sutis

Um sopro de alegria

De quem muito pouco tem a dizer.

(Michelle Paulista)


A+ A-