Ceará e Maranhão são os mais chuvosos e o restante do NE tem 61,7% dos seus territórios com estiagem

Airton Bulhões,

    Segundo levantamento do Monitor das Secas da Fuceme (Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos) proporcionalmente, o Nordeste está com 61,7% de seu território com algum nível de estiagem.

  Os estados em situação mais confortável, isto é, que apresentaram maiores percentuais de suas áreas sem seca relativa, são o Maranhão (72,1%) e o Ceará (69%). Este último, inclusive, apresentou o trimestre - fevereiro a abril - mais chuvoso em 11 anos

 “O Monitor mostra que grande parte do Ceará atingiu uma condição de normalidade, com exceção da parte central, que ainda está sob seca fraca. Quando nós olhamos as precipitações de janeiro até agora, percebemos que esta área é a que teve totais menos significativos em relação às outras do estado”, comenta o presidente Funceme, Eduardo Sávio.

A situação mais crítica está no interior do Nordeste, correspondendo à grande parte da Bahia, onde estão áreas classificadas em seca grave. Lá, 89,7% do território está com alguma das categorias de seca.

  Em relação ao mapa do Monitor de Secas de março, todas as áreas apresentaram melhorias, seja reduzindo os níveis de seca ou ficando relativamente sem ela.

SAIBA MAIS

  Apesar das chuvas, o Nordeste ainda tem 143 dos seus principais 530 açudes com volume abaixo dos 30%, se acordo com dados atuais da Agência Nacional das Águas (ANA).

  No Ceará, o Castanhão, maior reservatório da América Latina, está com apenas 15,7% de sua capacidade total. Conforme a Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh), dos 155 reservatórios monitorados no estado, 40 estão sangrando, mas 50 estão com volume abaixo dos 30%.

foto: redegn.com.br
A+ A-