TCE deve receber dados do Consórcio Nordeste nesta segunda-feira

Diógenes Dantas,
Arquivo/AFD
Compra fraudada de 300 respiradores pulmonares virou caso de polícia e compromete futuro do Consórcio Nordeste.

Encerra hoje (22) o prazo estabelecido pelo conselheiro Gilberto Jales (TCE) para que o governo encaminhe todas as informações relacionadas ao Consórcio Nordeste.

A solicitação do Tribunal de Contas do Estado tem tudo a ver com a compra fraudada de respiradores pulmonares via consórcio, que provocou um rombo de quase R$ 50 milhões nos cofres dos 9 estados nordestinos. No que diz respeito ao RN, o prejuízo beirou R$ 5 milhões.

A Procuradoria Geral do Estado (PGE) ficou encarregada de encaminhar  ao conselheiro.

Ao longo das últimas três semanas, o portal nominuto.com tentou jogar luz nos números do RN desde a criação do consórcio em julho do ano passado.

Conforme noticiamos nesse quase um ano de participação do RN na autarquia, foram realizadas várias compras de insumos para o setor da saúde, com destaque para os medicamentos que abastecem a UNICAT [Unidade Central de Agentes Terapêuticos] e os hospitais da rede pública.

Houve economia de pelo menos 30% nos preços médios do mercado, conforme alardeou o governo nas primeiras compras.

No momento que o Consórcio Nordeste passa por uma crise de confiabilidade [MPF, TCEs, comissões em ALs, ameaças de CPIs, recomendações para que cessem as operações dos estados via consórcio], o portal nominuto.com desejava separar o episódio dos respiradores - uma compra emergencial - dos benefícios em torno do consórcio, tido como bom instrumento de gestão, por quem o defende.

Neste episódio, o do Consórcio Nordeste, o governo estadual levou nota ZERO de transparência. ZERO.

A imprensa não conseguiu ter acesso às informações, e permaneceu enredada num jogo de empurra entre as assessorias de imprensa do governo e do consórcio, do silêncio da PGE e da promessa não cumprida pelo ex-deputado e secretário de gestão do governo, Fernando Mineiro, que ficou de encaminhar as informações na sexta-feira (19).

Infelizmente, nós ficamos sem as informações sobre as ações e operações de compra do RN via Consórcio Nordeste.

Agora, cabe ao TCE dar publicidade aos dados após a análise dos técnicos da corte e apreciação do conselheiro Gilberto Jales. O processo pode levar mais algumas semanas, mas creio que a opinião pública terá acesso às informações.

Por enquanto, vale a máxima do embaixador Rubens Ricupero, ex-ministro da Fazenda:

"Eu não tenho escrúpulos; o que é bom a gente fatura, o que é ruim a gente esconde”.


Confira o vídeo:


DD.


Mineiro defende Consórcio Nordeste, mas governo peca no quesito transparência

Diógenes Dantas,
Vlademir Alexandre
Mineiro diz que Consórcio Nordeste é um importante instrumento de gestão para os estados na solução de problemas comuns.

O Governo do Estado escalou o secretário de gestão de projetos e relações institucionais, Fernando Mineiro, para promover a primeira defesa do Consórcio Nordeste, enredado no escândalo da compra fraudada de respiradores pulmonares.

Mineiro é uma escolha adequada para o papel de defensor do consórcio neste momento porque conhece como ninguém os humores do parlamento - ele foi deputado estadual e vereador da capital em vários mandatos. Portanto, trata-se de um político experiente.

O secretário Mineiro tem dito que o Consórcio Nordeste é um importante instrumento de gestão para os estados na soma de esforços para resolver problemas comuns.

Mineiro lembra um ponto importante nessa hora de tantas críticas: o governo entrou no Consórcio Nordeste com autorização da Assembleia Legislativa em lei aprovada pelos deputados estaduais.

Não foi apenas por vontade própria da governadora Fátima Bezerra. Aliás, todos os governadores precisaram de autorização de suas assembleias legislativas.

Na visão de Fernando Mineiro, não adianta condenar o governo e mandar suspender as ações e repasses à autarquia sem levar em conta o alcance institucional da relação com os demais estados. "É preciso separar a compra fraudada da presença do RN no consórcio", declarou à imprensa nesta semana.

Eu concordo com o secretário Fernando Mineiro, mas o governo precisa ser transparente. 

Faz duas semanas que o portal nominuto.com tenta obter o histórico de compras do RN por meio do Consórcio Nordeste, e nada. Nenhuma resposta. A reportagem do portal se deparou com um jogo de empurra entre as assessorias.

O Tribunal de Contas do Estado deu prazo até segunda-feira, dia 22, para as informações cheguem aos conselheiros.

Talvez assim a imprensa consiga jogar luz nesse instrumento importante de gestão.

O que prevalece nesse instante são suspeitas de fraude na compra dos respiradores e procedimentos irregulares que colocam em xeque a credibilidade do Consórcio Nordeste.

Vamos acompanhar.


Acompanhe o vídeo:


DD.


Weintraub evita posse de Fábio Faria para evitar constrangimentos com autoridades

Diógenes Dantas,
AFD
Ministro da Educação, Abraham Weintraub, vive momento turbulento e pode deixar o governo federal nos próximos dias.

O ministro da Educação, Abraham Weintraub, decidiu não comparecer à posse de Fábio Faria no Ministério das Comunicações na manhã desta quarta-feira (17).

Ele optou por se ausentar da solenidade para evitar constrangimentos ao encontrar autoridades que querem sua cabeça, como Rodrigo Maia (DEM), presidente da Câmara, Davi Alcolumbre (DEM), presidente do Senado, e ministros da Supremo Tribunal Federal.

Weintraub não deve ter gostado também da nota publicada hoje em Painel, da Folha, intitulada Fora:

"O ministro Fábio Faria (Comunicações) é um dos defensores da demissão de Abraham Weintraub da Educação. Em conversa com parlamentares, disse que Bolsonaro não voltará atrás e já bateu o martelo da demissão. Faria justificou seu posicionamento por estar em busca de pacificação entre as instituições".


Fábio Faria tira Robinson do ostracismo político

Diógenes Dantas,

rob_fabioMais um político nascido ou eleito no Rio Grande do Norte assume o cargo de Ministro de Estado na estrutura do governo federal.

Desta vez, o presidente Jair Bolsonaro empossa o deputado federal Fábio Faria (PSD) no ressuscitado Ministério das Comunicações, turbinado com verbas de publicidade, concessões para rádio e TV e perspectiva de licitação internacional do 5G - banda de altíssima velocidade da internet.

Portanto, Fábio Faria não assume uma pasta esvaziada. Pelo contrário. Ele assume um ministério com grande capilaridade política e econômica.

Ocupar uma cadeira de primeiro escalão na Esplanada dos Ministérios é um negócio extremamente relevante para um estado do porte do Rio Grande do Norte - de representação diminuta e PIB inexpressivo diante dos grandes players do País.

O ministro - seja ele quem for e qual governo sirva - vira um canal de contato imediato entre o Estado e o presidente de plantão.

Esta prerrogativa já é exercida pelo ex-deputado Rogério Marinho (PSDB), atual ministro do desenvolvimento regional.

Rogério terá agora de dividir as atenções da classe política estadual com Fábio Faria, filho de um ex-governador e genro de um dos maiores comunicadores e empresários do país, Silvio Santos.

A posse de Fábio Faria reforça o jogo anti-PT no estado. O fato político já terá reflexos nas eleições municipais, principalmente em Natal.

A meu ver, Fábio Faria também entra no jogo das eleições gerais de 2022 como nome forte ao Senado da República.Os comentários já circulam nos meios políticos locais.

Agora, o principal beneficiado pela posse de Fábio hoje em Brasília é o ex-governador Robinson Faria, que se encoraja para deixar o ostracismo que se autoimpôs neste um ano e meio de gestão do PT no Estado.

Ações da justiça e quatro folhas salariais dos servidores em atraso desencorajaram Robinson de enfrentar os adversários abertamente.

A posse de Fábio Faria deixa Robinson mais à vontade para ver a luz do dia e atuar politicamente contra a sucessora Fátima Bezerra.

Eu aposto numa dobradinha eleitoral: Fábio Faria para o Senado, e Robinson para Câmara dos Deputados.

Quem viver, verá.


Acompanhe o vídeo:


DD.


Setor produtivo do Rio Grande do Norte já chegou no limite, diz Marcelo Queiroz

Diógenes Dantas,
Fecomércio
Marcelo Queiroz, presidente da Fecomércio, não recebeu bem a renovação do isolamento social por decisão da governadora Fátima Bezerra.

O empresário Marcelo Queiroz, presidente da Fecomércio, foi um dos mais incisivos na defesa da retomada econômica em reunião ontem (15) da governadora Fátima Bezerra com o grupo do setor produtivo que avalia o isolamento social.

Queiroz demonstrou todo seu desagrado quando a governadora informou a renovação do decreto de isolamento até o dia 24 de junho. A videoconferência se desenrolou num ‘climão’.

Encerrado o encontro virtual, a governadora Fátima Bezerra telefonou para Marcelo Queiroz e renovou o pedido de apoio ao novo decreto de isolamento. “Por mais uma semana, eu prometo. Me ajude por mais uma semana. No dia 24, vamos retomar a economia”, disse Fátima.

Hoje (16), Marcelo Queiroz declarou o seguinte ao portal nominuto: "A economia está além do limite que pode suportar. O comércio já demitiu cerca de dez mil pessoas, o setor deixou de faturar, até o final de maio, R$ 192 milhões. Além disso, os números que temos hoje no Estado, relativos ao avanço da doença, permitem que o protocolo de retomada seja implantado, já que ele é extremamente rigoroso e prevê passos firmes e graduais com responsabilidade e toda a segurança possível para empreendedores, colaboradores e clientes”.

Apesar da palavra da governadora, os empresários não têm certeza de que poderão reabrir seus negócios na próxima semana.


Consórcio Nordeste passa por crise de credibilidade

Diógenes Dantas,
Assecom
Governadora Fátima está sob pressão para esclarecer a compra frustrada de 30 respiradores pulmonares via Consórcio Nordeste.

O Consórcio Nordeste ainda vai completar um ano de instalação - em julho próximo - e já vive uma grave crise política que coloca em risco sua credibilidade.

A compra frustrada de 300 respiradores pulmonares, por quase R$ 50 milhões, que virou caso de polícia na Bahia, está movimentando as estruturas do Ministério Público Federal, Polícia Federal e tribunais de contas nos 9 estados nordestinos. A investigação também anima os debates nas assembleias legislativas.

O RN empatou quase R$ 5 milhões nessa empreitada. A fraude foi denunciada pelo próprio consórcio.

Nesse primeiro momento, a falta de transparência tem marcado o Consórcio Nordeste.

Ontem (15), o portal Nominuto.com fez nova tentativa de buscar informações sobre o histórico de ações e compras relativas ao Estado do Rio Grande do Norte.

Nem o governo do estado nem o Consórcio Nordeste prestaram as informações. Pelo menos até o momento.

Enquanto isso, o Ministério Público Federal decidiu abrir inquérito para apurar eventuais atos de improbidade administrativa relacionados ao caso.

O Tribunal de Contas de Pernambuco recomendou que a Secretaria de Saúde daquele estado evite fazer compras por meio do Consórcio Nordeste. Outros órgãos de fiscalização agem nos mesmo sentido nos demais estados.

No Rio Grande do Norte, o TCE deu prazo até 22 de junho para que o governo estadual envie as informações para compra de 30 respiradores ao preço de R$ 4,9 milhões.

No âmbito da Assembleia Legislativa, os parlamentares da Comissão de Enfrentamento ao Coronavírus aprovaram ontem a recomendação para que o governo suspenda qualquer repasse de recursos ao consórcio, inclusive os destinados à manutenção.

Como se vê, o cerco se fecha em torno da governadora Fátima Bezerra, que apostou muitas fichas no Consórcio Nordeste. 

Não é só ela que se complica nessa história, claro. Os demais governadores nordestinos estão enfrentando os mesmos questionamentos.

Mas, em se tratando do RN, é Fátima Bezerra que precisa dar as respostas à sociedade norte-rio-grandense. E ela está sob pressão nesse instante.

O escândalo dos respiradores no âmbito do Consórcio Nordeste é um colírio para os olhos raivosos do presidente Jair Bolsonaro.

O capitão detesta os governadores nordestinos por lhe fazerem oposição. Já deu provas do seu antagonismo inúmeras vezes.


Acompanhe o vídeo:


DD.


TSE promete definição sobre as eleições municipais ainda em junho

Diógenes Dantas,
Reprodução
Live Nominuto debateu alternativas para as eleições com o desembargador Glauber Rêgo, presidente do TRE; e o advogado Kennedy Diógenes.

O mês de junho já está pela metade e ainda não temos uma decisão sobre o adiamento das eleições municipais. O calendário eleitoral prevê as votações nas seguintes datas: 4 de outubro – 1º turno; e 25 de outubro -  2º turno.

Qualquer mudança depende de emenda constitucional aprovada pela Câmara e Senado.

A sugestão do Tribunal Superior Eleitoral é uma janela que vai de 15 de novembro até 20 de dezembro. Seria um prazo limite para o segundo turno, para que a Justiça Eleitoral dê posse aos eleitos até o dia 1º de janeiro.

O TSE avalia estender o horário de votação para evitar aglomerações, possivelmente das 8h às 20h. 

As convenções partidárias poderão ser realizadas por meio virtual, conforme decisão da corte eleitoral.

O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, prometeu uma definição sobre o pleito ainda neste mês de junho. Veremos.

Na semana passada, eu realizei mais uma Live Nominuto, e o tema tem tudo a ver com as discussões em Brasília: “Alternativas para as eleições diante das incertezas provocadas pela pandemia”.

Meus convidados foram o desembargador Glauber Rêgo, presidente do Tribunal Regional Eleitoral; e o advogado Kennedy Diógenes, especialista em direito eleitoral. O bate-papo foi proveitoso, e repleto de informações.

Confira o vídeo a seguir:



DD.


Governo Fátima deve informações sobre compras via Consórcio Nordeste

Diógenes Dantas,
Divulgação
Governadora Fátima Bezerra reunida com colegas governadores em reunião do Consórcio Nordeste.

O governo do Rio Grande do Norte precisa urgentemente prestar esclarecimentos sobre as ações e investimentos no Consórcio Nordeste.

A exemplo do que ocorreu nas demais regiões do país - Norte, Centro-Oeste, Sudeste e Sul - o Consórcio Nordeste reuniu os governadores de cada estado para viabilizar uma agenda comum em diversas áreas da administração pública e realizar compras coletivas de insumos, principalmente em setores como saúde e educação.

O desvio de quase R$ 50 milhões, denunciado pelo próprio Consórcio Nordeste em compra de respiradores para estabilizar pacientes da covid-19 [há uma investigação sobre o caso no âmbito da Polícia Civil da Bahia], coloca em xeque a credibilidade do próprio consórcio e de seus participantes.

O governo do Rio Grande do Norte perdeu quase R$ 5 milhões nessa compra, e terá que prestar contas do dinheiro aplicado.

O episódio da compra fraudada é um prato cheio para os adversários de cada governador nordestino.

Quem faz oposição a Fátima Bezerra já está no cangote dela, cobrando o dinheiro do consórcio. É só dar uma olhada nas redes sociais de políticos e anônimos.

O assunto, que ganha ares de escândalo, vai parar na propaganda eleitoral das eleições municipais, sem dúvida.

Desde a semana passada, o portal nominuto.com tenta apurar informações e dados sobre as compras do RN via Consórcio Nordeste. 

A reportagem do portal esbarra em todo o tipo de dificuldade, desde o velho jogo de empurra até a falta de uma simples resposta ou nota do governo.

Até o momento, ninguém presta as informações precisas e corretas.

Agindo desta forma, negando ou escondendo as informações, o Governo do Rio Grande do Norte só alimenta as suspeitas em torno do Consórcio Nordeste.

Se não esclarecer ou informar os dados corretos, o consórcio vai naufragar.

Hoje em dia, o Consórcio Nordeste já é caso de polícia.


Fábio Faria é a cara da oposição a Fátima Bezerra

Diógenes Dantas,
Arquivo/AFD
Deputado federal Fábio Faria, indicado para ocupar o Ministério das Comunicações, se apresenta como maior opositor ao governo Fátima Bezerra.

A oposição contra o governo Fátima Bezerra (PT) agora tem um rosto definido, uma cara. Trata-se do agora ministro das Comunicações, Fábio Faria (PSD).

Desde o início da gestão petista no RN, Fábio Faria, filho do ex-governador Robinson, vem chamando Fátima para briga, apontando-a como "covarde", "hipócrita", "mentirosa" e "má gestora".

Não tem Carlos Eduardo, Agripino Maia, Garibaldi Filho, Álvaro Dias, Rogério Marinho ou Robinson Faria que encarne melhor o papel de opositor ao governo petista. A cara da oposição a Fátima é o genro de Silvio Santos.

Agora, na condição de ministro de Bolsonaro, Fábio vai infernizar a vida da governadora Fátima Bezerra. Alguém duvida disso?

O deputado federal já andava cobrando os milhões de reais em ajuda do governo federal para gastos com a covid-19 e e em outras áreas da administração estadual, incluindo a ajuda emergencial para estados e municípios.

Fábio Faria e outros adversários de Fátima têm mirado em dois alvos que incomodam o governo do PT: os recursos perdidos em compras do Consórcio Nordeste; e a falta de investimentos no combate à pandemia, principalmente no que diz respeito ao hospital de campanha do Estado, que ficou no campo das boas intenções.

No campo eleitoral, Fábio Faria já disse que vai apoiar um nome contra o projeto do PT nas eleições da capital e do interior.

Do ponto de vista eleitoral, eu não acredito que ele esteja de olho na sucessão da governadora Fátima Bezerra. Fábio faz oposição a Fátima para marcar contraponto em relação ao governo do pai, Robinson Faria. Ponto.

Não passa pela cabeça de Fábio Faria trocar a ponte aérea Brasília-São Paulo, onde faz política e tem seus negócios, para governar o Rio Grande do Norte em estado falimentar.


Celso Rocha de Barros na Folha: Os Bolsonaristas querem dar um golpe

Diógenes Dantas,
Fabio Motta/AE
"Plano dos bolsonaristas é pegar a sua raiva contra tudo que está aí e apontá-la contra a democracia", opina Barros sobre Bolsonaro e Mourão.

O texto a seguir, do doutor em sociologia pela Universidade de Oxford (Inglaterra), Celso Rocha de Barros, nos causa inquietação:

Bom, é isso, amigo. Se você quiser eleger Bolsonaro, aproveite, porque deve ser seu último voto. Depois da última semana, não há mais dúvida de que o plano dos bolsonaristas é dar um golpe. Golpe mesmo, golpe raiz, não esses golpes Nutella de hoje em dia. 

Sejamos honestos, nunca houve motivo para suspeitar que Jair Bolsonaro fosse um democrata.

Nunca vi uma entrevista em que Bolsonaro prometesse reconhecer o resultado da eleição em caso de derrota. O que vi várias vezes foi discurso picareta sobre urnas eletrônicas. 

Bolsonaro defendeu a ampliação do número de membros do Supremo Tribunal Federal, o que é a página 2 do manual do ditador. Chávez fez, a ditadura militar fez, todo ditador faz. Afinal, a Constituição é o que o Supremo disser que é: se você encher o Supremo de puxa-sacos, a Constituição passa a ser o que você quiser. Daí em diante, você é ditador.

Bolsonaro escolheu como companheiro de chapa Hamilton Mourão. Em entrevista recente à GloboNews, Mourão defendeu que o presidente da República (qualquer presidente? Um eventual presidente Boulos?) tem o direito de dar um "autogolpe" se perceber que há uma situação de anarquia.

Na verdade, ninguém tem mais condições de criar anarquia do que o próprio presidente da República. Por esse motivo, nenhum país sensato deixa que o presidente vire ditador se achar que há anarquia demais.

O mesmo Mourão agora defendeu que se faça uma nova Constituição sem essa frescura de envolver gente eleita pela população.

A Constituição seria feita por uma comissão de notáveis; "notável" é como ditador chama os próprios puxa-sacos.

Segundo o plano de Mourão, essa Constituição depois teria que ser aprovada por referendo. Nada contra referendos, mas, se você segue o noticiário sobre a Venezuela, já viu para onde isso vai. Quando fizerem o referendo, a oposição já vai ter sido atacada e enfraquecida, e a população vai votar com medo. É a página 3 do manual do ditador.

Enfim, é isso. Se você for a favor disso tudo, vote no Bolsonaro. Se não for, vote em outra pessoa.

Resta perguntar: como chegamos no ponto em que a proposta de matar a democracia lidera as pesquisas com cerca de um quarto das intenções de voto?

Nos últimos anos, a opinião pública brasileira ganhou muito poder. A Lava Jato mostrou à população que a corrupção era generalizada. As redes sociais tornaram possível expressar essa indignação com ferocidade.

O lado bom disso tudo é evidente. Políticos têm mesmo que viver meio assustados com a população.

O lado ruim é que não tem sido fácil governar o país, porque o momento exige que se faça muita coisa que é impopular.

O plano dos bolsonaristas é pegar a sua raiva contra tudo que está aí e apontá-la contra a democracia. Sem democracia, governar volta a ser fácil, porque o governo nunca mais vai ter que se importar com você ou sua rede social.

Esse truque está na página 1 do manual do ditador. E quando você não puder mais reclamar, não puder mais fazer impeachment, não puder mais xingar no Facebook ou fazer passeata, aí entra em cena Paulo Guedes com seu programa de ajuste muito mais radical do que o de qualquer outro candidato. E aí, pode ter certeza, você não vai ter dinheiro para comprar arma nenhuma, mesmo se as lojas já puderem vendê-las.

Celso Rocha de Barros

Servidor federal, é doutor em sociologia pela Universidade de Oxford (Inglaterra).

* Texto publicado na Folha de São Paulo nesta segunda-feira (17).


Rede Sustentabilidade decide situação do Capitão Styvenson nesta quinta-feira

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Freitas Júnior, da Rede Sustentabilidade, confirmou as inquietações com Styvenson, mas acredita que há espaço para o diálogo e entendimento.

A Rede Sustentabilidade vai decidir nesta quinta-feira (6) se mantém a candidatura do Capitão Styvenson ao Senado.

A legenda anda insatisfeita com a falta de compromisso do militar com a construção coletiva da Rede.

Hoje (5), na Band, o candidato ao governo pela Rede, Freitas Júnior, confirmou as inquietações com Styvenson, mas acredita que há espaço para o diálogo e entendimento.

Freitas explicou que o militar optou pela candidatura cidadã: “uma inovação política que permite a qualquer cidadão, membros de movimentos de renovação política, partidos sem registro na justiça eleitoral e figuras com atuação destacada na sociedade possam disputar um pleito eleitoral sem possuir militância partidária orgânica”, conforme nota da Rede.

Segundo Freitas Júnior, isso não significa que o Capitão Styvenson não possua “vínculo programático com o partido”.

Styvenson, que lidera as pesquisas para o Senado, chegou a declarar após a convenção da Rede: “Político que aparecer ai falando que tá comigo é mentira, viu? Eu não tô com ninguém, eu tô só”.

Veja a seguir minha entrevista com Freitas Júnior, porta-voz e candidato ao governo pela Rede:



DD.


Carlos Eduardo amava Robinson que amava Fátima Bezerra

Diógenes Dantas,
Reprodução/Charge
Toda essa gente já se aliou: Carlos Eduardo já foi aliado de Robinson que foi aliado de Fátima, que foi aliada de Carlos Eduardo.

Nestes primeiros dias de campanha eleitoral na TV e no rádio, incluindo as redes sociais, uma coisa tem chamado a atenção do eleitor potiguar.

Robinson Faria fala mal de Carlos Eduardo que fala mal de Fátima Bezerra, que fala mal de Robinson que fala mal de Fátima, que fala mal de Carlos Eduardo.

Me lembrou a Quadrilha de Carlos Drummond de Andrade [Quadrilha, o poema, gente. Por favor não confundir com outra coisa].

O poema de Drummond diz assim:

João amava Teresa que amava Raimundo/
Que amava Maria que amava Joaquim que amava Lili/
Que não amava ninguém//


Aqui, poderíamos adaptar e declamar:

Carlos Eduardo amava Robinson que amava Fátima/
Que amava Garibaldi que amava Geraldo que amava José Agripino/
Que não amava ninguém do PT//


Antes da pegação hoje no horário eleitoral, toda essa gente já se aliou em algum momento da carreira política.

Carlos Eduardo já foi aliado de Robinson que foi aliado de Fátima, que foi aliada de Carlos Eduardo.

O povo não esquece a Quadrilha de Drummond, nem as do mundo político.



DD.


Vem aí o Dia Estadual da Educação Cidadã

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Lígia Limeira, coautora e coordenadora do Setembro Cidadão, destaca ações e obras do do Programa Brasileiro de Educação Cidadã.

Mês de setembro é tempo de discutir a cidadania. Acima de tudo em ano eleitoral.

Hoje (4) eu conversei com a advogada Lígia Limeira, coautora e coordenadora do Setembro Cidadão, iniciativa do Programa Brasileiro de Educação Cidadã (Probec).

No próximo dia 10, o Rio Grande do Norte comemora o Dia Estadual da Educação Cidadã, data criada em lei aprovada na Assembleia Legislativa.

O projeto conta com pelo menos 3 obras: Manual Prático das Eleições, Cidadania A-Z e Família Cidadã e as Eleições.

Acompanhe minha entrevista com Lígia Limeira no RN Acontece:



DD.


Marina diz que pode governar sem a política do "toma lá, dá cá"

Diógenes Dantas,
Reprodução/Sabatina da Folha
Marina repisou combate à corrupção, investimento em educação, melhorias no SUS e ampliação da rede de saneamento básico.

Hoje (4) a presidenciável Marina Silva (Rede) participou da sabatina promovida pela Folha em parceria com o UOL e o SBT.

Marina foi indagada também sobre o modelo de governabilidade que propõe, avesso ao que ela chama de toma lá, dá cá que impera hoje na relação entre o Planalto e o Congresso. Ela reagiu a perguntas que colocaram em xeque o sistema de presidencialismo de proposição defendido por ela, que seria baseado em acordos de programa, e não em troca de favores.

"Essa lógica do toma lá, dá cá não pode ser naturalizada. Não dá para cair na armadilha de que ou você se rende ao centrão ou você não vai conseguir governar. Não podemos nos conformar com isso", disse.

A presidenciável da Rede criticou 'promessômetro' de rivais e 'guerra santa’.

Marina disse que é difícil fazer política com ponderação e defendeu Estado laico.

Veja o conteúdo da sabatina promovida por UOL, Folha e SBT, nos estúdios do UOL, em São Paulo.



DD.


RN tem seis UPAS prontas sem funcionar

Diógenes Dantas,
Reprodução/TV Globo
Desperdício: As UPAS foram construídas e estão sem funcionar em Pau dos Ferros, Caicó, Santa Cruz, Lajes, Santo Antônio e Macau.

A saúde, ao lado da segurança pública, está entre os temas de maior preocupação dos brasileiros. Em especial, entre as mulheres, que são mães, donas de casa, trabalhadoras e que, de alguma forma, cuidam de pessoas.

Nesses tempos de campanha eleitoral, as promessas de maior investimento na saúde pública saem da boca dos políticos com muita facilidade. Muita coisa fica só no discurso oportunista de caça ao voto.

Quer saber de uma coisa? Quer saber de um mau exemplo na área da saúde?

O Rio Grande do Norte tem seis UPAs prontas sem funcionar, fechadas. A informação foi destaque na edição de domingo na Tribuna do Norte.

As UPAS (Unidades de Pronto Atendimento), programa do governo federal, foram construídas e estão sem funcionar em Pau dos Ferros, Caicó, Santa Cruz, Lajes, Santo Antônio e Macau.

Foram investidos quase 12 milhões de reais em recursos federais. Dinheiro público jogado fora.

São unidades que poderiam atender diariamente de 150 a 350 pacientes. Se fossem bem utilizadas, poderiam acabar com a chamada "ambulancioterapia" que lota os hospitais regionais, principalmente os da capital do Estado.

Os prefeitos das referidas cidades alegam não ter dinheiro para equipamentos, profissionais da saúde e manutenção das unidades.

Por que as prefeituras assinaram convênios com o governo federal para construir UPAS?

Os atuais gestores colocam a culpa nos antecessores, considerados irresponsáveis na hora em que assumiram os compromissos.

O custo mensal de uma UPA varia de R$ 400 mil a R$ 1 milhão de reais, dependendo do porte.

O Ministério Público Federal está investigando mais um descaso com as verbas públicas.

Neste caso, há uma claro exemplo de má gestão, de total desperdício.

Lembrei de um político que certa vez me disse em Brasília: "cerca de 40% do PIB brasileiro se perde em três ralos: desperdício, má gestão e corrupção".

Às vezes, as três coisas estão no mesmo sorvedouro.



DD.


Mais RN terá observatório

Diógenes Dantas,
Fladson Soares/Nominuto
Amaro Sales, presidente da Fiern, criou o Observatório do Mais RN para fazer um mapeamento de tudo o que for feito pelo próximo governante.

A Federação das Indústrias atualizou o projeto Mais RN, um dos documentos mais completos sobre o desenvolvimento econômico do Estado, e entregou a cada um dos candidatos ao governo.

Amaro Sales, presidente da Fiern, criou o Observatório do Mais RN para fazer um mapeamento de tudo o que for feito pelo próximo governante. 

“Por intermédio dessa ferramenta, a sociedade vai poder cobrar do governador eleito a implementação das ações propostas. Serão 17 áreas a serem acompanhadas, 44 metas indicativas e 180 ações para quatro anos”, disse.

Veja a seguir minha conversa com Amaro Sales no RN Acontece:


DD.


Ciro diz que não é da "esquerdinha boboca que fica alisando bandido"

Diógenes Dantas,
Reprodução/Sabatina da Folha
Ciro Gomes, presidenciável do PDT, disse que mandará prender empresários que estiverem praticando locaute em meio a greves.

O presidenciável Ciro Gomes (PDT) abriu hoje (3) a série de sabatinas promovidas pela Folha em parceria com o UOL e o SBT.

Ciro disse que não faz parte “dessa esquerdinha boboca que fica alisando bandido” e que mandará prender empresários que estiverem praticando locaute em meio a greves. 

A ordem das sabatinas foi definida em sorteio. Na terça (4), será a vez de Marina Silva (Rede). Na quarta (5), o espaço está reservado ao PT, cujo candidato, Luiz Inácio Lula da Silva, está preso em Curitiba.

Na sequência, será sabatinado o candidato Guilherme Boulos (PSOL), no dia 6, e, entre os dias 10 e 14, os presidenciáveis Álvaro Dias (Podemos), Geraldo Alckmin (PSDB), Cabo Daciolo (Patriota), Henrique Meirelles (MDB) e Jair Bolsonaro (PSL).

Veja o conteúdo da sabatina promovida pela Folha em parceria com o UOL e o SBT com Ciro Gomes:



DD.


Setembro Dourado alerta para o diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil

Diógenes Dantas,
Gerlane Lima/Nominuto.com
Rilder Campos, presidente da Casa Durval Paiva e da Confederação Nacional das Instituições de Apoio à Criança com Câncer, divulga o Setembro Dourado.

Já estamos vivendo o Setembro Dourado, movimento de alerta para o diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil.

De acordo com o Instituto Nacional de Câncer (INCA), são mais de 12 mil novos casos de câncer infantil no país por ano, dos quais 150 casos comente no Rio Grande do Norte. 

Com o diagnóstico precoce, cerca de 80% dos pacientes são tratados adequadamente com a doença ainda no início. 

Eu conversei hoje (3) com o presidente da Casa Durval Paiva e da Confederação Nacional das Instituições de Apoio à Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer (CONIACC), Rilder Campos.



DD.


Fátima ainda não bateu no teto

Diógenes Dantas,

fatima_carreata_370A pesquisa “Retratos da Sociedade Potiguar”, do instituto Certus em parceria com a Federação das Indústrias, mostra algumas tendências.

Para o governo, Fátima Bezerra ainda cresce nas intenções de voto, rompendo a barreira 30% na pergunta estimulada.

No voto espontâneo, ela dobra o porcentual de citações. Uma boa notícia para os petistas. A meu ver, Fátima ainda não bateu no teto das preferências.

Dá para ganhar no primeiro turno? Ainda não é possível vislumbrar isso, mas há quem se anime com a possibilidade no entorno da campanha do PT.

Carlos Eduardo Alves se manteve estável no segundo lugar da série de pesquisas da Certus. Obteve o mesmo porcentual de julho. Essa aparente estagnação do ex-prefeito de Natal em agosto acendeu o sinal de alerta na campanha do pedetista.

Já Robinson Faria registrou um pequeno crescimento na comparação dos números de julho e agosto. Mas cresceu. É o que importa para os governistas.
Outros levantamentos já apresentam números mais auspiciosos para governador em candidatura à reeleição. 

O problema de Robinson está no quesito rejeição. Ele tem o triplo dos porcentuais de Carlos Eduardo e de Fátima Bezerra.

No que diz respeito ao Senado, Capitão Styvenson, o cavaleiro solitário da Rede, se consolida na disputa, e caminha fortemente para ficar com uma das vagas. Por pequena margem nas intenções de voto, ele já supera Garibaldi Filho.

O segundo lugar de Garibaldi é ameaçado por duas candidaturas: Zenaide Maia, que recuperou o fôlego, e Geraldo Melo.

Geraldo me dizia há um tempinho atrás que se o capitão crescesse na pesquisas, ele seria o principal prejudicado.

Parece que o ex-senador tinha razão quando fez o comentário. Geraldo perdeu terreno entre as pesquisas de julho e agosto.

Estamos no início de setembro. Propaganda no ar. Partidos e coligações tradicionais têm mais espaço na TV e no rádio, coisa que a Rede de Styvenson não tem. A esperança de Geraldo reside aí.

Veja aqui pesquisa da Certus na íntegra.

DD.


Zeca Melo comemora 45 anos de Sebrae

Diógenes Dantas,

O Sebrae completa 45 anos neste 2018. 

No Rio Grande do Norte, o balanço desse período é considerado positivo. 

“Se formos escolher uma coisa importante que aconteceu ao longo desse tempo, no RN, acho que, independente dos apoios e projetos exitosos, a gente conseguiu consolidar a ideia e a crença de que o desenvolvimento econômico passa pelo empreendedorismo, afirmou o superintendente do Sebrae, Zeca Melo, em entrevista nesta sexta-feira (31) ao programa RN Acontece.

Acompanhe o conteúdo completo da entrevista a seguir:



DD.

1-20 de 3357