Flamengo supera expulsão de Arão no 1º tempo, goleia equatorianos e conquista a Recopa

Edmo Sinedino,

campeao234_09O Flamengo é campeão da Recopa. O carnaval continua a todo vapor. Terceiro título conquistado num espaço de quinze dias, talvez menos, mais uma partida inesquecível pela forma como ela veio. 3 a 0. Gabigol e Gerson, duas vezes.  Como sempre, os goleadores são exaltados, desta vez, porém, tenho que concordar. 

Quase 70 mil pessoas, mais de 64 mil pagantes assistiram o Flamengo desfilar sua superioridade tão absurda sobre o adversário equatoriano que, mesmo com um homem a menos - William Arão foi expulso aos 24 minutos do primeiro tempo - em nenhum momento esse título pareceu ameaçado.

Claro, um a menos é muita coisa no futebol. A chegada com triangulações, inversões, toques de primeira foram bem menores, mas o Independiente Del Valle chegou ameaçar, teve chances, dominou no primeiro tempo, mas não marcou. Deu chance ao azar. No segundo tempo, o Fla voltou a ser o dono da partida.

Gabigol abriu o placar, no primeiro tempo, e Gerson marcou dois gols no segundo, fim de papo. Gente, o segundo gol de Gerson foi alguma coisa dos tempos mágicos de Geraldo Assoviador, Carlos Alberto Pintinho, Geovane, Ademir da Guia, Dirceu Lopes, Tostão e os maravilhosos talentosos brasileiros de todos os tempos.

Bom, mais R$ 50 milhões para os cofres do rubro-negro. Jorge Jesus não cansa de conquistar troféus desde que chegou ao rubro-negro. De junho até agora, o português já conquistou quatro títulos: Brasileirão, Libertadores, Supercopa e Recopa. Além da Taça Guanabara.

Eu, como botafoguense, juro, não tenho nenhum pudor em dizer que, de novo, fico grato demais ao Flamengo por estar devolvendo o respeito que havíamos perdido. 

Vou exagerar: chama mais uns dez jogadores, e convoca todo esse time do Flamengo, faz dele a seleção brasileira, e está resolvido o problema do perdido Tite.

*Foto: twitter do Flamengo


O goleiro Ewerton volta a brilhar em Teresina e América está na terceira fase da Copa do Brasil

Edmo Sinedino,

heroi_09O goleiro Ewerton, certamente, se já estava (ele foi o herói no primeiro encontro das duas equipes pela Copa do Nordeste) em todos os pesadelos dos Riverinos, imaginem agora. 

O goleiro voltou a brilhar intensamente, desta vez, pegando dois pênaltis e classificando o América para a terceira fase da Copa do Brasil, o que valeu nada menos que R$ 1,45 milhão para os cofres do clube. A partida foi disputada no estádio Albertão, em Teresina.

Depois do 1 a 1 no tempo normal - o América abriu o placar com Dione (foto abaixo), logo aos dez minutos do primeiro tempo, o Ríver empatou com Valdo Bacabal, aos 20 - a partida foi para as penalidades - André Krobel, Lelê, Tiago Orobó e Romarinho converteram, o ala Michael desperdiçou, final, 4 a 3 para o time rubro potiguar.

Todo mundo da torcida do América esperando o sorteio para a partida da próxima fase, que pode ser uma grande festa na Arena das Dunas, em Natal, contra a equipe do Juventude, partida que vai valer nada menos que R$ 1,9 milhão.

Enquanto o América vencia o Ríver, no Albertão, o Juventude eliminava a forte equipe do XV de Piracicaba, no estádio Barão da Serra Negra, interior paulista, também nas penalidades - 8 a 7 - após empate pelo mesmo resultado de 1 a 1 no tempo normal.

Na terceira fase, os confrontos passam a ser de duas partidas e o mando será decidido por sorteio ainda a ser realizado pela CBF. Vale lembrar que o América já está entre os 20 melhores da Copa do Brasil.

dionegol_09



Os “blocos carnavalescos” do nosso futebol

Edmo Sinedino,

bicao234_09E lá se foi mais um carnaval.

Os blocos carnavalescos de nossa terra brilharam.Tem o bloco dos bicões. Os insuportáveis que fazem de tudo e mais um pouco para serem notados.O desinfeliz torcedor do Flamengo é seu principal representante por aqui e vive mentindo, aprontando.

Zico conhece ele, isso é verdade. Esse ano ele se superou, não sei como diabos ele conseguiu, mas estava lá no camarote gravando vídeos com atuais e ex-dirigentes do Flamengo.

Bêbado, como quase sempre se apresenta, nem nota o quanto é inconveniente, constrangendo as pessoas, pagando micos. Sempre fico sabendo depois das pessoas se escondendo, correndo dele, como o diabo foge da cruz.

Essas gravações, para ele, valem ouro em pó, pois vai passar o resto do ano mostrando nos bares onde se embriaga por toda a cidade de Natal.

Mas tem Bicão também no futebol.  Aquele dublê de treinador (de várias modalidades), comentarista, preparador físico, e até dirigente,  que fica ligando para todo mundo – clubes, tevês, federações, comissões de arbitragem – tudo, tudo, e se oferecendo de graça, ou quase…

Tem o bloco dos patifes, que vendem até a mãe.Os ervas daninhas  que  fazem contratos escabrosos, e se não conseguem esses “contratos” passam a caluniar, a chantagear àqueles que não aceitaram sua podres condições. O alvo? Dirigentes de futebol.

Tem também o bloco dos desempregados, que foram obrigados a parar com o futebol…não pararam, como dizem os boleiros: “pararam ele”.

Esses aí acima são do mesmo bloco dos que fingem a aposentadoria, mas bastam um “estalar de dedos” para ele sair correndo – emprego de treinador, gerente, diretor remunerado, assistente, comentarista esportivo, consultor, o que vier serve…

Sim, e não esqueçam o bloco dos enrolões, que chegam em Natal com tanta conversa fiada, e afiada, que enganam facilmente nossos dirigentes, eu podia fazer uma relação dos últimos desses 'foliões" e os prejuízos que causaram ao nosso esporte combalido.

E não podemos deixar de registrar o bloco dos dirigentes picaretas que, ao sinal de que as coisas no “seus” clubes serão feitas às claras, de forma profissional, enlouquecem, soltam a 

por fim, o bloco dos que “odeiam os empresários de futebol”, mas só de fachada, pois na verdade tem um círculo deles para trazer suas “putas velhas” que já acabaram com vários clubes.

Mas esse ano, o que marcou mesmo neste carnaval foi o bloco dos "Defensores do indefensável", aqueles que fingem que tudo corre bem e não tem nada de errado acontecendo, mesmo o nosso futebol estando entre os piores do Nordeste, hoje.

Tem bloco demais nesse carnaval futebolístico de Natal.



Natalenses associam alimentação, yoga e treinamento funcional para tornar vida mais saudável

Edmo Sinedino,

yoga_09Dizem que o ano só inicia mesmo após o Carnaval, momento em que as metas começam a ser cumpridas. Para um grupo de natalenses que buscam uma vida mais saudável a partir de 2020, porém, esse pensamento não é válido. Tratam-se dos primeiros adeptos do programa LAB 3.0, formulado pela Base Natal e pela nutricionista Dyla Gomes, que associa boa alimentação à yoga e treinamento funcional com vistas a resultados concretos em apenas 30 dias.

Além da prática do crossfit, já oferecida pela Base e reconhecida por estimular avanços físicos e mentais de maneira eficiente, o programa envolve alimentação, yoga e treinamento militar, com o objetivo de promover melhorias no corpo e na mente. São atividades de postura, condicionamento e até de comportamento, todas acompanhadas por uma equipe multidisciplinar. A proposta conta ainda com plano alimentar individualizado, aula de leitura de rótulos, aula de burning, avaliação física e acompanhamento psicológico.

O LAB 3.0 foi criado e é liderado por Dyla Gomes, nutricionista especialista em esporte, emagrecimento e metabolismo. “O objetivo do programa é, dentro de um curto espaço de tempo, de maneira extremamente focada, fazer com que o grupo tenha uma vida mais saudável, ensinando esse caminho, passo a passo, para que ele se perpetue pela vida de cada participante”, explica a profissional.

Parte das atividades físicas previstas no programa acontecem dentro das dependências da Base Natal. Um dos seus proprietários, Danilo Mendonça, conta que “a ideia é mostrar para os participantes que, quando todas as mudanças de hábitos acontecem aos mesmo tempo, o objetivo pode ser mais facilmente alcançado”. Segundo ele, é a associação do crossfit com as outras atividades que permite resultados tão rápidos.

A programação do LAB 3.0 também contempla atividades na Praia de Miami, no Parque da Cidade e no 7° Batalhão de Engenharia de Combate, onde será realizado o treinamento militar. Pessoas de todas as idades podem participar. Os interessados em integrar os próximos grupos podem contatar o WhatsApp (84) 98158-6375.

*Foto: assessoria de imprensa/divulgação


Esse menino Ibson, de Pendências, me fez lembrar Pintinho, Flu, e Geraldo Assoviador, Fla

Edmo Sinedino,

Ibson123_09Esse menino se chama Ibson, 14 anos, natural de Pendências, talento nato, seu jeito único de jogar chamou a atenção de muita gente no JL, inclusive do observador do Flamengo, que veio avaliar o centroavante Henrique, do Santa Cruz. Joga muito!

Assim que cheguei ao JL, fiquei por trás do gol, vi aquele moleque girar sobre si mesmo, enganar marcador, dá toque de primeira, aparecer sempre livre de marcação e desfilar um futebol de gente grande. Que beleza! Ainda tem gente que diz não valer à pena sair à caça.

Depois, ao lado de João Quebra-Osso e o observador do Flamengo, Sílvio Eduardo, continuei a ver o jogo amistoso do Santa Cruz Sub 15 e a seleção de Pendências. O garoto fez mais algumas, e o cara do Flamengo não aguentou e lascou elogios ao garoto e iniciamos uma conversa sobre ele.

Me lembrei, com exagero e tudo, confesso que me empolgo com a garotada sempre, achei o jeito do Ibson jogar com craques do meu passado que pouca gente que acompanha futebol lembra: Carlos Alberto Pintinho, craque do Flu, e Geraldo Assoviador, do Flamengo.

Dois fantásticos artistas da bola.  Trabalhem esse menino, olhem para ele com carinho. Se tiver cabeça boa, vontade, uma família que ajude e boas pessoas na sua formação, certamente vai jogar em time grande. A Brazil Sports de Lupércio Segundo e João Quebra-Osso vai cuidar dele, bem sei, está em boas mãos.

Vejam o que é o futebol: o cara do Flamengo veio observar Henrique, gostou, vai levar, gostou de mais dois do Santa Cruz, Cleyton e Jadson, mas se encantou mesmo com o futebol do garoto de Pendências.



ABC fica duas vezes atrás no placar, mas busca empate e conquista Copa Cidade do Natal

Edmo Sinedino,

abccamp_09O ABC empatou com o América de 2 a 2, com o resultado conquistou a Copa Cidade do Natal (não tem prêmio em dinheiro), uma vaga na Copa do Brasil, Copa do Nordeste e garantia de participação na Série D (que ninguém quer) em 2021, caso não consiga o acesso à Série C.

O jogo você pode fazer uma análise em cima do que falaram os dois treinadores. Eufórico, deixou transparecer, Francisco Diá falou que seu time foi melhor o tempo todo e que merecia ter vencido, citando, o que todo mundo viu, as grandes defesas do goleiro Everton, no primeiro e segundo tempo.

Para o treinador Roberto Fernandes, consciente, admitiu que o ABC está melhor em todos os aspectos no momento, por isso precisa trabalhar muito para reverter essa situação no segundo turno.

Por isso, fazendo um balanço das falas, dá para chegar á conclusão de que o alvinegro foi mesmo melhor, e muita gente fica sem entender como tem pessoas, no campo, trabalhando na partida que não conseguem enxergar os jogos. Cegueira da paixão ou cegueira do futebol.

No meu ponto de vista, o ABC foi muito melhor que o América no primeiro tempo. Tinha saída de bola, variação de jogadas, definição tática com jogadores inteligentes fazendo um trabalho quase perfeito, e posso citar Jailson, Cedric, Berguinho e João Paulo, além do ala Pedro Costa. Assim como a atuação perfeita do zagueiro Vinícius Leandro.

Por ironia do destino, uma falha do quase infalível Vinícius, com contribuição do goleiro Rafael, atraso, vacilo, Tiago Orobó fez 1 a 0 injusto. O ABC estava melhor. Parece que as pessoas têm medo de falar o que estão vendo. Injusto sim. O América chegava com Krobel em tentativas, Rafael não havia feito intervenção quase nenhuma. 

Bom, 1 a 0. O ABC sentiu um pouco, mas continuou mandando taticamente, tecnicamente na partida, obrigando o goleiro Everton a trabalhar bastante. Jogada de Berguinho, João Paulo vai ao lado do campo e faz belo cruzamento para Jailson empatar num belo gol, aos 43 minutos. Empate mais que justo ainda no primeiro tempo.

No segundo tempo, mal começa e o América marca com Lelê, estreante em clássico. O ABC sente o gol. O América tem a chance de marcar o terceiro, não o faz. O ABC se recompõe, continua dando as cartas e o América, reforçado o poder defensivo, sai somente nos contra-ataques.  Roberto coloca defensores, Diá, claro, faz o oposto. 

O jogo fica parelho eem alguns momentos, mas sempre com o ABC tendo mais posse de bola. Algumas situações de gols são criadas, até que Paulo Sérgio, estreante, marca um belo gol aos 41 minutos e decide a favor do ABC,c ampeão do primeiro turno. O técnico Francisco Diá, que só vai ao jogo à base de analgésicos, festeja muito com sua comissão técnica.

Destaques na conquista do ABC. Melhor da partida taticamente, Jailson, meiocampista; melhor da partida tecnicamente, Berguinho, grande articulador; grandes atuações do Vinícius Leandro, quase perfeito, e também o ala Pedro Costa. Abaixo do que normalmente pode render, o meia João Paulo. Cedric e Joécio tiveram boas atuações. Rafael, goleiro, pouco exigido; Marlos, talvez, o menor rendimento, Felipe Manoel, altos e baixos. O estreante Paulo Sérgio mostrou ser um atacante inteligente, bate bem na bola, com o entrosamento que virá, certamente, vai crescer na equipe.

Os reservas, Bruno Souza não entrou bem, e os atacantes Igor Goularte e Núbio Flávio ajudaram na conquista.

O técnico Francisco Diá merece sim o mérito pela conquista, pois vem convivendo, resolvendo, ultrapassando problemas estruturais na equipe alvinegra, além das contusões, com perdas de jogadores importantes como Valderrama e Wallace e as dificuldades na hora de conseguir reforços.

*Foto: Luciano Marcos/ABC FC



Observador do Flamengo aprova centroavante do Santa Cruz; Henrique vai viajar dia 2/3

Edmo Sinedino,

olheiro2_09Os clubes do Rio Grande do Norte gostam de contratar. Essa cultura está acabando com o nosso esporte mais popular. A conta nunca fecha, as dívidas se agigantam, não existe investimento de verdade nas bases, o que resolveria os dois problemas - falta de dinheiro e falta de jogador.

Todos os dirigentes de futebol, por mais obtuso e aéreo que seja, sabe que não existe outra maneira de se fazer futebol, de se montar equipe de futebol, fazer caixa, se organizar, não sendo da receita simples de investimento em jovens valores. Muitos até usam a desculpa de que não vale a pena, pois formam atletas para outros clubes. Má gestão.

Brazi Sports, dos empresários Lupércio Segundo e João Quebra-Osso é um exemplo muito claro de que, trabalhando, investindo, oferecendo condições, surgem sim, se formam sim grandes jogadores. Exemplos, vários, jogadores em grandes equipes de nosso futebol e no exterior. O exemplo mais midiático: Gabriel Verón.

Na manhã desta quarta-feira, no JL, um amistoso entre o Santa Cruz Sub 15, equipe dos citados empresários, jogando contra uma seleção de Pendências. Na plateia, atento, um observador do Clube de Regatas do Flamengo, Sílvio Eduardo que veio especialmente para observar um jogador da equipe Sub 15.

Sílvio Eduardo é um dos 11 funcionários contratados pelo Flamengo para viajar pelo Brasil em busca de talentos. Pois bem, Sílvio veio ver Henrique, um centroavante canhoto, potência, promessa, quase certeza de virar jogador, mas, vejam só, acabou se encantando com mais gente.

Além do Henrique, ele elogiou muito o zagueirão Cleiton e o atacante Jadson. Destes, já está certo que o Henrique (na foto, ele é o último da esquerda para a direita), centroavante canhoto estilo Adriano Imperador, já viaja dia 2 de março para o Rio e inicia um período de testes na equipe carioca. Os outros dois seguem a preparação, breve podem pintar no Rio.

Henrique, 14 nos, natural de Barroca, distrito de Alto do Rodrigues; Jadson, 14 anos, nasceu em Capela, distrito de Ceará-Mirim. O zagueirão Cleiton, 15 anos, é de Natal.

olheiro123_09



O JL, berço de nosso futebol, cada vez mais parecido com depósito de lixo

Edmo Sinedino,

jl1_09De tempos em tempos faço uma visita ao JL - Estádio Juvenal Lamartine, berço de nosso futebol. E cada vez fico mais estarrecido, entristecido com a situação de abandono do patrimônio tombado que este ano de 2020 vai completar 100 anos. 

Aproveitando um amistoso das categorias de base do Santa Cruz, portão aberto, entrei, tirei fotos, várias, pois não teria, não tenho como descrever os horrores que testemunhei, principalmente embaixo das arquibancada maior. Paredes arriadas, banheiros inutilizáveis, lixo, metralhas, destroços, mato tomando conta dos espaços, um caos.

 Infelizmente, cercos improvisados, gambiarras de proteção, e  risco de acidente me impediram de vistoriar e documentar o outro lado, onde ficava localizada a linda arquibancada coberta, de madeira, que deixaram cair. Mas, tenho certeza, a situação é a mesma.

Caminhando por baixo da arquibancada, como já descrevi, me senti fazendo parte, ou mesmo dentro, de um filme de terror. São tantos os detritos, destroços, buracos, lixo acumulado, banheiros destruídos, espaços obstruídos que você fica pasmo se perguntando o que aconteceu. Qual a intenção de um dirigente de uma entidade que abandona seu bem maior, pois o JL é parte de nossa história.

O campo de jogo, olhando de longe, o verdinho, a impressão de um tapete, engano. Um funcionário só, evidente, não dá conta de tanta coisa. Não existe mais piso em condição de jogo, mas uma mistura de vários tipos de ervas daninhas, formando touceiras e, aqui e acolá, o vestígio do que foi, um dia, um gramado.

Não por menos, José Vanildo da Silva, presidente da FNF, já tem mais essa marca negativa de sua má administração. Torcedores o conhecem, já faz um bom tempo, pela alcunha de de "Coveiro do JL". Uma mancha indelével para um dirigente que se finge de gestor.

jl6_09

jl5_09

jl4_09

jl3_09

jl2_09

jl7_09


Liverpool perde para o limitado Atlético de Madrid

Edmo Sinedino,

Que jogo horroroso esse Atlético de Madrid 1 x 0 Liverpool. A coitada da bola apanhou quase a partida inteira. Vendo esse time de Simeone jogar eu me pergunto: eles treinam finalizações, jogadas de ataque? Os caras perderam gols incríveis, lances bizarros de tropeços nas próprias pernas e escorregões. 

Se o Liverpool tivesse feito essa partida ruim contra o Flamengo na final do Mundial, certamente, teria tomado uma goleada. Nada funcionou, e mesmo ficando mais com a bola, a equipe mais festejada do mundo não conseguiu engrenar uma jogada lúcida de ataque.

Numa partida dessas a gente enxerga o tamanho do exagero da imprensa brasileira ao enaltecer o futebol europeu. Já vi uma manchete dizendo assim: "O Atlético de Madrid sendo o Atlético de Madrid". Eu acrescentaria: a mesma mediocridade de sempre.

Vi outro jogo, Borússia do "fenômeno" Haland 2 x 1 PSG de Neymar. O cara é artilheiro, está em grande fase, mas a quilômetros de distância de fenômeno ou de um jogador que seja acima do que estamos acostumados a ver.  Mas os fãs brasileiros, mais ardorosos que os alemãs, creio, já o consideram a maravilha da Champions.

E Neymar. Muito caçado, muito atingido, mas realizando muito menos do que antes. Me preocupa o Neymar: não é mais o mesmo, me parece, espero, pelo bem de nosso futebol, estar redondamente enganado.

Jogos da volta: Liverpool derruba o Atlético, mas não sei se o time de Neymar fará o mesmo com o Borússia.


As opções de Roberto Fernandes para o clássico

Edmo Sinedino,

Como será que vem o América de Roberto Fernandes para o clássico? Parecido com a formação iniciada contra o CRB? Acho que sim. O treinador ganhou reforços, mas é evidente que não vai poder contar com todos já na partida.

As dúvidas maiores permanecem na montagem do meio-campo. Wallace Rato, Leandro Melo e César Sampaio (se recuperado), assim como Romarinho, Lelê e Dione, que podem compor. 

A defesa terá Everton, é certo, Krobel, também certo, com Edimar, Geninho (?) e Michael (?); no ataque, acredito que ele escale a dupla mais experiente - Thiago Orobó e Wallace Pernambucano.

Os jogadores Cesinha, Tito e Felipe Cordeiro já está regularizados, resta saber se o treinador Roberto Fernandes vai fazer a opção pela escalação de algum deles.

O time rubro já contratou 25 jogadores para a temporada, somente com Roberto Fernandes já vieram sete - Edimar, Lelê, Edson Henrique, Felipe Cordeiro, Cesinha, Luiz Fernando e Tito.



Francisco Diá ganha reforços para a decisão contra o América

Edmo Sinedino,

O volante Wesley Dias e o atacante Paulo Sérgio tiveram os nomes publicados no BID e estão à disposição do treinador Francisco Diá para o clássico desta quarta-feira, diante do América, decisão do primeiro turno, no Frasqueirão, a partir das 20h.]

O volante Wesley Dias, que estava algum tempo parado não começa jogando, mas deve ficar à disposição no banco de reservas. Já  o atacante Paulo Sérgio, que estava em atividade, e marcando gols pelo Cascavel do Paraná tem escalação garantida.

Rafael, Bruno, Joécio, Richardson (Vinícius Leandro) e Marlon; Felipe Manoel, Cedric, Jailson e João Paulo; Berguinho e Paulo Sérgio, provavelmente deve ser essa a formação para começar a partida.

Quem também deve ter presença assegurada no clássico é o treinador Francisco Diá. Ele sentiu fortes dores na perna, problemas relacionados à coluna, chegou a ficar de cama sentindo fortes dores, mas está em tratamento e comandou o treinamento desta terça-feira.



A potiguar Samara Vieira é convocada para a seleção brasileira de handebol

Edmo Sinedino,

A potiguar Samara Vieira, armadora, que atualmente está disputando a Liga Romena, foi convocada mais uma vez para a seleção brasileira que incia preparação à Olimpíada de Tókio. A atleta é uma das tantas estrelas do handebol reveladas pelo professor Flávio Tinôco, um dos maiores nomes do handebol do Brasil.

Veja abaixo:

A Seleção Brasileira de Handebol Feminino adulto intensifica a preparação para a Olimpíada de Tóquio e vai se reunir pela primeira vez entre os dias 19 e 30 de março em Portugal para fase de treinamento e amistosos contra a Dinamarca. 

No final da fase a equipe fará os dois amistosos contra a Dinamarca para colocar em prática o que for trabalhado pelo Jorge Dueñas durante o período de treinamentos”, explicou o Álvaro Casagrande, supervisor da Seleção Adulta Feminina.

A lista mantém a base de convocações anteriores, mas traz como novidade a ponta esquerda Thaís Adrielle Fermo, que jogou a última Liga Nacional pelo time da FAG/Cascavel, do Paraná. “Mantivemos o grupo de trabalho com a novidade da Thaís porque é uma jogadora que fez uma boa temporada e pode nos dar outras possibilidades de jogo”, disse o técnico Jorge Dueñas.

A Seleção Brasileira de Handebol Feminino vai se reunir mais uma vez antes do torneio olímpico, entre os meses de junho e julho. “Ainda estamos definindo os últimos detalhes, mas a princípio iniciaremos a fase no Brasil e só depois viajaremos para Tóquio”, contou Casagrande.

As convocadas:

Goleiras: Bárbara Arenhart (Vaci Noi Kezilabda/HUN), Gabriela Moreschi (Fleury Loiret/FRA) e Renata Arruda (Bera Bera/ESP);

Pontas: Adriana de Castro (Bera Bera/ESP), Thais Adrielle Fermo (FAG Cascavael/BRA), Alexandra Nascimento (Érd HC/HUN), Larissa Araújo (CSU Cluj Napoca/ROM) e Mariana Costa (CS Gloria Bistrit Nasaud/ROM);

Centrais: Ana Paula Belo (Chambray Touraine/FRA), Bruna de Paula (Fleury Loiret/FRA) e Patrícia Matiele Machado (MKS Zaglebie Lubin/POL);

Armadoras: Deonise Fachinello (Bourg de Péage/FRA), Eduarda Amorim (Gyori Audi Eto KC/HUN), Gabriela Bitolo (Esporte Clube Pinheiros/BRA), Jaqueline Anastácio (Rocasa/ESP) e Samara Vieira (SCM Ramnicu Valcea/ROM);

Pivôs: Isaura Menin (Rincón Fertilidad Malaga/ESP) e Tamires Araújo (HC Dunãrea Brãila/ROM).

Comissão Técnica: Jorge Duenas (Técnico), Juan Carlos Solar (Auxiliar Técnico), Cristiano Rocha (Auxiliar Técnico), Fausto Steinwandter (Preparador Físico), Álvaro Casagrande (Supervisor), Jéssica Rocha (Fisioterapeuta), Júlia Bargieri (Nutricionista) e Pauline Bittencourt (Médica).

A Confederação Brasileira de Handebol é parceira do Comitê Olímpico do Brasil (COB) e da Kempa Brasil.

*Site da CBHb



Ações paliativas não funcionam mais contra os bandidos travestidos de torcedores

Edmo Sinedino,

Violência nos estádios e arredores. Um assunto antigo, tratado a cada acontecimento, como se fosse de agora. Não mais adiantam, no meu entendimento, medidas paliativas. Sim, serve para amanhã um reforço de policiamento que já comprovou ser eficiente em outros clássicos, bem me lembro.

No entanto, o que adianta medidas de restrição, punição, reforço e mais vigilância se esquecermos os fatos já ocorridos, na verdade, os crimes já cometidos. Precisanos apurar e punir, dentro da lei, e publicizar a punição para que sirva de exemplo.

Quantas campanhas já foram feitas aqui e em todo o Brasil? Entendo, sempre disse isso, que bons torcedores das organizadas querem o bem do futebol, emular, fazer a festa, mas infelizmente, eles, dirigentes das facções, perderam o controle de seus associados.

Se uma situação foge do controle de quem comanda, e está, claramente pondo em risco a integridade física de outras pessoas, se já foram crimes cometidos por esse descontrole, se os dirigentes não conseguem fazer parar as atrocidades não vejo outra alternativa que não seja a extinção.

Escutei a fala dos promotores, vi que os procedimentos investigativos estão em curso, pois então que se divulgue. Outros crimes, acontecimentos anteriores, já encontraram a puniram responsáveis? Se aconteceu, que se torne público.

Também defendo que os clubes sejam responsabilizados, aí tomo conhecimento que os representantes de ABC e América, principais interessados, sequer compareceram a reunião realizada pelo Ministério Público, polícias e federação, entre outras entidades interessadas.

Será que os dirigentes de clubes acham, em sã consciência que nada têm a ver. Pode até que os novos presidentes, Leonardo Bezerra, América, e Fernando Suassuna, ABC, entendam assim, mas se eles não tiveram participação na criação e manutenção de organizadas, antecessores tiveram.



A arbitragem de Wagner Reway

Edmo Sinedino,

wagner123_09A direção do América pediu arbitragem de fora para a partida desta quarta-feira, final do primeiro turno, entre ABC x América, no Frasqueirão.

Árbitro do clássico Wagner Reway - da Paraíba (já foi de Santa Catarina), assistentes Cleriston Rios, de Sergipe, e Fábio Pereira, do Tocantins, todos eles Master. Mais uma vez me pergunto: para que arbitragem "estrangeira". Nosso Alciney Santos será o quarto.

Hoje, durante o programa Prorrogação, da Tevê Assembleia, um torcedor fez uma pergunta inteligente, no mínimo inquietante, e que nos coloca para pensar:  o árbitro que vem de fora não se sente pelo menos na obrigação de ser menos duro com quem pediu, e pagou, sua escalação?

A gente sabe que não pode, não deve, mas estamos falando de Brasil. Estamos falando de um futebol cuja a sua Confederação é chamada de "Casa Bandida" repetidamente por um jornalista dos mais influentes do Brasil.

Futebol de uma entidade que já teve Ricardo Teixeira, perseguido pela Lei, José Maria Marín, preso nos EUA, e Marco Pólo Del Nero, ex-presidente, impedido de sair do Brasil para não ser preso.

A gente não tem o direito de questionar arbitragens, atletas, imprensa, dirigentes sem apresentar provas ou um fato que desabone a pessoa em questão, mas a pergunta do torcedor, repito, inquieta.

Me lembro de uma arbitragem desastrosa do senhor Wagner Reway aqui em Natal. Acho que foi Série B do Brasileiro, ABC x Vitória (ou Sport) em que ele errou todas, todas, mas sempre em favor do time visitante.

Tomara que a arbitragem do senhor Reway e seus assistentes seja coberta de êxito e o jogo transcorra dentro da normalidade, vencendo aquele que seja mais merecedor.

Fotomontagem: twitter oficial da FNF


Somente campanhas de paz não resolvem o problema de violência do futebol

Edmo Sinedino,

Não adianta ficar repetindo. Parece que fazenos riscos n`água como se diz no ditado popular. Não existem mais paliativos, ou se toma decisões duras, com punições e banimento ou esse problema de violência nunca será resolvido.

Campanhas não fazem efeito. Infelizmente, os bandidos travestidos de torcedores que invadiram as organizadas não deixarão de cometer atrocidades a partir de apelos de paz. Os criminosos precisam ser tratados como tal.

Parece meio pesado, coisa de gente reacionária, mas é a solução. Não estou fazendo apologia à violência policial, ou que esses malfeitores sejam exterminados, não, para eles eu peço o cumprimento da lei e a punição de seus crimes.

Dá sim para identificar, nesses tempos de celulares modernos, com câmeras de alta definição facilita sim essa identificação. O que me parece é que toma conta de todos um sentimento de omissão, mesmo diante de tantos graves acontecimentos.

O futebol do Rio Grande do Norte atravessa hoje, talvez, a pior crise de sua história. A desastrada, caótica administração de José Vanildo atingiu a tudo e todos - clubes, estádios e torcida - e a violência está sendo a "cereja do bolo" no sentido reverso.

Ministério Público, Tribunal de Justiça, Polícias militar e civil, dirigentes de clubes, federação e até mesmo a parte omissa de nossa imprensa, mais que nunca, precisam se unir para que esse caos seja debelado. O fundo do poço para o futebol do RN está muito perto.



Desde a chegada de Roberto Fernandes o América já trouxe sete reforços

Edmo Sinedino,

Desde que iniciei no jornalismo, isso já tem mais de 30 anos, sempre me posicionei contra o exagero de contratações. O América, desde a chegada de Roberto Fernandes, já trouxe mais sete reforços. Dois teriam sido antes do treinador.

Fico imaginando como será que está o clima no plantel, porque, por experiência, os atletas sabem que muitas vindas é sinal de algumas idas. Se está chegando mais gente para o plantel muito provavelmente acontecerão dispensas.

E isso deve estar preocupando principalmente atletas que era titulares absolutos com o Waguinho Dias, casos do Adriano Alves, Renan Luís e Wallace Pernambucano, entre outros. Após o clássico, seja qual for o resultado, deve acontecer alguns desligamentos.

A cada nova aquisição fico imaginando que a situação dos jovens valores, atletas como Juninho, Adílio e outros, dificilmente terão chances de continuar jogando. Os pobres clubes potiguares, entendo, não têm a condição de contratar tanto.

A impressão que tenho com treinadores que contratam muito, assim como Roberto Fernandes, sem desmerecimento, passa a impressão que procurar ter menos trabalho no aproveitamento e aprimoramento de talentos da base.

Sei bem que o América não é, hoje, propriamente, um celeiro de bons jogadores para serem trabalhados, mas se isso acontece é porque diretorias anteriores deixaram que bons valores deixassem o clube.



Rodriguinho espera trajetória de conquistas no Bahia

Edmo Sinedino,

rodrigBa_09Na primeira resposta, o novo reforço tricolor falou sobre os motivos que o fizeram escolher o Bahia, mesmo com outras propostas.

“Como o Cerri falou antes, o Bahia tem um poder econômico bem interessante no momento, uma estrutura muito boa, um time competitivo, um treinador de respeito e me deu uma estabilidade maior na carreira, um contrato de dois anos com possibilidade de mais um”, afirmou.

O atleta também falou sobre a expectativa criada com a sua chegada para vestir a camisa 10 tricolor.

“Expectativa sempre existe em torno dessa camisa. Já me passaram que o pessoal vem cobrando há bastante tempo um camisa 10, não desrespeitando os companheiros que têm muita qualidade. Chego ansioso para suprir essa necessidade, fazer o meu melhor e ser respeitado pelo trabalho dentro de campo. Espero que seja um ano de conquistas”, declarou.

rodrig2_09

Rodriguinho também respondeu sobre as funções que pode desempenhar em campo em diferentes formações táticas.

“Já joguei tanto no tripé quanto como um 10 centralizado e flutuando. Como segundo atacante também já joguei. Quanto a isso é bem tranquilo para poder desempenhar essas funções. Roger é muito experiente e inteligente, sabe onde eu posso ter uma melhor performance. Vamos conversar e resolver o que ele quer que eu desempenhe da melhor forma”, explicou.

*Fotos e texto: site oficial do Bahia


Primo de Ítalo Ferreira ganha prancha que será rifada para viabilizar viagem à Paris

Edmo Sinedino,

felpeitalo_09Convocado para torneio internacional, atleta de Natal ganha prancha de Ítalo Ferreira para bancar viagem a Paris

Fellipe Dantas é primo do campeão mundial de surf e ganhou prancha usada durante temporada do título para custear gastos da viagem a Paris, em maio

Convocado para representar o país na PSG Academy Cup, torneio que reúne as 15 franquias da escola de futebol do clube francês pelo mundo, em maio, na França, deixou o garoto Fellipe Dantas emocionado. Com apenas 12 anos, o jovem goleiro é titular da equipe sub-13 da academia de Natal e ganhou um incentivo especial para a competição: uma prancha de surf. Mas, o que surf e futebol tem em comum? O fato de Fellipe ser primo do campeão mundial do esporte, o também potiguar Ítalo Ferreira.

Os avós de Fellipe são de Baía Formosa, em uma relação de muito amor e carinho entre os familiares. Ricarla Soares, mãe do garoto, conta que ao saber da notícia que o primo havia sido convocado, o surfista o presenteou com a prancha que venceu a etapa de Gold Coast, na Austrália, para que o goleiro fizesse uma rifa para bancar os custos com a viagem.

“Foi sensacional ter visto tudo aquilo. Quando falamos com Ítalo, ele ficou muito feliz em saber que Fellipe havia sido convocado para esse torneio na França. De pronto, nós conversamos e ele fez questão de doar uma das pranchas que ele usou na etapa da Austrália para que nosso filho pudesse rifar e pagar a viagem para Paris. Foi algo muito emocionante”, lembrou a mãe do goleiro.

Além de Fellipe, a PSG Academy Natal teve outros quatro convocados: o professor Severo Júnior será o responsável pela seleção sub-11 do Brasil; o zagueiro Arthur Bras e o meia Pedro Ivo, foram convocados para a seleção sub-13 e o ala Lowen Tamberg vai atuar na equipe Sub-11 da Academy. O garoto também está realizando uma rifa e reuniu a família para abrir uma “varquinha virtual” para ajudar nas despesas de toda a viagem: https://www.vakinha.com.br/vaquinha/convocado-para-representar-brasil-na-franca.

Emocionado com a ajuda do primo, Fellipe espera retribuir a atenção do Ítalo Ferreira com o título da PSG Academy Cup.

“Ele é um cara muito gente boa. Doou a prancha que foi campeão para que possa realizar meu sonho de jogar futebol e também ser campeão. Meus pais vão fazer uma rifa e vamos viajar para disputar esse torneio. Não vejo a hora de jogar em Paris”, conta o garoto, ansioso pela disputa na França.

A delegação potiguar embarca para São Paulo na primeira semana de maio, para uma série de atividades e treinamentos. Em seguida, no dia 13, viajam a Paris para a disputa da competição.

Foto: Divulgação / PSG Academy Natal



Futebol do RN vive, talvez, a pior crise de sua história

Edmo Sinedino,

Não faltassem os repetidos problemas de violência, o Campeonato Potiguar 2020 ainda tem que conviver com os absurdos da gestão de José Vanildo. Jogadores, torcedores, parte da imprensa se mostra estupefata diante dos últimos acontecimentos.

Torcedores se mostram desmotivados, assim como alguns atletas profissionais que, pela primeira vez em suas trajetórias se veem diante de uma situação como essa: um começo do segundo turno sem que se conheça o campeão do primeiro.

No ano em que o berço de nosso futebol, Estádio Juvenal Lamartine completa 100 anos, talvez estejamos tendo o pior ano do futebol do Rio Grande do Norte. Equipes na quarta divisão do Brasileiro, outras excluídas, desaparecidas e mesmo os grandes ABC e América, principalmente o alvinegro, enfrentando uma crise financeira sem precedentes.



Doente, Francisco Diá pode ficar de fora do clássico desta quarta-feira

Edmo Sinedino,

Complicada a situação do ABC, agora, além dos vários problemas de contusão dos jogadores, até mesmo o treinador, Francisco Diá, está entregue ao DM sentindo fortes dores em uma das pernas que o impediram de comandar a equipe na vitória de 2 a 1 sobre o Globo neste domingo.

Falei com o comandante do alvinegro e relatou seu problema, as fortes dores que fizeram ele passar a noite em claro, só melhorando após medicação prescrita pelo o médico do clube, Roberto Vital. Os remédios só aliviaram um pouco o problema, sendo que, nesta segunda-feira, pela amanhã, ele vai passar por exames mais específicos para descobrir a origem das dores.

Questionado sobre ficar de fora do clássico, Francisco Diá disse que iria de qualquer jeito. A presença do treinador, em campo, claro, é fundamental para um bom desempenho dos jogadores, mesmo sabendo da confiança que ele deposita em seu assistente, Romildo Freire.

Existe suspeita de problemas provocados por inflamação na coluna, hérnia de disco ou uno nervo ciático que, certamente, irradia para outras partes do corpo o deixando impossibilitado de locomover-se. A gente deseja uma rápido restabelecimento ao professor Francisco Diá.

PS: o mais incrível disso tudo é que o ABC atuou sem o seu comandante, Francisco Diá, e eu não vi uma nota sequer no próprio site do clube e nem nos noticiários, raríssimos, de nosso futebol. Mais um retrato da profunda crise que atravessa o nosso combalido esporte que já foi das multidões.

1-20 de 10078