“Impostos elevados e gratuidade podem contribuir para o reajuste da passagem”, diz Queiroga

Segundo o consultor da Seturn, tarifa ainda pode subir para R$ 3,20 e deve ser reajustada o quanto antes.

Rafael Araújo,
Wenderval Gomes
De acordo com Nilson Queiroga, empresários não estão conseguindo pagar o 13° dos funcionários.
A tarifa de ônibus de Natal pode sofrer mais um reajuste ainda neste ano e o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos do Rio Grande do Norte (Seturn) justificou que a majoração dos preços podem acontecer por causa da defasagem tarifaria, dos altos impostos e do grande número de pessoas que utilizam a gratuidade.

“O reajuste que aconteceu no meio do ano não corrigiu a defasagem tarifaria. Isso pode ser mostrado pela simples inflação acumulada de janeiro a julho. Naquela época, a tarifa deveria ter subido para R$ 2,91.Nesse período, o óleo diesel subiu cerca de 50%, os salários dos rodoviários subiram aproximadamente 40% e o preço da passagem aumentou apenas 20,45%. Isso sem contar com o grande número de pessoas que utilizam a gratuidade e o alto valor dos impostos”, explicou o consultor da Seturn.

nilson-h

Segundo Nilson Queiroga, as cidades brasileiras que possuem uma passagem mais barata que a capital potiguar se beneficiam de uma menor carga tributária. “Essas cidades contam com ISS (Imposto sobre serviços) de óleo diesel e ICMS (Imposto sobre circulação de mercadoria e serviços) mais baratos”, argumenta Nilson Queiroga.

O consultor revelou ainda que os empresários não estão conseguindo honrar seus compromissos. "As empresas não estão tendo condições de pagar o 13° e estamos correndo o risco de ter uma nova greve. Por causa dessas dificuldades, queremos que a tarifa seja reajustada o quanto antes”, disse o consultor.

Nilson Queiroga revelou ainda que a nova tarifa de ônibus pode ultrapassar os R$ 3,00. “A consultoria da prefeitura (Seturn) entende que o valor ideal seria R$ 3,20”, relatou.

Tags: Transportes
A+ A-