Os desafios da governadora Fátima Bezerra

Alexandre Cavalcanti,

A governadora eleita Fátima Bezerra (PT) está diante da seguinte situação: para promover o ajuste fiscal, - equilíbrio das contas públicas -, terá, obrigatoriamente, que fazer o que sempre combateu. Primeiro, enxugar a folha de servidores, cortando privilégios e congelando gratificações, quinquênios e outras vantagens; em segundo lugar, terá que reduzir o tamanho do Estado: o famoso programa de privatizações.

Ou faz ou não governa. Entre o risco de repetir as atuações dos antecessores, - Rosalba Ciarlini (PP) e Robinson Faria (PSD) -, que fizeram um governo de final melancólico, e entrar para a história como quem contrariou todas as expectativas e tirou o Estado da crise,  não há sequer o que pensar.

Seria fácil não fosse o discurso do PT e da própria candidata. Como enxugar a folha estadual, congelando vantagens e direitos adquiridos? Como irão se posicionar os sindicatos dos professores e dos servidores públicos, que ajudaram a construir sua eleição?

E quanto as privatizações? Quais empresas estariam prontas para serem privatizadas? A Caern - Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte - está na relação dos bens que podem ser vendidos? Não esquecer que a venda da Caern era o sonho do governador Robinson Faria.

Tudo isso está na cabeça da governadora eleita Fátima Bezerra. Não sabe, entretanto, se encontrará um ambiente político favorável. 


Tags: Desafios Folha Privatizações
A+ A-