Fátima Bezerra cumpre com os compromissos de campanha, sim!

Carlos Alberto,

Em que pese a sanha da oposição e até de alguns jornalistas, a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, do PT, vem cumprindo com seus compromissos de campanha, o que deixa as vivandeiras do poder mais raivosas ainda. Não à toa Fátima Bezerra foi objeto de elogio do cientista político Daniel Cara que a considerou a melhor governadora do país. Clique aqui para ouvir o que ele disse.

Ainda na semana passada Fátima Bezerra confirmou o adiantamento de 40% do 13º para o dia 10 de outubro e previu pagamento das folhas em atraso para o início de 2021. Aliás, a bem da verdade, desde que iniciou o seu governo, e apesar da crise financeira, Fátima Bezerra nunca atrasou salários, diferentemente de seus antecessores. Numa tacada só a governadora também anunciou a implantação – a partir deste mês – das progressões salariais, referentes ao Plano de Cargos, Carreiras e Salários – PCCS correspondentes aos anos de 2017, 2018 e 2019, para os trabalhadores da Saúde Pública do Estado do Rio Grande do Norte, um anseio antigo da categoria. A medida beneficiará cerca de 13 mil servidores.

Em abril deste ano o governo da petista Fátima Bezerra nomeou 223 candidatos aprovados no concurso público para cargo efetivo da Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap) e convocou 317 profissionais de saúde aprovados em editais de Recrutamento para Contratação Temporária, totalizando mais 540 profissionais de saúde, como reforço ao combate a pandemia do coronavírus.

Não só isso, no mês passado o governo Fátima lançou o Programa RN Cresce +, plano multisetorial de incentivo à retomada e crescimento da economia pós pandemia com ações de curto, médio e longo prazo. As medidas envolvem as Secretarias de Estado da Tributação (SET), do Desenvolvimento Econômico (Sedec), do Turismo (Setur) e da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape) com ações nas áreas da agropecuária, turismo, mineração, indústria, geração de energia, transportes e comércio, e prevê incentivos fiscais, desburocratização, melhoria no ambiente de negócios e novos investimentos para a geração de emprego e renda.
As propostas integram projetos de Lei e decretos de adequação da legislação vigente e precisam ser aprovadas pela Assembleia Legislativa.

Sobre a reforma previdenciária, tão criticada pela oposição e alguns colegas, o governo Fátima, após um amplo debate realizado com os servidores públicos estaduais – iniciado tão logo foi promulgada pelo Congresso Nacional a emenda constitucional que altera o sistema de Previdência Social e que obriga os estados a fazerem ajustes próprios, fez um grande esforço dentro da lógica de não tratar os desiguais de maneira igual e olhar, em especial, para os servidores de maior vulnerabilidade. Não podia ser diferente.

Dentro do prometido em campanha, o governo Fátima está propondo, ainda, através de Projeto de Lei já enviado à Assembleia Legislativa, a criação de consórcios interfederativos de saúde. Isso não é nenhuma novidade, o vizinho estado do Ceará já implantou, com êxito, os consórcios de saúde há mais de 20 anos. Importante ressaltar aos desavisados que o governo Fátima encampou a ideia dos consórcios de saúde, e quer fazer acontecer. Os consórcios podem não ser a redenção da saúde pública, mas certamente haverá uma mudança substancial na qualidade dos serviços prestados aos usuários do SUS.

Há muito se observa discursos na Assembleia Legislativa com críticas à saúde pública por parte dos nossos nobres deputados. Entra governo sai governo o discurso é o mesmo. Se fossemos fazer uma reportagem sobre os pronunciamentos veríamos que só bastava mudar o nome do parlamentar, e muitas vezes nem precisava, pois que o enredo sempre é o mesmo, ou seja, jogar para a plateia e, claro, para os seus eleitores ávidos pela melhoria da saúde pública em nosso estado. A oportunidade de sair da falácia do discurso está nas mãos dos nobres deputados. Basta votar e aprovar o projeto de lei que cria os Consórcios Interfederativos de Saúde.

No tocante a pandemia do coronavírus, já falei sobre isso, mas repito: “Não faz tanto tempo assim a governadora Fátima Bezerra (PT) usou sua conta no twitter para dizer: “nosso objetivo é proteger a vida e a saúde do povo. Não se pode, de maneira nenhuma, deixar que qualquer divergência de natureza política, ideológica ou eleitoral, tire o nosso foco que é cuidar da saúde da população.” E assim tem sido feito.

E dentre as medidas acertadas está a decisão da governadora Fátima Bezerra de só liberar o retorno as aulas na rede pública estadual de ensino em 2021, objeto, inclusive, de elogio do cientista político Daniel Cara, conforme vídeo indicado pela Coluna no início do texto. Trata-se de uma medida, acima de tudo, para proteger a saúde de crianças, adolescentes e professores diante da pandemia do coronavírus.

E quando me perguntam: “Você vai continuar com essa chatice de elogiar o governo Fáima? Você precisa aceitar a opinião dos outros!”

Eu não tenho que aceitar nada. Tenho direito a opinar e essa é a minha opinião.

Tenho dito!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br

A+ A-