As oposições à governadora estão desnorteadas diante de uma iminente derrota

Carlos Alberto,

Diante de uma iminente derrota nas urnas em outubro, as oposições à governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), pré-candidata à reeleição, parecem desnorteadas. As pré-candidaturas oposicionistas, tanto a do empresário Haroldo Azevedo (Patriota), quanto a de Fábio Dantas (Solidalidariedade), não têem projeto de governo e só ficam no discurso anti-PT, e não decolam nas pesquisas de intenção de voto.

Com o pífio desempenho do ex-vice-governador de Robinson Faria - que atrasou salários do funcionalismo público estadual -, Fábio Dantas, nas avaliações dos institutos de pesquisas após o lançamento de sua pré-candidatura, se voltou a cogitar para pré-candidato a governador o nome do senador Styvenson Valentim (Podemos), para tentar fazer sombra a reeleição de Fátima Bezerra que lidera todas as pesquisas com uma larga margem de vantagem sobre seus oponentes.

Se Styvenson embarcar nesta, que é mais uma campanha de blogs e emissoras de rádios bolsonaritas, poderá figurar na lista de nomes que já foram rifados para o ex-ministro Rogério Marinho (PL), pré-candidato ao Senado, chamar de seu pré-candidato a governador. Sobre isso, o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira, quebrou o silêncio na semana passada e numa entrevista a uma emissora de rádio do interior disse que não houve escolha pela sua candidatura primeiramente. Houve depois, que Carlos Eduardo (PDT) e Álvaro Dias (PSDB) abdicaram de sair candidatos a governador. Em outras palavras, o nome de Ezequiel só foi cogitado após o ex-prefeito e o atual prefeito de Natal não terem aceito saírem candidatos à sucessão estadual para fazer escada ao projeto político de Rogério Marinho.

Resta saber se Styvenson Valentim entrar na lista dos nomes rifados pelas oposições para pré-candidato a governador, Rogério Marinho vai abandonar Fábio Dantas. É possível, até porque foi Fábio Dantas foi quem se ofereceu ao ex-ministro de Bolsonaro para ser o pré-candidato a governador dele [Rogério]. Antes, sequer, o nome de Fábio Dantas figurava na lista dos rifados.

O favoritismo de Lula nas eleições presidenciais, assim como sua estabilidade nas pesquisas, é outro fator determinante para as oposições à governadora Fátima Bezerra estarem desnorteadas. Lula é puxador de votos, e Fátima é a candidata dele no Rio Grande do Norte.

Aliás, Fábio Dantas, pré-candidato a governador de Rogério Marinho, não quer ser considerado o candidato de Bolsonaro a governador do Rio Grande do Norte, mas disse que vota em sua reeleição. Dá pra entender?

Em tempo: o assunto é tema também do meu comentário no BB News TV no blogdobarbosa e no Canal Youtube. Confira clicando aqui


A+ A-