Candidatos não atendem desejos da população

Alexandre Cavalcanti,

As eleições de outubro próximo vão ratificar o que vem acontecendo em eleições suplementares Brasil a fora: a descrença do eleitorado com os seus representantes, no Legislativo e no Executivo. Foi assim no Amazonas e, mais recentemente, no Estado do Tocantins, quando 49% do eleitorado decidiram não votar em nenhum dos candidatos ou não compareceram às urnas.

O desgaste da classe política nunca foi tão grande. Anteriormente, da Lava Jato prá trás, os políticos recebiam críticas, mas a maioria era absolvida pelo voto do eleitor no pleito seguinte. Agora, a tarefa parece bem mais complicada: o eleitorado, assustado e escandalizado, tem emitido sinais de que pretende cortar o mal pela raiz.

Aqui no Estado, por exemplo, as últimas pesquisas, de todos os institutos, mostram que a maioria do eleitorado não foi sensibilizado por nenhum dos candidatos apresentados até agora. Isso mostra a revolta do jovem, da dona de casa e do chefe de família. Como essa turma vai se comportar no pleito de daqui a pouco?

Caso não apareça quem transmita confiança e sensibilize o eleitorado, o número de votos brancos, nulos e abstenções podem até crescer e ultrapassar o do Tocantins. Até agora, o eleitor tem dito e repetido, sucessivamente, que Fátima Bezerra, Carlos Eduardo e Robinson Faria não atendem aos seus desejos

Tags: Candidatos Desejos Eleitorado
A+ A-