Será que o Flu descobriu a fórmula de parar o Fla?

Edmo Sinedino,

flaganha_09Uma das coisas que mais repito é que no futebol as coisas mudam muito rapidamente. Isso vale para qualquer clube, seja grande, pequeno, médio, brasileiro ou de qualquer parte do mundo. O assunto é Flamengo. Será que o Fluminense está dando mostras que já descobriram a fórmula de parar o rubro-negro?

Ainda é cedo. É pouco o que tivemos em campo, mas dá o que pensar, ou não? O time da Gávea foi um dos primeiros a voltar aos treinos, com polêmica e tudo, enfrentou no seu retorno equipes inferiores tecnicamente, venceu na "continha do chá", tudo bem, parecia não fazer muito esforço, de caso pensado. Até que vieram os jogos com o Fluminense.

Na decisão da Taça Rio, um Fluminense que tinha pouquíssimos dias de treinos, por incrível que pudesse parecer, jogava melhor que o Flamengo. Marcou um gol, depois veio a pressão e o empate do Flamengo. O desenrolar foi todo quase igual, e somente no final da partida prevaleceu claramente o melhor preparo do campeão brasileiro, mas o gol da vitória não veio. Nos pênaltis, deu Flu.

Neste domingo, outro jogo igual. E se houver uma exigência maior para apontar que foi superior, mesmo que ligeiramente, essa vantagem vai ser dos comandados de Odair Helman. O Flamengo fez 1 a 0,  gol de Pedro (de novo),sofreu pressão e o empate,gol de Evanilson,  com risco até de tomar a virada. O gol da vitória da equipe de Jesus só veio em contra-ataque, Michael, depois de boa jogada de Gabigol pela direita

Depois, mais um pouco de pressão, normal, do Flu, o Fla se defendendo como qualquer equipe que teme tomar o gol de empate. Final da partida com confusão para variar e a expulsão de Gabigol, que está fora do segundo jogo.

Voltando ao assunto de hegemonia e mudanças, basta voltar um pouco no tempo e lembrar de exemplos como a seleção espanhola campeã da Europa e Copa do Mundo até que foi parada e superada, e até com certa facilidade. Até mesmo o Barcelona de Guardiola, e ainda mais para trás os galáticos do Real. A seleção alemã campeã de 2014, mera coadjuvante em 2018, são exemplos da mutação.

Quer um exemplo ainda mais recente? Em todas as redes sociais, na imprensa mundial, o favoritismo absoluto do Liverpool, campeão do mundo, candidato a bi em tudo, só conseguiu vencer o Campeonato Inglês, onde foi campeão antecipado por conta da ótima fase que atravessava antes da pandemia, caindo para o combativo Atlético de Madrid, de forma surpreendente, até, nas oitavas de final, e ultimamente colecionando resultados negativos contra antigos "presas fáceis".

O futebol está em constante e veloz rotatividade, quem não abrir do olho pode se tornar vítima. A advertência que o Flamengo deve levar muito em conta.


Tags: fla flu jesus odair taca rio tricolor
A+ A-