Sem investimento nas bases, seguimos fracassando em torneio nacionais

Edmo Sinedino,

Não quero aqui generalizar, mas fica cada dia mais difícil acreditar que algo vai mudar em nosso futebol. Gente, o Sub 17 do América perder para a Jacuipense. Quanto tempo faz que não temos uma participação elogiável em competições de categorias de base. Com todo respeito, perder para o Jacuipense.

O jogo, já estou escrevendo atrasado, mas isso não importa, aconteceu no estádio de Pituaçu, na Bahia, mas sem público fica sendo neutro, quase todos. Se bem que ainda tem o velho jogo sujo que a gente pensa que é coisa do passado. No intervalo da partida, a administração do estádio molhou somente o lado da defesa do América e ataque da equipe da casa.

Deixando tudo isso de lado, o que falta de verdade é investimento em nossas categorias de base. Profissionais capacitados, talvez já os tenhas, mas com tempo para se dedicar intregralmente na formação desses valores e, para isso, necessário se faz um salário decente. Tenho certeza que isso nunca é sequer cogitado. Já acham que pagam muito.

Como resultado disso tudo, nossas participações pífias em competições não locais, e quase nenhum jogador aproveitado nas equipes principais. Com um detalhe, quando o jogador desponta, aparece, antes mesmo de jogar no Sub 19, uma categoria antes do profissional, já é negociado por qualquer merreca ou promessa de parceria.

Para encerrar, façam as contas, quem puder, do que gastaram ABC e América, principalmente o clube rubro, em contratações. Chega a ser insano imaginar que na crise que vivemos tivemos um treinador, Roberto Fernandes, que trouxe mais de 20 jogadores, junto com um executivo de futebol.


Tags: america bases dedicacao investimento profissionais salarios
A+ A-