Coligação do PSD pode fazer cinco federais

Alexandre Cavalcanti,

Começou a guerra eleitoral, também, para a Câmara Federal. São oito cadeiras em jogo e 116 candidatos.

Firmadas as coligações partidárias, a divisão das cadeiras deve ficar assim:

Coligação PSD/PSDB/PSB/PRÓS/PR/AVANTE/PRB/PTC elege 05(cinco) deputados.

Coligação PDT/DEM/MDB/PP/Podemos elege 02 (dois) deputados.

Coligação PT/PHS/PCdoB elege 01(um) deputado.

A coligação liderada pelo PDT, de Carlos Eduardo Alves, pode emplacar o terceiro deputado caso o PT não atinja o número de votos para eleger o seu representante. 

Há, também, a possibilidade do ex-prefeito Benes Leocádio (PTC) retirar sua candidatura, enfraquecendo a coligação liderada pelo PSD, do governador Robinson Faria.


A nova composição da Assembléia

Alexandre Cavalcanti,

Montadas as coligações partidárias e registradas as candidaturas, como fica a nova composição da Assembléia Legislativa? Os eleitos devem obedecer a proporcionalidade. Os partidos mais votados, ocupam, logicamente, o maior número de cadeiras. 

Especialistas políticos, mestres em coligações e em cálculos eleitorais, garantem a seguinte composição da nova Assembléia, em 2019:

Coligação PSD/PSDB/PRÓS/PSB/PR elege 11(onze) deputados;

Coligação PDT/MDB/DEM/PP/Podemos elege 03(três) deputados;

Coligação PPS/PTC/PMB/PTB/PRP elege 02 deputados

Coligação PT/PCdoB/PHS elege 03 deputados

Coligação Avante/PRB elege 01(um) deputado

Coligação Solidariedade/PV elege elege 02(deputados)

Coligação PPL/PSL/PEN/DC/PSC elege 02 (dois) deputados 

Algumas alterações podem acontecer durante a caminhada até o dia 7 de outubro. Na maioria das  vezes, ocorrem desistências, especialmente, em pequenos partidos.

Nesse caso, a coligação liderada pelo PSD, do governador Robinson Faria, pode ganhar mais um deputado( vai de 11 para 12 parlamentares). O mesmo pode acontecer com a coligação liderada pelo PDT, de Carlos Eduardo Alves( aumentando de 03 para 04 deputados). 

Como a composição da Assembléia é de 24 deputados, qualquer coligação só pode aumentar o número de cadeiras, se houver queda em outras coligações.




Zenaide eleva temperatura política em São Gonçalo

Alexandre Cavalcanti,

Orientada ou por conta própria, a deputada Zenaide Maia Calado (PHS) decidiu elevar a temperatura no ambiente político de São Gonçalo do Amarante. Ontem, quinta-feira, 16/08, Zenaide não pediu votos para a candidata Terezinha Maia(PR), primeira dama do Município. Esquecimento? Inabilidade? Ou teria sido de propósito, afinal a filha de Zenaide, - Mada Calado Maia (PT) -, também, é candidata a deputada estadual.


Tudo isso aconteceu na festa de lançamento da candidatura da mulher do prefeito Paulo Emídio(PR), o Paulinho da Habitação. Zenaide, também, só chegou ao Auto Esporte Atlético Clube, em São Gonçalo, depois que o irmão, João Maia, presidente Estadual do PR e candidato a deputado federal, já tinha saído.

Manhoso, Paulinho não abre o bico. A única declaração, continua prevalecendo: "Não tenho nada contra nenhuma candidatura. Mas, a minha candidata é Terezinha".

Tá todo mundo apostando que dia oito de outubro, dia seguinte da eleição, o jornal oficial do Município trará toda a insatisfação do prefeito Paulo Emídio. Quem viver, verá.


Debate mostra candidatos sem criatividade

Alexandre Cavalcanti,

Os candidatos a governador do Rio Grande do Norte evitam falar sobre equilíbrio fiscal e optam por esconder a verdade. O primeiro debate dos candidatos, na Bandeirantes, mostrou o trio principal, - Fátima Bezerra (PT), Carlos Eduardo Alves (PDT) e Robinson Faria(PSD) -, mais preocupados em desconstruir a imagem do concorrente do que tocar em temas como o ajuste fiscal - déficit da previdência, atrasos contínuos da folha de servidores e outros bichos.

Não é novidade para ninguém que qualquer que seja o governador eleito terá, obrigatoriamente, que cortar gastos. E como serão esses cortes? Enxugamento da folha, - demissão de servidores, redução de cargos de confiança? E o déficit da previdência estadual? O custeio da Saúde e o fim do corredor da morte?

Aqui e acolá alguma referência a insegurança pública, motivado mais pelo trágico acontecimento que culminou com a morte do filho de Benes Leocádio, ex-prefeito de Lajes e candidato a deputado federal.

Deu a impressão que os candidato estão mais preocupados em se aproveitar das falhas dos concorrentes do que apresentar propostas sérias e exequíveis.






Muita movimentação nos meios políticos

Alexandre Cavalcanti,

E continuam as acomodações políticas. Nesta sexta, dia 17/08, o grupo da vereadora Sandra Rosado (PSDB) anuncia apoio à candidatura Carlos Eduardo Alves/Kadu Ciarlini ao governo do Estado. O gesto garante os votos da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) à reeleição da deputada Larissa Rosado (PSDB), filha de Sandra. 

A troca de votos não fica por aí. O grupo de Sandra se compromete, também, a contribuir com a reeleição do deputado federal Beto Rosado(PP), filho do ex-deputado Betinho Rosado, presidente Estadual do Partido Progressista.

De Mossoró para São Gonçalo do Amarante. Depois de anunciar o apoio do vereador oposicionista Édson Arcanjo (MDB) à candidatura da primeira dama, Terezinha Maia (PR), - desfalcando o eleitorado do deputado Gustavo Fernandes (PSDB) -, o prefeito Paulo Emídio (PR), promete novos avanços contra os concorrentes.

Agora quem deve sair perdendo é o deputado Hermano Morais (MDB). Os vereadores Chance Dantas(PRB) e Édson Valban (PV), ligados ao parlamentar, foram seduzidos pelos encantos da primeira dama e anunciam, no início da próxima semana, apoio explícito ao projeto político Paulo Emídio/Terezinha Maia.

Em Canguaretama, o ex-prefeito Wellinson Ribeiro desistiu de ser candidato a deputado estadual e rompeu com o governador Robinson Faria (PSD). Em Parelhas, outra desistência: Dr.Thiago Almeida não é mais candidato a Estadual. Decidiu apoiar a reeleição do deputado Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB).



Bandidos sequestram e matam filho de Benes

Alexandre Cavalcanti,

Bandidos sequestraram e mataram o jovem Benes Leocádio Júnior, filho do ex-prefeito de Lajes e candidato a deputado federal, Benes Leocádio. Os marginais sequestraram o jovem, de 16 anos, no bairro do Tirol e seguiram para a Zona Norte. Lá efetuaram os disparos. O rapaz, ainda, foi socorrido, mas não resistiu.


Mendes confirma candidatura e diz não aceitar pressões

Alexandre Cavalcanti,

O vereador Raimundo Mendes (PMB), presidente da Câmara de São Gonçalo, confirmou sua candidatura a deputado estadual e disse não aceitar pressões "de quem quer que seja". Mendes considera viável o seu projeto político e nem de longe aceita conversar sobre a retirada do seu nome.

As declarações do vereador Raimundo Mendes refutam informações de que o prefeito Paulo Emídio (PR) o estaria pressionando a sair da disputa em favor da candidatura de sua mulher, Terezinha Maia (PR).

Para Raimundo Mendes, Paulo Emídio não tem como pressioná-lo. "Ora, ele não conseguiu obstruir a candidatura de Mada Calado Maia (PT), filha de Jaime e Zenaide, e nem a do vice-prefeito Eraldo Paiva (PT), porque teria o poder de interferir em meu projeto político?" Indagou o presidente da Câmara.

Raimundo Mendes disse que a sua coligação fará três deputados estaduais, com a possibilidade de um quarto. "Estamos na disputa ao lado de outros valorosos companheiros", concluiu o vereador.



O dinheiro desaparece pelo ralo nas prefeituras

Alexandre Cavalcanti,

Alguém da força tarefa da Lava Jato detectou: "enquanto os holofotes estão direcionados para o presidente, ex-presidentes, senadores, deputados e empresários, o dinheirão passa folgado nos ralos das administrações municipais".

A prisão do prefeito Robson Batata (PSDB), de Caicó, acusado de desvio de recursos públicos, reabre uma velha discussão: para onde vai a montanha de recursos transferida aos cofres públicos municipais? 

Fundo de Participação, ICMs, IPTU, ISS, Taxa de Iluminação, Licença Ambiental, Alvará, Emenda Parlamentar e convênios(estaduais e federais), são algumas das rubricas que, transformadas em dinheiro vivo, abastecem o erário público dos mais de 5.500 municípios brasileiros.

E, ainda, tem que diga, em alto e bom som, que as UPAs quebram os municípios. Ora, vejam só: a despesa mensal de uma UPA para o município gira em torno de 800 mil reais mês, 9 milhões e 600 mil por ano. Para quem arrecada 600 milhões por ano, não representa nada ou quase nada.




Sucessão estadual provoca desavenças municipais

Alexandre Cavalcanti,

A sucessão estadual começa a expor a fragilidade das alianças e composições municipais. As dissensões são mais visíveis em Natal e na região Metropolitana, onde estão em jogo os maiores orçamentos municipais, - Natal, Parnamirim, São Gonçalo e Macaíba.

Na capital, o prefeito Álvaro Dias (MDB) não precisa andar muito para encontrar o primeiro obstáculo. Do outro lado da rua, na Assembléia Legislativa, o deputado Hermano Morais, do mesmo partido, espera pacientemente uma oportunidade. Hermano disputou com Álvaro a indicação de candidato a vice-prefeito de Carlos Eduardo Alves (PDT). O deputado Nélter Queiroz (MDB) fecha com Hermano.

Em Parnamirim, o prefeitoTaveira torce pela vitória do ex-prefeifo Maurício Marques (PHS) para deputado estadual. Em caso de derrota, Maurício, sucessor de Agnelo Alves, irá atrapalhar o projeto de reeleição do prefeito Taveira.

Em São Gonçalo do Amarante, a situação é bem mais complicada. O prefeito Paulo Emídio (PR) lançou a mulher, Terezinha Maia (PR), candidata a deputada estadual. Ao mesmo tempo, o casal Jaime/Zenaide lançou a filha, Mada Calado Maia (PT), também candidata a estadual. Paulinho deu pulo de todo tamanho mas não conseguiu tirar Mada da disputa.

Paulinho da Habitação, como Paulo Emídio gosta de ser chamado, já avisou: dia oito de outubro, - um dia depois do pleito -, vem aí. Pelo aviso, a caneta vai funcionar. "No dia seguinte, - adiantam amigos do prefeito -, vamos precisar de algumas edições do jornal oficial".

Isso tudo não é nada. Grave mesmo é a decisão de Paulo Emídio disputar à reeleição. "Se Jaime quiser mandato vão ter que esperar, pelo menos, mais seis anos", confirmarm interlocutores privilegiados de Paulo Emídio. Jaime esperava, segundo seus correligionários, que Paulinho devolvesse a Prefeitura já em 2020. Nada feito.

Apesar de negar, Paulinho da Habitação Já não torce tanto pela eleição de Zenaide para o Senado. Caso sejam derrotadas, - mãe e filha ( Zenaide, para o Senado, e Mada, para deputada) -, o projeto de Paulo Emídio, já em curso, será acelerado.

Em Macaíba, o prefeito Fernando Cunha (PSD), hoje, só tem um projeto: eleger a cunhada, Ederlinda Dias (PSD), deputada estadual. Lá na frente é onde mora o X do problema. o presidente da Câmara, Gelson Lima, sonha em ser o candidato à sucessão de Fernando. Correndo por fora, entretanto, aparece a força da juventude: Netinho Soares, filho do ex-prefeito Luizinho Gonzaga Soares.




Incerteza apavora classe política

Alexandre Cavalcanti,

A incerteza sobre novas operações do MPF ou do MPRN, durante o período eleitoral, tira o sono dos políticos. É aquela velha história da tragédia anunciada. Parte considerável da classe política teme ser o "Batata" de amanhã, numa referência a prisão, hoje, terça-feira, 14/08, do prefeito de Caicó, Robson Batata.

Amanhecer com promotores e policiais, na porta de casa, provoca pavor em todo mundo. Ser abordado em cima do palanque ou até ser preso, em meio a uma mobilização política, no meio do povo, - pega, pega, -, é mesmo que matar.

Diante desse quadro, a campanha deve transcorrer em um ambiente de muitos sobressaltos. Tem, também, claro, o outro lado da moeda: "quem não deve, não teme".


Prisões em Caicó repercutem diretamente na eleição

Alexandre Cavalcanti,

A prisão do prefeito Robson Batata e do vereador Lobão, de Caicó, supostamente envolvidos em atos de corrupção, deflagra a temporada de caça aos políticos no Estado do Rio Grande do Norte. A Operação Cidade Luz envolve desvio de recursos públicos em vários municípios do Estado, a partir de Natal, Grande Natal, Seridó e outras regiões.

A Operação de hoje, em Caicó, tem repercussão eleitoral. O prefeito Batata e o vereador Lobão eram peças importantes na campanha de Carlos Eduardo Alves (PDT), em Caicó e em toda região do Seridó. O prefeito Álvaro Dias (MDB), de Natal, sofre, também, importante baixa na campanha de seu filho, Adjuto Dias, para deputado estadual.

Mesmo diante desses fatos, o lado do governador Robinson Faria (PSD) e a campanha da candidata Zenaide Maia (PHS), ao Senado, na chapa de Fátima Bezerra (PT), não podem festejar. Recentemente, o ex-deputado João Maia (PR), candidato a deputado federal, foi alvo de desdobramento da Operação Via Ápia, que apura desvio de recursos do Ministério dos Transportes. João é irmão de Zenaide e principal apoiador de Robinson no Seridó.

Nos meios políticos a expectativa aponta para uma série de operações durante o período de campanha eleitoral. Há o risco até de candidatos serem presos em cima do palanque.


Poti Neto anuncia apoio a Carlos Eduardo

Alexandre Cavalcanti,
Cedida
"Carlos Eduardo é o que ostenta mais experiência e capacidade para enfrentar e vencer as dificuldades", afirmou Poti Neto.

As principais lideranças políticas de São Gonçalo, município da Região Metropolitana de Natal, com 65 mil eleitores, já definiram seus candidatos a governador. O prefeito Paulo Emídio (PR) vai de Robinson Faria (PSD), candidato à reeleição; O ex-prefeito Jaime Calado (PMB), marido da candidata a senadora, Zenaide Maia(PHS), decidiu apoiar Fátima Bezerra (PT). O advogado Poti Neto(MDB), que recebeu mais de 21 mil votos em 2016, anunciou apoio ao candidato Carlos Eduardo (PDT). 

Presidente municipal do MDB, Poti Neto,  falou depois do encontro com o seu candidato: "Estou certo que entre todos os candidatos, Carlos Eduardo é o que ostenta  mais experiência e capacidade para enfrentar e vencer as dificuldades que hoje atormentam nosso povo. Precisamos de segurança, empregos com salários em dia, saúde pública e de escolas acolhedoras".

Ao sair da reunião, Poti Neto fez questão de destacar a importância da escolha do nome do publicitário Kadu Ciarlini para candidato a vice-governador. " Além de todas as credenciais políticas e administrativas que pode apresentar, Carlos Eduardo foi muito feliz na escolha do seu companheiro de chapa", concluiu Poti Neto.


Prefeito e vereador são presos em Caicó

Alexandre Cavalcanti,

A Operação Tubérculo, desdobramento das operações Cidade Luz e Blackout, prendeu, agora há pouco, o prfeito Robson Batata Araújo e o vereador Lobão Filho, de Caicó, suspeitos de corrupção ativa e passiva, associação criminosa, tráfico de influência, lavagem de dinheiro e dispensa indevida de licitação. Também foi preso Edvaldo Pessoa de Farias.

A operação cumpriu três mandados de prisão e outros seis mandados de busca e apreensão, na cidade seridoense e em Natal. Além de presos, o prefeito Batata e o vereador Lobão foram afastados dos cargos.


Pinheiro lança seu livro na próxima quarta-feira

Alexandre Cavalcanti,

O livro "Relatos, Notícias e Memórias", do jornalista Joaquim Pinheiro, será lançado na próxima quarta-feira, dia 15, às 18 horas, no Espaço Cultural Fernando Chiriboga, no shopping Midway Mall.

Segundo Pinheiro, o leitor encontrará temas como a defesa do meio ambiente e fatos relacionados à política-partidária e às eleições municipais e estaduais das três últimas décadas.


Maurício Marques não confirma voto em Zenaide

Alexandre Cavalcanti,

A informação original não é da coluna Pinga Fogo. Acabo de visualizar na página da minha amiga, Thaisa Galvão: "O candidato a deputado estadual, Maurício Marques (PHS), ainda não definiu o voto para Zenaide Maia Calado (PHS)", candidata ao Senado na chapa de Fátima Bezerra (PT).

Maurício Marques, ex-prefeito de Parnamirim, esperava alguma compensação eleitoral em São Gonçalo do Amarante, principal reduto de Zenaide. O ambiente na terra dos Mártires, entretanto, não é dos mais saudáveis. Só do sistema de Zenaide Maia, são quatro candidatos estadual: a mulher do prefeito Paulinho, a filha de Zenaide e Jaime, o vice-prefeito Eraldo Paiva e , ainda, o presidente da Câmara, vereador Raimundo Mendes.

A idéia de Maurício Marques é tentar junto a outros candidatos ao Senado uma troca de votos para consolidar o seu projeto de chegar a Assembléia Legislativa.



Anúncio de Sandra será no sítio Cantópolis

Alexandre Cavalcanti,

Na próxima sexta-feira, dia 17, a deputada Larissa Rosado e sua mãe, vereadora Sandra Rosado, ambas do PSDB, recebem o candidato a governador Carlos Eduardo Alves (PDT), no sítio Cantópolis, propriedade da família, em Mossoró.

Nesse dia, será oficializado o apoio de Sandra e Larissa à candidatura de Carlos Eduardo Alves ao governo do Estado. Embora do PSDB, partido coligado ao PSD, de Robinson Faria,  Larissa e Sandra têm liberdade para apoiar o candidato a governador que escolherem.



Eleição reacende radicalismo em Mossoró

Alexandre Cavalcanti,

As alianças políticas do governador Robinson Faria (PSD) e de Carlos Eduardo Alves (PDT), em Mossoró, podem travar o crescimento da senadora Fátima Bezerra (PT), no segundo maior colégio eleitoral do Estado. Robinson acomodou na vaga de candidato a vice, o empresário Tião do Couto, principal adversário do rosalbismo. Já Carlos Eduardo, tem como candidato a vice-governador o filho de Rosalba, o publicitário Kadu Ciarlini.

O radicalismo da campanha em Mossoró, segundo observadores locais, pode empurrar a candidata do PT para a terceira posição. Os mesmos especialistas concordam que o patamar histórico do Partido dos Trabalhadores, na capital do Oeste, nunca amedrontou as correntes da política tradicional.

Tião do Couto reúne as forças tradicionais que se opõem ao grupo da prefeita Rosalba Ciarlini. Nas eleições de 2016, na condição de candidato a prefeito, Tião obteve 51 mil votos contra 67 mil de Rosalba, eleita prefeita mais uma vez.



Sandra assume coordenação da campanha de Larissa

Alexandre Cavalcanti,

A vereadora Sandra Rosado (PSDB), de Mossoró, oficializou, hoje, domingo, 12/08, desistência de sua candidatura a deputada federal, nas eleições de outubro próximo. Sandra assumiu a coordenação da campanha de sua filha, Larissa Rosado (PSDB), a deputada estadual.

A desistência de Sandra permitiu o fortalecimento da aliança política entre os dois grupos rosados: Carlos Augusto Rosado/Rosalba-Laíre/Sandra Rosado. 

Pelo entendimento, o grupo da prefeita Rosalba vota em Larissa para deputada estadual e recebe, em contrapartida, o apoio do grupo de Sandra à reeleição de Beto Rosado para deputado federal. 

Os dois grupos estão fechados, também, na chapa majoritária: Carlos Eduardo Alves e Kadu Ciarlini, para o governador e vice, respectivamente.


Paulo Emídio, "Patrol da Grande Natal"

Alexandre Cavalcanti,

O prefeito Paulo Emídio (PR), de São Gonçalo do Amarante, ganhou novo apelido na Assembléia Legislativa: " Patrol da Grande Natal", numa referência ao seu potencial em remover obstáculos e ao trabalho para eleger sua mulher, Terezinha Maia (PR), deputada estadual.

Somente nas últimas 24 horas, Paulinho da Habitação conquistou dois importantes cabos eleitorais: Marília Dias(MDB), ex-prefeita de Macaíba, - ontem, sexta-feira, 10/8, já fez caminhada no centro de Macaíba ao lado de Terezinha -, e o vereador Édson Arcanjo, o Nino(MDB), o rei da Zona Rural.

Marília Dias, ex-prefeita de Macaíba e também derrotada nas eleições de 2016, estava dividida entre Adjuto Dias(MDB), filho do prefeito Álvaro Dias(MDB), de Natal, e Terezinha Maia(PR), mulher do prefeito Paulo Emídio (PR). Terminou optando por Terezinha. O Diário Oficial de São Gonçalo publicou, no último dia 6, a nomeação do filho de Marília, Lucas Dias Queiroz, para a secretaria adjunta do gabinete do prefeito.

Já o vereador Édson Arcanjo, o Nino, conhecido pelo seu potencial eleitoral na Zona Rural, de São Gonçalo, trocou o deputado Gustavo Fernandes (PSDB), também pela candidatura de Terezinha Maia(PR). O Diário Oficial de São Gonçalo publicou no último dia 9, a portaria de nomeação de Etiene Pinheiro, irmã de Nino, para secretária adjunta de Idosos.

Em São Gonçalo, ninguém tem dúvidas quanto ao potencial de Terezinha. Os cálculos mais pessimistas apontam para algo em torno de 12 mil votos. Os realistas, entretanto, afirmam que a primeira dama não terá menos de 17 mil votos, em hipótese alguma, em sua principal base eleitoral.


Os custos de uma campanha eleiroral

Alexandre Cavalcanti,

Sinceramente, não sei como eles(os candidatos) vão fazer. As eleições de outubro próximo serão as primeiras sem doações de empresas privadas, - Odebrecht, OAS, Queiroz Galvão, JBS  e outros bichos. Agora, apenas o Fundo Partidário e o financiamento público de campanha, ambos depositados na conta dos partidos, - tudo oficial.

Na capital e no interior, prefeitos, vereadores e lideranças sem mandato aguardam com grande expectativa a liberação da primeira parcela dos custos eleitorais. Apesar da fiscalização, do medo das gravações e das relações, não existe eleição a custo zero.

Para quem tem cofre público, - caso de governadores, prefeitos e presidentes de câmaras  -, a operação de juntar os votos pode até ficar mais fácil, mas não menos perigosa. A distribuição de cargos comissionados, se comprovada, pode resultar na cassação dos vitoriosos e até render uma dor de cabeça danada para os derrotados. Isso tudo, sem falar no risco que correm os ordenadores de despesa.

E afinal, quanto custa hoje uma eleição de deputado estadual. Aí varia: quem já tem mandato leva vantagem sobre os novos. Os atuais deputados atuam no dia-a-dia e fica mais fácil. Os que são conhecidos, também. Mas, os novos de tudo, precisam ter muito dinheiro no bolso. Um voto para estadual não custa menos que 100 reais, um pelo outro. É só fazer a conta.

Para deputado federal, o preço do voto é o mesmo. O federal, entretanto, gasta mais, o dobro do estadual. No próximo pleito, em uma coligação tradicional, nenhum federal se elege com menos 90 mil votos. Para estadual, a eleição estará garantida com menos da metade desses votos. Ou seja, 40 mil.

O preço das eleições para o Senado e Governo do Estado é incalculável, pode até assustar. Mas, também, pode cair de preço. Um bom discurso e a empatia com o eleitorado resolvem a situação. Nesse caso, o dinheiro é apenas um detalhe. As despesas ficam por conta do material de propaganda, - programa de governo, fotografia, programa de rádio e TV, gasolina, alimentação. Tudo isso, dentro dos gastos oficiais.




1-20 de 995