Piadas prontas; analistas e comentários dos torcedores

Edmo Sinedino,


Eu não sei de quem em dou mais risada, se do comentário do cara que disse que Richarlison foi o jogador da virada contra o Peru, mesmo tendo citado ele duas vezes na matéria, ou dos caras que comentam. Sempre puxando, cegamente, para o clube que torcem, aí tem para todos os gostos.

O Brasil contra o Peru foi um emaranhado de de jogadores sem destaque, time sem passagem de alas (ao contrário do duelo contra a Bolívia o Renan nada fez, será que Tite mandou ele não passar? Não duvido), Coutinho nulo na criação, Casemiro o mais do mesmo e essa invenção chamada Douglas Luiz, sei lá. Piada de mau gosto um cara limitado desses como titular e nenhuma chance dada ao Gabriel Menino, e convocação negada ao Patrick de Paula.

O Firmino nulo, Richarlison jogando fora da dele (ninguém me convence que ele se dá melhor do lado) e, de novo, claro, dependência de Neymar, e é do que vive a seleção, só. Nessa partida ele teve a ajuda de Richarlison, quando foi para a sua real posição e do Cebolinha que, a exemplo de Tupã, do Corinthians, entre outros, só joga bem quando entra depois (existe isso?) e, reconheço, uma certa melhora criativa com o Everton Ribeiro.

E foi assim a seleção. Sim, talvez o detalhe mais importante da vitória do Brasil. A contribuição, de novo, da mediocridade do adversário, com todo o respeito.
Comentário atrasado, provocado por uma análise que li de um comentarista da RBS TV


Tags: douglas luiz firmino menino neymar selecao tite
A+ A-