Discordo, frontalmente, de quase tudo que Roberto Fernandes falou na entrevista

Edmo Sinedino,

entrevistabob_09Depois de alguns dias "enfurnado", pois a Covid-19 não é brincadeira e nos obriga a cuidados especiais e medidas preventivas nunca são demais, estou de volta, tentando atualizar vocês que me acompanham e me atualizar também, claro, sobre o que acontece no mundo do futebol.

Como sempre faço, durante o dia me abasteço de informações para comentar no final, na hora que escolhi para trabalhar, já faz tempo. Quem me conhece sabe que sou um notívago inveterado, sempre durmo muito tarde e estou aqui no batente quase sempre depois da dez, um pouco antes, um pouco depois.

Como sempre, prefiro comentar o futebol local. E vejo com alegria a volta dos treinos do América, aproveitando para comentar a live-entrevista com Roberto Fernandes, direto de Camaragibe e vou logo dizendo das minhas várias discordâncias com o treinador rubro.

Procurando não ser prolixo, não creio que o América precisasse do reforço de Felipe Guedes. Respondendo a pergunta do meu colega Mállyk Nagib ele disse que o jogador vai melhorar a transição do América. Discordo porque Romarinho e Wellington Rato fazem isso muito bem. Primeiro ponto, mas respeito a opinião dele.

Segundo ponto de discórdia. O América, precisando economizar e que já contratou, ofereceu ao Roberto muito mais que a maioria das equipes na mesma situação, não necessita de um "incentivador", alguém especializado em animar o grupo nos jogos sem torcida. Gente, isso é missão do treinador, do capitão, e de todos de um time de futebol. Todos têm que falar, se cobrar.

Por fim, o ponto mais polêmico de todos. Roberto Fernandes acha, contrariando o mundo todo, que dá para abrir um estádio com capacidade para 30 mil para entrada de 10%, 3 mil torcedores. Ele falou do espaço, citou até exemplos de supermercados e da Caixa Econômica Federal. Sim, eu pergunto: quem vai atender esses 3 mil, fiscalizar, impedir que não se juntem, não se aglomerem?

Será possível que o treinador do América não acompanha  o noticiário, não toma conhecimento das cidades que abriram e voltaram a decretar isolamento? Será possível que o treinador acha que uma estrutura falha como a Arena das Dunas, por exemplo, que em jogos médios se embanana, comete erros, deixa o torcedor esperando, comete as mancadas mais  simplórias tem essa condição de abrir para a torcida em plena pandemia? Considero irresponsável o comentário.

Por fim, a liberação para treinos. Roberto Fernandes esquece, assim como os caras do Flamengo no Rio, que o futebol não é feito somente por América ou ABC. Quem, além desses dois clubes, em Natal, no RN, tem  essa condição de testagem de manutenção de isolamento em um local seguro sem acesso de estranhos?

De onde Palmeira, Força e Luz, Assu, Santa Cruz, Potiguar, Globo, entre outros, do RN e do Brasil, vão tirar recursos e criar condições para ter a segurança que o América tem em Camaragibe, que o Flamengo tem no seu CT, e o Grêmio quando foi treinar em Santa Catarina? 

A mesma velha mania de olhar somente para o seu "umbigão" e esquecer dos outros, assim como fazem empresários, grandes comerciantes, gestores públicos e o nefasto presidente da república e todo seus staff de insanos.

Gente, encerro dizendo que não tenho nada contra o Roberto Fernandes, técnico do América, mas me assustam as suas irresponsáveis posições. É muito fácil falar em Covid-19 até com desprezo quando se tem médico, plano de saúde, amigos influentes, alimentação saudável, residências seguras, enfim, quando não tem a mínima ideia, ou não se quer ter, dos problemas enfrentados pelo povo mais humilde desse Brasil.


Tags: abc america flamengo insanos roberto fernandes
A+ A-