Está claro a tentativa de desestabilização do governo

Alexandre Cavalcanti,

Em que pese o discurso um tanto quanto atrapalhado do presidente Jair Bolsonaro, pior do que os efeitos do novo coronavirus é a tentativa de setores importantes da classe política e da grande mídia em desestabilizar o governo. Basta acompanhar o noticiário das principais redes de TV e dos grandes jornais, responsáveis pela distribuição de notícias para o interior do País, para se chegar facilmente a essa conclusão.

É crise sobre crise. Não tem no mundo quem escape. Caso Bolsonaro, no final da fase mais aguda do coronavirus, permaneça no Poder, não terá vencido apenas "uma gripezinha", mas todos os seus adversários de uma só vez, inclusive, os aliados de ocasião (oportunistas eleitorais), João Dória, governador de São Paulo; e Wilson Witzel, do Rio de Janeiro.

Esse rapaz de São Paulo é um político carreirista. Desconfio das intenções de João Dória desde que se fantasiou de gari para inaugurar sua gestão na Prefeitura de São Paulo. E agora, com o apoio da grande mídia, tenta desestabilizar o presidente Bolsonaro para, de São Paulo, governar o Brasil. E haja Coronavirus.

Tags: Desestabilização Governo Políticos
A+ A-