Jornalões fazem funeral, ainda que tardio, sobre farsa da Lava Jato

Carlos Alberto,

Primeiro foi o colunista Merval Pereira, do jornal O Globo, e que lutou pelo golpe de 2016 contra a ex-presidenta Dilma Rousseff, e pela prisão política do ex-presidente Lula, que jogou a toalha e já não acredita mais na manutenção das sentenças do ex-juiz Sérgio Moro contra o petista.

Depois a Folha que em editorial do fim de semana publicou:
“Desde que vieram a público, em junho de 2019, os primeiros vazamentos de conversas entre investigadores da Lava Jato e o então juiz Sergio Moro, ficou evidente que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não teve um julgamento imparcial no caso do famigerado apartamento de Guarujá (SP). As gravações mostraram uma proximidade inaceitável entre magistrado e acusadores, o que é razão suficiente para a suspeição”.

Nesta segunda-feira (1), O Estadão também não deixou por menos.
O jornal Estado de S. Paulo, que em 2018 disse ser “muito difícil” optar entre o social-democrata Fernando Haddad e o protofascista Jair Bolsonaro, hoje diz que os eleitores do atual governante foram traídos.

“O abandono de qualquer imagem de governo reformista se dá num momento em que a aprovação de Jair Bolsonaro caiu para 44%, uma queda de oito pontos em quatro meses, de acordo com a pesquisa realizada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) em parceria com o Instituto MDA. No período, também diminuiu a avaliação positiva do governo (ótimo e bom) de 41% para 33%. Por diferentes motivos – a irresponsável atuação do governo federal na pandemia é apenas um deles –, mesmo os crédulos que confiaram nas promessas liberais e modernizantes de Bolsonaro começam a suspeitar, ora vejam, que foram enganados”, finaliza o editorial.

Não fiquemos só aí. O jornal  The New York Times, o mais influente do mundo, diz que o ex-juiz Sérgio Moro é responsável direto pelo caos no Brasil, por ter corrompido o sistema de justiça no País. “O Brasil vive várias crises ao mesmo tempo – a situação catastrófica da saúde, a economia frágil e a polarização política extrema. Agora podemos adicionar a corrupção do sistema judicial à lista. Não precisava ser assim. Os brasileiros tinham grandes esperanças há sete anos, quando um jovem magistrado chamado Sérgio Moro lançou uma operação anticorrupção chamada Lava Jato, ou Operação Lava Jato”, diz o artigo assinado pelo jornalista Gaspard Estrada.

Como se observa, a farsa da Lava Jato que alçou à Presidência da República o ultadireitista Jair Bolsonaro, está levando a mídia conservadora nacional e estrangeira a reconhecer que cometeram um erro de avaliação e a promover o seu funeral.

Em seu conceituado manual de estilo o tradicional jornal português O Público definiu muito bem o deslize jornalístico, comparando com outras dignas profissões de alta responsabilidade: “Os médicos enterram os seus erros, os advogados enforcam os seus, enquanto os jornalistas publicam os erros que cometem”.

De fato a mídia conservadora, através dos jornalistas que a fazem, publicaram os erros que cometeram e promoveram com a ampla cobertura da Lava Jato, o impeachment da presidenta Dilma Ruosseff, a prisão do ex-presidente Lula, e a eleição do capitão Jair Bolsonaro, um desastre nacional que está levando o Brasil ao fundo do poço sobre todos os aspectos, político, social e econômico.

Daí repetir o que já dissera tempos atrás em artigo: O Estado deve desculpas a Luiz Inácio Lula da Silva. Clique aqui para ler

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


Sucupira é aqui

Carlos Alberto,

O prefeito de Sucupira, Odorico Paraguaçu, personagem de telenovela
interpretado pelo saudoso Paulo Gracindo, perde feio frente ao prefeito de
Natal, médico Álvaro Dias, que tal qual o presidente Jair Bolsonaro mantém um discurso negacionista e volta a defender tratamentos sem eficácia comprovada contra a covid-19.

Falar mal da Ivermectina deve ser obra da esquerda
comunista, marronzista e badernenta, diria Odorico Paraguaçu, mormentemente igual ao alcaíde Álvaro Dias e o Capitão Bolsonaro.

Prefeito Álvaro Dias, apenasmente caia na real. A farmacêutica Merck,
fabricante da ivermectina afirmou em comunicado, dias atrás, que não há
“nenhuma evidência significativa” de eficácia clínica no uso do medicamente para tratamento da Covid-19.

No comunicado, a farmacêutica ainda pontuou que há uma
preocupante ausência de dados sobre segurança da substância nesse contexto na maior parte dos estudos.

Mas vamos botar de lado os entretanto e partir logo pros finalmente.
No último sábado (20), o Diário Oficial do Estado publicou Decreto nº 30.379, recomendando medidas temporárias para restringir o horário de funcionamento de bares, restaurantes e congêneres até as 22 horas, suspendendo a realização de eeventos promovidos por entidades públicas ou privadas e suspendendo a comercialização e o consumo de bebidas em locais públicos após às 22 horas por um período de 14 dias. Na reunião que discutiu o decreto governamental nasexta-feira (19), o único prefeito da  Região Metropolitana que não compareceu foi exatamente o prefeito de Natal, Álvaro Dias. Obviamente contrário as medidas.

"As medidas preventivas são essenciais neste momento. O quadro se
agravou nos últimos dias. Ou a gente se dá conta da necessidade dessas medidas mais restritivas ou teremos dificuldades, porque só abrir novos leitos não vai resolver o problema", disse a governadora Fátima Bezerra, chamando atenção para a gravidade do momento e lamentando o ritmo lento de vacinação em todo o Brasil.

Em artigo publicado na Agência Saiba Mais o médico Íon Andrade
chama a atenção de que os números da região metropolitana da capital potiguar recomendam endurecimento. De acordo com Ion Andrade, "a região metropolitana vem apresentando uma taxa de ocupação de leitos críticos (UTI) superior a 80%, mais exatamente, a taxa tem flutuado nos últimos dias em 90% de ocupação e um dos parâmetros utilizados pela OMS (Organização Mundial de Saúde) para a recomendação do lockdown é a ultrapassagem dos 80% de ocupação de leitos".

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


Fátima Bezerra, a governadora da saúde

Carlos Alberto,

Pode parecer um clichê o que vou dizer, mas a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, do PT, está se notabilizando como a governadora da saúde pelo seu empenho em fazer com que a saúde pública no estado funcione efetivamente, sobretudo, no combate a pandemia da Covid-19.

Fátima Bezerra, assim como outros governadores cancelou o ponto facultativo do carnaval, mesmo contrariando o setor hoteleiro e de bares e restaurantes, para preservar a saúde do povo potiguar. Fátima Bezerra não tomou uma decisão deliberada, ela ouviu o Comitê Científico que a alertou sobre os riscos de adotando o ponto facultativo as aglomerações serem bem maiores dos que as que ocorreram na praia da Pipa, por exemplo, no último final de semana.

Por isso, e por determinação da governadora Fatima Bezerra uma equipe das forças de segurança do Rio Grande do Norte seguiu para Pipa, no município de Tibau do Sul, com uma missão: coibir aglomeração e evitar cenas “lamentáveis” como as que foram registradas.

“Naturalmente, pregamos o diálogo, mas onde houver omissão municipal, o governo vai agir porque o que está em jogo é a vida das pessoas. “Espero que haja bom senso, empatia, solidariedade, que haja o sentimento de amor ao próximo,” disse Fátima Bezerra.

Está certa a governadora! No momento em que há um recrudescimento da pandemia em todo o mundo, a governadora do Rio Grande do Norte mostra a sua preocupação e o seu dever como gestora de zelar pela saúde da população.

“Estamos aguardando a audiência do ministro Eduardo Pazuello. Já faz 15 dias que o fórum dos governadores pediu essa audiência. A pauta central é vacina, vacina, vacina”, pontuou a governadora em entrevista ao programa Boa Noite 247, da TV Brasil 247, colocando que “nós precisamos tratar do cronograma de distribuição dessas vacinas. Nós precisamos de segurança nas datas que estão previstas as entregas para os estados”.

A governadora não mede esforços quando o assunto é saúde pública, já tendo conseguido aprovar na Assembleia Legislativa a lei que cria os Consórcios Intermunicipais de Saúde, que quando implantados irão beneficiar, sobretudo, a população do interior do estado, e equipado UTIs em vários hospitais da rede pública estadual de saúde, ao invés de investir num hospital de campanha para tratamento da Covid, que só iria beneficiar pacientes de Natal e da Grande Natal. A governadora neste caso pensou no macro da assistência à saúde e não no micro.

Aliás, a governadora Fátima Bezerra não se cansa de trabalhar em prol da saúde do povo. Como parte das ações de fortalecimento dos hospitais regionais do Estado, a governadora inaugurou a reforma do Pronto Socorro do Hospital Regional Monsenhor Antônio Barros, em São José de Mipibu, no Agreste potiguar.

O hospital, referência no atendimento obstétrico na região, recebeu um investimento de R$ 3,6 milhões – recursos viabilizados pelo Governo Cidadão, via empréstimo junto ao Banco Mundial –  para as obras e aquisição de equipamentos da maternidade e da porta de urgência e emergência.

Como bem disse o cientista político Daniel Cara, do Psol, que foi o grande articulador para a aprovação do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), "Fátima Bezerra é a melhor governadora do Brasil". Veja vídeo clicando aqui

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


E agora ministro? TRE declara inegibilidade do Sr seu pai, Robinson Faria

Carlos Alberto,

Por coincidência no mesmo dia em que o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte declarou a inelegibilidade do ex-governador Robinson Faria pela prática de abuso de poder econômico e político nas eleições de 2018, a governadora Fátima Bezerra, do PT, destacou a transparência das informações e a qualidade do atendimento ao público como um dos principais pilares da sua gestão. O apontamento foi feito durante o VII Fórum da Rede SIC RN, promovido pela Controladoria Geral do Estado.

“Na condição de governadora, esse relatório tem um significado muito importante para mim. Ele traduz a essência, a alma desta gestão: o compromisso irrenunciável com o diálogo, com a participação popular e com a transparência”, afirmou a petista Fátima Bezerra .  

Destaque-se que dentre as estatísticas apontadas pelo documento, quando comparado ao ano de 2019, tiveram melhor resultado: o aumento dos pedidos de informação que elevaram em 61,8%; e a satisfação do usuário que passou a 77,42% no mês setembro de 2020. Outro resultado apontado no relatório – como resultados satisfatórios – foi a cooperação firmada e fortalecida com órgãos do Governo (Sesap, SET, Seap, Assecom, GAC, Sead e Sethas) para atendimento das demandas de diversas Organizações Não Governamentais (ONGs).

Pois é Fábio Faria, ministro das Comunicações que vive a divulgar Fake News dizendo que quem governa o Rio Grande do Norte é o seu patrão, Jair Bolsonaro. Não ministro, o Rio Grande do Norte tem uma governadora que preza pela transparência e probidade no jeito de governar, ao contrário do Sr seu pai, Robinson Faria, que agora enfrenta uma inelegibilidade acusado pela justiça eleitoral por prática de abuso de poder econômico e político nas eleições de 2018.

Não vou entrar aqui nem no fato de que o Ministério Público do Rio Grande do Norte denunciou dois ex-presidentes da Assembleia Legislativa potiguar, entre eles o Sr seu pai, Robinson Faria, um advogado e outras três pessoas pelo crime de peculato. O esquema fraudulento que eles esquematizaram desviou pelo menos R$ 1.144.529,45 entre os meses fevereiro de 2006 e março de 2016 do Legislativo estadual. Duas outras pessoas também foram denunciadas por falso testemunho.

O ministro das Comunicações do governo Bolsonaro, filho do ex-governador Robinson Faria, que deixou os salários dos servidores públicos atrasados e ainda foi denunciado pelo MP por crime de peculato quando era presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte deveria se portar como um ministro de Estado e não como um produtor de Fake News.

Aliás, seria de todo bom agora, que o ministro Fábio Faria antes de espalhar suas Fake News, pensasse melhor, se é que tem esse dom, para não ter que justificar os deslizes administrativos cometidos por seu pai, Robinson Faria, como presidente da Assembleia e governador do Rio Grande do Norte, porque as denúncias que se tem contra ele, estas sim, não são Fake News, e sim fatos verídicos e comprovados.

A conferir!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


O problema não é só Bolsonaro, é também quem acredita nele

Carlos Alberto,

Faço minhas as palavras do jornalista Xico Sá, que postou a seguinte mensagem nas redes sociais: "O problema nunca foi o Bolsonaro. Político sincerão, incompetente e ordinário por 30 anos. Quem representa o atraso e a destruição do Brasil é quem acredita nele".

Tem razão Xico Sá, mas ressalto apenas que o problema não é só Bolsonaro. Ele foi, é, e será um problema se não houver impedimento dele continuar desgovernando o país. Reú confesso da sua incompetência quando chegou a afirmar que não nasceu pra ser presidente, e sim militar, Jair Bolsonaro, sequer, tem competência para montar um ministério, que aliás, seu corpo de auxiliares é tão igual quanto a ele.

Repito o que já disse em outro editorial: até quando as instituições se acovardarão para impedir Jair Bolsonaro de governar, o que tem sido uma praxe, permitindo que a família Bolsonaro continue ameaçando a nossa frágil democracia ao mesmo tempo em que incentiva o genocídio, ao menosprezar o combate ao vírus que já matou e vem matando um número infinito de brasileiros. Até quando se omitirão?

O jornalista Jânio de Freitas, um dos mais conceituados profissionais da imprensa brasileira escreveu: “a visão de que o impeachment não tem base pública peca por superficialidade excessiva. As evidências disponíveis já são bem nítidas”.

É verdade! Bolsonaro com seus arroubos representa o espectro do ditador capaz de desafiar as instituições democráticas custe o que custar. O pior disso tudo é que o discurso de Bolsonaro se sustenta no apoio das elites e da classe média metida a besta, que não tem, sequer, uma maçã na geladeira, mas tem dois carros importados na garagem pra mostrar aos amigos.

Com medo da classe menos favorecida da sociedade ser feliz novamente,
a elite brasileira, que articulou o golpe contra a ex-presidenta Dilma Rousseff, em 2016, e a prisão política do ex-presidente Lula, em 2018, para usurpar a Presidência da República e aplicar um choque neoliberal, retirando direitos dos trabalhadores, liquidando a soberania nacional e ampliando a miséria, tem um novo projeto. O plano consiste em aceitar a suspeição do ex-juiz Sérgio Moro, diante das provas de sua parcialidade, mas não devolver os direitos políticos ao ex-presidente Lula, mantendo o Brasil sem democracia.

E por que esse medo das classes dominantes tupiniquim? Porque sabem que se Lula recuperar seus direitos políticos, retirados todos sabem como, Lula ganharia novamente, se candidato, a eleição presidencial em 2022. Mas querem novamente tirá-lo do caminho.

Como disse uma manifestante neste domingo (31) em Brasília, "pelo Brasil, pela vida de seu povo: impeachment já".

E eu completo: Lula lá em 2022!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


Não, não é só Pazuello que a PGR tem que investigar. Bolsonaro também

Carlos Alberto,

Curioso, muito curioso e até intrigante o fato do procurador-geral da República, Augusto Aras, ter pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF), abertura de inquérito para investigar tão somente a conduta do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, no enfrentamento da pandemia em Manaus (AM), que registrou falta de oxigênio medicinal em hospitais dias atrás.

Por que o pedido de investigação somente para o ministro da Saúde, quando o ministro do STF, Ricardo Lewandowski, já havia encaminhado na 6ª feira (22) ao procurador-geral da República notícia-crime contra o presidente Jair Bolsonaro e o ministro Eduardo Pazuello por supostos atos omissivos e comissivos na adoção de medidas para o combate à pandemia do coronavírus, cabendo ao procurador-geral decidir o que fazer com a notícia crime proposta pelo ministro do STF, pois apenas ele pode oferecer denúncia pela prática de crime comum contra o presidente da República e o ministro de Estado.

Contudo, o procurador-geral da República, Augusto Aras, optou por solicitar um pedido ao Supremo de abertura de inquérito para investigar a conduta apenas do ministro da Saúde. E a notícia-crime contra Jair Bolsonaro encaminhada pelo ministro Lewandowski será engavetada?

A petição foi protocolada no STF por 8 deputados federais do PCdoB. Eles argumentam que o “descompromisso” de Bolsonaro e de Pazuello com o enfrentamento da pandemia deixou gestores locais “à deriva”.

O PGR [Augusto Aras]pediu ao STJ [Superior Tribunal de Justiça] investigação contra o governador do Amazonas, Wilson Lima, e o prefeito de Manaus, David Almeida, por colapso no sistema de saúde. Nós entendemos que o governo federal também tem responsabilidade nessa crise. Bolsonaro e Pazuello devem ser responsabilizados pelo crime de omissão. A ação da bancada do PCdoB é para que o presidente e o ministro também sejam investigados”, explica a líder da legenda, deputada Perpétua Almeida (AC), em Nota.

Na petição, os congressistas afirmam que o governo teria sido omisso, por exemplo, ao não tomar providências para evitar a falta de oxigênio hospitalar no sistema de saúde do Amazonas, especialmente em Manaus, mesmo tendo sido comunicado da iminência do colapso uma semana antes.

Segundo os deputados, Bolsonaro e Pazuello podem ter cometido o crime tipificado no artigo 132 do Código Penal (expor a vida ou a saúde de outrem a perigo direto e iminente ao propagar a utilização de medicamentos que não têm eficácia científica).

A conferir!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


No RN o governo é um só, e do PT, e cumpre com seus deveres

Carlos Alberto,

Como bem disse a governadora Fátima Bezerra, do PT, “aqui nós fizemos o dever de casa. Estamos preparados para a imunização. E nesse contexto, sem qualquer falsa modéstia, o Rio Grande do Norte assumiu papel de protagonista no Brasil.”

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, diz que o presidente Bolsonaro é quem é o governador do Rio Grande do Norte, espalha isso aos quatro cantos do estado, como fake news para parecer verdade, só porque a União destina verba federal, o que está na Constituição. Não faz nenhum favor.

Mas, diferentemente das mentiras que prega nas redes sociais o ministro Fábio Faria, que foi indicado para o cargo em troca do apoio do SBT, do empresário e apresentador de TV, Sílvio Santos, seu sogro, o governo da petista Fátima Bezerra trabalha e cumpre com seus compromissos. Prova maior disso é que já montou uma logística junto com a UFRN (Universidade Federal do RN) para a aplicação da vacina contra a Covid-19, aguardando apenas as indecisões do governo Bolsonaro, como sempre, de quando as vacinas serão distribuídas aos estados.

Fábio Faria deveria dizer que o presidente Bolsonaro governa também o Amazonas que sofre um colapso na saúde com falta até de oxigênio. Antes as pessoas estavam morrendo por Covid, agora até por falta de oxigênio porque o "governador Bolsonaro" não tomou as providências solicitadas pelo governador, de direito, do Amazonas.

A governadora Fátima Bezerra, do PT, e não o "governador do RN Jair Bolsonaro", como o ministro das Comunicações Fábio Faria costuma dizer, se antecipou aos fatos e cuidou de tomar as providências cabíveis para vacinar o povo do Rio Grande do Norte. Como diz o refrão da música "Pra não dizer que não falei de Flores", de Geraldo Vandré, hino da resistência à ditadura militar, "quem sabe faz a hora não espera acontecer". É isso que a governadora Fátima Bezerra, do PT, e não o falso governador do RN Jair Bolsonaro, está fazendo, Sr ministro Fábio Faria. Aliás, o sobrenome do Sr é bem sugestivo, "Faria".

Volto a repetir o que disse a governadora Fátima Bezerra, do PT: "O Rio Grande do Norte é um estado pequeno, mas que dispõe de um governo sério, compromissado, de parceiros fundamentais como o LAIS/UFRN, empresários e trabalhadores, de bravos e abnegados profissionais que atuam nas áreas da Saúde e da Segurança, sem falar no papel dos Ministérios Públicos, que cumprem com toda a competência o papel que lhes cabe: de fiscalização e guardiões da sociedade".

Diferentemente do que pensa "o governador do Rio Grande do Norte, Jair Bolsonaro", nomeado por livre e espontânea vontade pelo ministro das Comunicações, a governadora eleita pelo povo potiguar, Fátima Bezerra, do PT, governa o estado e pensa na saúde da população, e não considera a Covid-19 apenas uma "gripezinha".

Aliás, é bom que o ministro das Comunicações Fábio Faria e o "governador Jair Bolsonaro", nomeado por ele - o ministro do SBT - saibam que o Rio Grande do Norte não foi somente o primeiro estado a apresentar um plano de vacinação contra a Covid-19, mas o único do Brasil a adquirir, via parceria LAIS/UFRN, um sistema exclusivo e pioneiro de transparência e monitoramento do processo de imunização, ao qual essa plataforma foi denominada de RN+Vacina. Certamente o ministro do STB sabe disso, mas faz questão de ignorar, por razões óbvias.

Aliás, o ministro das Comunicações/STB, Fabio Faria, deveria cobrar do "governador do Rio Grande do Norte Jair Bolsonaro", nomeado por ele - Fábio Faria - os atrasados que o seu pai, então governador de fato e de direito do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, deixou para o funcionalismo do estado, que a governadora Fátima Bezerra, do PT, já está pagando com recursos próprios do Tesouro Estadual, sem nenhum centavo do governo federal pra não falar asneira nas redes sociais.

Tenho dito!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


Maia prevarica ao deixar de analisar pedidos de impeachment contra Bolsonaro

Carlos Alberto,

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), tem que acabar com a retórica do discurso nas críticas a Jair Bolsonaro e partir para a prática e começar a analisar os mais de 50 pedidos de impeachment contra o presidente da República.

Rodrigo Maia e Jair Bolsonaro estão cometendo crimes contra a Nação. O primeiro por prevaricar e engavetar os pedidos de impedimento do presidente da República. O segundo, por razões óbvias que todos já conhecem. Um dos crimes cometidos por Jair Bolsonaro é o de agir de forma totalmente irresponsável diante da pandemia. É impossível imaginar o que falta ainda para a única providência que salve vidas da sanha mortífera de Jair Bolsonaro, ou seja, a vacinação em massa do povo brasileiro.

Contudo, a sanha mortífera de Jair Bolsonaro não fica só aí. Um presidente da República que tem como ídolo o coronel Brilhante Ustra, maior torturador da ditadura militar, e faz questão de alardear isso, uma verdadeira apologia a tortura, e que quer solapar as instituições democráticas em nome de um populismo autoritário cujo objetivo claro é destruir a democracia não pode mais permanecer como presidente do Brasil. A ameaça antidemocrática tem sido constante e será contínua nos próximos dois anos se nada for feito para detê-lo.

A responsabilidade maior recai agora sobre os ombros do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia, que tem até fevereiro, antes de deixar a presidência da Casa, para colocar na pauta ao menos um dos pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro.

Conhecido como "engavetador" - Rodrigo Maia engavetou 25 pedidos de impeachment protocolados na Câmara contra o então presidente Michel Temer (PMDB) - agora, já são mais de 50 pedidos de impeachment contra Bolsonaro sobre a mesa e ao que parece está contando com a cumplicidade do presidente da Câmara.

Como bem disse o jornalista Jânio de Freitas em artigo publicado em dezembro na Folha, Rodrigo Maia age com “nítido abuso de poder, nessa recusa a priori. É dever do presidente da Câmara o exame de tais requerimentos, daí resultando o envio justificado para arquivamento ou para discussão em comissões técnicas. Rodrigo Maia jamais explicou sua atitude”, escreveu Freitas.

O fato é que Rodrigo Maia está perdendo o bonde da história e poderá sair da presidência da Câmara com a pecha de "engavetador", o que poderá certamente frustrar seus planos de chegar à Presidência da República em 2022.

Um fato curioso é que em seu livro-bomba “Tchau Querida, o Diário do Impeachment”, o ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (MDB-RJ), que está preso, afirma que Rodrigo Maia, hoje na Presidência da Câmara , “era um personagem desesperado pelos holofotes do impeachment de Dilma”.

De acordo com o livro, Maia queria a relatoria da Comissão Especial do Impeachment, mas o emedebista vetou por acreditar que ele não teria forças para a tarefa.

Ou seja, contra o PT tudo, contra o fascismo de Bolsonaro e o golpismo de Temer, nada!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


Quando detratores são levados à vala comum do bolsonarismo o caminho é a humilhação pela retratação

Carlos Alberto,

Pois foi exatamente isso que Lenice Moreira de Moura, que se diz advogada e professora de Direito Tributário da UNI-RN fez após postar uma publicação na sua página no Facebook, com foto montada da governadora Fátima Bezerra, do vice-governador, Antenor Roberto, do prefeito de Natal Álvaro Dias e do secretário estadual de Saúde, Cipriano Maia. Lenice, após repercussão negativa da sua postagem, no último dia 30, se retratou publicamente. Reconhecimento pelo erro não. Pressão pela repercussão negativa.

Como quem baixa a guarda, a "advogada" bolsonarista Lenice Moreira de Moura publicou a seguinte retratação pública:

RETRATAÇÃO, PEDIDO DE DESCULPAS AO GOVERNO DO ESTADO E À SOCIEDADE NORTE RIO-GRANDENSE
Venho por INTERMÉDIO DA PRESENTE PUBLICAÇÃO ME RETRATAR A RESPEITO de Matéria que Publiquei em MINHA CONTA no FACEBOOK, quanto a uma FOTO da GOVERNADORA em uma MESA BRANCA. Recebi a foto como se fosse ORIGINAL, SENDO que MESMA, JÁ ADULTERADA, ESTAVA CIRCULANDO NA INTERNET antes mesmo da minha postagem. NÃO conferi adequadamente a FONTE. A Postagem permaneceu por ALGUMAS HORAS em MINHA CONTA do FACEBOOK, até que um AMIGO me ENVIOU a FOTO ORIGINAL, de MODO que CONSTATEI o EQUÍVOCO COMETIDO na POSTAGEM. Prontamente APAGUEI a FOTO e a POSTAGEM. Peço DESCULPAS pelo OCORRIDO, de FORMA ESPECIAL, à GOVERNADORA FÁTIMA BEZERRA e DEMAIS INTEGRANTES PRESENTES NA MESA, INCLUÍDOS NA REFERIDA FOTO. Abaixo, a FOTO ORIGINAL, que recebi do amigo.

Um abraço fraterno a todos!

Lenice Moreira de Moura
Professora Universitária-UNI-RN
Doutora em Ciências Sociais-UFRN

Poderia ter evitado o vexame não fosse a insensatez que está levando a "advogada" à vala comum do bolsonarismo. Pega mal uma "advogada" e professora universitária postar Fakes em sua página pessoal no Facebook. Qual exemplo está dando aos seus alunos?

Além do fato de difamar a  governadora, a "advogada" Lenice Moreira de Moura, como professora de Direito Tributário, parece ter total desconhecimento sobre a verba que o governo Bolsonaro liberou para os estados para o combate a pandemia. Em vídeo postado também na sua conta no Facebook, Lenice Moreira de Moura disse que a União transferiu para o Rio Grande do Norte R$ 432 milhões, quando na verdade até o dia 17 de dezembro, foram transferidos R$ 42 milhões. Bom que se diga que de todos os estados do Nordeste o RN foi o que recebeu menos recursos para o combate a pandemia.

Sobre as transferências constitucionais, isso é obrigação do governo federal para todos os estados que fazem parte da União. Lenice Moreira de Moura, como professora da cadeira de Direito Tributário tem obrigação de saber disso e não ficar jogando pra plateia para não ter que passar vexame como o que passou.

Detalhe: estou colocando a palavra advogada aspiada porque de acordo com a Agência de Notícias Saiba Mais,  "a professora bolsonarista não tem registro na OAB".

A professora de Direito Tributário da UNI-RN Lenice Moreira de Moura não possui registro na OAB do Rio Grande do Norte. Por isso, a assessoria de comunicação da OAB-RN informou que “está acompanhando o caso e que não irá se posicionar sobre o tema, pois a referida pessoa não possui registro nos quadro da Seccional Potiguar”, disse.

Certamente Lenise Moreira de Moura é apenas bacharel em Direito, mas se não é registrada na OAB é porque não prestou exame da Ordem para ter o título de advogada. Ou prestou e não foi aprovada. Uma hipótese!

Fato é que o ocorrido sirva de exemplo, não só à Lenice Moreira de Moura, mas a todos (as) que se acham no direito de denegrir as pessoas ou instituições achando que não haverá consequências.

Fazer oposição ou ter opinião contrária faz parte da democracia, afinal, democracia é a convivência dos contrários. O que não pode e não deve haver é agressão a pessoas ou instituições, sejam elas representativas ou não. Agredir uma governadora de Estado, a "advogada" e professora, Lenice Moreira de Moura deveria saber que é grave. Que fique a lição e que ela não tenha que passar mais um vexame por cair na vala comum do bolsonarismo.

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


Num ano que se deve esquecer, o RN fica mal na foto na esfera federal

Carlos Alberto,

O ano de 2020 deve ser esquecido pelo mundo e por todos os brasileiros, onde fomos afetados por uma crise sanitária e uma crise econômica sem precedentes devido a pandemia do coronavírus. Como bem disse a ex-presidenta Dilma Ruosseff, em entrevista ao canal Opera Mundi,
“os golpistas criaram a crise econômica e a crise política no país”, o que tornou o Brasil instável para investimentos, agravados ainda mais com a crise sanitária e um governo de gente incompetente a começar pelo presidente.

Neste cenário aterrorizador e devastador, diria, temos na esfera federal dois ministros que não merecem estar onde estão, salvo pelo governo que representam. Falo do ministro das Comunicações, Fabio Faria, filho do ex-governador do estado, Robinson Faria, que deixou os salários dos servidores atrasados e genro do apresentador de televisão, Silvio Santos, e do ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, que troca de legenda como quem troca de camisa para se acomodar as situações. Veja por quantos partidos Rogério Marinho já passou, até "socialista" ele foi um dia, abandonando a ex-governadora Wilma de Faria (PSB) simplesmente por não ter sido escolhido por ela, certa vez, pra ser candidato a prefeito de Natal, saindo então do PSB vomitando fagulhas contra sua ex-líder. A história retrata isso.

Mas, nos detemos aos predicados dos dois ministros: Fábio Faria, como já disse, foi escolhido ministro das Comunicações em situação atípica ao regime republicano. Não bastasse, para agradar a Bolsonaro, em meio a pandemia que assola o país, não resistiu a um convite do patrão e junto com o apresentador do STB, Ratinho, e mais o empresário Luciano Hang, se reuniu para uma pescaria e um jantar em São Francisco do Sul, litoral norte de Santa Catarina, na última segunda (21) e terça-feira (22). O jantar foi no Forte Marechal Luz, que faz parte das dependências do Exército brasileiro.

Rogério Marinho, todos conhecem, foi deputado federal do RN que não conseguiu se reeleger porque traiu a classe trabalhadora, mas acabou recebendo de presente de Bolsonaro um ministério. Marinho, bom que se diga, foi nomeado inicialmente para a Secretaria Especial de Previdência Social, por ser um ferrenho defensor das reformas que retiraram direitos da classe trabalhadora. E depois foi relator ainda como deputado da reforma previdenciária, se tornando um "verdugo" dos idosos.

Marinho foi escolhido pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, para comandar a Previdência por sua experiência como relator e maior defensor da reforma Trabalhista que extinguiu mais de 100 itens da CLT e legalizou formas precárias de trabalho, como o contrato intermitente.

Hoje, Rogério Marinho é um desafeto de Guedes e conhecido na área econômica do governo como "fura-teto".

Na Esplanada dos Ministérios, Marinho sempre atuou em favor da austeridade fiscal. Tanto que ele possui como legado as articulações políticas em prol da reforma da Previdência e, quando era deputado federal trabalhou em favor de outras pautas liberais como o teto de gastos, aprovado no governo Michel Temer (MDB). Agora, ao defender a flexibilização de gastos dentro do governo, para agradar ao patrão, Marinho mudou sua postura.

Como se observa, caro leitor, o Rio Grande do Norte apesar de contar com dois ministros no governo Bolsonaro, o que não é nada para ser lisonjeado, tendo em vista o governo retrógrado que Jair Bolsonaro representa, está mal na foto com estes representantes.

Diante de tudo isso, 2020 é um ano que se deve esquecer sob todos os aspectos.

Tenho dito!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


O MP vai deixar mesmo acontecer os Réveillons da insensatez na Pipa e em Gostoso?

Carlos Alberto,

A pergunta que não quer calar! Escrevo este artigo após saber que o Ministério Público do Rio Grande do Norte estuda recorrer da decisão de dois magistrados que permitiram os réveillons da insensatez da Pipa e de Gostoso, litoral sul e norte, respectivamente, do estado num momento em que a pandemia do coronavírus recrudesce em todo o mundo.

Bom que se diga que estes badalados réveillons costumam ser realizados, também em Trancoso, na Bahia, Carneiros, em Pernambuco, São Miguel dos Milagres, em Alagoas, e Jericoacoara, no Ceará. No entanto, neste ano de pandemia, alguns organizadores dessas festas sequer começaram a vender pacotes. Outros lançaram programação e iniciaram a venda de ingressos – mas nos últimos dias foram obrigadas a cancelar devido à escalada dos casos de contaminação. Mas duas dessas grandes festas de réveillon ainda resistem às evidências epidemiológicas.

O Let`s Pipa e o Réveillon do Gostoso, de maneira negacionista seus produtores com a anuência das prefeituras de Tibau do Sul e de São Miguel do Gostoso, recorreram da decisão do Ministério Público e ganharam o direito de realizar os eventos. As principais promessas sanitárias são: tentar garantir uma área de 3 m² por convidado, comemorações serem feitas ao ar livre e todos os participantes terem se submetido a exames de Covid (PCR feito até 72 horas antes do dia 27 de dezembro ou apresentação do IgG positivo, quando estaria imunizado, com data de até noventa dias anterior às festas).

Os magistrados que concederam as liminares para a realização dos badalados réveillons, certamente acreditam que o protocolo sanitário a ser “cumprido” pelos organizadores será suficiente para garantir a saúde dos participantes e de quem vai trabalhar.

Repito o que já dissera em artigo anterior, alegar que todos os cuidados serão tomados para evitar a contaminação das pessoas é pura utopia. Onde já se viu após umas doses de bebida alcoólica, as pessoas terem o comportamento recomendado pela OMS (Organização Mundial de Saúde), ou seja, de distanciamento social. Já não digo nem ao uso de máscara, que seria mais utópico ainda, já que se você tá numa festa e vai beber e comer, como usar máscara? E os beijos e abraços dos casais como serão evitados? E os cumprimentos dos amigos que certamente estarão em grupos? Oa, ora, ora. Isso é pura insensatez!

Curioso é que certas pessoas, e até parte da imprensa do Rio Grande do Norte que saiu em defesa dos réveillons, considerou o depoimento do empresário Silvio Bezerra sobre o fato de ter pego Covid e ter ido parar na UTI, estarrecedor diante do relato que fez. Bezerra postou o texto nas redes sociais no último final de semana e foi publicizado na imprensa.

Em determinado trecho do relato de Silvio Bezerra ele diz: “a segunda onda da pandemia explodiu e assim como a maioria das pessoas sensatas, estávamos – ele e sua esposa – tendo todo o cuidado possível para não adoecer da Covid, recusando sair de casa para lugares de risco e tomando todas as precauções recomendadas. No último dia18 de novembro fomos convidados para a festa de aniversário de um grande amigo. Não resistimos e fomos. No dia seguinte Melissa – sua mulher – já amanheceu bastante baqueada e três dias depois eu comecei com os sintomas da Covid” .

Bem, o resto do texto todos já sabem. E se alguém desconhece clique aqui para ter conhecimento.

Fato é que a Covid-19 não é brincadeira e tão pouco se pode misturar espumante com Covid, não combina e faz mal à saúde. É uma temeridade se promover réveillons numa hora em que a pandemia dá sinais de uma segunda onda com carga total.

Portanto, há de se esperar que o Ministério Público do Rio Grande do Norte faça prevalecer o bom senso cancelando os dois réveillons assim como recomendou a suspensão de outros 39 no interior do estado.

A conferir!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


Chega a ser surreal o momento político e social que o Brasil vive hoje

Carlos Alberto,

Não, não estamos diante de um filme de ficção, mas de uma realidade, diria, cruel, aos milhões de brasileiros que "sobrevivem" a uma crise sanitária jamais vista no mundo e que, ainda por cima, têm que conviver com um presidente da República irresponsável que considera a Covid-19 uma "gripezinha" em tom de deboche. Não só isso, usa a máquina governamental para proteger seu clã, numa clara e evidente improbidade administrativa, motivo mais do que suficiente para sofrer um processo de impeachment. e que por razões estranhas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), não coloca na pauta da Câmara como último ato sano de sua gestão.

Não sabemos o que tá por trás do fato de Rodrigo Maia "passar a mão na cabeça de Bolsonaro" e não colocar, sequer, um dos mais de 50 pedidos de impedimento para governar do presidente Jair Bolsonaro. Fato é que o Brasil vê estarrecido o que Bolsonaro tem protagonizado com relação a pandemia e com relação a proteção de seus filhos envolvidos em coisas pouco republicanas.

Veja, caro leitor, as denúncias contra Jair Bolsonaro se somam a cada semana. Agora vem à tona de que o trabalho paralelo feito pela Abin (Agência Brasileira de Inteligência) para o senador Flávio Bolsonaro, que justificaria o impeachment de seu pai, também pretendia usar a AGU (Advocacia-Geral da União) para anular provas ligada ao esquema Queiroz – o da chamada “rachadinha”, que consistia no desvio de salários de servidores públicos. 

Fosse Lula o presidente ou qualquer outro político do PT ou da esquerda, o Congresso Nacional a esta altura já estaria em polvorosa para pedir o impedimento do presidente. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pretenso candidato à Presidência da República, já teria colocado o assunto em pauta, certamente. Mas, ao contrário, vem engavetando os pedidos. A menos que sua intenção seja "fritar" Bolsonaro, e se apresentar como "Salvador da Pátria" em 2022, a atuação de Maia não tem justificativa. E mesmo que seja para "fritar" Bolsonaro, é um tiro no pé porque só está pensando na sua "eleição" e prejudicando com isso o Brasil. Milhões de vidas estão sendo ceifadas com uma falta de política do governo federal para o combate a Covid-19, e além do que Bolsonaro age de forma improba para proteger seus filhos de irregularidades usando órgãos governamentais como a Abin.

Como bem indagou o jornalista Marcelo Auler em artigo no site Brasil 247, um dos mais experientes jornalistas do país, já tendo atuado em vários órgãos de imprensa, "até quando as instituições se acovardarão para impedir Jair Bolsonaro de governar, o que tem sido uma praxe, permitindo que a família Bolsonaro continue ameaçando a nossa democracia ao mesmo tempo em que incentiva o genocídio, ao menosprezar o combate ao vírus que já matou quase 200 mil brasileiros. Até quando se omitirão? 

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


Aos incautos devo dizer que a farsa Bolsonaro/Moro está vindo à tona

Carlos Alberto,

Inicio o artigo citando o jornalista norte-americano Glenn Greenwald: “Todos nós temos opiniões, mas o problema é ignorar informação que a minha audiência não quer ouvir ou ler e alimentando tudo o que eles querem ouvir e ler. Isso não é jornalismo de verdade."

Dito isto reporto-me ao fato de que se faz necessário, mais uma vez, reafirmar que a farsa Bolsonaro/Moro está vindo a tona. O eleitor brasileiro “fraquejou” ao eleger Jair Bolsonaro presidente da República e ainda ao seu lado ter um juiz que virou seu ministro até quando lhe serviu, falo de Sergio Moro.

Bolsonaro não estava preparado para ser presidente da República. "Não nasci para ser presidente, nasci para ser militar", disse ele em abril de 2019. Nisso ele tem razão.

Bolsonaro, além de despreparado para governar o país tem uma equipe desqualificada de ministros que mais atrapalham do que ajudam, haja vista a falta de diplomacia para lidar com problemas referentes ao desmatamento da Amazônia e agora com a vacina chinesa. A última de Bolsonaro relatado pelo jornalista Lauro Jardim, colunista de O Globo, diz que “há uma ordem expressa de Jair Bolsonaro aos seus ministros: nenhum deles pode receber em audiência o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming” .

Não só isso, Bolsonaro age como um ditador, ao cercear a liberdade de imprensa: a Polícia Civil do Rio intimou os apresentadores do Jornal Nacional, William Bonner e Renata Vasconcellos, a depor por suposto crime de desobediência a decisão judicial com relação a publicações que envolvem a investigação das “rachadinhas” no gabinete da Alerj (Assembleia Legislativa do RJ) de Flávio Bolsonaro, o chamado Caso Queiroz.

A emissora foi proibida judicialmente de publicar informações sigilosas sobre o caso, que envolve o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), primogênito do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e o ex-assessor dele Fabrício Queiroz.

Quanto ao ex-ministro Sergio Moro, que foi demitido pelo patrão após desobedecer suas ordens, e que por isso perdeu um cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal, conforme acordo vazado ainda na campanha para presidente da República, esse tá mais sujo do que pau de galinheiro.

Como fica a tese criada por ele [Moro] na Lava Jato sobre a existência de um caixa geral que alimentava a corrupção? A Alvarez & Marsal, empresa americana que não tem um caixa geral pelo qual passam os honorários da OAS, da Odebrecht, da Avianca, e de onde sairá seus vencimentos? Essa é a tese que condenou diversos réus, inclusive o presidente Lula. É uma teoria que não passa pelo teste da Lava Jato.

Como bem disse o jornalista Jeferson Miola, em artigo publicado no site Brasil 247, "o cargo de sócio-diretor da empresa estadunidense Alvarez & Marsal dado a Sérgio Moro é prêmio e recompensa pela atuação dele na guerra de ocupação e saqueio do Brasil promovida pelo governo dos EUA e capitais estadunidenses através da farsa da Lava Jato".

Sintomaticamente, logo após as primeiras revelações da Vaza Jato pelo site The Intercept Brasil, Moro fez uma viagem de urgência aos EUA. Tudo indica que para buscar instruções e montar a estratégia de reação.

Acuado pelas revelações do Intercept, ele improvisou a viagem entre os dias 22 e 26 de junho de 2019, onde manteve agendas secretas em Washington – no Departamento de Estado e no FBI – e em El Paso, fronteira com o México, no Centro de Inteligência do governo dos EUA.

No regresso, para se esquivar de explicações e justificar o abafamento das investigações do escândalo da Lava Jato pela Polícia Federal, Moro trouxe na bagagem a versão fabricada da fantasiosa invasão de telefones celulares de altas autoridades brasileiras por hackers.

Até hoje, incrivelmente, nenhuma das graves e escandalosas provas reveladas pela Vaza Jato que incriminam procuradores/as, juízes/as, delegados/as da PF, e que comprometem de maneira indelével desembargadores do TRF4 e ministros do STF [“Aha, uhu, o Fachin é nosso!; In Fux we trust!; Barroso vale por 100 PGRs”] foram investigadas pela justiça brasileira.

Portanto, temos aí elementos suficientes para dizer que Bolsonaro/Moro não passaram de uma farsa que engabelou os eleitores brasileiros - aqueles que votaram em Bolsonaro, muitos deles agora arrependidos - , e que venderam aos incautos que "jamais iria se admitir a velha política fisiologista no novo governo", e que corruptos iriam ser colocados atrás das grades. Nenhuma coisa nem outra aconteceu. Muito pelo contrario!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


A volta da velha política credencia Rodrigo Maia a tentar o Planalto em 2022

Carlos Alberto,

O resultado das eleições municipais deste ano, encerradas neste domingo (29) com o fim do segundo turno em algumas cidades do país, mostrou que a velha política tão condenada e absolvida pelo presidente Jair Bolsonaro está de volta. Prova maior disso é que o MDB, elegeu cinco prefeitos, o DEM, quatro e o PSDB também quatro, sendo as siglas que elegeram o maior número de prefeitos em capitais.

O DEM, do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, foi o partido que elegeu os prefeitos em capitais com grandes expressividade no cenário nacional:

  • Rafael Greca (DEM – PR), em Curitiba
  • Gean Loureiro (DEM – SC), em Florianópolis
  • Bruno Reis (DEM – BA), em Salvador
  • Eduardo Paes (DEM – RJ), no Rio de Janeiro

Em decorrência disso Rodrigo Maia saiu fortalecido destas eleições e é candidatíssimo ao cargo de presidente da República em 2022. Se já existia esta possibilidade, agora ficou mais evidente. Na entrevista que Eduardo Paes concedeu logo após o resultado do pleito e que o seu maior padrinho, Rodrigo Maia, estava presente, o próprio Maia escreveu ao celular passando para Paes depois, que Bruno Covas (PSDB) também tinha sido eleito prefeito de São Paulo, e sugeriu ao apadrinhado político parabenizá-lo. Rodrigo Maia fez escola com seu pai, o ex-prefeito do Rio, César Maia, e sabe que a hora é de começar a costurar alianças visando 2022. A sugestão para Eduardo Paes parabenizar o colega Bruno Covas não foi à toa. Uma dobradinha em 2022 saindo ele – Rodrigo Maia para presidente e Bruno Covas como seu vice, já deve passar pela imaginação do presidente da Câmara. O tucano Dória, governador de São Paulo que abra os olhos.

Plagiando a infeliz declaração de Jair Bolsonaro que disse certa vez que teve uma filha mulher por “fraquejada”, eu diria que a sua eleição foi uma “fraquejada” do eleitor brasileiro. E por que digo isso? Digo porque o MDB, de Michel Temer, o PSDB, de Aécio Neves, e o DEM de Rodrigo Maia prepararam o golpe contra a presidenta Dilma Ruosseff (PT) para que a velha política pudesse voltar ao poder. Ou seja, alijaram a esquerda, apoiaram Bolsonaro, e agora começa o processo de tirar o fascista do Planalto levando à ilusão do eleitor de que nem a esquerda presta nem o fascismo.

Fato é que a ex-presidenta Dilma Ruosseff foi alvo de um golpe em 2016, acusada de ter cometido as chamadas “pedaladas fiscais”. Naquele mesmo ano Dilma foi inocentada pelo Ministério Público Federal.

Em sua decisão, o procurador da República Ivan Cláudio Marx levantou suspeitas sobre “eventuais objetivos eleitorais” com as “pedaladas”.

Ainda em 2016, uma perícia realizada por técnicos do Senado entregue à comissão do impeachment destacou que ela [Dilma] não praticou as chamadas “pedaladas fiscais”.

Além do golpe contra Dilma, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não disputou a eleição de 2018, após ser condenado sem provas no processo do triplex em Guarujá (SP), acusado de ter recebido um apartamento como propina da OAS, mas nunca dormiu nem tinha a chave do imóvel.

A partir de junho de 2019 o site Intercept Brasil começou a divulgar reportagens comprovando diversas irregularidades da Lava Jato. De acordo com as publicações, Sérgio Moro, enquanto juiz da operação, agia como uma espécie de assistente de acusação. 

O próprio procurador da Lava Jato, Deltan Dallagnol duvidava da existência de provas contra Lula.

Sérgio Moro sugeriu trocar a ordem das fases da Lava Jato, cobrou novas operações, deu conselhos e pistas e antecipou ao menos uma decisão, mostram conversas privadas ao longo de dois anos reveladas pelo Interept Brasil.

Interessante observar que a defesa do ex-presidente ressalta que “em todos os processos em que Lula foi julgado fora da autointitulada ‘Lava Jato de Curitiba’ a acusação foi sumariamente rejeitada ou o ex-presidente foi absolvido, com trânsito em julgado”.

Daí fazer todo este relato para reafirmar que o eleitor brasileiro “fraquejou” ao eleger Jair Bolsonaro presidente da República e continua a “fraquejar” ao ir as urnas nestas eleições municipais e respaldar a “velha política”. Cuidado para em 2022 não sofrer um novo engodo eleitoral.

A conferir!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


O governo Fátima faz acontecer e cuida das pessoas. Às armas contra os que cultivam os germes do ódio!

Carlos Alberto,

Definitivamente devo dizer que a governadora do Rio Grande do Norte, professora Fátima Bezerra (PT), acabou com a retórica do discurso comum em políticos que pra se elegerem prometem mundos e fundos, mas quando se elegem esquecem o que prometeram em campanha. A governadora Fátima Bezerra, nestes quase dois anos de governo prometeu e está cumprindo, ou seja, faz acontecer. Fato!

Fátima Bezerra prometeu em campanha implantar os Consórcios Interfederativos de Saúde. Dito e feito: Dias atrás assinou o Decreto criando os consórcios, cabendo agora as prefeituras tomarem iniciativa para implantação do projeto, êxito no vizinho estado do Ceará. Fato!

A governadora Fátima Bezerra prometeu em campanha colocar os salários em dia do funcionalismo público, atrasados no governo passado. Colocou e ainda estabeleceu um calendário de pagamento. Fato!

A governadora Fátima Bezerra prometeu em campanha pagar o 13% e o salário atrasado de dezembro de 2018, ainda do governo Robinson Faria. Vai pagar! Já pagou dois atrasados também do governo Robinson. Há um estudo em andamento para que isso seja feito no início de 2021. Os críticos dizem que Fátima Bezerra não passa de uma gerente de folha salarial. Não, não se trata disso. É obrigação de qualquer governo pagar os salários dos servidores em dia, mas isso não ocorria nos dois governos antecessores ao da professora Fátima Bezerra. Portanto, Fátima Bezerra, além de promover os avanços sociais e econômicos que o Rio Grande do Norte exige, cumpre com a palavra ao servidor público. Fato!

Ah, mas não fica somente aí não: Fátima Bezerra determinou que se equipasse os hospitais da rede pública de saúde com UTIs para tratamento de portadores de Covid-19. Foi feito, e isso reconhecido pela própria promotora de Saúde, Iara Pinheiro, que em entrevista à InterTV Cabugi, ainda quando se questionava se o governo não iria instalar um Hospital de Campanhadisse que o coronavírus deixará para o SUS no Rio Grande do Norte um grande legado, numa referência ao número de UTIs implantados pelo governo. Fato!

Sem falar nos mais de 600 leitos viabilizados pelo governo, além da contratação de mais de três mil profissionais de saúde. Aliás, o governo viabilizou uma rede de hospitais cujos leitos são equivalentes ao menos a seis hospitais de campanha do porte do que foi instalado pela prefeitura do Natal, conforme declarou em artigo publicado no jornal Tribuna do Norte, a própria governadora Fátima Bezerra. Fato!

A governadora Fátima Bezerra também tem compromisso com a segurança da população, ao contrário de governos passados. Agora mesmo foram empossados mais de mil policiais militares. A redução do número de homicídios em 25% desde o início do governo petista retrata bem o cuidado com a segurança pública. Fato!

Também os investimentos que estão retornando ao Rio Grande do Norte, mesmo com a crise econômica que o Brasil enfrenta, se deve, sobretudo, a política de incentivos fiscais do governo do PT. Fato!

Como bem disse a governadora Fátima Bezerra, "isso se chama gestão, gestão de um governo que não só trabalha, mas que transforma a vida das pessoas. E o melhor, cuida delas".

E não me venham com essa de que Barbosa é petista. Se ser petista é saber reconhecer um governo que cumpre com o que prometeu em campanha e olha pelo social, faço questão de dizer que sou petista sim, mas não sou hipócrita de negar os fatos como alguns negam ou não querem enxergar. Cobre-se do jornalista honestidade. Nada posso inventar. Não posso mentir. Não posso manipular fatos. Não posso omitir informações ou subvertê-las para servir aos meus interesses ou a interesses alheios.

O que me impressiona é o contorcionismo de certos setores da imprensa papa-jerimum para não divulgar os feitos do governo Fátima Bezerra, do PT.

Portanto, às armas contra os que cultivam os germes do ódio!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


O povo referendou o prefeito Álvaro Dias a ficar mais quatro anos na prefeitura do Natal

Carlos Alberto,

 O candidato a prefeito do Natal, pelo PSDB, Álvaro Dias, foi eleito neste domingo (15) já em primeiro turno. O povo referendou o prefeito candidato a reeleição a ficar mais quatro anos a frente da prefeitura do Natal. Resta agora Dias cumprir com os compromissos assumidos em campanha.

Numa eleição atípica em meio a uma crise sanitária com a pandemia do coronavírus, o que levou a um alto índice de abstenção, e que prejudicou principalmente as campanhas de seus adversários, Álvaro Dias ainda levou a vantagem de permanecer no cargo sem precisar se licenciar - uma coisa que precisa ser revista pela justiça eleitoral - possibilitando assim a ele o uso da máquina governamental.

O único debate que houve foi o da Band e o prefeito não compareceu, e sem o corpo-a-corpo o prefeito-candidato foi beneficiado, sobretudo, pelo fato dos outros candidatos não terem oportunidade de uma maior exposição na mídia como o prefeito. Hora era a propaganda eleitoral, hora era a propaganda oficial da prefeitura. Não precisava nem ir as ruas.

Contudo, o resultado da eleição mostrou que a democracia ganhou com o candidato do PT, Jean, ficando em segundo lugar superando o candidato bolsonarista, delegado Sérgio Leocádio (PSL), que fez uma campanha agressiva bem ao estilo de Jair Bolsonaro. O Brasil está acordando pra realidade. As eleições municipais servirão como termômetro para as eleições presidenciais em 2022.

O "derretimento" do bolsonarismo, que se reflete no fracasso dos candidatos apoiados por Jair Bolsonaro (sem partido), é o principal significado político das eleições municipais 2020. Essa é a interpretação de comentaristas que conversaram com o Brasil de Fato, com a Rede Brasil Atual e com a TVT ao longo das transmissões deste domingo (15) de votação.

A conferir!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


Se você quer mudança faça acontecer, não se deixe iludir pelo "estamos trabalhando"

Carlos Alberto,

Pesquisa Ibope registra que o alto percentual de eleitores que querem a mudança foi registrado em capitais, não só do Sudeste, mas também do Nordeste, como Natal, Maceió, João Pessoa, Teresina, Recife, Fortaleza e Aracaju.

Dados tabulados pelo G1 a partir das pesquisas aplicadas pelo Ibope em 25 capitais mostram que em 15 delas o percentual dos eleitores que desejam mudanças é superior ao grupo dos que preferem manter o que é feito pela atual administração do município.

Na avaliação do professor de ciência política da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Emerson Cervi, os dados refletem de certa forma a avaliação dos prefeitos nas capitais. Essa relação sugere que o desejo de mudança, segundo ele, está associado a uma maior chance de eleição de candidatos de oposição, assim como prefeitos bem avaliados ampliam as chances de serem reeleitos. Mas há outros aspectos que podem influenciar a escolha dos eleitores, como os candidatos que se apresentam como opção, no caso de prefeituras mal avaliadas, afirma.

“Prefeito mal avaliado é condição necessária para mudança, mas não suficiente", acrescenta Cervi.

Portanto, se você quer mudança faça acontecer sem medo de ser feliz. Contudo, não adianta trocar seis por media dúzia. É preciso avaliar os candidatos para saber qual está melhor preparado para administrar a cidade.

Ressalto mais uma vez que a Coluna apoia a candidatura a prefeito de Natal do senador Jean-Paul Prates, ou simplesmente Jean. Me sinto muito à vontade em declarar o meu apoio naquele candidato que me parece melhor qualificado e preparado para assumir a prefeitura do Natal, sem desmerecer os demais candidatos, inclusive, o prefeito Álvaro Dias (PSDB), candidato a reeleição, que ao meu ver faz uma administração feijão com arroz, o mesmo do mesmo, e que por isso na avaliação do Ibope/G1, o percentual dos eleitores que desejam mudanças é superior ao grupo dos que preferem manter o que é feito pela atual administração do município.

Repito: Jean é PT e se levarmos ao pé da letra tem tudo para fazer uma gestão inspirada na gestão da governadora Fátima Bezerra (PT), que vem cumprindo com o que prometeu em campanha. Ou seja, o jeito PT de governar, apesar dos críticos e alguns incautos não enxergarem isso.

Tenho dito: a imparcialidade no jornalismo não existe!

Daí porquê devemos desconfiar de veículos que se autointitulam “imparciais” e ressaltam o “compromisso com a verdade”.

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


Quando prefeito e candidato não distingui o que é improbidade administrativa e se configura em crime eleitoral

Carlos Alberto,

A candidatura de Álvaro Dias (PSDB) pode ser cassada por uso indevido da máquina pública na sua campanha a reeleição a prefeito de Natal. À luz da justiça eleitoral, se confirmada a denúncia, o prefeito Álvaro Dias teria cometido improbidade administrativa.

As notícias dizem que a empresa Base Propaganda firmou contrato com a prefeitura do Natal após vencer licitação e já recebeu cerca de R$ 2,2 milhões para prestação de serviços de propaganda e comunicação digital ao município. O depoimento, que ocorreria na sexta-feira, 30 de novembro, e que foi adiado para 15 de dezembro, deveria esclarecer se a empresa também está sendo utilizada para prestar serviços à campanha de Álvaro Dias à reeleição.

Aliás, já tive oportunidade de abordar no blogdobarbosa o fato do marketing do candidato Álvaro Dias ser o mesmo de gestões passadas feitos pela Base Propaganda. Clique aqui para conferir.

A utilização desses serviços, se confirmados, de acordo com ação movida pelo candidato oponente Senador Jean (PT), configura crime eleitoral a partir do uso inapropriado de recursos do próprio município em benefício da campanha de reeleição do atual prefeito. De acordo com a ação, não há dúvidas de que a empresa contratada pela prefeitura tem prestado serviços à campanha do candidato Álvaro Dias, o que pode provocar a cassação da chapa que concorre à reeleição.

A denúncia sobre o uso indevido da máquina pública se deve ao fato de que há muita proximidade visual com a comunicação digital realizada pela prefeitura do Natal com a utilizada nos programas eleitorais do prefeito e a utilização de maquetes digitais, que podem ter sido produzidas com recursos da própria prefeitura.

Na prestação de contas parcial, Álvaro declarou que quem faz a publicidade de sua campanha é a empresa Eba, que funciona no mesmo local e tem os mesmos sócios da Base Propaganda.

Em seus programas eleitorais, o candidato Álvaro Dias tem utilizado do recurso de maquetes digitais para demonstrar o projeto do Hospital de Natal e da reurbanização da orla. Segundo a legislação eleitoral, a veiculação de “montagens, trucagens, computação gráfica, desenhos animados e efeitos especiais” é proibida.

Em suas redes sociais, o senador Jean questionou sobre a prestação de serviços da empresa e o abuso de poder político e econômico por parte do atual prefeito. “Caso seja comprovado o uso indevido de recursos municipais em sua campanha, como nas maquetes eletrônicas que podem ter sido pagas pela Prefeitura, a lei estabelece a cassação da chapa de Álvaro Dias, que deverá responder por improbidade administrativa”, comentou o senador em vídeo.

Além disso, também é questionada a participação de José Alberto Dantas, procurador responsável pela empresa Base Propaganda, em audiência para tratar sobre o Plano de Mídia dos candidatos no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) representando a coligação Avança Natal, da chapa de Álvaro Dias com os partidos PSDB, PMDB, AVANTE, PL, Republicanos, REDE, DEM, PDT e PSD.

Portanto, se reeleito, o prefeito de Natal, Álvaro Dias, corre o risco de não tomar posse por ter cometido improbidade administrativa.

A conferir!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br


O voto consciente e o papel vegetal

Carlos Alberto,

A Coluna republica um editorial de 2012 face o momento político-eleitoral exigir uma reflexão dos eleitores. Segue o texto.

O Brasil volta as urnas nos próximos dias para exercer o direito à cidadania. Fala-se que o voto em uma eleição municipal é o mais importante de todos, pois que o eleitor tem a oportunidade de eleger aquele que vai conviver diretamente com ele nos próximos quatro anos, ou seja, vereadores e prefeitos. Não duvido. Daí a importância do voto consciente.

No dia 15 de novembro ao depositar o voto na urna estaremos selando o futuro de nossa cidade. Por isso pense bem antes de apertar a tecla “confirma”. O discurso do medo e o voto do ódio têm que ser deixados de lado, afinal, eleição é feita para que se tenha a oportunidade de renovar. Não nos deixemos enganar. Muitas vezes o velho vem travestido de novo e aí corre-se o sério risco de um engodo eleitoral.

Decidir uma eleição em um único turno quando temos a oportunidade de avaliar melhor os candidatos numa nova etapa, é jogar fora o que a Justiça Eleitoral nos proporciona, ou seja, o segundo turno, caso de Natal que tem mais de 800 mil habitantes. O eleitor natalense sabe que o açodamento não faz bem a democracia. Temos exemplos recentes de eleições decididas em um único turno que resultaram numa grande enganação.

Eleição é coisa séria. O Rio Grande do Norte e Natal sabem perfeitamente os erros cometidos por decidirem eleições em um único turno. Poder avaliar melhor os candidatos é uma oportunidade ímpar que não deve ser descartada, sob pena de termos que lamentar nos próximos quatro anos o erro cometido nas urnas. E aí não adianta ir às ruas pedir o impeachment de fulano ou sicrano porque não está administrando bem a cidade, como ocorreu com a gestão da prefeita Micarda de Souza.

O voto é livre. O eleitor natalense tem que ter a consciência de que ao depositar o seu voto na urna está fazendo o melhor não só pra ele, mas, sobretudo, pela coletividade. Natal é uma cidade que não saiu do papel nos últimos vinte anos. Veja editorial clicando Aqui.

Daí temos que ter a consciência de que o melhor pra cidade é levarmos a eleição ao segundo turno, para que possamos avaliar com maior profundidade as propostas dos candidatos que nele estarão. Do contrário, repito, corremos o risco de um novo engodo eleitoral e a capital dos Reis Magos continuar apenas no papel vegetal, aquele que os arquitetos usam para fazer projetos. 

A conferir!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br

Volto a repetir: Fátima Bezerra honra os compromissos de campanha. Tenho dito!

Carlos Alberto,

Não, não sou petista, apenas tenho um olhar jornalístico que certamente muitos colegas não têm ou não querem enxergar por questões óbvias: ou são oposição ao governo ou tiveram interesses contrariados.

Fato é que a governadora Fátima Bezerra, do PT, tem honrado com seus compromissos. Salários dos servidores em dia, adiantamento de 40% do 13º que há dois anos não ocorria, e previsão para o pagamento das folhas em atraso do governo Robinson Faria para o início de 2021, e por aí vai.

Numa tacada só a governadora também anunciou a implantação – a partir deste mês – das progressões salariais, referentes ao Plano de Cargos, Carreiras e Salários – PCCS correspondentes aos anos de 2017, 2018 e 2019, para os trabalhadores da Saúde Pública do Estado do Rio Grande do Norte, um anseio antigo da categoria, publicada nesta terça-feira (20) no Diário Oficial do Estado. A medida beneficiará cerca de 13 mil servidores.

Além disso, o governo Fátima Bezerra, através de portaria publicada no Diário Oficial autorizou os hospitais públicos estaduais a reiniciarem o agendamento e a realização das cirurgias eletivas no Rio Grande do Norte. As cirurgias eletivas estavam suspensas desde março devido a pandemia do novo coronavírus por recomendação do Ministério da Saúde.

Comumente em um mês são feitas em média 3 mil cirurgias eletivas na rede estadual. Este ano, de janeiro a junho foram 14.316 cirurgias eletivas, segundo a Secretaria de Saúde Pública (Sesap). Desde março só são realizadas cirurgias vasculares e ortopédicas.

Preocupada com a saúde do norte-riograndense, a governadora Fátima Bezerra editou novo decreto em que prorroga o Estado de Calamidade Pública no Rio Grande do Norte por conta da pandemia do novo coronavírus. O documento considera, sobretudo, o fato de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter declarado, em 11 de março de 2020, a pandemia da Covid-19.

Ao assinar o novo decreto, a governadora Fátima Bezerra levou em conta a continuidade do estado de calamidade pública em saúde, de importância internacional declarada pela Lei Federal nº 13.979, de 6 de fevereiro de 2020. A decisão do Estado considera a continuidade dos casos da Covid-19 no Brasil e principalmente no Rio Grande do Norte. Por isso continua necessária a celeridade de respostas, fortalecendo estruturas de atendimento aos pacientes infectados, para evitar a proliferação da doença causada pelo novo coronavírus.

Por isso, repito, não se trata de ser petista, se trata de ter um olhar jornalístico para os fatos, sem partidarismo e sem a hipocrisia de que jornalista tem que ser imparcial.

E quando me perguntam: “Você vai continuar com essa chatice de elogiar o governo Fátima? Você precisa aceitar a opinião dos outros!”

Eu não tenho que aceitar nada. Tenho direito a opinar e essa é a minha opinião.

Tenho dito!

Acesse o blogdobarbosa, 13 anos no ar sempre em defesa da democracia e da liberdade de expressão, clicando no link http://www.blogdobarbosa.jor.br

1-20 de 1985