Consórcio Nordeste passa por crise de credibilidade

Diógenes Dantas,
Assecom
Governadora Fátima está sob pressão para esclarecer a compra frustrada de 30 respiradores pulmonares via Consórcio Nordeste.

O Consórcio Nordeste ainda vai completar um ano de instalação - em julho próximo - e já vive uma grave crise política que coloca em risco sua credibilidade.

A compra frustrada de 300 respiradores pulmonares, por quase R$ 50 milhões, que virou caso de polícia na Bahia, está movimentando as estruturas do Ministério Público Federal, Polícia Federal e tribunais de contas nos 9 estados nordestinos. A investigação também anima os debates nas assembleias legislativas.

O RN empatou quase R$ 5 milhões nessa empreitada. A fraude foi denunciada pelo próprio consórcio.

Nesse primeiro momento, a falta de transparência tem marcado o Consórcio Nordeste.

Ontem (15), o portal Nominuto.com fez nova tentativa de buscar informações sobre o histórico de ações e compras relativas ao Estado do Rio Grande do Norte.

Nem o governo do estado nem o Consórcio Nordeste prestaram as informações. Pelo menos até o momento.

Enquanto isso, o Ministério Público Federal decidiu abrir inquérito para apurar eventuais atos de improbidade administrativa relacionados ao caso.

O Tribunal de Contas de Pernambuco recomendou que a Secretaria de Saúde daquele estado evite fazer compras por meio do Consórcio Nordeste. Outros órgãos de fiscalização agem nos mesmo sentido nos demais estados.

No Rio Grande do Norte, o TCE deu prazo até 22 de junho para que o governo estadual envie as informações para compra de 30 respiradores ao preço de R$ 4,9 milhões.

No âmbito da Assembleia Legislativa, os parlamentares da Comissão de Enfrentamento ao Coronavírus aprovaram ontem a recomendação para que o governo suspenda qualquer repasse de recursos ao consórcio, inclusive os destinados à manutenção.

Como se vê, o cerco se fecha em torno da governadora Fátima Bezerra, que apostou muitas fichas no Consórcio Nordeste. 

Não é só ela que se complica nessa história, claro. Os demais governadores nordestinos estão enfrentando os mesmos questionamentos.

Mas, em se tratando do RN, é Fátima Bezerra que precisa dar as respostas à sociedade norte-rio-grandense. E ela está sob pressão nesse instante.

O escândalo dos respiradores no âmbito do Consórcio Nordeste é um colírio para os olhos raivosos do presidente Jair Bolsonaro.

O capitão detesta os governadores nordestinos por lhe fazerem oposição. Já deu provas do seu antagonismo inúmeras vezes.


Acompanhe o vídeo:


DD.

Tags: Consórcio Nordeste Fátima Bezerra RN
A+ A-