O RN na contramão eleitoral

Alexandre Cavalcanti,

O Estado do Rio Grande do Norte gosta de contrariar os poderosos e andar na contramão. Em 2010, no auge do governo petista, na sucessão do então presidente Lula, - mais de 80% de aprovação, o presidente em fim de governo com maior índice de popularidade, elegeu Rosalba Ciarlini, do DEM.

Agora, em 2018, no pior momento do Partido dos Trabalhadores, Lula condenado em segunda instância e preso, o Rio Grande do Norte desconhece o fenômeno Bolsonaro e o antipetismo instalado no País e elege Fátima Bezerra, do PT.

O nosso Estado parece deslocado do resto do País, em matéria eleitoral. Ainda em 2010, no melhor momento do PT, Lula entrou firme na campanha para derrotar o senador José Agripino (DEM) e perdeu a guerra. 

E para mostrar a independência do Estado, os norteriograndenses elegeram Agripino contra Lula e Garibaldi a favor, em uma mesma eleição. Quando decidiu acabar com a festa, derrotou os dois, nas eleições de 2018.

Tags: Contramão Eleição PT
A+ A-