ABC fica duas vezes atrás no placar, mas busca empate e conquista Copa Cidade do Natal

Edmo Sinedino,

abccamp_09O ABC empatou com o América de 2 a 2, com o resultado conquistou a Copa Cidade do Natal (não tem prêmio em dinheiro), uma vaga na Copa do Brasil, Copa do Nordeste e garantia de participação na Série D (que ninguém quer) em 2021, caso não consiga o acesso à Série C.

O jogo você pode fazer uma análise em cima do que falaram os dois treinadores. Eufórico, deixou transparecer, Francisco Diá falou que seu time foi melhor o tempo todo e que merecia ter vencido, citando, o que todo mundo viu, as grandes defesas do goleiro Everton, no primeiro e segundo tempo.

Para o treinador Roberto Fernandes, consciente, admitiu que o ABC está melhor em todos os aspectos no momento, por isso precisa trabalhar muito para reverter essa situação no segundo turno.

Por isso, fazendo um balanço das falas, dá para chegar á conclusão de que o alvinegro foi mesmo melhor, e muita gente fica sem entender como tem pessoas, no campo, trabalhando na partida que não conseguem enxergar os jogos. Cegueira da paixão ou cegueira do futebol.

No meu ponto de vista, o ABC foi muito melhor que o América no primeiro tempo. Tinha saída de bola, variação de jogadas, definição tática com jogadores inteligentes fazendo um trabalho quase perfeito, e posso citar Jailson, Cedric, Berguinho e João Paulo, além do ala Pedro Costa. Assim como a atuação perfeita do zagueiro Vinícius Leandro.

Por ironia do destino, uma falha do quase infalível Vinícius, com contribuição do goleiro Rafael, atraso, vacilo, Tiago Orobó fez 1 a 0 injusto. O ABC estava melhor. Parece que as pessoas têm medo de falar o que estão vendo. Injusto sim. O América chegava com Krobel em tentativas, Rafael não havia feito intervenção quase nenhuma. 

Bom, 1 a 0. O ABC sentiu um pouco, mas continuou mandando taticamente, tecnicamente na partida, obrigando o goleiro Everton a trabalhar bastante. Jogada de Berguinho, João Paulo vai ao lado do campo e faz belo cruzamento para Jailson empatar num belo gol, aos 43 minutos. Empate mais que justo ainda no primeiro tempo.

No segundo tempo, mal começa e o América marca com Lelê, estreante em clássico. O ABC sente o gol. O América tem a chance de marcar o terceiro, não o faz. O ABC se recompõe, continua dando as cartas e o América, reforçado o poder defensivo, sai somente nos contra-ataques.  Roberto coloca defensores, Diá, claro, faz o oposto. 

O jogo fica parelho eem alguns momentos, mas sempre com o ABC tendo mais posse de bola. Algumas situações de gols são criadas, até que Paulo Sérgio, estreante, marca um belo gol aos 41 minutos e decide a favor do ABC,c ampeão do primeiro turno. O técnico Francisco Diá, que só vai ao jogo à base de analgésicos, festeja muito com sua comissão técnica.

Destaques na conquista do ABC. Melhor da partida taticamente, Jailson, meiocampista; melhor da partida tecnicamente, Berguinho, grande articulador; grandes atuações do Vinícius Leandro, quase perfeito, e também o ala Pedro Costa. Abaixo do que normalmente pode render, o meia João Paulo. Cedric e Joécio tiveram boas atuações. Rafael, goleiro, pouco exigido; Marlos, talvez, o menor rendimento, Felipe Manoel, altos e baixos. O estreante Paulo Sérgio mostrou ser um atacante inteligente, bate bem na bola, com o entrosamento que virá, certamente, vai crescer na equipe.

Os reservas, Bruno Souza não entrou bem, e os atacantes Igor Goularte e Núbio Flávio ajudaram na conquista.

O técnico Francisco Diá merece sim o mérito pela conquista, pois vem convivendo, resolvendo, ultrapassando problemas estruturais na equipe alvinegra, além das contusões, com perdas de jogadores importantes como Valderrama e Wallace e as dificuldades na hora de conseguir reforços.

*Foto: Luciano Marcos/ABC FC


Tags: abc america cedric francisco dia wallyson
A+ A-