Banco do Brasil apresenta condições de linhas de crédito do Pronampe para microempresas

Airton Bulhões,

  O Banco do Brasil anunciou que prevê ofertar R$ 3,7 bilhões em crédito para mais de 180 mil microempreendedores individuais (MEI) e pequenas empresas.

 Entre as condições oferecidas, estão carência de oito meses, juros baseados na taxa Selic + 1,25% a.a., sem tarifa de abertura de crédito e sem contratação de prestamista. O lançamento aconteceu durante live com o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, e o vice-presidente de Negócios de Varejo, Carlos Motta.

A  instituição está preparada para atender os empreendedores que precisam de crédito para dar continuidade às suas atividades.

 “Nossa orientação aos gerentes é que não esperem os empresários nos procurarem, precisamos estar próximos do cliente e ofertar a melhor condição de crédito nesse momento de pandemia. O Banco do Brasil quer estar ao lado dos empreendedores  nesse movimento de retomada das atividades, disse o presidente do Banco do Brasil,  Rubem Novaes.

 Já existem 45 mil novos contratos aprovados para socorrer os pequenos negócios através do Pronampe. A proposta do Banco do Brasil é liberar esses recursos para manter a saúde das empresas e ajudar na retomada do crescimento da economia do país.  

  Os pequenos negócios são parte estrutural do sistema econômico brasileiro. Cerca de 52% dos empregos gerados no país são frutos desse setor, daí a importância de oferecer recursos que possam mitigar os efeitos da pandemia.

 “ Quando um banco concede crédito para uma empresa em situação de crise, ele está dispondo de condições para que o negócio volte a apresentar resultados positivos”, afirmou o presidente do Sebrae nacional, Carlos Melles, destacando que o Sebrae tem atuado desde o início para que essa demanda pelo crédito seja atendida o quanto antes.

bw5XI0n.jpg

BANCO PACTUAL DISPARADA CRÉDITO PARA MICRO

O BTG Pactual maior banco de investimentos da América Latina, concederá R$ 3 milhões em crédito para ajudar micro e pequenos empreendedores de todo país, em especial aqueles de regiões interioranas.

  Por meio de fintechs de pagamento, o banco está disponibilizando uma linha com o objetivo de minimizar os efeitos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

  Serão mil varejistas selecionados que terão acesso uma linha de microcrédito de R$ 500 a R$ 15 mil, com prazo de 24 meses para pagar, com a primeira parcela após 6 meses, com condições facilitadas.


Para selecionar os tomadores do crédito, o BTG Pactual priorizará negócios, setores e regiões mais atingidos pela pandemia e, portanto, com maior necessidade do recurso, como salões de beleza, oficinas mecânicas, bancas de jornal, armarinhos, entre outros.

"Nosso objetivo é apoiar os nano, micro e pequenos empreendedores, que neste momento lutam para manter as portas abertas, mas têm dificuldade em acessar linhas de crédito emergenciais. São pessoas que criam empregos, giram a economia e têm papel fundamental na dinâmica da nossa sociedade", destaca Roberto Sallouti, CEO do BTG Pactual.


A+ A-