Governo Federal quer levar a leilão em julho de 2022 o aeroporto de São Gonçalo do Amarante

Airton Bulhões,

   O Governo Federal confirma a proposta de realizar o leilão do aeroporto de São Gonçalo do Amarante no primeiro trimestre de 2022 e o de Viracopos até o terceiro trimestre do próximo ano. Já foi aberta  consulta pública para o de Viracopos.

  Os dois processos de relicitação estão em andamento aeroporto de São Gonçalo do Amarante (RN) e de Viracopos (SP), concessões que foram devolvidas à União por desinteresse dos atuais gestores.

  Está sendo preparada  a  7ª e última rodada de concessões dos aeroportos brasileiros, de acordo com o coordenador geral de acompanhamento de mercado do departamento de políticas regulatórias, da Secretaria Nacional de Aviação Civil, Daniel Ramos Lago.

  Atualmente, este é o principal projeto para o setor aeroportuário nacional, em que leiloar 16 aeroportos de uma única vez, retirando da Infraero a responsabilidade deste últimoo bloco de terminais, que ainda está sob sua gestão, e finalizando a privatização de todos os aeroportos do país.

  Destes 16 aeroportos, cinco são do Pará (das cidades de Altamira, Belém, Marabá, Parauapebas e Santarém), três são de Minas Gerais (Montes Claros, Uberaba e Uberlândia), outros três do Mato Grosso do Sul (Campo Grande, Corumbá e Ponta Porã), dois de São Paulo (Campo de Marte e Congonhas), dois do Rio de Janeiro (Jacarepaguá e Santos Dumont) e um do Amapá (Macapá).

  "Esta última fase de concessões já está em andamento, abriremos a etapa de consulta pública sobre isso, que considero uma das mais importantes do processo, muito em breve - o que deve ocorrer até o final deste mês, provavelmente", afirmou a gerente de outorgas aeroportuárias da Superintendência de Regulação Econômica de Aeroportos, da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Jacqueline Azevedo.

  Tudo isso segundo o coordenador geral de acompanhamento de mercado do departamento de políticas regulatórias, da Secretaria Nacional de Aviação Civil, Daniel Ramos Lago motivou o Governo Federal a transferir a administração dos aeroportos para a iniciativa privada, com o intuito de promover não só o aumento da capacidade, mas uma melhora na qualidade dos serviços prestados.

   "O que se mostrou uma decisão acertada, com resultados positivos ao setor e ao país. O principal deles foi a quantidade de aportes realizados a partir das concessões. Entre 2012 e 2020, tivemos R$ 17,4 bilhões investidos no setor", realçou.


A+ A-