Ataque de bandidos tavestidos de torcedores me fez recordar triste episódio, nos Aflitos, em 1996.

Edmo Sinedino,

O ano era 1996. Jogos decisivos entre América e Náutico, Série B do Brasileiro. Na partida em Natal, bandidos, não torcedors, cometeram crimes idênticos aos marginais desta feita, ano de 2021, partida da Série D do Brasileiro, entre América x Campinense.

Jogo seguinte, no estádio dos Aflitos. A semana toda passei condenando esses atos, denunciando esses bandidos como sempre faço. Nossa equipe foi fazer a cobertura da partida em Recife. Eu, Eduardo Maia, fotógrafo, e o motorista Vitor.

Logo na chegada ao estádio, inocentes, descemos do carro e fomos cercados por torcedores. Levamos alguns empurrões. Dentro do estádio, os canalhas (classifico assim) da Associação dos Cronistas ESportivos de lá, na época, nnegaram condições de trabalho e ainda sofremos ameaças, como se fôssemos os responsáveis pelas atitudes dos bandidos.

O América subiu, valeu a pena, mas nunca esqueci os riscos que corremos e como fomos maltratados e ameaçados. Eduardo Maia fez as fotos da Geral  (ainda existia) e eu fiquei vendo o jogo no meio da torcida.

No final, nos dirigimos, ainda assustados, nos escondendo, nos disfarçando, quase, para o carro, e quando lá chegamos nos deparamos com o veículo todo depredado, amassado, pnseu furado e até vidro trincado, que não foi quebrado porque, na hora, para nossa sorte, passou uma viatura e espantou os bandidos de lá.

Conto essa história como advertência. A delegação do América e quem for trabalhar sábado que vem em Campina Grande pode correr os mesmos riscos. Espero que o povo de Campina Grande, sempre hospitaleiro, não enxergue todo mundo como enxergaram os torcedores do Náutico em 1996.

Os atletas do América, os profissionais de imprensa do RN, nenhum, tenho certeza, apóia esse tipo de atitude criminosa cometida contra os atletas do Campinense.


Tags: aflitos america associacao eduardo maia nautico serie b
A+ A-