Sandices do futebol no país em pandemia

Edmo Sinedino,

Qual o papel dos dirigentes de clubes e do presidente da FNF diante da pandemia do novocoronavírus? Em algum momento, a partir da abertura sinalizada em alguns estados - Ceará, vizinho, o último - a governadora Fátima Bezerra ou o secretário de Saúde foram procurados?

 À prefeitura de Natal foi apresentado um plano de ação por algum dirigente de clube com um protocolo médico definido? Não fiquei sabendo. O presidente da FNF criou uma comissão médica para tratar do caso, mas não mais se pronunciou. Dá para cobrar medidas unilaterais do Governo do Estado neste assunto?

Comparando com o que está sendo feito na Europa, e essa é minha opinião, qualquer tentativa ou lobby de fazer o futebol voltar às atividades considero uma sandice sem tamanho e de um pouco caso com a vida humana bem de acordo com o que pensa a turma que defende o genocida presidente da república.

O Governo do Ceará está sendo irresponsável, na contramão do que é recomendado pelas instituições, mas parece que ninguém liga para o que acontece até que a Covid-19 bata na sua porta, infelizmente. Rio de Janeiro inconsequente, fazendo escola, espero que as decisões do Governo e federação paulista prevaleçam.

O Rio Grande do Norte não tem, nesse momento, a mínima condição de promover o retorno de treinos e muitos menos os jogos. Nem mesmo ABC e América têm essa condição hoje de garantir a segurança de seus jogadores e funcionários, agora, imaginem Palmeira, ASSU, Potiguar de Mossoró, Globo, Santa Cruz e Força e Luz.

Veja:

O Governo do Ceará divulgou na última quinta-feira, 28, um plano de retorno das atividades, suspensas com a pandemia do novo coronavírus. Além da fase inicial, chamada de transição, outras quatro fases serão implantadas progressivamente. Já a partir do dia 1º de junho, foi permitido o retorno aos treinamentos no clubes de futebol que disputam o Campeonato Cearense. Já a volta dos jogos não retorna antes da chamada fase 4 do plano, que não virá antes de 20 de julho — data mínima estipulada para encerramento dos momentos anteriores.

*Jornal O Povo

Tags: futebol genocida presidente sandice volta
A+ A-