O Brasil precisa acordar antes que cheguemos a 1 milhão de mortos por covid

Carlos Alberto,

Em que pese as denúncias contra o seu governo e o seu clã, o presidente Jair Bolsonaro tenta se garantir no Poder com um "guarda-chuva" que abriu desde a sua posse colocando militares em pontos chaves de sua gestão, se aproximando do Centrão, recorrendo ao populismo com bravatas falando todos os dias a um grupo de seguidores na frente do Alvorada parecendo coisa articulada, usando o gabinete do ódio para produzir fake news contra seus adversários e interferindo na Polícia Federal, como denunciou o ex-ministro Sérgio Moro.

Contudo, a CPI do Genocídio como está sendo chamada a CPI da Covid e agora mais recente o escândalo do Bolsolão, podem e devem produzir efeitos devastadores sobre o Planalto. No caso do Bolsolão, por exemplo, deputados de oposição ingressaram na semana passada com uma representação junto à Procuradoria da República no Distrito Federal, solicitando a abertura de um inquérito por improbidade administrativa contra o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, em função do orçamento paralelo operado pelo governo para comprar parlamentares no Congresso.

Gosto sempre de repetir o saudoso deputado Ulysses Guimarães: político só tem medo do povo nas ruas, e parece que isso já começa a ocorrer, mesmo que de maneira pontual, mas a pesquisa DataFolha divulgada dias atrás reforça isso relatando que o brasileiro já concorda com o impeachment. Ou seja, para impedir Bolsonaro de continuar governando o país esta força tem que vir das ruas, pois que o presidente da Câmara, Arthur Lira, está sentado sobre dezenas de processos que pedem a abertura de uma CPI, mas já disse que não vai colocar nenhum em pauta. Lira é um dos beneficiados pelo Bolsolão. O povo tem que pressionar Arthur Lira e o Congresso Nacional, sobretudo.

O infectologista Julio Croda afirmou em entrevista à CNN Brasil na semana passada,que o ritmo lento da vacinação contra a Covid no país contribui para o surgimento de novas variantes do coronavírus.

A chance de ocorrer novas mutações da Covid-19 no Brasil é enorme”, disse. Nosso índice está em 7,7% da população que completou o esquema vacinal. Ainda é muito baixo para impedir a circulação viral. Enquanto 80% da população não estiver vacinada e com a pouca adesão às medidas preventivas o vírus vai continuar circulando.”

Enquanto isso o presidente Bolsonaro continua pregando o negacionismo e dando maus exemplos usando suas lifes às quintas-feiras para pregar o uso de medicações sem nenhuma comprovação científica contra a covid-19 e saindo às ruas se aglomerando com pessoas sem usar máscara.

Em editorial, O Estadão, sob o título "Bolsonaro está louco?", comenta o pedido de afastamento de Jair Bolsonaro, protocolado no Supremo Tribunal Federal por sete juristas, segundo os quais é preciso reconhecer a "incapacidade civil" do presidente para exercer o cargo.

Ainda em março a deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP), que já foi aliada do presidente Jair Bolsonaro, protocolou uma PEC (Proposta de Emenda Constitucional) que destitui um presidente em caso de incapacidade mental e pede apoio à população para a sua propositura.

O Brasil precisa acordar urgentemente antes que cheguemos a 1 milhão de mortos por covid. Já caminhamos para meio milhão de vítimas. 

Em tempo: Veja e ouça o meu comentário no BB News TV no blogdobarbosa e no Canal YouTube clicando aqui


A+ A-