Programa Jovem Aprendiz pode perder mais de 700 mil vagas

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Marinalva Cardoso Dantas, auditora fiscal do trabalho, vê risco ao programa Jovem Aprendiz na revisão da Classificação Brasileira de Ocupações.

O Programa Jovem Aprendiz, uma das mais importantes ações para combater o trabalho infantil, corre riscos.

Na próxima quarta-feira (29), em reunião na Casa Civil do Governo Temer, uma canetada pode cortar mais de 700 mil vagas de jovem aprendiz em todo o país.

O negócio é o seguinte: entidades patronais argumentam que não têm como abrir vagas para menores em segmentos como transportes, comércio e indústrias na atividade fim.

As confederações desejam uma ampla revisão na Classificação Brasileira de Ocupações, retirando 900 funções da base de cálculo da chamada cota de aprendizagem.

O corte proposto significa uma redução de mais de 63% no potencial atual de vagas para o jovem aprendiz.

Eu conversei hoje (27) com a coordenadora do combate ao trabalho infantil, a auditora fiscal do trabalho Marinalva Cardoso Dantas, que defende a continuidade do atual quadro de profissionalização dos jovens.

Veja o vídeo a seguir:



DD.

Tags: Jovem Aprendiz Marinalva Cardoso Dantas trabalho infantil
A+ A-