Kelps Lima queria o pedido de indiciamento da governadora, no mínimo

Carlos Alberto,

O relatório final da CPI da Covid da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, a qual chamo de "CPI dos Aflitos", apresentado pelo relator, deputado Francisco do PT, frustrou o presidente do colegiado, deputado Kelps Lima (Solidariedade).

No mínimo o parlamentar bolsonarista esperava que o documento pedisse o indiciamento da governadora Fátima Bezerra (PT), que ao contrário do presidente Jair Bolsonaro, conforme relatório da CPI do Senado, foi sugerido o indiciamento por 9 crimes.

No caso de Bolsonaro há acusações de crime contra a humanidade, charlatanismo e infração de medida sanitária preventiva, por exemplo, o que não caberia à governadora Fátima Bezerra, certamente.

Com depoimentos de 78 pessoas, somados a 192 ofícios expedidos e centenas de arquivos analisados, o relator chegou à conclusão de que “as contratações realizadas pelo governo do Rio Grande do Norte foram movidas pelo intuito de salvar vidas e que o trabalho dos servidores públicos do estado foi pautado pela mais profunda lisura e profissionalismo, inclusive, com a cobertura da imprensa às reuniões do colegiado.

O relator apontou que há elementos suficientes para o indiciamento de quatro pessoas que participaram da negociação da venda de respiradores pulmonares aos nove estados que compõem o Consórcio Nordeste, e que sofreram calote.

Com base nos dados levantados pela CPI, ficou evidente que os dirigentes da empresa Hempcare firmaram contrato com o Consórcio Nordeste afirmando a existência de contrato com a The 8TH Mettalurgical Construction Group Company Limited para o fornecimento de respiradores pulmonares. Contudo, a representação oficial da China informou que o contrato não existia e que a empresa mencionada não fabricava respiradores pulmonares.

“A apresentação do contrato é comprovação suficiente de dolo dos dirigentes da Hempcare. Esses elementos, pois, são suficientes a reconhecer materialidade do crime de estelionato e autoria de Cristiana Prestes Taddeo e Luiz Henrique Ramos Jovino”, disse Francisco do PT.

Ainda sobre o contrato, o relator disse que a execução do crime de estelionato teve a participação essencial de Cleber Isaac Ferraz Soares e de Paulo de Tarso Carlos, proprietário da Biogeoenergy. Para Francisco do PT, as transações financeiras entre a Hampcare e os referidos agentes, em razão de negociação com a Biogeoenergy Fabricação e Locação de Equipamentos Ltda, demonstra que ambos foram beneficiados financeiramente. 

Portanto, o deputado bolsonarista Kelps Lima se frustrou porque esperava que a governadora Fátima Bezerra ou alguém do governo fosse responsabilizado pelo calote sofrido pelo Consórcio Nordeste, já que no que diz respeito à condução da pandemia pelo governo do estado nenhum tipo de irregularidade foi encontrado nos contatos firmados.

O que Kelps Lima queria era holofote para sua campanha a deputado federal com o apoio do ministro das Comunicações, Fábio Faria. De certa forma conseguiu, mas saiu frustrado com a conclusão do relatório. Como sempre disse, a "CPI dos Aflitos" foi criada, primeiro, para tentar desgastar o governo Fátima e, segundo, para tentar imputar um crime aos governadores de esquerda no Nordeste pela compra de respiradores pulmonares que nunca foram entregues devido ao calote sofrido, mas que o caso já está na esfera da Justiça.

A "CPI dos Aflitos", que parece foi encomendada, ficou mesmo só no palanque político-eleitoreiro.

Fato!

Em tempo: confira o meu comentário sobre o assunto no BB News TV no blogdobarbosa  e no Canal YouTube clicando aqui


A+ A-