E a CPI da Arena das Dunas?

Edmo Sinedino,

Uma situação super importante me veio à lembrança depois que o deputado Gustavo de Carvalho saiu em busca de assinaturas para uma tal de CPI das ambulâncias. Coisas sem nexo para muita gente, apenas com o intuito de tentar provocar desgaste no governo. 

Por isso me veio essa pergunta super importante: e a CPI da Arena das Dunas, desse enorme "elefante quase branco" que tem custado tanto dinheiro ao governo? Acabou, não vai mais ter continuidade?

Quanto dinheiro que poderia ser investido na educação, saúde, segurança, enfim, e sai por um ralo que nem pode ser investigado. Qual o motivo? A quem interessa não mexer nesse vespeiro que é a construção do estádio da Copa? Já imaginaram se, na época da construção, o governo fosse de esquerda, fosse do PT?



Madrasta CBF impede uso da MP 984 na Série D, mas EBC sinaliza com transmissão

Edmo Sinedino,

A velha madrasta não perdoa. Não tem jeito. O futebol do Nordeste, do Brasil, só vai se transformar em coisa séria, profissional e justa quando forem criadas ligas em todo o Brasil. Liga do Nordeste, do liga do futebol do RN e do Brasil, entre outras, sem interferência sempre nefasta da CBF.

Essa ameaçada de cortar passagens aos clubes da Série D que aderissem ao uso da MP 984, a MP de Bolsonaro, a MP do Flamengo. Isso é típico de ditaduras, aliás, a repetição da mesma velha forma de retaliação. Lembram da Liga do Nordeste. Nossos dirigentes pipocaram, poderíamos ter hoje um modelo vencedor.

Por essa, infelizmente, perdemos de ter a BandTV transmitindo os jogos do ABC quando realizados no Frasqueirão. A direção do clube procurou a emissora e o contrato foi desfeito.

EBC na D

Bom, segundo o colunista Lauro Jardim, d´O Globo, a EBC vai transmitir os jogos da Série D do Brasileiro. Ainda não vi comunicado oficial da emissora estatal e como será feita, já que são tantos jogos disputados a casa semana. A quarta divisão já tem a transmissão, ruim, da CBF TV via Mycujoo.



Desportista Cezinha Nunes confirma candidatura a vereador de Natal

Edmo Sinedino,

 O candidato a vereador de Natal, Cezinha Nunes (PCdoB) oficializou sua candidatura na noite da última quarta-feira (16), na convenção municipal do Partido Comunista do Brasil, realizada na sede do partido, no bairro Tirol. 

Atendendo aos protocolos de segurança recomendados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em virtude da pandemia da Covid-19, o encontro foi transmitido através do Google Meet e Facebook, evitando aglomerações.

Exonerado do cargo de coordenador de esporte e lazer da Secretaria da Educação, da Cultura, do Esporte e Lazer do Rio Grande do Norte (SEEC-RN) desde o dia 11 de agosto, Cezinha Nunes disse em sua fala que pretende lutar por uma Natal com mais qualidade de vida e fazer do esporte uma ferramenta de transformação social.

 "Trabalho há seis anos na gestão esportiva e quero usar de minha experiência para oferecer a Natal mais qualidade de vida através do esporte que tem forte poder de transformação, inclusão e de valorização social", revelou.

Cezinha defende que o esporte é capaz de ligar todos os setores da gestão pública e que para concretizar o seu projeto é preciso encarar o esporte como investimento e não uma despesa. 

"Através do esporte nos podemos dialogar diretamente com a saúde, educação, segurança pública, turismo e principalmente economia, pois o esporte não é um gasto e sim um investimento ao contrário do que a maioria dos gestores públicos pensam", analisou.

Os profissionais de educação física também foram lembrados por Cezinha. "E é em defesa da bandeira do profissional de educação física, tão esquecido nos dias de hoje, em defesa da qualidade de vida para toda população natalense, que coloquei o meu nome à disposição do partido e eleitores para disputar essa cadeira na Câmara de Vereadores de Natal", disse o candidato que encerrou citando Nelson Mandela, "o esporte tem a força de mudar o mundo e eu acredito no esporte".

Participaram da convenção o vice-governador Antenor Roberto, o presidente municipal do partido, Christian Vasconcelos e o presidente do Comitê Estadual, Divanilton Pereira.



Argel Fucks detona Pastana, executivo que causou enormes prejuízos ao ABC em 2015

Edmo Sinedino,

pastabamar_09Vocês lembram de Rodrigo Pastana? Quem não lembra. Trazido por Rogério Marinho (foto) para "modernizar e profissionalizar" o ABC. Cômico seria, se não fosse trágico. Pois bem, essa semana, o treinador Argel Fucks, que já trabalhou em Natal, soltou o verbo contra o "executivo" de futebol e o chamou de "pilantra", "Vagabundo" e até "ladrão".

O treinador confirmou a veracidade dos áudios divulgados, disse ter trabalhado com o Pastana em outros clubes e só teve problemas. "Cuidado com o seu bolso, que esse cara é ladrão", afirmou em uma gravação  enviada ao presidente do CSA, Rafael Tenório, onde ele também agradece por ter sido mandado embora.

Argel foi mais além, afirmando em um grupo de zap de treinadores de futebol dizendo que não trabalha "com diretor executivo que levra dinheiro de treinador". O técnico não citou os problemas criados por Pastana aqui em Natal, acho que ele não tomou conhecimento. Aliás, é sabido e notório que esse dirigente causou problemas por onde passou.

Em 2015, a direção do ABC, na época sob o comando de Rogério Marinho, hoje ministro de Bolsonaro, Pastana foi trazido, demitiu quatro treinadores, encheu o clube de ex-jogadores em atividade, destaque para o Neto Coruja, perdeu o título estadual e, pasmem, ainda teve o topete de demitir Roberto Vital, médico, com 26 anos de clube, causando revolta generalizada.

O tal do futebol "auto-sustentável" colocou o ABC onde está hoje, endividado, se vendo obrigado a vender patrimônio para pagar dívidas. Como se não bastasse, depois ainda veio o Salton, imaginem. Não lembro se o Mendes, outro executivo,  foi antes ou depois, sei que, juntando tudo, causaram esse caos administrativo no alvinegro.

Naquele fatídico ano de 2015, queriam fazer de Rogério Marinho dirigente do ano na festa da FNF, mas acontece que não combinaram com o América. O time rubro foi o campeão do centenário, mesmo assim, acreditem, a federação de José Vanildo da Silva ainda deu o prêmio de dirigente do ano ao Rodrigo Pastana, esse mesmo "elogiado" por Argel. Tudo em casa.

Sobre tudo que foi dito por Argel, Rodrigo Pastana afirmou que vai se pronunciar na Justiça.

*Foto: ABC/FC


O Cruzeiro quer repatriar Zé Eduardo, mas o América só libera se for ressarcido

Edmo Sinedino,

zeeeduardo_09Eu não vou repetir aquela frase boba de "eu já sabia", mas quem sabe o valor do gols, de gols, sabe muito bem que isso podia acontecer. Falo sobre o comentado interesse do Cruzeiro e levar o Zé Eduardo de volta para resolver os problemas do Cruzeiro. Leonardo Bezerra, presidente do clube, afirmou que só libera o atleta se receber ressarcimento pelo investimento feito e o que vai desembolsar para encontrar um substituto.

O estrelado clube mineiro ocupa a 16ª posição no Brasileiro da Série B, vejam só, e  perdeu para o CSA, que está na zona de rebaixamento, na última rodada, 3 a 1. Crise braba. A informação é que o diretor técnico Deivid, ex-atacante, estaria interessado em repatriar o Zezinho e, em troca, fornecer alguns valores ao time rubro potiguar foi confirmada, o que não interessa aos potiguares.

A diretoria estrelada, como quase todos os clubes grandes do futebol do Brasil se situam sempre em via de mão única quando negociam com clubes de federações menos tradicionais e estados mais pobres.  "Venha nós, tudo, ao vosso reino, nada!"  Como sempre acontece nesses casos, Já fizeram a cabeça do atleta e do empresário, prometendo dobrar seu salário, isso, evidente, para que ele faça pressão para sair. E o jogador engoliu a corda e quer jogar a Série B. O que certamente deve ter o peso da pessoa que cuida da carreira do atleta.

Ouvi o presidente do América, Leonardo Bezerra, ele foi muito transparente, e o que declarou para mim também colocou para a diretoria do Cruzeiro. "Quero o melhor para o clube que presido. Nós investimos na contratação do jogador, agora o Cruzeiro quer  tê-lo de volta em troca de peças que não conhecemos da sua base. Zé Eduardo sai, mas se tivermos uma compensação financeira pelo que gastamos com o atleta e o que vamos ter que gastar para substituí-lo, afinal, não está fácil encontrar atacantes do nível dele no mercado, sem falar na boa fase que ele atravessa", disse.

O dirigente rubro ainda teve um exemplo emblemático para reforçar sua posição. "O América trouxe o Cesinha, jogador do Cruzeiro, ele não acertou aqui, e nós quisemos devolvê-lo, procuramos o Cruzeiro para fazer esse acordo, sabe qual a resposta? Não. E repeti isso para a direção. Um caso igual, portanto, atitude semelhante de nossa parte. E esse é o posicionamento do América", encerrou Leonardo.



Só o Globo estreia com vitória na largada da Série D

Edmo Sinedino,

O América empatou com o Campinense. Dois pontos perdidos dentro de casa, para mim, só recuperáveis com vitória fora, até repetida de preferência. Não vi o jogo, por isso nem posso falar com mais propriedade, mas se for comentar em cima dos melhores momentos, diria que o time rubro foi salvo pelo goleiro Ewerton.

Muito esquisita em forma de jogar do time rubro. 3-5-2 de alas presos, 3-5-2 de um só meia criativo e dois atacantes de características iguais. É pedir para perder. Diria que o empate foi injusto pelo que apresentou a boa equipe do Campinense. Paulinho Kobayashi precisa repensar seu estilo de jogo.

Na rodada segunda, o time rubro enfrenta o cearense Floresta, fora de casa, no sábado, às 15h30, no estádio Domingão.

Atlético/PB 1 x 2 Globo

Essa Série D é também comédia. O jogo do Globo teve disso. A narração engraçada e apaixonada (nada contra) da rapaziada da Paraíba. Mas o importante foram os três pontos do Globo. Jogou bem o time de Renatinho Potiguar.

 É um grupo que sabe o que quer e o trabalho começa a dar bons resultados. Beleu e Júlio Carioca marcaram os gols da vitória do Águia jogando no estádio Perpetão, em Cajazeiras. O time de Ceará-Mirim foi o único do RN a vencer na largada da Série D.

Na próxima rodada, o Águia recebe o Guarany de Sobra, no Barretão, sábado, às 15h.

Potiguar 0 x 0 Frei Paulistano

Um jogo de poucos lances criativos, mas de pelo menos duas grandes chances desperdiçadas pelo ataque do Time Macho. Palominha poderia ter somado os três pontos. o time sergipano chegou mais em chutes de longa distância. Se a equipe visitante poderia ser apontada como favorita por conta do problemas repetidos em Mossoró, dentro de campo isso não ficou evidente. Se alguém merecia vencer diria que, um pouco mais, o representante do RN.

O próximo compromisso do Potiguar será contra o Coruripe, sábado, às 16h, no estádio Gerson Amaral na cidade alagoana.

Itabaiana 1 x 1 ABC

Dominante nos dois tempos da partida, o ABC poderia ter estreado com uma vitória elástica na Série D do Brasileiro, mas não foi assim. Souza Tibiri abriu o placar, as chances foram surgindo se sendo desperdiçadas. O Itabaiana nada conseguia, a diferença técnica e tática era enorme, os gols do alvinegro potiguar, tudo levava crer, sairiam em questão de poucos mais tempo. Não aconteceu.

No final da partida, o castigo, a bola bateu na mão do zagueiro Richardson, pênalti, aos 48 minutos do segundo tempo. O goleiro Rafael ainda quase defende, mas a bola bateu em suas pernas e entrou. Empate com sabor de derrota para o time treinado por Francisco Diá.

Na próxima rodada, o ABC recebe o Jaciobá, domingo, às 16h, no Frasqueirão.



Galo assume liderança na rodada que não teve vitória de cariocas

Edmo Sinedino,

Brasileirão da Série A, 11ª rodada.

Começo falando do meu time, Botafogo. Decepcionante. Se valeu de Gatito para não ser goleado. O Santos é tão superior assim? Não, para mim coisa de treinador assustado, com medo de sair para o jogo, mal do Brasil. 

O time carioca tem jogador para encarar o Peixe de Cuca que não é esse balaio todo, mas simplesmente abdicou de jogar. Triste. Tinha visto o Fogão bem melhor. Neste domingo atuou com cara de time da Segundona.

Desta vez, o injustiçado da rodada 11, ou um dos, foi o Vasco da Gama. Criou inúmeras situações de gols, perdeu chances incríveis e acabou perdendo em gol de pênalti, infantil, cometido por Pikachu. O placar justo era vitória fácil do time da Cruz de Malta.

Veja esse comentário: "em jogo de nível técnico ruim no primeiro tempo e mais animado na etapa final, o Coritiba venceu por 1 a 0 Vasco neste domingo, no Couto Pereira. Pikachu decidiu a parada ao cometer pênalti infantil em Robson no fim do duelo. A penalidade foi marcada por Luiz Flávio de Oliveira após consulta ao VAR. O próprio Robson converteu. Resultado excelente para o Coxa, que não vencia desde a sexta rodada'.

Foi do Globo de Curitiba, todo errado, pois o Vasco mandou o tempo todo e jogou bem, nível técnico ruim foi do time da casa. Mais imparcialidade é que se cobra sempre.

O Internacional, ex-líder, voltou a perder. Alegria do treinador Rogério Ceni em sua vitória sobre um gigante do futebol brasileiro. Gol de Felipe, 1 a 0. Tiago Orobó entrou no lugar de Romarinho, marcou um gol que foi anulado. O Leão do Pici vai bem. Melhor ainda porque o Ceará perdeu de 4 a 2 para o Bragantino, no sábado.

Numa partida de sete gols, o Atlético mineiro bateu seu homônimo goiano e assumiu a liderança do Brasileiro. Nathan e Keno, três vezes, marcaram para o Galo. Os gols do Dragão foram assinalados por Gilvan, Oliveira e Farrareis.

Na rodada tivemos jogos na terça-feria, Corinthians 3 x 2 Bahia, e na quarta, São Paulo 1 x 0 CAP. Um jogo adiado, Flamengo x Goiás e fechando, no final da noite de domingo, Sport 1 x 0 Fluminense. Portanto, sem nenhuma vitória carioca.



Joguei com Petita (especial de domingo)

Edmo Sinedino,

Todos os dias. Lá vou eu caminhar na praia com chuva ou sol. Nos últimos dias, confesso, com medo. Já tem gente demais até mesmo no horário que costumo fazer meus exercícios - caminhada, corrida e abdominais. Essa, vocês já imaginam é mais uma historinha das tantas que já contei. Essa se passou um dia depois da decisão do Campeonato Potiguar.

O caso se deu numa segunda-feira. Caminhando a passos largos, já para que ninguém puxe assunto, o que é quase inevitável para quem vive do danado do futebol. Mesmo de cabeça baixa, notei um cara me olhando, apontando o dedo e falando algo com sua esposa, namorada ou amiga. 

Fui até o meu ponto de retorno, Praia do Meio, e, na volta,  ele solta a piada: o mequinha não tá com nada né Edmo? Sorri amarelo, respondi que ia melhorar com o novo treinador e passei ligeiro.

Outra volta, normalmente, quando a maré está cheia, faço uma doze voltas do espaço lá de depois de Iemanjá, lá nas pedras dos ratos gabirus , retornando até as barracas já perto das ruínas do hotel Reis Magos. 

Pois bem, passo de novo e o mesmo camarada me olhando, agora ele conversa com um senhor de idade que balança a cabeça ao mesmo tempo que acompanha a minha passagem. 

Ainda pensei, juro, parece que estava adivinhando, ir direrto até a Praia dos Artistas e voltar pela calçada, mas, maré cheia, atrapalha e retornei. Não teve errada . A voz do gordinho sentando na areia me chamando.

 Olhei, parei, ele pediu para que eu me aproximasse. Respirei e pensei: lá vem coisa. Me apresenta ao senhor que está em pé, ao mesmo tempo que dá minha ficha, diz que eu sou repórter e que joguei no Alecrim Futebol Clube e outros clubes.

O senhor sorrí, me olha e pergunta (tem sotaque de carioca ou parecença): o senhor conhece Canindé? Respondi que sim, mas pensei tratar-se de outro (o ponta direita do Bairro Nordeste).

 Ele negou que fosse o mesmo, o dele era ponta esquerda, e veio nova pergunta: e Petita, o senhor conhece? Pensando encerrar a conversa, fazendo sinal claro que queria continuar minha andança, respondi que sim. Pra quê?

O senhor jogou com ele ou conhece de nome? Ele insistia no papo. Respondi que de nome. E o cara completa:  pensei que o senhor tinha jogado com ele nos tempos do Alecrim, acho que do seu tempo. Por educação, se arrependimento matasse..., ainda quis saber o ano que o tal Petita tinha defendido as cores do Verdão. Final dos anos 50, começo dos anos 60, respondeu.

Ai Jesus! Sabe aquela vontade grande, quase incontrolável de você dizer assim uma braçada, um balaio de palavrões, mandar o sujeito à pqp, junto com o papudo que me fez parar, apanhar um monte de areia e jogar nos dois, foi o que senti. 

Eu olhei pra um e pra outro, não aguentei e disse: meu senhor, eu comecei a jogar futebol no juvenil do Força e Luz em 1977, em 1978 joguei no titular, no ano seguinte me transferi para o Alecrim, eu nasci no final dos anos 50, em 1958, como poderia ter jogado com esse seu Petita!?

O senhor murchou. O outro, o papudo ainda arrematou esclarecendo, mais raiva me fazendo: é, Edmo é do tempo daquele time bicampeão invicto de 1968... Cortei na hora, num tom mais irritado ainda: não meu amigo, não, em 68 eu ainda ia completar 10 anos, tinha 9, e o Alecrim não foi Bi não, foi campeão invicto, você não ouviu quando disse o ano de meu nascimento? Os dois, notando minha irritação, sorriram amarelo desbotado e encerraram o assunto.

Chegando em casa, fui direto para o espelho me olhar para ver se eu estava tão acabado e envelhecido como os papangus me fizeram crer. Ao mesmo tempo que contava esse causo fazendo se dobrarem de rir minha esposa e minha filha. O pior é que essa não é a primeira vez que me colocam nos tempos do JL ou mais pra trás.



Felipe Santos, seguindo os passos do pai

Edmo Sinedino,

felipesan_09Presença constante, diária nos treinos do ABC, o jovem Felipe Santos é mais uma promessa preparada, burilada pelo treinador Francisco Diá, esse, de uma forma muito especial. Não, apesar de ter jogado nas bases e no futebol amador, ele não é atleta, mas um professor de educação física que, diz claramente, quer ser treinador de futebol, assim como o pai.

Conheço o Felipe desde pequenino, fissurado por futebol (e nem poderia ser diferente) tem mais paixões esportivas. É atleta de corridas e já participou de várias, inclusive conseguindo resultados expressivos nas provas de até 25 km, mas seu negócio mesmo é aprender futebol com os mestres...e ensinar.

Vocês pensam que é brincadeira? Parem um pouco para ver esse menino analisar um treino de futebol, a forma de atuação de uma linha ou de atletas em particular. Notem o quanto ele conhece de alma de jogador, isso mesmo, Felipe vai fundo e entra mesmo na cabeça dos jogadores. Entende do riscado e é capaz de identificar, pelo jeito do cara correr se ele precisa de trabalhos correcionais.

Um dos jogadores do ABC, vi ele falando que pode render mais ainda, se melhorar sua biomecânica, a movimentação dos braços, as passadas. Em outro momento, elogiando a inteligência e modo profissional de ser do atacante Iago, dá mostras claras de conhecer sim de psicologia esportiva e ser capaz de, conversando, melhorar o rendimento ou indicar sessões de terapia.

Evidente que Felipe Santos ainda tem muito o que aprender, por isso que segue à risca o que dizem seu pai, Tostão e Romildo Freire, sem perder a chance de aprender com todo resto da comissão e em especial com o fisiologista Ricardo Melo, uma referência nacional que, por muita sorte de nós potiguares, está trabalhando em Natal, ensinando.

É claro que o treinador Francisco Diá fica feliz com o aprendizado e crescimento de Felipe, mas fala que sempre o deixou à vontade para fazer suas escolhas. Mas seus olhos brilham quando fala do filho: "vai ser um grande treinador, muito melhor, mais preparado intelectualmente que eu, mas ainda precisa de umas dicas do velhinho, claro", diz sorrindo.

*Foto: equipe de comunicação (dupla Tostão-Felipe Santos gravando o treino para correções e sugestões)


Flamengo passa vergonha no Equador e toma goleada de 5 a 0

Edmo Sinedino,

Vergonha parecida, somente a da seleção brasileira diante da Alemanha. Como já conheço a torcida do Brasil, bem sei como vai render esse 5 a 0 que o Flamengo tomou do Independiente del Valle, no Equador. 

Surpreso estou com o número de gols, mas não com o rendimento do Flamengo que vinha caindo a olhos vistos, tudo fruto dessa maneira maluca de fazer futebol mexendo na equipe em toda partida, marca do treinador espanhol.

Me lembrei agora do presidente do América, Leonardo Bezerra, que trocou de treinador em duas oportunidades, "antes que fosse tarde demais". É o que acho que a direção do time carioca tem que fazer, e olha que não sou adepto dessa maluca e frenética troca de cadeiras em clubes do Brasill.

Falar do jogo? Antes de fazer o primeiro gol, o clube equatoriano já tinha criado pelo menos umas quatro ou cinco situações de gol, o Fla nenhuma. Tudo bem, o César andou aceitando alguns chutes defensáveis, mas o que foi apresentado pela equipe de Dome era para isso mesmo. 

Feliz adormece e amanhece a torcida arco-íris do Brasil. Agora, se preparem, a imprensa do Brasil vai passar a encher a bola de Caicedo e Cia.

São Paulo

O outro tropeço da noite, esse não tão feio, foi do São Paulo, no empate de 2 a 2 diante do Ríver Plate. O tricolor abriu o placar, tomou a virada e voltou a empatar. Foram dois gols contra favorecendo o tricolor. Parece que vou repetir uma frase que sempre escrevo em tempos de Libertadores: equipes do Brasil tremem na competição.

Copa do Brasil

O Botafogo venceu o Vasco de 1 a 0, gol de Matheus Babi. Como já havia acontecido na partida pelo Brasileiro, o Fogão foi melhor o tempo todo, menos intenso, mas melhor. Dessa vez o Vasco não contou com as benesses de Diego Cavalieri, Gatito jogou. No outro jogo da noite, o Juventude, aquele mesmo time fraco que enfrentou o América, venceu o CRB de 2 a 0, em casa.



O intenso treino coletivo do ABC antes do embarque para Aracaju

Edmo Sinedino,

Consegui autorização para ver o treino do ABC. Não estava proibido, mas só tinha eu da imprensa na tarde desta quinta-feira, trabalho tático e coletivo de apronto para a estreia da equipe na Série D do Brasileiro, domingo, em Itabaiana.

O treinador Francisco Diá definiu as duas equipes. Um treino intenso, de muita passagem, toque de bola, triangulações, recomeços  e velocidade, muitas vezes o time azul, considerado o titular, chegando ao ataque com cinco e até seis jogadores. Recomposição também de acordo.

Se não for atrapalhado pelo gramado, ou gramados da Série D, se os campos de jogo oferecerem condições de toque de bola, o alvinegro potiguar vai se sair muito bem, não tenho dúvida. O treinamento também teve a participação muito efetiva do treinador Francisco Diá, que parou e reiniciou as jogadas várias e várias vezes, aliás, como tem que ser.

Pude observar, não vou revelar titulares, sou repórter, mas tenho palavra e não vou trabalhar contra o time de meu Estado. Gostei dos contratados. O bom ala Dieyson, com muita rapidez nas passagens e um entendimento imediato com o restante dos companheiros. Participou de muitas jogadas agudas.

Os volantes Souza Tibiri e Fabrício Bigode, os dois são bons jogadores, mas eu gostei mais do Bigode, que, para minha surpresa, pois estava há quatro meses parado, jogou muito e tem uma ótima bola parada. O Tibiri é mais preso, mas tem um ótimo passe e não deixa cair o ritmo.

Outra boa surpresa no treino foi o meia Lelê. Fiquei admirado como ele rendeu bem fazendo uma função "por dentro", rodando, trocando de posição e chegando na frente, inclusive marcando mais de um gol no coletivo e parecendo ser veterano no grupo.

Dos atletas já conhecidos, o destaque maior foi o Berguinho. Como joga esse rapaz. Se quisesse, se dedicasse como deve fazer todo atleta de alto rendimento, certamente ganharia muito dinheiro com o futebol. Valderrama, Vinícius Leandro, Pedro Costa, Bruno Souza e Richardson sempre muito bem. 

O goleiro Rafael dando show jogando com os pés, um quesito que ele cresceu muito trabalhando com o preparador Walter Lucena. E gostei também do goleiro Passarelli. Um ABC bem melhor que aquele que enfrentou o América na decisão do segundo turno.

O Kesley foi elogiado pelos presentes, mas o atacante não me agradou. Felipe Alves, atleta de grande potencial, não sei, parece que joga machucado, não rende. Esperava mais do meia Pedrinho e o atacante Iago também deixou a desejar, apesar de ter um comportamento muito elogiado por toda a comissão.

 Me chamou muito a atenção a qualidade do meia-atacante Allisson, joga muita bola esse garoto. O treinador Diá o descobriu e o tem colocado em campo, não à toa já surgem equipes de grande porte de olho. João Paulo e Wallyson, em tratamento, não treinaram.

Jordan no Ceará

Quem apareceu depois do treino todo serelepe foi o atacante Jordan. Outro que era reserva no juvenil e Diá trouxe para trabalhar entre os titulares. O ABC negociou seus direitos federativos com um empresário que colocou o atleta no Ceará Sporting e ele já deve fazer parte do grupo que enfrenta o Flamengo, na largada da Copa do Brasil Sub 20.



Palmeiras quebra Tabu de 37 anos na Bolívia

Edmo Sinedino,

O Palmeiras venceu o Bolívar e altitude de La Paz. 2 a 1, gols de William, cobrando pênalti e um golaço do Gabriel Menino. Marcos Riquelme descontou para os bolivianos. Mais cedo, num jogaço de sete gols, o Inter venceu o América de Cali de 4 a 3, partida realizada na Arena Beira-Rio. Por outro lado, jogando no Chile, o Grêmio perdeu de 2 a 0 para Universidad Católica, que ainda não tinha vencido.

37 anos depois...

Ao vencer o Bolívar, o Palmeiras colocou fim a uma invencibilidade de 37 anos do time boliviano contra brasileiros jogando em La Paz. Antes desta quarta-feira, a única derrota da equipe para brasileiro tinha sido em 1983, para o Grêmio. De lá para cá, em outras 11 partidas oficiais, tinham sido oito vitórias e três empates.

Jogos de hoje

O Flamengo joga fora de casa, no Equador, diante do Inpendiente Del Vale, velho conhecido, às 21h, no estádio Casa Blanca. O São Paulo faz clássico contra o River Plate, no Morumbi, 19h.



A empatia entre Francisco Diá e a governadora marca solenidade de premiação do ABC

Edmo Sinedino,

diaegov-09A matéria da Assecom, quem leu toda deve ter visto, cita o presidente José Vanildo, não apaguei tudo por respeito ao jornalista que fez a matéria que, só no final, cita o treinador Francisco Diá. No entanto, quem estava presente ao evento viu a atenção especial que a governadora deu ao treinador campeão.

Foi uma empatia, diria, dos quase sempre discriminados, pessoas talentosas que precisaram "ralar" muito para ter o reconhecimento - Fátima Bezerra e Francisco Diá - são casos típicos dessa gente que veio do povão. Foram muitas fotos, troca de observações, elogios de lado a lado e até algumas brincadeiras. Foi empatia total, segundo relato do próprio profissional campeão.

fatimadia_09

"Eu já conhecia a governadora, o seu trabalho e sua história, ele só confirmou aquilo tudo que eu pensava, uma pessoa humilde, simples e que gosta de estar do lado do povo. Disse que ela era uma verdadeira abcdista, diferente de outros que saem vestindo a camisa de vários clubes, disse isso e ela riu, gostou".

Brincando, Diá afirmou ainda que virou petista, mas, claro, logo ele fala que é brincadeira, pois tem suas escolhas políticas e não mistura com sua imagem de treinador de futebol. Quem esteve presente à solenidade observou como a governadora gostou de ter o treinador ao seu lado na festa da entrega do troféu.

Um observador da cena política, ex-deputado estadual, chegou a dizer que "viu a hora a governadora convidar Francisco Diá para ser o vice de Jean Paul Prates na disputa à Prefeitura de Natal".

A matéria

A governadora Fátima Bezerra fez na última terça-feira, 15, a entrega simbólica do troféu de Campeão Estadual 2020 ao ABC Futebol Clube. "É com imensa alegria que recebo a Federação de Futebol e a diretoria e comissão técnica do ABC em reconhecimento à grande conquista deste ano quando o clube continua como o time de futebol do Brasil e do mundo com mais títulos estaduais", afirmou a Governadora.

Dirigindo-se ao presidente do clube, Bira Marques, Fátima Bezerra disse: "leve a todos do ABC a minha manifestação de júbilo por conquista tão significativa neste ano em que enfrentamos a crise do coronavírus que exigiu mudanças de hábitos. Mesmo diante das dificuldades não faltou ao nosso Governo competência e sensibilidade social em termos de gestão. Tanto que hoje o Rio Grande do Norte é um dos dois estados que mais reduziram o número de óbitos.  Isso é compromisso e competência. Dotamos o Estado de uma rede de atendimento hospitalar eficiente", ressaltou.

A chefe do Executivo estadual lembrou que “a economia está se recuperando, resultado das medidas que adotamos. Em relação ao futebol, recebi o presidente da Federação, José Vanildo, e no momento oportuno, concordamos com a retomada das atividades do futebol obedecendo as medidas protetivas. Para isso o Estado contribuiu com a troca de pontos da Nota Potiguar por acessos para assistir a transmissão dos jogos e fornecemos equipamentos de proteção individual, álcool e máscara para utilização nos jogos", registrou Fátima Bezerra.

A governadora destacou também que o futebol é o esporte mais popular do país. "A parceria do Governo com a Federação de Futebol e os clubes foi importante e vamos continuar neste apoio. Temos que celebrar a vida e ter fé no futuro do Rio Grande do Norte. Vamos sair fortalecidos desta crise. Parabenizo também os adversários que valorizaram o título do ABC. São 56 títulos, um marco histórico". 

O presidente do ABC, Bira Marques, lembrou que após 43 anos o clube repetiu o feito histórico de ser campeão invicto. Bira Marques referiu como de grande importância o apoio do Governo à retomada das atividades do futebol e registrou que o clube tem hoje cem profissionais entra atletas, comissão técnica e colaboradores.

"Estas pessoas voltaram às atividades e proporcionaram lazer e entretenimento à nossa população”. O presidente disse também que clubes como o Palmeiras e o Corinthians, de São Paulo, demonstram interesse em contratar atletas do elenco da equipe potiguar. "A parceria com o Governo foi muito importante para o fortalecimento das equipes e para fazer crescer o futebol do RN", enfatizou.

Também participaram da solenidade o vice-governador Antenor Roberto, secretários de Estado Íris Oliveira (Sethas), Carlos Eduardo Xavier (SET), Francisco Araújo (Sesed), George Câmara (adjunto da Sead), Fábio Henrique (diretor da Fundação José Augusto), Canindé França (subsecretario de Educação e Esportes), Guilherme Saldanha (SAPE) e Francisco Diá, treinador do ABC.

*Foto: Assecom

*Foto 2: selfie feita pela governadora


América intensifica trabalhos físicos e técnicos na semana da estreia

Edmo Sinedino,

mecaleme_09A semana de trabalhos no América tem sido marcada por trabalhos físicos-técnicos sob a supervisão do treinador Paulinho Kobayashi e do preparador Lucas Leme.  Na terça, o palco dos trabalhos a Arena das Dunas, local da estreia contra a equipe do Campinense, sábado, às 16h.

 No primeiro momento, o treinador americano orientou os atletas em trabalho de passe, posse de bola e movimentação.  Na segunda parte os plantel rubro colocou o primeiro trabalho em prática em um mini-jogo com direcionamento de ataque e defesa diferente do convencional, onde uma trave estava no sentido oposto mas não no mesma linha que a outra, obrigando os atletas a aumentarem a aceleração na tomada de decisão.

Na quarta-feira (16) o trabalho aconteceu no Centro de Treinamento Dr. Abílio Medeiros, nos dois períodos e foi muito focado muito mais na preparação física. O preparador Lucas Leme falou da adaptação do trabalho físico ao estilo de jogo do treinador.

O torcedor, evidente, se interessa logo em saber qual vai ser a escalação do time titular, mas não existe pista até porque não tive acesso, acho que quase ninguém, a um treinador coletivo, não muito em voga no futebol de hoje. Muito provavelmente, o time deve ser a base do que fez o bom jogo contra o ABC, na final do segundo turno.

Balancete

Nas redes sociais, foi dia de apresentação do balancete financeiro do clube e mais um mês de acúmulo de prejuízo. A gestão organizada fica claro no demonstrativo, mas também a notada falta de receitas mais robustas que ofereçam condição para que o América possa fazer algumas contratações sob indicação do treinador.

Fotos: Canindé Pereira/América FC



Jogadores do ABC, quarta divisão, interessando à elite do futebol brasileiro

Edmo Sinedino,

abctrin_09Um caso a ser estudado. O ABC. Um time que vai disputar a quarta divisão do futebol brasileiro, uma folha salarial que não chega a R$ 150 mil, salários atrasados, muitas dívidas acumuladas, incertezas, e mesmo assim ganha o título estadual invicto.

Desse time, três jogadores saem para disputar a Série B do Brasileiro, um garoto tem oportunidade de jogar e passa a interesar ao Palmeiras, teve outro pretendido por Santos e um terceiro quase certo com o Ceará. 

Por último, um ala, 27 anos, foi tão bem que está despertando, pela primeira vez em sua carreira, interesse de um time de ponta do futebol do Brasil. Sem falar em outros grandes nomes da equipe atrapalhados por contusão, caso contrário, estariam também na iminência de sair para uma Série  melhor.

Esse é o retrato, ninguém pode negar, do treinador Francisco Diá que, mesmo já sendo useiro e vezeiro nesse tipo de trabalho ainda chegou ao clube cercado de desconfiança de parte da torcida e da imprensa. São coisas do futebol.]

Alguém com uma máquina de calcular na mão pode fazer as contas de quanto o treinador Francisco Diá pode fazer entrar de dinheiro nos cofres do ABC. Isso ele mesmo ainda estando com os salários em atraso.

Só para que o torcedor menos atento não fique na incerteza, nomino a todos. Joécio, Paulo Sérgio e Cedric estão disputando, agora, a Série B. O primeiro no Sampaio Corrêa, os dois no CSA. O garoto Reginaldo, ala esquerda, deve ser negociado com o Palmeiras. O meia Allison, que nem tinha jogado no Juniores, pretendido pelo Santos e agora o garoto Jordan, muito possivelmente vendido ao Ceará Sporting.

O ala experiente Pedro Costa, depois de passagens por clubes menores do Rio, Botafogo/PB e Luverdense, entre outros, pode se transferir se o ABC topar para uma grande equipe da Série A, dois estão querendo seu concurso.

Fico imaginando se João Paulo e Berguinho tivessem tido uma sequência, inteiros, sem machucar, jogando tudo que sabem, não duvido, estariam na mira de, no mínimo, boas equipes da segunda divisão do futebol brasileiro. Todos esses atletas, com raríssimas exceções foram trazidos pelo treinador Francisco Diá a "preço de bolo".

*Foto: equipe de comunicação do ABC


Wallyson deve assinar novo contrato com o ABC nesta quarta-feira

Edmo Sinedino,

walyband_09A novela Wallyson está chegando ao final, feliz. Pelo menos para os torcedores que consideram o atacante ídolo.  Foi conseguido parte do dinheiro para pagar a dívida que o clube tem com o atleta e ele deve assinar novo contrato nesta quarta-feira, pelo menos é que ficou quase definido.

Wallyson, cria do ABC, rodou o mundo. Foi artilheiro de Libertadores em 2011, nesta época esteve prestes a ser convocado para a seleção por Mano Menezes, então técnico. Vestiu a camisa de grandes equipes como Atlético/PR, Cruzeiro, São Paulo, Botafogo, Bahia, Coritiba, Santa Cruz e Vitória. Contusões sérias o impediram de um brilho maior, acho. Talvez também um pouco mais de profissionalismo e dedicação.

Quanto tinha a carreira cuidada pelo empresário Gilberto De Nadai teve seu apogeu. Depois, já em parceria com o ex-craque Souza, a carreira teve um certo declínio, não que o Souza tenha nada a ver com isso. Wallyson se desligou dos dois e, parece, não foi de maniera amigável.

Suas últimas passagens não foram muito positivas, chegou inclusive a quase ser dispensando em sua passagem pelo Vitória da Bahia, dois anos atrás, quando abandonou o ABC por conta de um melhor salário no time baiano. Na oportunidade, a debandada de bons jogadores - Fessim, Matheus Matias e Tonhão - tirou a chance do alvinegro ser campeão do Nordeste, quando era o melhor time da competição.



Walter Lucena, o Tinho, treinador de goleiros do ABC teve seu trabalho reconhecido

Edmo Sinedino,

tinhogol_09O técnico Francisco Diá tem como característica principal, entre suas muitas qualidades como treinador, armar equipes sem quase nenhum recurso e, principalmente, descobrir valores onde a maioria não enxerga. Mas não são só valores jogadores, não, ele tem dado oportunidade a muita gente em começo de carreira.

Recentemente, Francisco Diá começou a trabalhar, ainda no Campinense, com o ex-goleiro do ex-ABC e outros clubes, Walter Lucena, conhecido por Tinho. O rapaz humilde, trabalhador, esforçado e que gosta de aprender ganhou seu primeiro título estadual. Seu trabalho na preparação dos goleiros foi muito elogiado e ele teve o prêmio por sua dedicação. Ele já tinha passado, antes, pelas bases do próprio ABC.

Tinho conquista a todos com sua simpatia, simplicidade, fidelidade e honestidade. Era assim desde os tempos em que acordava de manhã cedinho para treinar jovens goleiros que lhe pediam auxílio sem ganhar absolutamente nada, e continua, mesmo já com se espaço conquistado, a mesma pessoa.

rafael_09

Ao longo dos anos de aprendizado e preparação Tinho foi beber em fontes certas, deu duro, aprendeu, leu, absorveu e venceu. Uma das provas mais claras de sua orientação é ver o goleiro Rafael, escolhido aqui pelo blog o melhor goleiro do campeonato, defender tudo com as mãos, mostrar reflexos, trabalhar bem em cima e embaixo e ainda jogar bem com os pés, hoje fundamental para quem joga noi gol neste futebol moderno.

O reconhecimento do trabalho vem pelos companheiros, imprensa, torcida e seus companheiros de comissão técnica. Tinho, assim como Jodiney Tostão, assistente, se tornou uma das apostas acertadas do professor Diá. Eu o conheço o Walter Lucena desde os tempos de goleiro e sei que poucas pessoas merecem tanto esse sucesso que ele vem obtendo, pois trabalhou e trabalha muito para chegar onde está hoje.

*Fotos: equipe de comunicação do ABC


Tenistas do Aeroclube chegam às quartas no Grand Slam Juvenil

Edmo Sinedino,

tenis3_09Tenistas do Aeroclube chegam às quartas em primeiro torneio pós pandemia

Competição nacional valia vaga no Grand Slam Juvenil

Quatro tenistas potiguares, atletas do Aeroclube, foram longe na primeira competição pós pandemia, o Roland-Garros Junior, um dos maiores eventos da categoria no mundo. A competição reuniu os 32 melhores tenistas do país de até 18 anos. O Aeroclube foi o que levou o maior número de representantes: Lucius Soller, Luca Ebenriter, Breno Marques e Lorena Cardoso, comandados pelos técnicos João Felipe Araújo e Gonçalo Fisher.

“Perdemos nos detalhes, o que dificultou muito foi a falta de ritmo de campeonato, por causa da pandemia. Apesar de termos seguido firme nos treinos, com todos os cuidados, as competições fazem diferença. Mas no geral, o resultado foi muito bom”, avalia o técnico João Felipe Araújo.

tenis1_09

A competição aconteceu em Brasília, e valia nada menos que a oportunidade de representar o Brasil em Paris na seletiva para o Roland-Garros Junior. Dois tenistas paulistas ficaram com as vagas: Ana Candiotto e Nicolas Zanellato, que viajam à França no fim de setembro com tudo pago, onde enfrentam os campeões de seletivas na Índia e no México.

tenis4-09

João Felipe, técnico do Aeroclube, explica que foi uma competição bem diferente, por causa das restrições impostas pelo risco do Coronavírus. A realização da competição foi autorizada por um decreto do Distrito Federal, com muitas medidas sanitárias. “Tivemos a testagem obrigatória de atletas, árbitros e funcionários do evento para a Covid-19. Além disso, não havia público, e os atletas tinham que seguir um cronograma de horários, para que estivessem no local da competição apenas os jogadores envolvidos nas partidas”.

“O Aeroclube está investindo pesado no esporte potiguar, e consideramos bom esse resultado, diante da falta de ritmo dos atletas. Com a retomada das competições, não tenho dúvidas de que nossos atletas vão evoluir cada vez mais nas disputas”, diz Matheus Moreira, gestor esportivo do Aeroclube.

tenis2_09

Na próxima semana, os atletas voltam às quadras, em Recife, para a disputa da Copa Brasil Open, que acontece também em Piracicaba/SP e Florianópolis/SC, e tem 20 mil de premiação. “Nossos atletas são juvenis, mas tem nível e preparo para esse tipo de competição”, explica o técnico.



ABC e Globo ficam no empate em amistoso no Frasqueirão

Edmo Sinedino,

allison123_09Globo e ABC fizeram um amistoso, jogo-treino, na verdade, na tarde desta segunda-feira, no Estádio Frasqueirão. O placar terminou igual, 1 a 1, Beleu abriu a contagem para o Águia de Ceará-Mirim, mas, no segundo tempo, Allison empatou para o alvinegro.

O técnico Francisco Diá  analisou como bom teste e elogiou o time do Globo, comandado por Renatinho Potiguar, citando alguns jovens valores e o atacante Beleu, que já atuou em várias equipes, inclusive fora do estado.

O treinador alvinegro  utilizou duas equipes, uma em cada tempo. Iniciou com Passarelli, Pedro Costa, Vinícius Leandro, Richardson e Bruno Furtado; Vinícius Paulista, Valderrama, Jailson e Berguinho; Felipe Alves e Hiago.

No segundo tempo, o time atuou com: Passarelli, Bruno Souza, Vitor Salvador, Vinícius Alves e Bruno Furtado; Wenderson, Tibiri e Pedrinho;  Kesley, Alisson e Thyago.

Pelo lado do time cearamirinense não consegui falar com o Renatinho Potiguar e nem tive acesso à escalação da equipe. Antes do empate desta segunda, o Globo fez amistosos contra o Potiguar de Mossoró, no Nogueirão, 1 a 1, e venceu o Alecrim de 2 a 1.

Agora, a Águia encerra os amistosos preparativos para a estreia no Campeonato Brasileiro no próximo domingo em Cajazeiras/PB, contra o Atlético.

testeBC_09

O ABC também sai para jogar fora, no mesmo dia 20, em Itabaiana, Sergipe, enfrentar a tradicional equipe da cidade com o mesmo nome.

*Fotos: equipe de comunicação do ABC


América enxuga o plantel e folha salarial

Edmo Sinedino,

O América não conta mais em seu plantel com os jogadores Lelê (acertou com o ABC), Rômulo, Leandro Melo e Fabiano. Os quatros rescindiram seus contratos com o clube e estão livres para novos acertos.

O atacante Rômulo chegou ao clube e teve problemas de suspensão, na verdade, nunca se firmou na equipe. O volante Leandro Melo era titular absoluto com Waguinho Dias, capitão da equipe, perdeu espaço com Roberto Fernandes com quem teve sérios problemas de relacionamento. Dizem que os dois quase saem no tapa.

O outro volante Fabiano, da leva do atletas que vieram do Retrô, esteve em campo apenas uma vez e ficou constatado que, nem de longe, teria condições de vestir a camisa do time rubro natalense.

O meia Lelê foi titular do time do América desde que chegou. Contratado para fazer a diferença, ser o criador de meio-campo, na verdade, mesmo tendo atuado várias vezes nunca mereceu a confiança do torcedor rubro.

O atacante Wallace Pernambucano continua no clube rubro, mas teve que aceitar, diante da situação financeira difícil que vive o clube, redução de seu salário. Acho-o um bom jogador, creio que pode ser importante ter um atacante de seu estilo na Série D.

Leonardo Bezerra

O acerto está dentro daquilo que falou o presidente Leonardo Bezerra ao repórter Mállyk Nagib, da tevê Assembleia, que foi ao ar na noite desta segunda-feira. Falta de receita, de público e nenhuma perspectiva de novas receitas a situação é deficitária e difícil.

O dirigente falou da iniciativa, simpática para os clubes, de abrir pelo menos 30% do público nos jogos, que não seria suficiente, mas já serviriam de ajudar.


1-20 de 10693