Saúde sexual é direito fundamental, diz sexóloga

Diógenes Dantas,
Nominuto.com
Cristina Hahn diz que saúde sexual é um estado de bem-estar físico, emocional, mental e social relacionado à sexualidade.

O Dua Mundial da Saúde Sexual será comemorado pela 1ª vez em Natal. Será neste sábado (1º), a partir das 15 horas, em frente ao Midway Mall.

O tema deste ano é "A saúde sexual e os direitos são fundamentais para o bem-estar".

Segundo a psicóloga e sexóloga Cristina Hahn, a saúde sexual é um estado de bem-estar físico, emocional, mental e social relacionado à sexualidade. "Não é apenas a ausência de doença, disfunção ou enfermidade", disse.

Eu conversei com Cristina nesta sexta-feira (31). Acompanhe a entrevista:



DD.


Propaganda na TV e rádio terá menor audiência

Diógenes Dantas,
Arquivo/Nominuto
Há quem diga que a audiência da TV e do rádio será menor diante de tantas telas e mudanças nos hábitos e costumes na era digital.

A propaganda eleitoral na TV e no rádio já começou. Entramos em nova fase da campanha eleitoral.

Muitos candidatos - em especial os tradicionais e mais poderosos - apostam suas fichas neste tipo de propaganda.

Sem dúvida, o alcance da TV e rádio é extremamente relevante num país continental. Mas muita gente se pergunta hoje: a TV e o rádio vão influenciar mais do que a internet com suas redes sociais?

Na fase de pré-campanha, não há dúvida, a internet imperou sozinha e foi fundamental para a consolidação e sobrevivência de algumas candidaturas.

Na corrida presidencial, por exemplo, cito pelo menos duas sem grande estrutura partidária: Jair Bolsonaro (PSL) e Marina Silva (Rede).

Com pouco tempo de rádio e TV, a internet vai ser fundamental para este dois políticos, que seguem entre os mais citados nas pesquisas eleitorais.

Nestes tempos de revolução digital, a tela pequena (smartphones, tablets e PCs) tem levado vantagem em relação à tela grande (televisão).

O Brasil tem hoje mais smartphones ativos do que habitantes. São 220 milhões de aparelhos em funcionamento para uma população de 207 milhões pessoas.

Dos 147 milhões de eleitores, creio eu, grande parte possui uma tela pequena (smartphone) nas mãos.

As pessoas estão cada vez mais assistindo televisão de olho na tela pequena. Quando muito, a pessoa levanta os olhos para ver algo de seu interesse e volta rapidinho para o WhatsApp, Facebook, Twitter ou para aquele aplicativo de sua preferência.

Há quem diga que a audiência da TV e do rádio será menor diante de tantas telas e mudanças nos hábitos e costumes na era digital.

Há quem fale que a TV e o rádio ainda serão fundamentais para escolha do eleitor, principalmente nos rincões do país, onde os hábitos urbanos são mais diluídos e distantes.

Há quem diga que as redes sociais são complementares à propaganda eleitoral tradicional.

Eu fico com a turma que acha que a audiência do horário eleitoral será menor, e que a internet terá papel de grande influência na escolha do voto.

Eu acredito que as inserções na programação serão mais eficazes do que os dois blocos diários da propaganda eleitoral.

Por quê? Porque vai pegar o eleitor desprevenido, sem muita reação para mudar de rádio ou zapear pela TV.

Em algum momento, aquela inserção deste ou daquele candidato vai te pegar.
É bom dar uma olhada com calma. Isto pode ajudar você a votar bem, votar melhor.

Muita gente ainda está indecisa, doida para votar branco ou nulo.

O Brasil, incluindo nosso pequeno Rio Grande do Norte, precisa que você vote.



DD.


Chegou a hora da propaganda na TV e rádio

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Kennedy Diógenes, especialista em direito eleitoral, acredita que o impacto da propaganda na TV e no rádio será menor do que em eleições anteriores.

A propaganda eleitoral na TV e no rádio começa nesta sexta-feira (31). Serão dois blocos diários de 25 minutos divididos da seguinte forma:

Segundas, quartas e sextas-feiras para governador, senador e deputado estadual.

Terças, quintas e sábados para presidente e deputado federal.

Conforme a legislação eleitoral, o guia eleitoral será veiculado no rádio às 7h e às 12h, já na televisão, a propaganda ocorrerá às 13h e às 20h30.

O governador Robinson Faria (PSD) ficou com a maior fatia do tempo da propaganda eleitoral.

Confira os tempos em cada bloco diário:

Robinson Faria - Coligação Trabalho e Superação - Tempo total: 3 minutos e 31 segundos.

Carlos Eduardo - Coligação 100% RN - Tempo total: 2 minutos e 35 segundos.

Fátima Bezerra - Coligação Do Lado Certo - Tempo total: 1 minutos e 30 segundos.

Brenno Queiroga - Coligação Renova RN - Tempo total: 47 segundos.

Dário Barbosa - Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU) - Tempo total: 11 segundos. 

Professor Carlos - Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) - Tempo total: 11 segundos.

Freitas Jr - Rede Sustentabilidade (REDE) - Tempo total: 8 segundos.

Heró Bezerra - Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB) - Tempo total: 7 segundos.

DD_Kennedy_770

Eu conversei hoje (30) com o advogado Kennedy Diógenes, especialista em direito eleitoral, sobre o que pode e o que não pode na propaganda eleitoral na TV e rádio. Ele acredita que o impacto do horário eleitoral será menor este ano.

Confira o vídeo a seguir do RN Acontece desta quarta-feira:


DD.


Alunos do RN estão nos últimos lugares em ranking de matemática e português

Diógenes Dantas,

aluno_rn_370É desanimador olhar o desempenho de estudantes potiguares no Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb).

Trata-se do mais importante exame aplicado pelo MEC desde 1995.

Todos os estudantes do 5º ano e 9º ano do ensino fundamental e do 3º do médio da rede pública. Na última edição, escolas privadas puderam se voluntariar a participar (até 2017, o MEC selecionava esse grupo por amostragem).

Pois bem. No ranking dos Estados em disciplinas como Português e Matemática, o Rio Grande do Norte ocupa os últimos lugares. Vamos conferir?

5º ano:

Matemática: 24º lugar

Português: 23º lugar


9º ano:

Matemática: 22º lugar

Português: 21º lugar


3º ano médio:

Matemática: 23º lugar

Português: 25º lugar


Isto explica grande parte do porquê de o RN figurar no topo do ranking da violência do país, em qualquer estudo que se faça sobre o número de homicídios e crimes contra o patrimônio.


Seminário tratará de distrato imobiliário e segurança jurídica

Diógenes Dantas,
Nominuto.com
Arnaldo Gaspar, presidente do Sinduscon, promove o seminário “O Distrato na Incorporação Imobiliária e a Segurança Jurídica”, na Casa da Indústria.

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Rio Grande do Norte (Sinduscon) vai realizar amanhã (31) o seminário “O Distrato na Incorporação Imobiliária e a Segurança Jurídica”. Será na Casa da Indústria, com o apoio da Associação dos Magistrados do Rio Grande do Norte (AMARN).

O evento irá contar com a presença de especialistas, ministros, juízes, advogados, membros do Ministério Público e empresários. 

Distrato é a desistência da compra de imóveis negociados na planta e tem afetado muito a construção civil nos últimos anos. 

A questão está em discussão no Congresso Nacional (PLC – Projeto de Lei Complementar 68/2018). 

Programação nesta sexta-feira:


9h: Ministro Luis Felipe Salomão (STJ):

A promessa de compra e venda e a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça.

Presidência da Mesa: Ministro Ribeiro Dantas (STJ)


10h: Celso Petruci (economista especialista em matéria imobiliária):

O mercado imobiliário, sua estruturação e funcionamento.

Presidência da Mesa: Engenheiro Arnaldo Gaspar Jr. (Sinduscon/RN)


11h: Ministro Paulo de Tarso Sanseverino (STJ):

O projeto de lei que regulamenta a desistência do contrato de incorporação Imobiliária.

Presidência da mesa: Ministro Gurgel de Faria (STJ)


Hoje (30) eu conversei com o presidente do Sinduscon, Arnaldo Gaspar. Veja o conteúdo da entrevista a seguir:


DD.


Desafio de Carlos Eduardo Alves é ser conhecido no interior do Estado

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
O candidato Carlos Eduardo conta com José Agripino Maia e Garibaldi Alves Filho para ampliar sua presença nas diversas regiões.

O início da propaganda eleitoral amanhã (31) pode ajudar Carlos Eduardo Alves (PDT) a resolver um problema recorrente desde que se prontificou a disputar o governo estadual: o desconhecimento de sua figura no interior do Estado.

Isso é cantado em verso e prosa nas eleições deste ano por adversários e até aliados.

No começo da semana, o senador José Agripino Maia (DEM), que optou por uma candidatura à Câmara dos Deputados, me dizia que o ex-prefeito de Natal faz um esforço danado para se tornar conhecido no interior.

Sem dúvida, Carlos Eduardo conta com Agripino e Garibaldi Alves Filho (MDB) para ampliar sua presença nas diversas regiões.

Não era para ser assim. 

Além de ex-deputado estadual, prefeito de Natal em quase quatro mandatos e integrante de um dos mais tradicionais clãs políticos, os Alves, Carlos Eduardo disputou o governo estadual na eleição de 2010.

Portanto, em tese, Carlos Eduardo deveria ser um nome mais conhecido em todo o Estado. E não é.

Na Festa de Santana em Caicó, por exemplo, ele teve de ser escoltado e apresentado o tempo todo por lideranças políticas que o apoiam na atual jornada eleitoral.

Em alguns momentos, sem a presença destas lideranças locais, se viu abandonado em algum canto de parede, sem que as pessoas comuns o abordassem para um simples aperto de mão. Uma selfie, nem pensar.

A meu ver, isto se deve a dois aspectos:

No interior, as pessoas gostam do calor humano, da presença e do contato com os políticos. Elas gostam de tocar, abraçar e, se for possível, tomar uma com o cara.

Já Carlos Eduardo, de estilo mais introvertido no modo de fazer política, sempre priorizou suas gestões na capital, o que, do ponto de vista dele, foi correto.

Mas quem possui um projeto eleitoral, como o de governador, tem que rodar o Estado, estar presente com as lideranças de cada região, dar entrevistas nas rádios e veículos locais, não faltar a festas de padroeiras, enterros, batizados e tudo mais.

Todo esse roteiro está sendo seguido à risca pelos políticos-candidatos na atual campanha, inclusive por Carlos Eduardo.

Diferentemente do ex-prefeito de Natal, seus principais adversários na luta pelo governo - Fátima Bezerra (PT) e Robinson Faria (PSD) - apostam todas as fichas no interior.

Além do recall da eleição para o Senado em 2014, Fátima Bezerra tem a favor dela o amplo trabalho de interiorização dos instituto federais (IFs).

Já Robinson Faria sempre teve um perfil municipalista, e costuma dedicar várias horas do seu dia aos prefeitos e lideranças do interior do Estado. Faz visitas recorrentes aos municípios.

Eis o grande desafio de Carlos Eduardo: se tornar conhecido em cada recanto do Rio Grande do Norte. 

Isso pode ser fundamental para garantir a presença em eventual segundo turno da eleição, e consequente vitória, claro, na etapa final.


Confira o vídeo:



Especialista diz que TV e rádio ainda são mais influentes em campanha eleitoral

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Bruno Oliveira acredita que a propaganda na TV e no rádio tem maior capacidade de influenciar o eleitor; redes sociais são complementares.

A propaganda na TV e no rádio tem maior capacidade de influenciar o eleitor. A opinião é do cientista político Bruno Oliveira, especialista em marketing digital.

Ele explicou que esse início das veiculações desperta na população a sensação de que a campanha realmente está começando. 

“Ainda há uma certa frieza das pessoas em relação à campanha eleitoral. As assessorias estão trabalhando, mas lá na ponta, no povão, nas pessoas que vão precisar definir seu voto, as coisas vão chegando de forma mais lenta”, disse.

Para Bruno, as redes sociais são complementares na propaganda eleitoral. 

“Elas não chegam a influenciar o eleitor tanto quanto a televisão e o rádio. Ainda há uma penetração muito maior desses dois veículos do que a internet. Como estratégia de campanha, as redes sociais ainda podem ser vistas como algo complementar e não fundamental”, avalia. 

Eu conversei com Bruno Oliveira hoje no RN Acontece.

Confira a seguir:


DD.


Haddad volta ao Nordeste na sexta-feira

Diógenes Dantas,
Ricardo Stuckert
Fernando Haddad, vice de Lula na chapa do PT, esteve na Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte. Na sexta-feira, o petista volta a perambular pelo Nordeste.

O vice de Lula, Fernando Haddad (PT), não tira o pé do Nordeste.

Depois de passar pela Bahia, Paraíba e Rio Grande do Norte na semana passada, chegou a vez de Pernambuco, Ceará e Alagoas.

O novo périplo nordestino de Haddad ocorrerá a partir de sexta-feira (31), e deverá incluir Garanhuns, cidade natal do ex-presidente Lula.


TRE deve contar com 3 mil policiais militares

Diógenes Dantas,

Após a reunião com as forças de segurança do Estado, o TRE deve requisitar 3 mil policiais militares para as eleições de outubro.

Os policiais serão usados nos locais de votação.

São dois PMs para cada um dos 1.500 locais de votação.

O TRE também espera contar com as tropas federais em 97 dos 167 municípios do Estado.

O Tribunal Superior Eleitoral ainda não bateu o martelo sobre o envio das forças federais.


Ipem fará ação no Agosto Lilás

Diógenes Dantas,

cyrus_benavides_370O Instituto de Pesos e Medidas do Rio Grande do Norte (Ipem), em parceria com a Secretaria de Políticas Públicas Para Mulheres, vai realizar sexta-feira (31) uma ação em favor das mulheres no chamado Agosto Lilás.

Além da conscientização e orientação sobre o peso e a qualidade dos produtos, o instituto vai disponibilizar uma série de serviços ao público feminino, como a emissão de documentos. 

As mulheres vão aferir as medidas de cada produto (peso e quantidade, por exemplo) em equipamentos do Ipem.

Diversos alimentos foram coletados pelo instituto.

O diretor-geral do Ipem, Cyrus Benavides, nos deu mais detalhes sobre a ação do Agosto Lilás em entrevista ao Jornal 96.

Acompanhe:



DD.


RN segue no topo do ranking da violência

Diógenes Dantas,
Bom Jesus RN/Mapa dos Blogs
Segundo o Monitor da Violência, RN está em 2º lugar entre os estados mais violentos, com a triste marca de 27,1 mortes por 100 mil habitantes.

A segurança pública é, sem dúvida, uma das maiores preocupações do eleitor brasileiro. 

O medo da violência está estampado nas manchetes de jornais, nos textos de portais de notícias, rádios e tvs. 

A insegurança é comentada nas redes sociais e faz parte do dia a dia do cidadão no trabalho, em casa ou em qualquer lugar da comunidade.

Nosso Rio Grande do Norte figura hoje entre os primeiros estados mais violentos do país. Qualquer estudo, pesquisa ou levantamento constata isso para desespero do potiguar.

O Monitor da Violência, levantamento mensal do portal de notícias G1, registrava ontem (28) que o RN está em segundo lugar entre os estados mais violentos, com a triste marca de 27,1 mortes por 100 mil habitantes.

A média nacional, já considerada altíssima, é de 12,5 mortes por 100 mil habitantes.

Só perdemos para Roraima (27,7 mortes), que vive uma crise migratória e onde a pobreza só não existe na casa de políticos como Romero Jucá, e estamos ao lado de estados violentos como Ceará (26) e Acre (26).

O Monitor da Violência do G1 contabiliza todos os homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte, que, juntos, compõem os chamados crimes violentos letais e intencionais. 

Houve uma média de 4.350 casos por mês. No primeiro semestre deste ano, foram mais de 26 mil mortes.

sheilla-h

A secretária estadual de segurança pública, delegada Sheila Freitas, admitiu que a situação no RN é grave, mas chamou atenção para a falta de transparência de alguns estados como São Paulo, que contabiliza 3,8 mortes por cada 100 mil habitantes.

Ela garante que a metodologia em SP é diferente, e os números do RN ficam mais expostos.

Sheila me disse ainda que “não se faz segurança pública sem recursos financeiros” e isso tem sido um dos entraves para a resolução do grave problema que enfrenta não só o Rio Grande do Norte, mas todo o país. 

Segundo Sheila Freitas, o RN precisa de R$ 10 milhões/mês para reforçar as ações de segurança pública, combatendo o crime contra o patrimônio (roubos, furtos e latrocínios) e os homicídios.

Este tema, sem dúvida, é a maior pedra no sapato do governador Robinson Faria, candidato à reeleição.

Robinson é bastante cobrado neste quesito porque se vendeu na última campanha como governador da segurança, e muita gente acreditou nisso.

Hoje, Robinson diz que o problema é nacional, e depende de ajuda direta do governo federal.

E nisso ele está certo. 

De 1999 a 2017, as Forças Armadas foram requisitadas 132 vezes para resolver problemas de segurança nos estados, entre os quais o Rio Grande do Norte. 

Isso dá uma média de uma GLO (Garantia da Lei e da Ordem) a cada dois meses, registrou a Globo News nesta quarta-feira.


Confira o vídeo:


Ricardo Motta encara denúncia do MPE

Diógenes Dantas,

ricardo_motta_370O deputado estadual Ricardo Motta (PSB) foi denunciado pelo Ministério Público Estadual na Operação Capuleto, que apurou desvios de recursos públicos no Instituto de Meio Ambiente (Idema) e na Fundação para o Desenvolvimento Sustentável da Terra Potiguar (Fundep).

A denúncia foi oferecida na segunda-feira (27), e Motta terá 15 dias de prazo para apresentar defesa após ser notificado.

A Capuleto é consequência da Operação Candeeiro, em que o parlamentar do PSB foi denunciado por desvios da ordem de R$ 19,3 milhões do Idema, entre os anos de 2013 e 2014.

Ricardo Motta disputa a reeleição este ano. Se for condenado, ele terá os direitos políticos suspensos durante o prazo da condenação.


Sheila Freitas reclama do governo federal: "RN precisa de verbas para combater o crime"

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Sheila Freitas ressaltou que o número de homicídios caiu 14% este ano como resultado das ações de segurança do governo.

Em qualquer estudo ou pesquisa sobre a segurança pública, o Rio Grande do Norte aparece entre os estados mais violentos.

O mais recente, do portal G1, que faz o monitoramento mensal de todos os dados de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte, o Rio Grande do Norte aparece em segundo lugar entre os estados mais violentos, ao lado do Roraima, Ceará e Acre.

A taxa no RN é de 27,1 mortes por 100 mil habitantes. Só para se ter uma ideia, a taxa nacional é de 12,5 mortes a cada 100 mil habitantes, um índice assombroso.

A secretária de segurança pública e defesa social, Sheila Freitas, admitiu que a situação é grave, mas contestou o ranking do Monitor da Violência, realizado pelo G1.

"Os números são reais, mas alguns estados não prestam as informações com a mesma presteza do governo do Rio Grande do Norte. Estados como São Paulo, de maior população, apresentam dados foram da realidade. Nossa posição no ranking seria diferente", avaliou a secretária.

Sheila Freitas ressaltou que o número de homicídios caiu 14% este ano como resultado das ações de segurança do governo estadual.

Ela informou que faltam recursos do governo federal para o combate ao crime. "Precisamos de R$ 10 milhões/mês para ações complementares aos investimentos já realizados pelo governo estadual", disse em entrevista ao RN Acontece.

Confira o conteúdo na íntegra a seguir:


DD.


Albert Dickson se diz vítima de fake news

Diógenes Dantas,

albert_adts_370O deputado estadual Albert Dickson (PROS) se disse vítima de fake news.

Um vídeo que circulou nas redes sociais, atribuído a sindicalistas, informa que o parlamentar votou contra o Adicional por Tempo de Serviço (ADTS) em projeto na Assembleia Legislativa.

Albert Dickson garante que a notícia é falsa, e lembra que é auditor fiscal concursado e sabe a importância da ADTS para qualquer servidor público.

Em outro vídeo, o parlamentar explicou que, a seu pedido, uma proposta que tratava do assunto foi retirada de pauta.

“Eu quero repudiar de forma contundente essa informação, que não passa de fake news”, disse.

O deputado do PROS entrou na Justiça para identificar e punir os responsáveis pela notícia, segundo ele, falsa.


Vencimentos do TJ são de dar inveja

Diógenes Dantas,

Deu na Tribuna do Norte hoje (28):

Os juízes e desembargadores da Tribunal de Justiça potiguar recebem, em média, R$ 63,4 mil por mês. 

A média dos magistrados no país gira em torno de R$ 49,7 mil por mês, já um privilégio em relação à massa salarial dos brasileiros e acima do teto constitucional.

Os servidores do TJ local também aparecem bem na foto: a média mensal passa dos R$ 18 mil.

Os dados são do CNJ.


Assessoria de Fátima fala em "construção coletiva" no programa de governo

Diógenes Dantas,

A assessoria da candidata Fátima Bezerra distribuiu a seguinte nota sobre a cópia de trechos inteiros do plano de governo de Wellington Dias (PT), governador do Piauí, na eleição de 2014.

O assuntou gerou polêmica na campanha da petista. Segue o texto:

Para os enormes desafios colocados para se governar o Rio Grande do Norte, a senadora Fátima Bezerra e sua equipe apresentam um Programa de Governo construído de forma ampla, colaborativa e inovadora. Foram 7 seminários temáticos (Desenvolvimento Econômico/Questão Fiscal, Segurança, Saúde, Educação, Mulheres, Região Metropolitana de Natal e Desenvolvimento Rural); dezenas de consultas presenciais a especialistas; estudos profundos das boas propostas de estados como a Paraíba, Bahia, Ceará, Piauí, Pernambuco e Maranhão -- inclusive com a participação de alguns de seus secretários estaduais. 

Foram promovidos ainda seminários regionais com a presença de mais de 2.000 pessoas em todo o RN e aberto o site www.rnqueopovoquer.org, por meio do qual foram recebidas mais de 900 sugestões. E o processo continua: há ainda setores se mobilizando para apresentar propostas, assim como importantes regiões, como as Salineira, Central, Trairi e Alto Oeste. 

É ainda inovador em diversos sentidos. Primeiro, o programa estará em constante aprimoramento, sempre recebendo novas contribuições.

Depois, vai além da política partidária pequena, não tem medo de se inspirar e aproveitar ideias que deram certo em outros lugares. Por exemplo: se uma proposta de reduzir o desperdício de água e educar a população deu certo no Piauí, porque não implementá-la aqui? Do Piauí, a intenção é aproveitar também o programa de PPP, as parcerias público-privadas. No Ceará deram certo as policlínicas, e então a ideia é trazê-las para o Rio Grande do Norte. Na Paraíba, tem dado certo a política de metas e bonificação para as polícias, então a proposta foi incluída no plano.

Enfim, se outras ideias deram certo em outros estados, mesmo em gestões de outros partidos que não sejam o PT, porque não aproveitá-las em benefício do povo potiguar? A senadora Fátima Bezerra e sua equipe compreendem que isto é pensar grande, e é assim que pretendem governar, se assim o povo permitir.


Leia o programa de governo da petista na íntegra:




Fátima comete gafe ao copiar plano de governo de petista do Piauí

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Assessores de Fátima dizem que o plano da candidatada é resultado de 7 seminários temáticos em várias regiões do RN.

Nesses tempos de revolução digital, das redes sociais e de maior acesso aos dados públicos, os candidatos precisam tomar mais cuidado nas informações prestadas à Justiça Eleitoral.

A Folha registra hoje (28) em sua coluna Painel que a candidata Fátima Bezerra, líder na disputa pelo governo estadual, apresentou um programa de governo com trechos inteiros copiados do plano apresentado pelo governador Wellington Dias, do PT do Piauí, na eleição de 2014.

Em alguns pontos, relata a Folha, a campanha de Fátima esqueceu de mudar a menção aos eleitores PIAUIENSES para POTIGUARES.

Uma gafe fenomenal!

A assessoria de Fátima Bezerra admitiu o “copiou e colou”, destacando que o programa dela se inspirou no do petista Welington Dias, candidato à reeleição e uma das maiores lideranças do PT no Nordeste. O índio, como é chamado, já conquistou 3 mandatos de governador no Piauí.

Os assessores de Fátima lembram que o plano da candidatada é resultado de 7 seminários temáticos em várias regiões do RN, e que não vêem problema algum em trazer para o Estado projetos e experiências que deram certo em outros lugares.

Não custa perguntar: Com tantos seminários no RN, precisava copiar trechos inteiros do plano de governo de um político do Piauí?

Olha, isso, no mínimo, foi uma bola fora da campanha de Fátima Bezerra.


Confira o vídeo:


Programa Jovem Aprendiz pode perder mais de 700 mil vagas

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Marinalva Cardoso Dantas, auditora fiscal do trabalho, vê risco ao programa Jovem Aprendiz na revisão da Classificação Brasileira de Ocupações.

O Programa Jovem Aprendiz, uma das mais importantes ações para combater o trabalho infantil, corre riscos.

Na próxima quarta-feira (29), em reunião na Casa Civil do Governo Temer, uma canetada pode cortar mais de 700 mil vagas de jovem aprendiz em todo o país.

O negócio é o seguinte: entidades patronais argumentam que não têm como abrir vagas para menores em segmentos como transportes, comércio e indústrias na atividade fim.

As confederações desejam uma ampla revisão na Classificação Brasileira de Ocupações, retirando 900 funções da base de cálculo da chamada cota de aprendizagem.

O corte proposto significa uma redução de mais de 63% no potencial atual de vagas para o jovem aprendiz.

Eu conversei hoje (27) com a coordenadora do combate ao trabalho infantil, a auditora fiscal do trabalho Marinalva Cardoso Dantas, que defende a continuidade do atual quadro de profissionalização dos jovens.

Veja o vídeo a seguir:



DD.


João Amoêdo, do Novo, aparece com 4% em pesquisa do BTG Pactual

Diógenes Dantas,
Arquivo/Nominuto
João Amoêdo, do Partido Novo, aparece com 4% das intenções de voto em pesquisa encomendada pelo BTG Pactual divulgada nesta segunda-feira.

A turma do Partido Novo comemorou o desempenho de João Amoêdo em pesquisa encomendada pelo BTG Pactual e divulgada nesta segunda-feira (27).

Segundo o levantamento, Amoêdo aparece com 4% das intenções de voto no cenário sem Lula, passando Alvaro Dias (3%) e encostando em Fernando Haddad (5%).

Com Lula no páreo, João Amoêdo repete o mesmo porcentual de preferência: 4%.

Se tivesse mais um pontinho nas pesquisas, Amoêdo teria direito a comparecer aos debates televisivos.


A consulta do BTG Pactual foi realizada por telefone na sexta-feira (24) e no sábado (25), com 2.000 entrevistas em todo o País. A margem de erro do levantamento é de 2,0 pontos percentuais. A pesquisa é registrada no TSE sob o número BR06062/2018.

Agripino acredita que propaganda na TV e rádio vai mudar a sorte de Alckmin

Diógenes Dantas,
Nominuto.com
Senador José Agripino Maia crê que Geraldo Alckmin vai crescer nas intenções de voto a partir da propaganda eleitoral na TV e rádio, dia 31.

O senador José Agripino Maia (DEM) acredita que o presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) tem as ferramentas para crescer na corrida eleitoral a partir da propaganda no rádio e na TV.

Com 5 minutos e 32 segundos em cada bloco diário do programa eleitoral e 434 inserções durante a programação das TVs e rádios, o tucano terá amplo espaço para levar sua mensagem ao eleitor.

Ninguém chega perto deste arsenal midiático. O candidato do  PT, por exemplo, seja Lula ou Fernando Haddad, terá 2 minutos e 23 segundos nos blocos diários e 188 inserções, menos da metade do tempo destinado à coligação de Alckmin, que conta com o DEM de José Agripino.

Na entrevista que me concedeu hoje (27) no Jornal 96, José Agripino afastou qualquer possibilidade de "cristianização" de Geraldo Alckmin pelo partidos que formam o centro político do país.

Longe dos microfones, ainda no estúdio logo depois da entrevista, Agripino deixou escapar que Jair Bolsonaro (PSL) consolidou sua posição eleitoral e pode ser considerado como presença certa em eventual segundo turno.

Confira minha entrevista com o senador Agripino Maia:



21-40 de 3357