Na seleção olímpica de handebol a presença potiguar de Samara Vieira

Edmo Sinedino,

Samara Vieira, nome potiguar nas Olimpíadas, atacante, artilheira convocada para a seleção brasileira. Samara é mais uma grande atleta revelada, lapidada pelo trabalho do professor Flávio Tinôco.

A menina que morava na Zona Norte começou a trabalhar com o mestre aos 10, 11 anos, sempre mostrando uma disposição de treinar que só os grandes vencedores têm. Logo conquistou seu espaço e no segundo ano de JERNs já foi artilheira e convocada para a seleção brasileira infantil, depois esteve na juvenil, cadete e agora a Olímpica.

Samara foi um caso raro, segundo nos narrou o seu mestre. A estrela se tornou o único caso de uma atleta que não precisou passar por centros maiores - São Paulo, Paraná ou Rio Grande do Sul - e daqui mesmo de Natal foi direto para a Espanha, onde ficou por quatro temporada, isso com 17 anos.

Depois retornou ao Brasil para uma temporada, mas a Europa a levou de volta jogando na Itália, Alemanha, Turquia, Eslovênia e Romênia, passando de novo pela Turquia e retornando à Romênia, onde joga e ajudou a classificar sua equipe à Liga dos Campeões.

A relação de Samara e Flávio Tinôco é quase de pai e filha. "Sempre que vem a Natal, de férias, Samara passa uns dias comigo. Tenho muito orgulho dela, uma pessoa resolvida, de caráter irretocável, uma atleta exemplar, assim como ser humano. Vou ficar torcendo pelo seu sucesso e pela medalha de ouro", disse.

samara_09

Tags: espanha flavio tinoco handebol italia samara turquia
A+ A-