ABC faz bom teste contra o Spartax; Wallyson dá show de bola e o volante Thalysson foi o melhor entre os novatos

Edmo Sinedino,

O ABC fez um jogo-treino na tarde desta quinta-feira (30), no campo do CT, contra o Spartax/PB, e venceu por 3 a 2. Jefinho (2) e Wallyson fizeram os gols abecedistas, enquanto Henrique e Madson marcaram para o adversário.

A equipe alvinegra iniciou o jogo com Matheus Nogueira, Luís Gustavo, Ítalo Cabelinho, Ícaro e Felipinho, Thallyson, Gabriel China e Kelvin, Fábio Lima, Wallyson e Jefinho. Logo no início, Ícaro saiu para a entrada de Eduardo.

Na segunda etapa, Moacir Júnior foi modificando o time, que terminou com: Pedro Paulo, Thalys, Ítalo Cabelinho, Ícaro e Felipinho, Raphael, Gustavo e Thallyson, Kelvin, Daniel Porozo, Ferreira.

Análise do jogo-treino

Assim foi o jogo. Agora, deixa eu fazer uma amálise que vi. Se você prefere ver vídeo, gravei para meu instagram @sinedinoedmo e está lá. Comenta, me segue

Foi assim. Vou começar pelos destaques. Uma surpresa ao notar que Fábio Lima é o menos meia dos meias atacantes do ABC. Jogador de beirada de campo, canhoto, de muita velocidade. Já disse mil vezes que não gosto de ver canhotos jogando no canto do campo. Bom jogador, contratação importante.

O desconhecido que mais me impressionou foi o volante Thallyson. O cara não é grandão, nem fortão, joga muito, ótimo passe, bom de desarme, liga com rapidez, faz passes longos e curtos e atravessa muito bem a linha que divide o campo. O cara sabe jogo, muito.

Seu companheiro. O garoto China. Todo mundo falava maravilhas desse volante-meia e ele realmente sabe muito de bola. Não sei se Moacir Júnior vai ter coragem de mantê-lo no time. E mais difícil ainda aparecer um da posição que jogue mais, mesmo ele sendo da base.

Muito legal ver o ABC, time grande, jogar com dois volantes de qualidade técnica e nenhum brucutu na posição, mas duvido que fique assim.

Kelvin, meia atacante. Jogador super rápido, vem muitas vezes buscar no meio e parte em busca de tabelas, arranca e dribla com facilidade e também sabe atuar nos lados do campo.

Jefinho, sabe tudo da posição de 9. Fazer gols, abri espaços, tabelas. Gosto demais da qualidade técnica dele. Só queria que ele tivesse um pouco mais de garra, brigasse mais pela bola, e falasse. Atacante precisa ter voz.

E Wallyson. Quem me acompanha sabe que, ano passado, e no começo desta temporada fiz duras críticas ao Wallyson. Alguns jogos ele me irritou, jogando pouco e reclamando muito. No final da temporada ele voltou a ser decisivo e ajudou, muito, o ABC conseguir o acesso.

Ao chegar no CT Alberi José Ferreira de Matos e conversar com algumas pessoas, eles repetiram o que meu primo Eninho já tinha me falado: "o Mago está focado, está treinando demais", me dizia ele empolgado, pois é fã e amigo pessoal dele.

A comprovação. Wallyson está jogando o fino da bola. Participativo, voltando para marcar, isso gente, voltando para marcar. É o grande maestro do ABC no sentido amplo da palavra. Ele tabeça, lança, deixa companheiros na cara do gol, faz os alas "andarem" e finaliza também. Foi um show à parte. Devo dar um desconto do fato de jogar contra o Spartax? Não se enganem, esse time brigou, dificultou muito a partida. Espero que seja assim, focado, interessado, de grupo, durante todo o certame.

Emfim.

Pontos fracos

Não gostei do goleiro primeiro. O Matheus. Aí, fiquei rindo sozinho, pois antes do treino começar ouvi, incrível, parece brincadeira, ou coisa dita de propósito para me provocar. Um deles um velho conhecido "secador" de jogador da base, afirmando que os goleiros eram bem melhores que Welligton e listou vários defeitos do goleirão que garantiu milhões e o acesso ao ABC. Absurdos tão grandes que eu fiquei assim...sei lá, esses caras devem ser loucos.

Em campo, os "melhores que Welligton" estiveram muito longe de chegar ao nível dele em todos os quesitos. Saída do gol, sair jogando, com os pés ou mãos, frieza, agilidade, etc. O Matheus fraco, pelo menos no jogo-treino, falhou em alguns lances e saiu errado em outros; o Pedro Paulo, muito elogiado, entrou no segundo tempo e falhou no gol do Spartax e fiquei na bronca porque toda hora ficava colocando pressão em Cabelinho e China. Isso é muito errado.

Vou resumir. Tá ficando um livro. Luiz Gustavo, ala direita, foi mal, mas é preparo físico. Me passou a impressão que sabe jogar. O zagueiro esquerdo Ícaro, achei lento e afobado, e é isso. Gostei do Eduardo que entrou em seu lugar ainda no primeiro tempo. O Filipinho me causou boa impressão, passa muito, apesar de pecar um pouco no quesito marcação.

Cabelinho é bom jogador, nota-se, mas precisa pegar a marra, a cara feia, a seriedade de zagueiro e ter mais coragem de fazer algo diferente, sair jogando, atravessar a linha de campo. É da base, e se não fizer algo muito diferente, assim como o Tonhão fazia, volta a ficar esquecido no banco.

O equatoriano me lembro pontas á moda antiga. Velocistas, trombadores que, se vacilar, passam por cima, Daniel Porozo pode, por isso, cair nas graças da torcida. Achei ele parecido com Zito Camburão (só os mais velhos conheceram), Juarez "movido a álcool", entre outros pontas, pontas.

Meninada que bem pode ser sim aproveitada: Rafael, meiocampista; Ferreira, atacante, e ponto final. Foi o que vi galera. 

No time de João Pessoa, alguns bons jogadores, o camisa 7, irmão de Erivelton, joga muito. Um compridão camisa 10 também me chamou a atenção. Um time brigando e que bate muito inclusive. Foi um bom teste.

*Fotos:Equipe de comunicação/ABCFC

porozo123_09

wallyson234_09

Tags: abc filipinho porozo spartax wallyson
A+ A-