Somente campanhas de paz não resolvem o problema de violência do futebol

Edmo Sinedino,

Não adianta ficar repetindo. Parece que fazenos riscos n`água como se diz no ditado popular. Não existem mais paliativos, ou se toma decisões duras, com punições e banimento ou esse problema de violência nunca será resolvido.

Campanhas não fazem efeito. Infelizmente, os bandidos travestidos de torcedores que invadiram as organizadas não deixarão de cometer atrocidades a partir de apelos de paz. Os criminosos precisam ser tratados como tal.

Parece meio pesado, coisa de gente reacionária, mas é a solução. Não estou fazendo apologia à violência policial, ou que esses malfeitores sejam exterminados, não, para eles eu peço o cumprimento da lei e a punição de seus crimes.

Dá sim para identificar, nesses tempos de celulares modernos, com câmeras de alta definição facilita sim essa identificação. O que me parece é que toma conta de todos um sentimento de omissão, mesmo diante de tantos graves acontecimentos.

O futebol do Rio Grande do Norte atravessa hoje, talvez, a pior crise de sua história. A desastrada, caótica administração de José Vanildo atingiu a tudo e todos - clubes, estádios e torcida - e a violência está sendo a "cereja do bolo" no sentido reverso.

Ministério Público, Tribunal de Justiça, Polícias militar e civil, dirigentes de clubes, federação e até mesmo a parte omissa de nossa imprensa, mais que nunca, precisam se unir para que esse caos seja debelado. O fundo do poço para o futebol do RN está muito perto.


Tags: caotica jose vanildo torcidas travestidos violencia
A+ A-