Tecendo o Fio das Palavras

(Re) começo

Monique Pimentel,

Estava há um tempo afastada dos meus fios que entrelaçam sentimentos, palavras e emoções. Imersa em outros projetos, deixei esse um pouco adormecido. Mas sempre via alguma coisa, vivia algo, sentia e vinha aquela vontade: “Vou escrever sobre isso”. Mas o tempo passava e a vontade adormecia.

Eis que hoje recebi um lindo e especialíssimo presente de uma amiga, o livro “notas sobre ela” de Zack Magiezi, de quem sou fã declarada e com uma dedicatória dele que dizia: “Monique, continue escrevendo o mundo precisa”. Aí não tive como não correr ao computador e dedilhar essas palavras na tela branca. Escrever é como achar as notas de uma canção, traduzir em palavras o que transborda no nosso coração pulsante.

E aproveito para compartilhar com vocês uma das notas do livro que ganhei: “Ela gosta de pessoas que deixam a maioria de sua beleza do lado de dentro”.

Nesse mundo cada vez mais ao contrário, teimo e insisto em seguir a linha do que faz sentido, do que verdadeiramente faz sentido, amor que pulsa, família, amigos por perto, trabalho que alegra meus dias e especialmente encontrar e reconhecer pessoas que tem esse lado de dentro lindo.

Confesso que às vezes, dá vontade de dizer: “Parem o mundo que eu quero descer”, como disse sabiamente Vanessa da Mata na sua música Homem Invisível no Mundo Invisível:

Parem esse mundo que eu quero descer
Tudo é dinheiro, o amor pra onde vai?
Quero um abraço dos meus bons amigos
Pois nenhum dinheiro compra um verdadeiro

O amor vai ao encontro do que nos traz paz e do que vibra nosso coração com a serenidade de quem ainda acredita na beleza que existe em cada um de nós.

E assim a gente vai (re)começando a cada dia, acreditando e levando da vida o que ela pode nos oferecer de melhor.

E assim a gente vai escrevendo, cantando, dançando e vibrando coisas boas porque o mundo precisa.

Gratidão!


A+ A-