Autoridades calam diante da violência

Alexandre Cavalcanti,

O silêncio como resposta. Autoridades do Estado e do Município não fizeram qualquer comentário sobre os índices de violência no Rio Grande do Norte, especialmente, em São Gonçalo do Amarante, terceiro município mais violento do Brasil. A constatação é do Atlas da Violência, divulgado, em rede nacional, em todas as redes de televisão e nos principais jornais do País.

Teoricamente, São Gonçalo do Amarante, região Metropolitana de Natal, Rio Grande do Norte, era para ser o município mais protegido do Estado. Tem uma senadora: Zenaide Maia Calado Pereira dos Santos; um deputado federal: João Maia, irmão da senadora Zenaide; um secretário de Estado: Jaime Calado Pereira dos Santos, marido da senadora; e um prefeito: Paulo Emídio Medeiros, integrante desse grupo político. O vice-prefeito, Eraldo Paiva, é do mesmo partido da governadora Fátima (PT).

A governadora Fátima Bezerra (PT) foi durante toda sua vida pública, - deputada estadual, deputada federal e senadora da República -, a principal voz a criticar os governos pela falta de segurança no Estado. Até agora não deu uma palavra.

O município de São Gonçalo do Amarante é a cidade mais violenta do Estado e a terceira em todo o território nacional. Perde apenas para Maracanaú, no Ceará, e Altamira, no Estado do Pará, palco de uma chacina no presídio, onde morreram, de uma só vez, mais 60 detentos.


Tags: Autoridades São Gonçalo Violência
A+ A-