Empresários e técnicos do Sebrae visitam comércio do Alecrim orientando sobre sua reabertura

Airton Bulhões,

 Com o slogan “SOS Protocolos” dirigentes empresariais foram ao bairro do Alecrim neste sábado pela manhã para conferir, orientar e tirar dúvidas dos lojistas que lotavam lojas e comércio de rua acerca dos protocolos previstos no Plano de Retomada Gradual da Economia iniciado nesta segunda-feira.

   A ação visa integra o esforço conjunto das entidades para fazer com que todos os procedimentos de biossegurança sejam obedecidos, garantindo que a retomada seja efetiva e definitiva.

   Segundo o presidente da Fecomercio, Marcelo Queiroz para continuar com o comércio aberto é necessários que todos adotem as medidas preventivas e cumpram rigorosamente os protocolos, reduzindo os riscos de propagação do novo Coronavírus.NMkWlWG.jpg

   Além disso, a população também deve ter a consciência para também frequentar os estabelecimentos somente em caso de necessidade e, também, adotar estes cuidados como uso da máscara e a distância entre as pessoas.

  Os estabelecimentos visitados receberam orientações de técnicos, capacitados pelo Sebrae, que tiraram as dúvidas dos lojistas e colaboradores e disponibilizaram cartazes informativos.

   “Essa ação de hoje é um exemplo que devemos seguir daqui para frente, tivemos uma boa recepção dos lojistas que estão atendendo o protocolo, para que não fechem seus estabelecimentos novamente. Além disso, a sociedade está apoiando e entendendo a necessidade desses cuidados”, afirmou Maria Luísa Fontes, vice-presidente da CDL Natal.



Banco do Nordeste anuncia R$ 264 milhões para o Plano Safra 2020/2021 no RN

Airton Bulhões,

A estimativa do Banco do Nordeste é de investir R$ 264 milhões no Rio Grande do Norte por meio do Plano Safra 2020/2021. Com este montante, o Banco visa beneficiar 29,3 mil produtores rurais. O volume representa 3% do total de recursos disponíveis.

No Plano Safra 2019/2020, o BNB aplicou no Estado potiguar R$ 255 milhões, que beneficiaram 28,8 mil produtores no campo.

No Rio Grande do Norte, para o percentual de 11,1% da rede bancária, o BNB teve participação de 80,4% nos financiamentos rurais do Estado, enquanto no Piauí, com 12,3% das agências, o Banco alcançou 79,9% do crédito rural. 

 O Banco do Nordeste tem recursos para atender a demanda do setor do agronegócio, em todos os portes de clientes, no volume de R$ 8,3 bilhões, o que representa um incremento de 6% em relação ao ano passado.

  O Banco do Nordeste é líder do crédito rural em sua área de atuação - os nove estados da Região e o norte de Minas Gerais e do Espírito Santo -, com participação média de  55,1% de todo o financiamento rural da região, mesmo que com apenas 8,3% das agências bancárias instaladas na mesma área de atuaç

No Ceará, esse percentual atingiu 76,9% (com 9,8% das agências); na Paraíba, 73,8% (com 8,9% das agências; em Sergipe, 65,6% (com 8,8% das agências); e Pernambuco e Alagoas, 60,3% (respectivamente com 7,4% e 9,7% das agências); no Maranhão, 53,3% (com 9% das agências); e na Bahia, 46,7% (com 6,7% das agências).

“O Banco do Nordeste tem sido um grande parceiro do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. E quando a gente vê as políticas que nos apresentou hoje, temos certeza de que conseguiremos alcançar nossos objetivos com o Plano Safra e promover o desenvolvimento do Nordeste de forma mais rápida", disse o presidente do Banco do Nordeste, Romildo Rolim.

Banco do Brasil apresenta condições de linhas de crédito do Pronampe para microempresas

Airton Bulhões,

  O Banco do Brasil anunciou que prevê ofertar R$ 3,7 bilhões em crédito para mais de 180 mil microempreendedores individuais (MEI) e pequenas empresas.

 Entre as condições oferecidas, estão carência de oito meses, juros baseados na taxa Selic + 1,25% a.a., sem tarifa de abertura de crédito e sem contratação de prestamista. O lançamento aconteceu durante live com o presidente do Banco do Brasil, Rubem Novaes, e o vice-presidente de Negócios de Varejo, Carlos Motta.

A  instituição está preparada para atender os empreendedores que precisam de crédito para dar continuidade às suas atividades.

 “Nossa orientação aos gerentes é que não esperem os empresários nos procurarem, precisamos estar próximos do cliente e ofertar a melhor condição de crédito nesse momento de pandemia. O Banco do Brasil quer estar ao lado dos empreendedores  nesse movimento de retomada das atividades, disse o presidente do Banco do Brasil,  Rubem Novaes.

 Já existem 45 mil novos contratos aprovados para socorrer os pequenos negócios através do Pronampe. A proposta do Banco do Brasil é liberar esses recursos para manter a saúde das empresas e ajudar na retomada do crescimento da economia do país.  

  Os pequenos negócios são parte estrutural do sistema econômico brasileiro. Cerca de 52% dos empregos gerados no país são frutos desse setor, daí a importância de oferecer recursos que possam mitigar os efeitos da pandemia.

 “ Quando um banco concede crédito para uma empresa em situação de crise, ele está dispondo de condições para que o negócio volte a apresentar resultados positivos”, afirmou o presidente do Sebrae nacional, Carlos Melles, destacando que o Sebrae tem atuado desde o início para que essa demanda pelo crédito seja atendida o quanto antes.

bw5XI0n.jpg

BANCO PACTUAL DISPARADA CRÉDITO PARA MICRO

O BTG Pactual maior banco de investimentos da América Latina, concederá R$ 3 milhões em crédito para ajudar micro e pequenos empreendedores de todo país, em especial aqueles de regiões interioranas.

  Por meio de fintechs de pagamento, o banco está disponibilizando uma linha com o objetivo de minimizar os efeitos da crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

  Serão mil varejistas selecionados que terão acesso uma linha de microcrédito de R$ 500 a R$ 15 mil, com prazo de 24 meses para pagar, com a primeira parcela após 6 meses, com condições facilitadas.


Para selecionar os tomadores do crédito, o BTG Pactual priorizará negócios, setores e regiões mais atingidos pela pandemia e, portanto, com maior necessidade do recurso, como salões de beleza, oficinas mecânicas, bancas de jornal, armarinhos, entre outros.

"Nosso objetivo é apoiar os nano, micro e pequenos empreendedores, que neste momento lutam para manter as portas abertas, mas têm dificuldade em acessar linhas de crédito emergenciais. São pessoas que criam empregos, giram a economia e têm papel fundamental na dinâmica da nossa sociedade", destaca Roberto Sallouti, CEO do BTG Pactual.



Banco 24Horas começa a atender moradores do município de Nova Cruz

Airton Bulhões,

Os moradores de Nova Cruz ganham a partir de agora o Banco24Horas. O caixa eletrônico multibanco pode ser encontrado na Rede MaisSupermercados localizado na Rua Frei Serafim Catânea, 500.

  Agora, os moradores e visitantes da cidade podem contar com mais facilidade e comodidade para realizar operações bancárias.

  No Banco24Horas, a população tem acesso a saques, consultas de saldo, emissão de extrato, pagamento de contas, a possibilidade de sacar o "coronavoucher", entre outras transações, sem pagar nada a mais por isso.

  São mais de 100 instituições financeiras conectadas em um único ponto de atendimento. Entre eles estão Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú e Santander.

  Os mais de 23 mil Banco24Horas podem ser encontrados em locais como supermercados, padarias, shoppings e postos de gasolina em todo o Brasil.

  Eles contribuem para o acesso da população bancarizada, desenvolvimento das cidades e aumento do fluxo de clientes e de vendas nos locais em que estão presentes. Os caixas eletrônicos ficam disponíveis 24 horas por dia, sete dias por semana (conforme o horário de funcionamento dos estabelecimentos onde estão instalados).

SAIBA MAIS

O cliente bancário de conta corrente pessoa física conta com saques sem tarifa todos os meses no Banco24Horas. O número de saques é definido no momento da contratação do pacote mensal da conta pelo cliente com sua instituição. Para aqueles que não contrataram um pacote, o Banco Central, por meio da resolução 3.919/2010, determina o benefício de 4 saques sem tarifa por mês, considerando a soma das operações realizadas nos canais do banco e no Banco24Horas.

41BcHqF.jpg

Correios e Serasa fazem parceria e consumidores podem renegociar dívidas nas suas agências

Airton Bulhões,

  Consumidores inadimplentes na base de dados do Serasa e precisam negociar dívidas diretamente com os credores, já podem regularizar suas pendências financeiras em uma das mais de 6 mil agências dos Correios espalhadas pelo Brasil.

  Este é o resultado da parceria firmada entre a estatal e Serasa  Experian para a prestação do serviço “Limpa Nome”.

  A proposta é dar mais uma opção aos consumidores que desejam renegociar suas dívidas através de pontos físicos, como as agências dos Correios.

  Os consumidores terão mais facilidade para obter informações sobre sua vida financeira e renegociar créditos com os mais de 40 parceiros dentro da plataforma.

  Muitas destas instituições têm anunciado planos emergenciais e condições especiais na oferta de crédito, uma oportunidade que se mostra ainda mais importante nesse contexto da pandemia de Covid-19.

  Uma vez que a dívida é negociada, o cidadão possui seus dados retirados do cadastro de restrição, tendo, assim, a possibilidade de adequar-se financeiramente.

Há ainda a possibilidade de consulta a acordos que foram gerados, para reimpressão de 2º via de boletos. Os valores para realização do serviço nas agências são os seguintes:

• R$ 3,60, por dívida negociada, e;

• R$ 2,60, por consulta a acordos (reimpressão de 2º via de boletos).

Por motivos de segurança, é obrigatório que o cidadão apresente documento de identificação oficial que contenha o número do CPF.

SAIBA MAIS

Os Correios já prestam vários serviços ao cidadão, como emissão de CPF; certificado digital; entrada no seguro por acidente de trânsito (DPVAT); consulta ao SPC/Serasa; documentos achados e perdidos e cadastramento do Auxílio Emergencial do Governo Federal.

Por meio do Balcão do Cidadão, os Correios estão ampliando a parceria com instituições públicas e privadas para a oferta de serviços e outras conveniências em suas agências.

  É uma oportunidade para órgãos públicos e empresas que querem potencializar a prestação de multisserviços, com o benefício da infraestrutura e da capilaridade das unidades de atendimento da estatal.



Mercado imobiliário volta a crescer e retomada ainda pode acontecer em 2020

Airton Bulhões,

   O mercado imobiliário que foi o primeiro a ser duramente atingido pela pandemia volta a retomar suas atividades com força e as empresas se readequaram para enfrentar esses novos desafios.

  Segundo o Apto, plataforma que conecta potenciais compradores de imóveis novos a construtoras e empreendimentos, no mês de maio houve um aumento de 36% nas buscas de imóveis novos pelo site, em relação ao mês de fevereiro, antes da pandemia.

  Para Alex Frachetta, CEO da plataforma, por se tratar de uma compra que é planejada por meses, o imóvel novo continuou no orçamento de alguns brasileiros.

  "O desejo de comprar um imóvel novo continua existindo, porém, como se trata da decisão de compra mais importante da vida das pessoas, a cautela aumentou durante a pandemia", explica Alex Frachetta, CEO do Apto.
  A empresa tem visto que as construtoras estão investindo, cada vez mais, em tours virtuais e contratos online. Isso porque os compradores de imóveis estão satisfeitos com esse formato, fechando negócios de forma totalmente virtual.

  "Sabemos que a recuperação do setor vai ser aos poucos e com muito trabalho, mas entendemos que são de situações difíceis como essa que surgem as melhores soluções", analisa Alex.
Apesar do sucesso que o meio digital tem feito com os clientes, o empresário acredita que as construtoras estão apenas aguardando o melhor momento para retornarem às atividades.

  "A expectativa é de que os próximos meses sejam intensos para compensar os meses de pandemia em que o mercado de lançamentos precisou ficar sem novidades", reforça Alex.
Ainda assim, o momento é de novas perspectivas para o segmento que teve a tecnologia como maior ganho. O período de pandemia tem sido de aceleração digital do mercado imobiliário, trazendo soluções práticas e assertivas para enfrentar a crise. "Com a pandemia muitas empresas foram obrigadas a mudar sua maneira de comunicação e interação. Com isso, acreditamos que videochamadas com corretores e meetings imobiliários online vieram para ficar", finaliza Alex.

SAIBA MAIS

  Fundado em 2015 pelo executivo Alex Frachetta, o Apto é uma plataforma 100% online que conecta com assertividade potenciais compradores de imóveis novos a construtoras e empreendimentos.

  O objetivo da startup é atuar como um shopping de residências recém-lançadas, em processo de apresentação da planta ou prontas para morar em diversas regiões do Brasil. Tendo mais de 80 construtoras como clientes, a empresa está presente nas principais cidades do país, como São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Goiânia, Campinas e Curitiba.

dyLWcR8.jpg

Banco Carrefour começa a operar como banco múltiplo integrando o sistema financeiro nacional

Airton Bulhões,

   O Banco Central autorizou a partir de agora o Banco Carrefour, braço financeiro do grupo Carrefour Brasil passar a fazer parte da Rede do Sistema Financeiro Nacional.

  O Banco Carrefour se integra aos sistemas e ambientes de liquidação bancária, trazendo, assim, uma maior amplitude aos produtos e serviços oferecidos.

  Como primeiro diferencial, o Banco Carrefour já passa a emitir os boletos para pagamento dos cartões Carrefour e Atacadão sob o código 368.

  O movimento traz praticidade para o cliente, já que, de agora em diante, com o pagamento da fatura, a liberação de crédito pode ser imediata. Além disso, abre-se possibilidade do consumidor utilizar a rede Banco24Horas para fazer a quitação de boletos.

  "Este é um movimento muito importante na história do Banco Carrefour. Além de trazer muita eficiência para a nossa operação de cartão de crédito, essa implementação nos permite acelerar novas iniciativas e produtos financeiros, a ser um dos pioneiros na adoção do PIX e explorar outros ativos ainda não monetizados dentro do nosso ecossistema mercantil” ressalta Carlos Mauad, CEO do Banco Carrefour.

   Além do mercado de contas digitais, que já está no horizonte da instituição desde a aquisição de 49% da fintech Ewally pelo Grupo Carrefour Brasil no final do ano passado, o novo formato de banco múltiplo abre a possibilidade da criação de novos produtos como investimentos, previdência privada e novas opções de crédito.

  O Banco Carrefour já está trabalhando, também, na adoção de soluções que vão transformar o sistema de pagamentos no Brasil, como o PIX, anunciado recentemente pelo Banco Central.

"Vamos trabalhar com ainda mais intensidade para que o Banco Carrefour continue sendo uma das principais ferramentas de inclusão financeira do mercado brasileiro", complementa Mauad.

Atualmente, o Banco Carrefour, único banco próprio de um varejista no Brasil, já é responsável pela emissão e administração do Cartão Carrefour, Cartão Atacadão e pelos serviços da plataforma Carrefour Seguros e Serviços.

SAIBA MAIS

O Banco Carrefour, parte do Grupo Carrefour Brasil, é o único banco próprio de um varejista no país e um dos maiores emissores de cartão de crédito dentro do mercado brasileiro.

  Atualmente, a instituição conta, além dos Cartões Carrefour e Atacadão, com um portfólio variado de produtos financeiros, que envolve empréstimos, seguros, entre outros. Ao todo, são mais de 700 colaboradores do Banco e outros mais de 3 mil profissionais de atendimento e vendas que fazem parte da instituição financeira.

E5vA7CO.jpg

Ponta Negra terá faixa de areia ampliada beneficiando banhistas e melhorando atração turística

Airton Bulhões,

    A praia de Ponta Negra terá a sua faixa de areia  ampliada em 30 metros na maré cheia e até 100 metros na maré baixa, com a liberação de R$ 39,8 milhões pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, que tem o potiguar Rogério Marinho como ministro.

Outra ação complementar será a recuperação da engorda e da praia, que tem como objetivo aumentar a área coberta por areia em Ponta Negra.

  O que vale ter o ministro, Rogério Marinho de uma pasta importante como a de Desenvolvimento Regional o terceiro maior orçamento do governo federal.

  Uma das obras efetuadas foi o enrocamento ao longo de dois quilômetros de encosta na Praia de Ponta Negra. A metodologia consiste na colocação de conjuntos de blocos de pedras ou outro material para proteger o talude contra a erosão das ondas.

  Outra iniciativa de grande porte visitada pelo ministro Rogério Marinho a Praia de Ponta Negra. Um dos cartões-postais da capital potiguar, a faixa litorânea vem sofrendo com a erosão do talude pela ação das marés e com o avanço do mar pela faixa de areia.

 Com recursos do MDR, repassados por meio da Defesa Civil Nacional, a prefeitura de Natall está realizando intervenções para dar estabilidade ao talude e aumentar a área para os banhistas.

  “Não tenho dúvidas de que a Ponta Negra será ainda mais realçada com essas intervenções. Essa obra não significa apenas uma mudança de paisagem. É uma retomada muito mais vigorosa dessa atividade que é tão importante para o Brasil, especialmente para o Nordeste, o Rio Grande do Norte e nossa cidade de Natal, que é a atividade turística e de serviços”, ressaltou Marinho.

SOJXsUO.jpg

Petrobras lança em agosto nova gasolina com maior proteção aos motores de veículos

Airton Bulhões,

    Os proprietários de veículos no País terão a partir de agosto nova gasolina atendendo à regulamentação da Agência Nacional de Petróleo, através da Petrobras.

   A qualidade intrínseca da gasolina vai aumentar em termos de octanagem  e massa específica, o que significa um combustível mais eficiente e melhor proteção aos motores dos veículos. Isso vai permitir uma redução no consumo de gasolina por quilômetro rodado, afirma a diretora de Refino e Gás Natural da Petrobras, Anelise Lara.

   A nova especificação é bem-vinda e vai aproximar a qualidade do combustível comercializado no Brasil ao  do mercado americano e europeu.

  A nova especificação (Resolução ANP 807/20) entrará em vigor em duas fases: a primeira em agosto de 2020 e a segunda em janeiro de 2022.

  A resolução estabelece que a gasolina comum, tanto a produzida no Brasil como a importada, tenha uma massa específica mínima de  715 kg/m³. Atualmente não existe requisito de massa mínima para a gasolina comercializada no Brasil. Além disso, a nova especificação também estabelece a necessidade de octanagem mínima de 92 pela metodologia de RON, mais adequada às novas tecnologias de motores que já estão sendo introduzidas no país.

SAIBA MAIS

  A diretora Anelise Lara também destacou os benefícios para o Brasil com a adoção do diesel parafínico renovável (HVO), conhecido também como Diesel Verde.

   O  novo combustível poderá atender, em conjunto com o Biodiesel já existente, a parcela de biocombustível que deve ser misturada ao diesel comercializado nos postos.

   A adoção do HVO melhora o desempenho dos motores, evitando problemas como entupimentos de filtros, bombas e bicos injetores que vem sendo observados na medida em que o teor de biodiesel que compõe o diesel comercializado ao consumidor final aumenta.

foto: clickpetroleoegas.com.br

Governo e Prefeitura reduzem ICMS e ISS para empresas urbanas da capital

Airton Bulhões,

   As empresas de transportes urbanos que atuam em Natal ganharam um subsídio dado pelo Governo do Estado e Prefeitura com a redução de tributos até o final do ano. A finalidade é desafogar o segmento no atual momento de dificuldade econômica e abrir mais possibilidades de equilíbrio financeiro.

   Pelo acordo entre Governo e Prefeitura será reduzido em 50% a cobrança sobre ISS e o Governo, 50% sobre a taxação de ICMS sobre os combustíveis.

  O modelo de incentivo será oferecido às empresas de transporte, sob a condição de que não haja aumento na tarifa cobrada aos passageiros durante o período de concessão do benefício.

  A Prefeitura de Natal e o Governo do Estado entendem ainda que o novo estímulo dá ao setor melhores meios para negociar o fim da greve implementada nesta semana pelos rodoviários.

  A categoria quer que as empresas mantenham o pagamento de vale-alimentação e plano de saúde. A questão de cunho trabalhista está sendo mediada pela Justiça do Trabalho já que a data base da categoria acontece no mês de maio, mas ainda não foi firmado o dissídio coletivo. Enquanto perdurar a greve, a STTU autorizou alternativos, empresas de fretamento e de transporte por aplicativo atuarem na cidade.

Participaram da reunião para fechamento do acordo os secretários municipais Fernando Fernandes (Governo) e Ludenilson Lopes (Tributação) e os secretários de Estado Raimundo Alves (Gabinete Civil) e Carlos Eduardo Xavier (Tributação).

Foto: Josenilson Rodrigues

oomCqbm.jpg

Governo adia reabertura do comércio e deixa empresários desanimados

Airton Bulhões,

 

    No final da manhã o secretário estadual de Tributação, Carlos Eduardo Xavier anunciou que o comitê científico que assessora o governo estadual pediu estender o distanciamento social e em outra palavras adiar a reabertura gradual do comércio, adiando o acerto feito pela Fecomercio e governo com abertura gradual das lojas a partir desta quarta-feria.

 Sobre essa decisão a Fecomercio  distribuiu na tarde desta terça-feira.

NOSSO LAMENTO, NOSSO DESÂNIMIO E NOSSA PREOCUPAÇÃO

  “Mais uma vez assistimos, com imensa preocupação, um adiamento do início efetivo da Retomada Gradual das Atividades Econômicas no Rio Grande do Norte. Infelizmente, não temos autoridade institucional para nenhuma atitude além das que já temos tomado.

Temos contribuído fortemente, desde o início, com todas as ações de suporte à sociedade e, de forma direta e indireta, com os governos municipais e estadual.

No entanto, parece que tudo tem sido em vão. O desânimo é inevitável.

Somos vítimas, como toda a sociedade potiguar, de uma postura que, por anos a fio, manteve nossa estrutura de saúde pública à beira de um colapso. E este colapso chegou com uma força descomunal – embora previsível – agora.

Um cenário que além de colocar em risco a vida de todos os norte-rio-grandenses, tem imposto ao setor produtivo do estado a maior e mais profunda crise de sua história, com consequências nefastas e praticamente imprevisíveis a curto, médio e longo prazos.

A nós, resta lamentar que todo o trabalho que fizemos não tenha sido suficiente. Um trabalho que, além do suporte à sociedade e aos governos, já citados, inclui, ainda um protocolo técnico de retomada e a preparação detalhada de empreendedores e colaboradores para aplicá-lo. Faltaram os governos! Todos, em todas as esferas!

Seguiremos aguardando – e cobrando - ações efetivas dos gestores públicos que possam viabilizar a retomada, que é urgente.

E, infelizmente, colecionando portas fechadas, empregos perdidos e histórias de desespero e falta de perspectiva. Vendo se esvair a dignidade de tantos empreendedores e trabalhadores deste estado, ceifada por um cenário que não fomos nós que criamos e sobre o qual, temos certeza, agimos muito além de nossas forças.

À sociedade, por fim, alertamos: a conta de tudo isso já está chegando.

E ela também não será baixa.” 

VEJA SOLICITAÇÃO DOS EMPRESÁRIOS REFORÇANDO ABERTURA DO COMÉRCIO

  A Federação do Comércio do RN expressou nesta terça-feira através de uma nota avalizada por 16 entidades representativas dos diversos segmentos empresariais desconforto com o posicionamento do Ministério Público Estadual, Ministério Público Federal e o Ministério Público do Trabalho para que o Governo do Estado reveja seu posicionamento acerca da reabertura dos estabelecimentos comerciais a partir desta quarta-feira (dia 24).

  Os dirigentes das entidades alegam esperar moderação do governo estadual para que seja construída uma solução de equilíbrio diante da pandemia (que é grave), mas, também, de números significantemente negativos para a economia potiguar.

  Foram mais de dez mil empregos perdidos; queda de quase R$  200 milhões em faturamento e expectativa de fechamento de cerca de 12 mil empresas do comércio no pós-pandemia com estimativa de 225 mil desempregados.

  Segundo a Fecomercio este posicionamento dos representantes do Ministério Púbico causa ainda mais estranheza pelo fato de que, no dia 28 de maio, os protocolos e ações transversais foram detalhados em uma reunião com os Poderes Públicos do Rio Grande do Norte, os citados ministérios e outros órgãos autônomos, não tendo sido registrada qualquer ressalva.

  E agora governadora ? O coronavírus não vai embora tão cedo e estimativas de cientistas é que essa infestação continue por anos, porém reduzida com a vacina que deve ser anunciada.

  O fato é que temos que conviver com o coronavírus com as devidas precauções, porque a economia chegou no limite. Se o governo federal não tivesse chegado com as parcelas de R$ 600,00, já teria ocorrido ninguém sabe o que.

  Os empresários alegam que estão todos tentando construir as melhores soluções. Buscamos o equilíbrio. ´”Estamos abertos ao diálogo! Mas, não é indevido registrar que, com a morte das empresas, está sendo sepultado o vínculo de emprego de milhares de trabalhadores deste Estado e, consequentemente, a paz de inúmeras famílias potiguares.”

SAÍBA MAIS

Veja as entidades empresariais signatárias desse alerta:


ABAV RN

ABIH RN

ABRASEL RN

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DO RN

ASSOCIAÇÃO DOS EMPRESÁRIOS DO BAIRRO DO ALECRIM

ASSOCIAÇÃO VIVA O CENTRO DE NATAL

CÂMARA DOS DIRIGENTES LOJISTAS DE NATAL

FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO RN

FEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES COMERCIAIS DO RN

FEDERAÇÃO DAS CÂMARAS DE DIRIGENTES LOJISTAS DO RN

FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO RN

FEDERAÇÃO DO COMÉRCIO DE BENS, SERVIÇOS E TURISMO DO RN

FEDERAÇÃO DOS TRANSPORTES DO NORDESTE

NATAL CONVENTION & VISITORS BUREAU

SEBRAE RN

SINDETUR RN

SINDICATO DE HOTEIS, RESTAURANTES, BARES E SIMILARES



Empregos ligados a saúde crescem durante a pandemia segundo pesquisa

Airton Bulhões,

A Catho realizou um levantamento para compreender os cargos de maior abertura de vagas durante a pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). O que mostra que até na crise os empregos surgem.

  Liderando o levantamento, está o fisioterapeuta respiratório, profissionais à frente das UTIs e responsáveis pelo manuseio de ventiladores mecânicos e intubação de pacientes, com crescimento de mais de 4.480%.

  Ainda na área da saúde, profissionais como fisioterapeuta hospitalar (1.555%), técnico em radiologia (732%), enfermeiro de UTI (648%) e técnico de enfermagem (527%) são os cargos de maior crescimento desde o início da implementação da quarentena.

. Outro crescimento expressivo aparece na área comercial, em que cargos como operador de call center (218%) e executivo de vendas (123%) mantêm crescimento na abertura de vagas mês após mês.

  Segundo o estudo, que analisa os meses de março, abril e maio de 2019 em relação a março, abril e maio de 2020, cargos ligados à área da saúde, comercial, logística, supermercadista e farmácia são as que mais apresentaram crescimento desde o início do isolamento social.

 

   Maio apresenta uma retomada da área comercial, diferentemente dos outros meses, cargos relacionados a vendas e atendimento ao cliente surgem com maior intensidade neste mês. 
   Profissionais como atendente de SAC (141%), vendedor (56%) e operador de televendas (46%) foram os que mais se destacaram.
Cargos na área de tecnologia, pelo segundo mês consecutivo, também aparecem com maior presença, caso dos programadores Java (112%), Mobile (111%%) e .NET (21%)

SAIBA MAIS

Com tecnologia de ponta, a Catho, empresa com mais de 800 colaboradores no Brasil, tem como missão mudar a vida das pessoas por meio do trabalho e carreira. A empresa faz parte do grupo Seek, líder mundial em recrutamento online e considerada a companhia mais inovadora da Austrália.



Fecomercio mostra sugestões para orientar o governo reabrir as atividades comerciais

Airton Bulhões,

   Os empresários do comércio estão apostando que sua proposta de retomada comece a vigorar como foi planejado e discutido com o governo do Estado começando a partir de 26 de junho a 7 de julho com orientações gerais para as em presas evitarem que a covid-19 retorne com mais força.

  As solicitações que exista o distanciamento de 1 metro entres as pessoas,

manutenção dos grupos de risco em quarentena domiciliar e teletrabalho.

  Uso obrigatório de máscaras de proteção em todo e qualquer ambiente público ou privado

  As lojas devem funcionar em horários alternativos para evitar aglomeração, com planejamento de horários alternados para colaboradores; entre outras..0F29krS.jpg

  Ficam autorizados a funcionar alguns estabelecimento do segmento de serviços (RH e Terceirização; Atividades de Informação, Comunicação, Agências de Publicidade, Design e afins; Centros de Distribuição, Distribuidoras, Depósitos; Atividades dos Serviços Sociais Autônomos, Sistema S (excluídas as respectivas escolas) e afins.

  Agências de Turismo; salão de Beleza, barbearias e afins); e alguns tipos de lojas (Artigos de Papelarias, Materiais de Escritório e Variedades; Produtos de Climatização; Bicicletas e Acessórios; Comércio de Plantas e Flores; Vestuário, Acessórios, Calçados; Bancas de Jornais e Revistas; Souvenires, Bijuterias e Artesanatos; Armarinho; Lojas de artigos usados).

  De 29 de junho a 3 de julho, estão autorizadas a funcionar lojas de até 600 m²  como lojas de móveis, eletrodomésticos, colchões e utensílios domésticos; Lojas de departamento e magazines (que não funcionem em Shoppings e Centros Comerciais); Loja de eletrônicos/ informática; Instrumentos musicais e acessórios;

  Equipamentos de áudio e vídeo; Equipamentos de telefonia e comunicação; Joalherias e relojoarias e comércio de joias; Lojas de cosméticos e perfumaria.

  De 4 a 7 de julho, estão autorizadas a reabrirem suas portas as lojas de brinquedos; lojas de artigos esportivos; lojas de artigos de caça, pesca e camping; e os estabelecimentos do segmento de alimentação (restaurantes, lanchonetes e food Parks), desde que tenham até 300m²; mantendo até quatro pessoas por mesa; distância de 2 m entre as mesas e de 1 m entre as pessoas.

 

  É proibido o consumo de bebida alcoólica no estabelecimento. Os food parks devem disponibilizar pias, torneiras com água e sabão e outros meios de higienização aos clientes.



Pandemia causa estrago no turismo brasileiro: R$ 6,76 bilhões o prejuízo em abril

Airton Bulhões,

   O turismo brasileiro sofreu queda de 55,4% no faturamento de abril em relação ao mesmo período do ano passado, maior retração da série histórica desde 2011.

  Além disso, foi o menor faturamento já registrado, de R$ 5,43 bilhões, com um prejuízo de R$ 6,76 bilhões em relação ao mesmo período do ano passado, de acordo com levantamento do Conselho de Turismo da FecomercioSP baseado em números divulgados pelo IBGE.

  Das seis atividades pesquisadas, cinco registraram baixa em seu faturamento real no comparativo anual, com destaque para transporte aéreo (-79,2%) e serviços de alojamento e alimentação (-65,6%).

  Levando-se em consideração que, no fim de março, muitas viagens foram canceladas ou remarcadas em decorrência do início da quarentena, ao somar os meses de março e abril, o prejuízo chega a R$ 9,5 bilhões, queda de 38,9% no bimestre. No acumulado do ano, a retração até o mês de abril foi de 18,3%.
 
  Para o Conselho de Turismo da FecomercioSP, não há expectativa de retomada do segmento em curto prazo: somente no último trimestre do ano que pode haver um respiro.

  Contudo, ao lidar com o vírus ainda em circulação e as rendas retraídas pela crise econômica, os consumidores estarão resistentes às viagens e se concentrarão nos gastos em serviços essenciais.

  O setor aéreo, por exemplo, já sinalizou que a expectativa para 2021 é de metade da demanda que havia antes da pandemia.
 
  A Federação recomenda que empresas que atuem nessa área e estejam registradas no Cadastur utilizem os recursos disponibilizados ao Fundo Geral do Turismo (Fungetur), ligado ao Ministério do Turismo, por meio da Medida Provisória 963.

  Os prazos de carência para amortização são de 12 a 48 meses, com taxa de juros de 5% a.a. mais a taxa do INPC.



Fazenda Nacional estabelece condições excepcionais na cobrança da dívida ativa da União

Airton Bulhões,

     A Procuradoria Geral da Fazenda Nacional publicou portaria que estabelece as condições para transação excepcional na cobrança da Dívida Ativa da União em função dos efeitos da pandemia causada pelo novo Coronavírus.

  A portaria estabelece que contribuinte pagar os débitos inscritos com benefícios como entrada reduzida, descontos e prazos diferenciados, conforme a sua capacidade de pagamento.

  Podem ser negociadas dívidas de até R$ 150 milhões, com benefícios específicos para pessoas jurídicas, e condições diferenciadas para pessoas físicas, empresários individuais, microempresas, empresas de pequeno porte, entre outros.

 A transação excepcional na cobrança da dívida ativa da União será realizada exclusivamente por adesão à proposta da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, através do acesso ao portal REGULARIZE disponível na rede mundial de computadores (www.regularize.pgfn.gov.br), mediante prévia prestação de informações pelo interessado.

O contribuinte deverá prestar as informações necessárias e aderir à proposta de transação excepcional formulada pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional no período de 1º de julho a 29 de dezembro de 2020.

   O pagamento das parcelas deverá ser efetuado exclusivamente mediante Darf emitido pelo sistema de parcelamento da PGFN, através de acesso ao portal REGULARIZE, sendo considerado sem efeito, para qualquer fim, eventual pagamento realizado de forma diversa da prevista nesta Portaria.



Comércio potiguar amarga queda recorde de vendas em abril

Airton Bulhões,

 Segundo o IBGE o comércio potiguar amarga queda de 11,6% em abril em comparação a março registrando a maior redução no volume de vendas da série histórica da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), que iniciou em janeiro de 2000.

  Apesar da retração inédita, o resultado negativo é o menor do Nordeste e a quarta menor redução do Brasil. Nacionalmente, a média de diminuição do volume de vendas foi de 16,8%, verificando-se redução em todos os estados e no Distrito Federal.

      O volume de serviços no Rio Grande do Norte, por sua vez, despencou 15,3% em abril na comparação com o mês anterior. Os dados são da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS) do IBGE.

   Está na hora da governadora abrir o comércio com o sem covid-19, o prejuízo é grande com milhares de desempregados no setor do comércio e de serviços. Todos os estados estão partindo para isso – somente RN, Alagoas e Paraíba persistem nesse fechamento com o governo toda semana publicando um decreto, vai que vai, fixa uma data, protela e a covid-19 continua e o povo morrendo nos hospitais públicos e o desemprego asfixiando a população que precisa trabalhar.

  Temos que aprender a conviver com essa doença, máscaras e distanciamento fazendo com que cada cidadão colabore e saiba se comportar quando sair de casa.PpYwIqq.jpg

PERDAS ACUMULADAS NO COMÉRCIO EM 2020

Quando comparado o volume de vendas de janeiro a abril de 2020 com o mesmo período de 2019, o Rio Grande do Norte registra redução de 6,5%. Das 27 unidades da federação, 24 apresentam números negativos nessa comparação. A média de redução do volume de vendas do Brasil é de 3%, nos quatro primeiros meses do ano.

          Na variação acumulada dos últimos 12 meses, o Brasil possui dois grupos: um com 12 unidades da federação que ainda acumulam variação positiva e outro grupo com 15 unidades da federação com resultado negativo. O Rio Grande do Norte está no segundo grupo com recuo de 1,7 no volume de vendas. A média do Brasil ainda é positiva nesse período: 0,7%.

        Na comparação com o mesmo mês do ano passado, o Brasil caiu 16,8%. O volume de vendas do comércio varejista no RN teve retração de 18%. No Brasil, a menor queda foi de Santa Catarina (7,4%); a maior, no Amapá (42,8%). Todas as unidades da federação registraram diminuição no volume de vendas em abril.

SAIBA MAIS


        Entre março e abril, o comércio varejista ampliado, que inclui as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção, caiu 14% no Rio Grande do Norte, menor do que a média do Brasil, que foi 17,4%.

       

        O volume de serviços no Rio Grande do Norte despencou 15,3% em abril na comparação com março. Essa foi a segunda menor redução em toda a série histórica do estado iniciada em 2011. Só em março de 2020, o tombo foi maior (19,4%). De janeiro a abril de 2020, o volume de serviços é 9,3% menor do que no mesmo período do ano passado.


Síntese do RN

Período

Varejo

Varejo ampliado

Volume de vendas

Receita nominal

Volume de vendas

Receita nominal

Abril/março

-11,6%

-11,1%

-14%

- 12,9%

Abril 2020/abril 2019

-18%

-13,9%

- 25,9%

- 21%

Acumulado 2020

- 6,5%

-1,7%

- 9,4%

- 4,6%

Acumulado 12 meses

- 1,7%

2,4%

-2,5%

1,3%

Fonte: IBGE, Pesquisa Mensal do Comércio

Período

Volume de serviços

Receita nominal de serviços

Abril/março

- 15,3%

- 16,3 %

Abril 2020/abril 2019

- 29,9%

- 27,1 %

Acumulado 2020

- 9,3%

- 7,1 %

Acumulado 12 meses

-2,3%

-0,5 %

Fonte: IBGE, Pesquisa Mensal de Serviços



Hiper Bompreço agora é Big Bompreço em Natal e no Nordeste

Airton Bulhões,

     O Grupo BIG avança dentro do seu projeto de reestruturação dos hipermercados, com as lojas Walmart e Hiper Bompreço passando a adotar a bandeira BIG Bompreço no Nordeste.

  Segundo a diretoria do grupo BIG projeto de reestruturação dos hipermercados, com as lojas Walmart e Hiper Bompreço passando a adotar a bandeira BIG Bompreço no Nordeste no Rio Grande do Norte será adotada a partir de junho. .

  Isso inclui a reestruturação das lojas e faz parte da estratégia de negócios do Grupo Big para a sua marca de hipermercados no Nordeste

  As unidades do Big Bompreço também estão preparadas para atender os novos padrões de segurança que visam combater à propagação do novo coronavírus no país.

  Entre as medidas estão o controle do número de clientes na loja, a instalação de placas de acrílico nos caixas, o reforço na higienização dos carrinhos e o uso de luvas e máscaras por parte dos funcionários.

  Ao finalizar amplas pesquisas e análises para escolha da bandeira das lojas, o Grupo Big optou por marcas regionais que resgatam o vínculo emocional com os consumidores.

  “Big é uma marca forte no Sul do País e bem avaliada no Sudeste, assim como Bompreço, amplamente reconhecido no Nordeste e conta com elementos importantes de afetividade que queremos resgatar” afirma Jorge Herzog, diretor executivo de Hipermercado do Grupo Big.

 Por isso ficou definido que arede de hipermercados da região o nome Big Bompreço, que reforça o respeito por uma das marcas mais fortes do varejo brasileiro. No Sul, Sudeste e Centro-Oeste, os hipermercados passam a ser “Big”.

  A reestruturação da companhia vai muito além da nova bandeira. “Nosso maior desafio é garantir que o consumidor perceba mudanças efetivas na operação” garante Jorge Herzog.

Lojas reformadas, com novo layout, novos serviços e um incremento de 35% no sortimento de produtos, incluindo o crescimento de itens regionais.

Acreditando  que com essas mudanças, o consumidor perceberá que de fato esse é um novo momento da organização.

SAIBA MAIS

  O Grupo BIG trabalha para assegurar o abastecimento em todas as suas lojas e para oferecer um ambiente seguro para funcionários e clientes.

   Como medidas de proteção contra a propagação da covid19, foram adotadas uma série de medidas preventivas em linha com a orientação fornecida pelos órgãos de saúde pública, como o afastamento, com licença remunerada, de todos os funcionários que fazem parte do grupo de risco.

  Outra medida importante é a orientação para que os funcionários utilizem máscaras e luvas durante toda a jornada de trabalho. Além disso, os operadores de caixa agora recebem álcool em gel para realizar a higienização das mãos após o contato as cédulas de papel.

  O uso de álcool também é utilizado para finalizar a higienização dos carrinhos de compra após a lavagem tradicional com água e sabão. O mesmo procedimento foi adotado para a limpeza dos corrimões.

 Na entrada das lojas, os carrinhos voltam a ser higienizados mais uma vez com o álcool em gel. Com as iniciativas, o Grupo BIG reforça o compromisso de manter as suas lojas abastecidas e em pleno funcionamento.

ajrHpoc.jpg

Corretores de imóveis estão autorizados pelo governo federal para comercializar imóveis da União

Airton Bulhões,

   Corretores de Imóveis passam a partir de agora comercializar os imóveis da União. Uma vitória para a categoria após uma luta que vem desde 1998. Sua importância é ainda maior em função do momento em que o país atravessa e representa mais uma fonte de negócios para quem atua no mercado e está inscrito regularmente no Creci. A lei que abre espaço para os corretores foi assinada pelo presidente Jair Bolsonaro dia 10 de junho.

 O Sistema Cofeci-Creci ainda trabalha para que as avaliações possam ser feitas por Avaliadores inscritos no CNAI. "Ainda será necessário firmar o convênio de cooperação com a Secretaria do Patrimônio da União, da mesma forma com que firmamos com a CAIXA", explica João Teodoro. A venda direta, de acordo com a lei, só pode ser disponibilizada depois de frustradas duas tentativas de venda por meio de concorrência ou leilão público.

 "Hoje, finalmente, nosso esforço foi consagrado com a sanção da Lei nº 14.011, de 10 de junho de 2020, especialmente num momento em que estamos fragilizados em nossas rendas por conta dos reveses trazidos pela pandemia do COVID-19", afirma João Teodoro, presidente do Sistema Cofeci-Creci.

SAIBA MAIS

  A Lei nº 14.011 aprimora os procedimentos de gestão e alienação dos imóveis da União. O artigo 24 da Lei 9636, de 15/05/1996, passa a vigorar com as seguintes alterações: "Art. 24 A - Na hipótese de concorrência ou leilão público deserto ou fracassado na venda de bens imóveis da União, poderão esses imóveis ser disponibilizados para venda direta”.

 " O parágrafo terceiro estabelece que "A compra de imóveis da União disponibilizados para venda direta poderá ser intermediada por corretores de imóveis. Caberá ao comprador o pagamento dos valores de corretagem".



RN acessa R$ 35,6 milhões da linha emergencial dos Fundos Constitucionais de Financiamento

Airton Bulhões,

    Mais de 6,8 mil operações de crédito emergencial dos Fundos Constitucionais de Financiamento do Norte (FNO) e do Nordeste (FNE) foram contratadas por empreendedores, cooperativas e informais destas regiões

  O Rio Grande do Norte foi o segundo no Nordeste  movimentando R$ 35,6 milhões (482 contratos). 

  Ao todo, foram concedidos R$ 522,6 milhões a pequenos comércios. A iniciativa do Governo Federal foi criada para mitigar os impactos econômicos da pandemia de Covid-19. São R$ 5 bilhões disponíveis para as duas macrorregiões.

Os recursos são administrados pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e concedidos por meio de bancos públicos: Banco do Nordeste e Banco da Amazônia.

 São R$ 3 bilhões destinados aos estados nordestinos, enquanto outros R$ 2 bilhões atendem o Norte. Nas duas regiões, quase 90% das operações foram realizadas para pequenos e microempreendedores.

“A nossa orientação é de pulverizar as aplicações dos recursos chegando ao maior número de beneficiários e municípios possível. Essas linhas de crédito emergencial são essenciais para que os empreendimentos possam superar esse momento de pandemia e para que economia local possa girar”, destaca o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho.

  Os empreendedores do Ceará acessaram R$ 56,3 milhões (750 contratações), enquanto os do Rio Grande do Norte movimentaram R$ 35,6 milhões (482 contratos).

  Na sequência, aparecem Paraíba, com R$ 35,3 milhões (466 acordos); Maranhão, com R$ 34,4 milhões (435 operações); Piauí, com R$ 30,5 milhões (414 contratos); Alagoas, com R$ 18,2 milhões (235 operações financeiras); e Sergipe, com R$ 14,9 milhões (190 financiamentos).

Trabalhadores autônomos, pequenos comércios e cooperativas em municípios do Norte de Minas Gerais e parte do Espírito Santo, também na área de atuação do FNE, tiveram acesso a R$ 42,2 milhões em 584 contratos.



Federação de Bancos publica pesquisa sobre os desejos dos consumidores com a retomada econômica

Airton Bulhões,


  A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) lançou nesta sexta-feira o “Observatório Febraban” que vai a partir de agora através de pesquisas  vai ampliar a aproximação dos bancos com a população e a economia real, de forma cada vez mais transparente após a retomada econômica.

  A primeira edição do novo Observatório identifica quais são as expectativas da população que possui contas em bancos para a retomada das atividades econômicas no período pós-pandemia.

  E revela que uma série de tendências de comportamento e consumo adotadas durante o período de isolamento social tende a continuar no pós-Covid. O "novo normal" indica ser, dessa forma, cada vez mais normal no dia-a-dia desses brasileiros.

  Os empresários do comércio de vários segmentos fiquem atentos as demandas dos brasileiros com o término da pandemia para projetar como fazer para atrair os consumidores ávidos por comprar.

  Realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) - uma das instituições mais respeitadas do setor, com 35 anos de atuação em estudos de mercado e de opinião pública -, a primeira edição do novo Observatório Febraban ouviu amostra de mil pessoas representativa da população adulta bancarizada, de todas as regiões do País, entre os dias 1º e 3 de junho.

Entre outros dados, o estudo identificou que:

45% dos entrevistados afirmam que irão dedicar mais tempo à família e aos filhos;

30% pretendem aumentar as compras feitas via e-commerce;

28% planejam usar mais os serviços de delivery;

27% querem aumentar o trabalho na modalidade home office;

37% preveem, por outro lado, diminuir suas viagens - o que pode indicar receio de contaminação pela Covid-19.

  Esses indicadores otimistas também se revelam em uma série de intenções de consumo - "uma pista de que existe uma demanda reprimida, que pode ajudar em uma recuperação mais rápida da economia", afirma Isaac Sidney, presidente da Febraban.

A pesquisa mostra que, por exemplo:

58% dos entrevistados pretendem manter ou aumentar seu volume de compras;

60% também querem manter ou elevar seu uso do cartão de crédito;

15% planejam usar crédito bancário na compra de material de construção para reformar seu imóvel;

15% têm intenção de financiar a compra de imóveis, apontando o potencial desse mercado;

14% dizem também que irão contratar financiamento para adquirir carros e motos

  Mais desejos dos consumidores:

·  75% vão aumentar a frequência aos supermercados em 78% dos pesquisados 

66% vão aumentar continuar ou aumentar a frequência

55% comércio de rua

47% bares e restaurante

 47% shoppings



SAIBA MAIS

  Realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) - uma das instituições mais respeitadas do setor, com 35 anos de atuação em estudos de mercado e de opinião pública -, a primeira edição do novo Observatório Febraban ouviu amostra de mil pessoas representativa da população adulta bancarizada, de todas as regiões do País, entre os dias 1º e 3 de junho.

 A Febraban - Federação Brasileira de Bancos - é a principal entidade representativa do setor bancário brasileiro. 

O quadro associativo da entidade conta com 119 instituições financeiras associadas, as quais representam 98% dos ativos totais e 97% do patrimônio líquido das instituições bancárias brasileiras.

osfzKGT.jpg
1-20 de 2104