Justiça manda derrubar murros irregulares no entorno da Lagoa de Extremoz

Airton Bulhões,

  A Lagoa de Extremoz  que no seu entorno foi murado irregularmente  por proprietários de terrenos na sua margem está com os dias contados.

   A Prefeitura de Extremoz iniciou nesta segunda-feira a derrubada dos muros que estão construídos de forma irregular à margem da Lagoa.

  A Lagoa de Extremoz que por muito tempo passou a ter suas margens fechadas e com construções que não respeitaram o limite mínimo de 30 metros, a contar da sua maior cheia  tornando uma área de proteção ambiental e de uso comum, como sendo propriedade privadas, impedido acesso a lagoa.

  A Prefeitura de Extremoz  iniciou em julho de 2017, a derrubada do muro da lagoa na passagem da Vila, voltando a dar acesso a população.

   Contudo após uma ação judicial, alguns proprietários conseguiram uma liminar que suspendeu a ação de derrubada dos muros.

  Após um tempo o Ministério Público entrou com uma ação Civil Pública contra o IDEMA e Prefeitura para que proceda a adequação de toda margem da lagoa.

  Recentemente a ação que suspendia a derrubada teve seu mérito julgado, e à justiça decidiu que as construções estão irregulares, devendo  haver a imediata adequação das construções na margem, que enseja na derrubada de propriedades e Muros.

  A partir de hoje começa uma nova história esperada por moradores antigos de Extremoz, e que parecia impossível, mas se tornará realidade.

  Parecida com o que ocorreu no lago Paranoá em Brasília, em que mansões foram derrubadas na margem do lago e que a lagoa passou a ser devolvida ao povo.

W1s8lKj.jpg
A+ A-