Parabéns, obrigado por tudo, Rei Pelé!

Edmo Sinedino,

oreiPele_09Fico imaginando Pelé em campo hoje, com 18,19 anos, começando a brilhar, o que diriam esses comentaristas cabeças de bagres, exagerados, que basta um golzinho melado para que saiam apregoando craques, fazendo loas a jogadores comuns.

Pelé em campo, bola de capotão, depois de couro costurada, daquelas que aumentavam 100 gramas com chuvas; campos esburacados, zagueiros criminosos, livres das câmeras de televisão, enraivecidos por tantas humilhações passadas e mesmo assim, a cada partida, gols, shows.

Fico vendo as listas da FIFA, da France Football e outras publicações fazendo piadas prontas, colocando inexpressivos jogadores à frente do rei em votações de quem nunca o viu em campo. Pelé é único, inatingível, inalcançável, insuperável em gols, talentos, preparo, em tudo que se possa comparar.

O Rei completo, o atleta do século, o ajuntamento de todos os talentos que surgiram e que ainda possam surgir, num só corpo. Um mágico, capaz de criar jogadas do nada, sem espaço, sem medida, sem perspectiva, como se fosse um ilusionista.

Quem viu Pelé jogar, como eu, não vai nunca se surpreender com qualquer gol, jogada, cabeçada, drible que possa acontecer. Vai sim, ficar profundamente indignado com qualquer tipo de comparação que possam querer fazer, surgir no novo mundo previsível da bola.

Pelé foi uma dádiva de Deus, que o Brasil agradeça sempre. Parabéns ao nosso rei, desejando que sua saúde seja restabelecida, pois quem fez a alegria de tanta gente, de tantas gerações, não merece a dor.


Tags: bola pele rei violencia zagueiros
A+ A-